O que esperar da seleção de Tite na Copa América?

Analisando em números, o trabalho de Tite no comando da seleção brasileira de futebol é muito positivo. A seleção contabiliza 33 jogos com Tite como treinador, vencendo 27, empatando quatro e perdendo apenas dois, um aproveitamento de quase 90%. E mais: em todas as partidas disputadas, sofreu apenas nove gols. Mas o futebol, ainda bem, não se resume a números.

Tite, que antes era considerado unanimidade nacional, ainda conta com o apoio maciço dos torcedores e de boa parte da mídia especializada, mas já começou a ter alguns pontos de seu trabalho questionados, principalmente por conta de algumas convocações. E é nesse clima que os seus comandados irão encarar o principal desafio da seleção em 2019: a Copa América ─ a primeira jogada nos gramados brasileiros desde 1989, quando o Brasil foi campeão. O maior vencedor de títulos da competição é o Uruguai, com 15. A Argentina vem logo em seguida (14) e o Brasil é o terceiro (8). A última vez que conquistamos esse título foi em 2007 e, desde então, sequer disputou uma final.

A Copa América desse ano começa no dia 14 de junho, com a partida entre Brasil e Bolívia ─ no estádio do Morumbi, em São Paulo ─, e termina no dia 7 de julho, com a grande final marcada para o Maracanã, no Rio de Janeiro. O caminho da seleção, ao menos na primeira fase, pode ser até bem tranquilo, já que estamos no Grupo A, acompanhados de Bolívia, Venezuela (18/6, na Arena Fonte Nova) e Peru (22/6, na Arena Corinthians). E esse certo favoritismo termina aí!

Levando em conta os últimos amistosos preparatórios para o torneio sul-americano, as atuações não empolgaram e, independente dos resultados, foram jogos com rendimento muito abaixo do esperado quando se trata de seleção brasileira. O ponto positivo, talvez o único, dessas partidas foram novas opções que estão surgindo no elenco, como Lucas Paquetá, Allan, Éder Militão, Arthur e Richarlison ─ os dois últimos podem ter garantido, inclusive, uma vaga no time titular.

Apesar de ainda não ter estreado pela equipe principal, Vinícius Júnior é outro jogador que pode ser importante para o grupo, pela grande temporada que faz pelo Real Madrid. E Neymar, apesar de estar voltando de uma lesão, é esperado na Copa América, nem que seja para ficar na reserva incentivando os jogadores mais jovens.

Faltando três meses para o início do torneio, ainda não da para afirmar sequer quais serão os 23 jogadores convocados pelo treinador. E quanto ao título? Melhor é só torcer mesmo, mas sem alimentar expectativas, já que hoje a situação não é das melhores. Mas, de partida em partida, quem sabe a gente chega lá…

EDITORIAS