O que são exercícios isométricos?

de Flávio Soares

No grego, “isos” e “metron” são dois vocábulos que significam, respectivamente, “igual” e “tamanho”. Juntos, dão origem à palavra “isometria“, conceito que representa um equilíbrio de forças ou dimensões.

Exercícios isométricos são também conhecidos como treinamento de força estática, pois envolvem ações musculares em que o comprimento do músculo não varia e não ocorre nenhum movimento visível nas articulações. O termo ‘ação estática’ é preferível a ‘contração estática’, já que para haver contração é necessária a realização de movimentos.

Estes exercícios podem ser utilizados para melhorar o condicionamento físico, a força e também para a reabilitação, onde o fortalecimento dos músculos é possível, mesmo sem a necessidade de aplicação de tensão indevida sobre a articulação. Esses exercícios podem aumentar a força isométrica e ainda induzir à hipertrofia muscular.

Benefícios

Podemos destacar uma grande variedade de esportes que exigem força isométrica ou estática, como rapel, escaladas, luta livre, esqui, ginásticas, e muito mais.

Os exercícios isométricos tem sua maior eficiência se forem complementados com ação muscular máxima, ou seja, testando sua resistência ao segurar uma carga constantemente até o momento de falha. O treinamento de força estática também pode envolver ações musculares máximas. Podemos exemplificar isso ao empurrarmos o próprio corpo contra um objeto imóvel, como uma parede ou uma carga pesada. É exatamente por isso que muitos exercícios isométricos são feitos contra superfícies resistentes, como agachamentos, por exemplo.

Sabe-se que tal exercício aumenta a força, mesmo assim eles não são a forma mais adequada de treinamento de resistência para ações dinâmicas, como corridas e saltos. Pois os exercícios isométricos não aumentam a velocidade máxima de execução, apenas fortalecem os músculos no ângulo que é formado.

Certos cuidados devem ser tomados durante a execução dos exercícios isométricos pois elevam a pressão arterial de forma significativa. E ao retornar ao nível de repouso é importante atentar-se aos Bpm, mesmo que a pessoa não sofra com problemas arteriais elevados. Por isso é sempre importante respirar profundamente durante os exercícios.

EDITORIAS