Niterói-Manilha da BR 101 é um dos trechos mais perigosos das rodovias no país

 

Por Sandro Barros

O trecho Niterói-Manilha da rodovia federal BR 101 tem um dos maiores números de roubos de veículos em todo o país. Foi o que afirmaram representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar durante audiência pública (foto) realizada em 1º de agosto para discutir medidas para o enfrentamento da violência na região. O encontro foi promovido pelas comissões de Segurança Pública e de Turismo da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

De acordo com a Polícia Militar, no primeiro semestre de 2019 o 7º Batalhão de São Gonçalo, que compreende 80% da extensão do trecho, registrou 12% e 20%, respectivamente, do total de roubos de veículos e de cargas em território fluminense. Para o policiamento da Niterói-Manilha, o 7º BPM dispõe de 80 policiais e de 13 viaturas, o que se revela insuficiente. Com a PRF, responsável por patrulhar a rodovia, a situação não é diferente: são apenas sete agentes para todos os 21 Km do trecho, além da Ponte Rio-Niterói.

Apesar da alarmante situação, a PM afirmou que houve uma diminuição de 54% no número de roubos a veículos no segundo trimestre de 2019 em comparação ao mesmo período do ano passado. A redução se deu, dentre outros motivos, pela integração entre as forças policiais, empresas e organizações da sociedade civil. “A diminuição é um fato bom, mas não dá para comemorar”, afirmou Renata Dutra, delegada da 2ª Delegacia da PRF, de Niterói. Atualmente, a Polícia Rodoviária Federal conta com o auxílio do batalhão de Rondas Especiais e Controle das Multidões (Recom), da Polícia Militar, que também atua em operações nas comunidades da região.

O trecho Niterói-Manilha, que conta com 100 mil usuários por dia, é rodeado por bairros populosos de São Gonçalo, como Salgueiro e Jardim Catarina, locais onde, além da segurança, carecem de outros serviços públicos de infraestrutura. A região tornou-se, ao longo dos últimos anos, um reduto do tráfico. Segundo o coronel Marcelo Rocha, da PMRJ, “os traficantes roubam veículos e cargas para obterem recursos para a compra de armamento”.

Mais uma vítima

A PRF afirmou que estava prevista ainda para agosto a implementação de uma gratificação para agentes em folga, semelhante ao Regime Adicional de Serviço (RAS) da Polícia Militar. A medida aumentaria entre 30% e 40% o número de agentes no trecho Manilha da BR-101, de acordo com o inspetor Marcelo Vinicius. “Com isso, a gente vai ter um policial que conhece o trecho e isso também é muito importante. O policial que não conhece sente muito mais dificuldades em atuar naquela região”, completou a delegada Renata Dutra.

Rodrigo Meira, representante da concessionária Arteris, que administra o trecho, afirmou que a empresa também tem colaborado para aumentar a segurança na via. “Dentre as medidas tomadas, estão a disponibilização das imagens das câmeras de segurança que monitoram a rodovia em tempo real e melhorias de infraestrutura que vão desde a iluminação de LED até a ampliação de faixas”, comentou Meira.

Representantes do setor hoteleiro destacaram que a violência da BR 101 tem afastado turistas, principalmente da Região dos Lagos, o que ocasiona prejuízos financeiros para os municípios e desemprego. Ao final da audiência foram formuladas algumas propostas para reverter a atual situação, entre elas a de se avaliar a possibilidade de uma parceria público-privada para reforçar o policiamento.

Seis dias após a audiência pública na Alerj, foi registrada mais uma vítima da violência na Niterói-Manilha. Dessa vez foi o sargento da PM Otávio Correa dos Santos, de 46 anos, morto com um tiro de fuzil na cabeça enquanto participava do patrulhamento nas proximidades da comunidade Recanto das Acácia, às margens da rodovia.

Foto: Diário do Rio

pt Português
X
EDITORIAS