Fernando Meirelles e o cinema brasileiro elogiado pela crítica mundial

Da Redação
Formado em arquitetura, o paulista Fernando Meirelles inicia-se no cinema através da produtora Olhar Eletrônico, que ele cria com amigos. Após uma série de curtas experimentais, ele dirige centenas de episódios da premiada série de televisão infantil ‘Rá-Tim-Bum’. É justamente com o gênero infantil que ele estreia no cinema, com ‘Menino Maluquinho 2 − A Aventura’ (1998).

A sua primeira produção marcante é ‘Domésticas −O Filme’ (2001), um retrato social produzido por sua nova empresa, a 02 Filmes. Esta produção chama atenção para o talento do diretor e é aclamada por seu roteiro.

A carreira de Meirelles transforma-se com o lançamento de ‘Cidade de Deus’, de 2002, adaptação do livro de mesmo nome do escritor Paulo Diniz. Embora a produção gere grande polêmica no Brasil sobre a representação das favelas, ela é aclamada no exterior e recebe indicações a quatro Oscars, incluindo melhor diretor.

Com este sucesso, Meirelles investe na carreira internacional. Ele foi nomeado ao Globo de Ouro de melhor diretor em 2005 por ’O Jardineiro Fiel’, que ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante pela atuação de Rachel Weisz. Ele também dirigiu a adaptação do romance de José Saramago, ‘Ensaio sobre a Cegueira’, lançado em 2008 e que conquistou o Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Seu mais recente filme é ‘Dois Papas’, produção da Netflix lançada em 2019. O longa aborda o período anterior à renúncia do Papa Bento 16, interpretado por Anthony Hopkins, e a relação dele com o Papa Francisco, vivido por Jonathan Pryce. Além das telonas, Meirelles encabeçou a equipe artística que produziu a cerimônia de abertura das Olimpíadas de 2016, transmitida no mundo inteiro.

Foto: Reprodução

pt Português
X
EDITORIAS