Atenção para o mês azul

de Flávio Soares

Segundo o portal do Ministério da Saúde, o câncer de próstata já é a segunda maior causa de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14 mil óbitos. A doença é um tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. O câncer de próstata é o mais frequente entre os homens, depois do câncer de pele. Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto.

As estimativas apontam 68.220 novos casos em 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens; A doença é confirmada após fazer a biópsia, que é indicada ao encontrar alguma alteração no exame de sangue (PSA) ou no toque retal, que somente são prescritos a partir da suspeita de um caso por um médico especialista.

Existem alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:
− Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.
− Histórico de câncer na família: homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco.
− Sobrepeso e obesidade: estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

Por outro lado, há alguns fatores que ajudam na prevenção entre eles estão ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.
Os últimos resultados de pesquisa sobre o aparecimento dos mais variados tipos de câncer mostram que as pessoas sedentárias têm uma maior probabilidade do surgimento da doença, além dos riscos cardíacos e diabetes como dito na edição passada. E o mesmo estudo também diz que os mais ativos fisicamente, principalmente os que tem uma prática regular, demonstraram uma redução significativa de 10% a 30% na incidência da doença e ainda sendo favorecidos com uma longevidade mais saudável.

Então, podemos afirmar que a atividade física deve ser feita regularmente, pois irá minimizar o aparecimento de muitas doenças e principalmente o câncer de próstata.

Flávio Soares, educador físico, especializado em Neurociências pedagógicas e Psicopedagogia

pt Português
X
EDITORIAS