Feira Hippie de Ipanema, uma galeria de arte ao ar livre

Sandra Barros

O movimento hippie surgiu na cidade de São Francisco, costa oeste dos Estados Unidos, na década de 60. Rapidamente, o espírito da contracultura e a mensagem de “paz e amor” se espalharam pelo mundo. E a cidade do Rio de Janeiro também estava nesse mapa. Um dos exemplos disso é a Feira Hippie de Ipanema, que começou em 1968, em plena ditadura militar.

A praça logo se tornaria um ponto de encontro para artistas plásticos e artesãos. Uma das características mais marcantes eram os hippies e mochileiros vindos de diversas partes do Brasil e do mundo, todos envolvidos com o movimento da época. No início os expositores não tinham barracas: colocavam um pano no chão e cada um expunha seu trabalho de forma bem espontânea. Na verdade, era como se fosse uma grande família, todos se ajudando mutuamente. Com o passar dos anos, a feira, com sua diversidade de trabalhos, tornou-se conhecida internacionalmente, sendo visitada por turistas e apreciada por muitos.

Considerada por seus organizadores como “a maior galeria de arte e artesanato ao ar livre do mundo”, na Feira Hippie de Ipanema você encontra mais de 600 pontos de exposição, que vendem artesanato brasileiro, bijuterias, bordados em roupas e acessórios, pinturas em tela, objetos de decoração, entre tantos outros. Detalhe importante da feira: seus produtos estão em constante evolução em termo de moda e requinte. Alguns exemplos são as sandálias de couro, bolsas femininas com motivos variados e instrumentos para se tocar samba. Uma enorme variedade, que vai da simplicidade ao sofisticado.

Para completar o programa, os visitantes também podem se deliciar com as comidas típicas brasileiras vendidas no local. A Feira Hippie de Ipanema fica na Praça General Osório (entre as ruas Barão da Torre, Visconde de Pirajá, Jangadeiros e Teixeira de Melo) e funciona todos os domingos, da 8h às 19h. Vale a pena conhecê-la, mesmo que seja só para um passeio!

Fotos: Reproduções

pt Português
X
EDITORIAS