O adeus a Gugu Liberato

Por Claudia Mastrange

Em clima de muita emoção, familiares, amigos e fãs se despediram de Gugu Liberato. O corpo do apresentador, que morreu no último dia 22 de novembro, após uma queda em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos, foi liberado para traslado no dia 26, após os procedimentos de doação de órgãos. O corpo chegou ao Brasil, no dia 28 e o velório, aberto ao público, aconteceu na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Gugu foi sepultado no jazigo da família no Cemitério do Morumbi, em São Paulo.

Gugu caiu de uma altura de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Levado ao Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, com sangramento intracraniano, acompanhado pela equipe médica local.  A morte encefálica foi confirmada pelo médico Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante da mãe de Gugu, Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus três filhos, João Augusto, Marina e Sophia, Rose Miriam Di Matteo.

“Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida”, declarou a assessoria de imprensa de Gugu, em nota. “Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças − que são muitas − e a certeza de que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz.” A nota é assinada por seus familiares e funcionários.

Discípulo de Silvio Santos

Antônio Augusto de Moraes Liberato nasceu em São Paulo, em 10 de abril de 1959. Gugu trabalhou na televisão desde a adolescência e foi apontado como o sucessor de Silvio Santos. Com apenas 14 anos, enviou cartas pra o ‘Homem do Baú’, com sugestões de quadros e gincanas. O apresentador o contratou para trabalhar ao lado dele em seus programas. “Eu ia fazer 15 anos no mês em que entrei lá. Fiquei de 1974 a 2009, foram 38 anos. Antes de trabalhar em frente às câmeras, eu trabalhava com ele no palco, na produção. Tudo o que sei foi ele que me ensinou”, contou Gugu em entrevista a Fábio Porchat.

Silvou chegou a pagar a faculdade de jornalismo para Gugu e o fez desistir de ir para a Globo, com quem assinou contrato em 1987. Com problemas nas cordas vocais, Silvio queria que seu pupilo o ajudasse na apresentação de seu programa dominical. E assim foi. Gugu apresentou diversos game shows, como ‘Passa e Repassa’, ‘Roletrando’, ‘Cidade Contra Cidade’, além do programa ‘Viva a Noite’, aos sábados, que depois se tornaria ‘Sabadão Sertanejo’ e ‘Sabadão’. Seu maior sucesso foi o ‘Domingo Legal’, que estreou em 1993 e engrenou uma guerra pela audiência com o ‘Domingão do Faustão’ da Globo.

Em 2009 assinou com a Record TV, de onde saiu em 2013, com baixa audiência. Retornou em 2014 e atualmente comandava os realities ‘Power Couple Brasil’ e o ‘Canta Comigo’, que termina no dia 4 de dezembro e já estava com todos os programas gravados.

 

 

pt Português
X
EDITORIAS