Parque Lage, um palácio aos pés do Cristo Redentor

Por Sandro Barros

Aos pés do Morro do Corcovado, o Parque Lage encanta com seus 52 hectares de puro verde, programas culturais e arte. Originário de um antigo engenho de açúcar, o parque faz parte da memória histórica da cidade. Em 1957, foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro.

Muito procurado por famílias, especialmente nos finais de semana, o Parque Lage conta com boa estrutura para a diversão das crianças, com brinquedos e grande área ao ar livre. É muito comum a realização de piqueniques no parque.

Projetado em 1840 pelo paisagista inglês John Tyndale, o belíssimo jardim divide as atenções com a floresta nativa de Mata Atlântica. Destacam-se também as palmeiras imperiais, os lagos e ilhas artificiais, além das cavernas espalhadas pelo parque e os aquários incrustados nas paredes com diversos peixes.

Na principal edificação do espaço, um casarão do século XIX, funciona a Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), que oferece formação gratuita para artistas iniciantes, cursos de capacitação em arte para jovens, além de uma intensa programação de exposições, seminários, palestras e mostras de vídeos. No pátio central da mansão, à beira da piscina, o Bistrô Plage oferece um delicioso café da manhã, além de almoço e jantar com produtos orgânicos que podem ser saboreados junto aos eventos de arte e música que acontecem no local durante todo ano. Em muitos finais de semana, o Parque Lage atravessa a madrugada com festas e festivais de arte e música.

O Parque Lage fica na Rua Jardim Botânico, 414. Funciona diariamente, das 8h às 17. Já o Bistrô funciona de segunda a sexta, das 9h às 23h; sábado, das 13h às 23h, e domingo, das 9h às 23h.

 

EDITORIAS