ONU: trabalho decente e crescimento econômico são o oitavo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável

Foto: Agência Brasil

Da Redação

O crescimento econômico dos países está intimamente ligado a questões de trabalho e emprego. E estar empregado é a garantia de condições mínimas de sobrevivência para o cidadão. É nesse foco que está o oitavo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU (Organização das Nações Unidas): promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos. Ele faz parte da Agenda 2030, compromisso firmado entre mais de 150 países, em 2015, para construir um mundo sem pobreza, mais justo, com o meio ambiente preservado e condições dignas de vida para todos os povos até o ano de 2030.

De acordo com a ONU, o desemprego global aumentou de 170 milhões em 2007 para cerca de 202 milhões em 2012. Desse total, aproximadamente 75 milhões são mulheres ou homens jovens. No Brasil, país de dimensões continentais, os problemas são igualmente gigantescos: temos quase 13 milhões de desempregados. O mercado informal, para onde a população migra tentando buscar meios de sobreviver e pagar suas contas, tem mais de 30 milhões de brasileiros.

No mundo há aproximadamente 2,2 bilhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza. A erradicação do problema só é possível por meio de empregos bem pagos e estáveis. E para resolver isso são necessários 470 milhões de empregos para a entrada de novas pessoas no mercado de trabalho de 2016 a 2030.

E como criar esses postos de trabalho? Pequenas e médias empresas que se comprometem com o processamento industrial e com as indústrias manufatureiras são as mais decisivas para os primeiros estágios da industrialização e são geralmente as maiores geradores de emprego. São responsáveis por 90% dos negócios no mundo e contabilizam entre 50 a 60% dos empregos.

No esteio dessa demanda, entre as metas do oitavo ODS está promover políticas orientadas que apoiem as atividades produtivas, geração de emprego decente, empreendedorismo, criatividade e inovação, e incentivar a formalização e o crescimento das micros, pequenas e médias empresas, inclusive por meio do acesso a serviços financeiros. A intenção é, até 2020, reduzir substancialmente a proporção de jovens sem emprego, educação ou formação. E, além disso, propiciar emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas as mulheres e homens, inclusive para os jovens e as pessoas com deficiência, e remuneração igual para trabalho de igual valor.

As condições de trabalho também estão no foco das metas. A ODS 8 ressalta a importância de tomar medidas imediatas e eficazes para erradicar o trabalho forçado, acabar com a escravidão moderna e o tráfico de pessoas, e assegurar a proibição e eliminação das piores formas de trabalho infantil, incluindo recrutamento e utilização de crianças-soldado, e até 2025 acabar com o trabalho infantil em todas as suas formas. Tudo isso além de proteger os direitos trabalhistas e promover ambientes de trabalho seguros e protegidos para todos os trabalhadores.

Chegar a 2030 com tantos problemas minimizados ou resolvidos certamente não será fácil. Mas, desde que as nações assumiram o compromisso por um mundo e um futuro melhor, buscar atingir essas metas, com seriedade e comprometimento, já é um bom início. A humanidade agradece.

pt Português
X
EDITORIAS