‘Eu quero é botar meu bloco na rua’

Por Alessandro Monteiro

Em 1973, o compositor Sérgio Sampaio lançava a canção ‘Eu quero é botar meu bloco na rua’, música em forma de protesto, numa época em que os brasileiros estavam amordaçados, sofrendo com a censura e o enriquecimento da classe média num período de ditadura.

Não muito diferente dos tempos atuais, a música, que foi regravada por tantos gênios da MPB, permanece na boca do povo e ganha as ruas quase 50 anos depois, a fim de reivindicar os mesmos direitos, num período de retrocesso político.

A cada ano, os blocos ganham mais adeptos talvez pelo fato de ser considerado um espaço democrático, que cada folião encontra para expressar suas emoções e tratar temas como diversidade, preconceito, racismo e intolerância religiosa.

Por outro lado, o carnaval de rua favorece os ambulantes credenciados, a possibilidade de vender seus produtos gerar uma renda extra no fim do mês.

Em tempos de crise, os luxuosos camarotes da Marquês de Sapucaí, que possuem ingressos que variam de R$ 1.700 a R$ 2.500, transformaram-se mais num espaço turístico para os gringos que visitam a cidade neste período.

A grande parte dos cariocas, principalmente os jovens, estão mesmo é buscando o carnaval alternativo de rua, que além de trazer a sensação de liberdade, ainda dá um colorido pra lá de especial.

Então, prepare-se e caia na folia com principais blocos cariocas que arrastam multidões!

Cordão do Boitatá

Fundado em 1996 por estudantes e músicos, é responsável pela revitalização do carnaval de rua carioca, atraindo milhares de foliões nas apresentações que duram mais de sete horas, sempre no domingo de carnaval.
Desfile: 16 de fevereiro (domingo)
Onde: Av. Henrique Valadares, Centro
Concentração: 8h

Sargento Pimenta

Fundado em 2010, e arrastando mais de 180 mil pessoas, o bloco traz no repertório versões de canções das bandas de rock The Beatles, interpretadas com arranjos de samba, marcha e maracatu.
Desfile: 24 de fevereiro (segunda)
Onde: Av. Infante Dom Henrique, 75, Glória
Concentração: 8h

Céu na Terra

O bloco não se limita aos desfiles de carnaval, definindo-se como um núcleo de cultura popular. O grupo é formado por mestres e educadores, além de músicos e artistas em geral. Premiado, o bloco ostenta o título de “Bloco mais Colorido do Carnaval Carioca”.
Desfile: 15 de fevereiro (sábado)
Onde: Largo dos Guimarães, Santa Teresa
Concentração: 7h

Orquestra Voadora

O bloco desfila desde 2008. Formado por músicos, a turma inovou e passou a misturar tradicionais marchinhas com sambas, rock, trilhas sonoras de filmes e desenhos animados, música pop e ritmos brasileiros.
Desfile: 25 de fevereiro (terça)
Onde: Aterro do Flamengo, altura da Praça Luís de Camões − Coreto Modernista
Concentração: 13h

Banda das Quengas

A Banda das Quengas foi fundada em 1990 e é um bloco LGBT que desfila pelas ruas da Lapa no Rio de Janeiro. O bloco surgiu sob o comando de Juares Moraes e Tbengston Martins e teve inspiração na personagem da atriz Joana Fomm na novela ‘Tieta’, cujo bordão era “quenga”.
Desfile: 25 de fevereiro (terça)
Onde: no meio da Washington Luís, Lapa
Concentração: 16h

Simpatia é Quase Amor

Bloco nascido em 1985, em meio à campanha pelas Diretas Já, com as cores amarelo e lilás. A turma desfila pelas ruas de Ipanema, bairro da Zona Sul do Rio.
Desfile: 23 de fevereiro(domingo)
Onde: Praça General Osório, Ipanema
Concentração: 14h

Banda de Ipanema

É um dos blocos mais conhecidos do carnaval do Rio. Fundado em 1964, arrasta multidões pelo tradicional bairro que leva o nome do bloco, na Zona Sul carioca.
Desfile: 22 de fevereiro (sábado)
Onde: Rua Gomes Carneiro, Ipanema
Concentração: 16h

Cordão da Bola Preta


Fundado em 1918, é o mais antigo bloco da cidade. Desfilando tradicionalmente todo sábado de carnaval pelas ruas do Centro, o bloco arrasta quase três milhões de pessoas.
Desfile: 22 de fevereiro (sábado)
Onde: Rua Primeiro de Março, Centro
Concentração: 7h

Bloco das Carmelitas


Fundado em 1990, o bloco desfila em Santa Teresa, onde fica o Convento das Carmelitas, nome que originou o bloco.
Desfile: 21 de fevereiro (sexta)
Onde: esquina da Ladeira de Santa Teresa com Rua Dias de Barros, Santa Teresa
Concentração: 13h

Fotos: Agência Brasil e Riotur

EDITORIAS