Notas esportivas: futebol, basquete, vôlei e tênis

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por Sandro Barros

Futebol masculino garante vaga para Tóquio

O futebol masculino brasileiro brigará pelo bicampeonato olímpico nas Olimpíadas de Tóquio. Precisando da vitória para garantir a passagem para o Japão, a Seleção comandada por André Jardine derrotou a Argentina, também classificada, por 3 a 0 na noite de 9 de fevereiro. Matheus Cunha, duas vezes, e Paulinho fizeram os gols da Seleção. A Argentina já havia garantido sua vaga antecipadamente.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Basquete feminino fora das Olimpíadas

Pela primeira vez desde Seul, em 1988, a Seleção feminina de basquete não disputará os Jogos Olímpicos. A Seleção deu adeus aos Jogos de Tóquio no dia 9 de fevereiro, quando perdeu para a Austrália, a segunda melhor seleção no ranking da FIBA, por 86 a 72. Com três derrotas em três partidas e acabou na lanterna. Além da Austrália, as equipes de França e Porto Rico ficaram com as três vagas do grupo.

Foto: Divulgação/CBB

Cruzeiro é penta da Copa do Brasil de Vôlei

O Cruzeiro não tomou conhecimento do Sesi-SP e venceu por 3 sets a 0 a decisão da Copa do Brasil de Vôlei, realizada em Jaraguá do Sul (SC), no dia 25 de janeiro. As parciais do jogo foram 25/23, 25/22 e 25/12. Esse é o quinto título da competição erguido pelo time mineiro. Os grandes destaques da equipe campeã foram os pontas GordPerrin e Facundo Conte. Na semifinal, o Cruzeiro havia vencido o Sesc-RJ, por 3 sets a 1.

Foto: Cruzeiro/Divulgação

Ex-jogador de futebol americano ganhar Oscar

Matthew Cherry, ex-jogador de futebol americano, se tornou o segundo atleta a conquistar um Oscar. No dia 9 de fevereiro ele recebeu o prêmio de Melhor Curta Animado por ‘Hair Love’, que conta a história de um pai negro tentando aprender a cuidar dos cabelos crespos da filha.

O outro esportista que conquistou uma estatueta foi Kobe Bryant, astro da NBA falecido recentemente em acidente aéreo, e exatamente na mesma categoria, com ‘Dear Basketball’.

Novak Djokovic no topo do ranking

Ao conquistar o Aberto da Austrália, o tenista Novak Djokovic se o manteve bem próximo da dupla Roger Federer e Rafael Nadal nos Slams. São 17 conquistas e mais no mínimo dois anos de bom tênis a ser jogado. Djokovic volta a ser o número um do mundo e ficará pelo menos mais quatro semanas no topo. Não resta dúvida que Djokovic tem chances em números de ser o melhor de todos os tempos.

 

pt Português
X
EDITORIAS