Tia Surica: uma história de amor pelo carnaval

Por Franciane Miranda

Conhecida carinhosamente por todos como Tia Surica, a sambista Iranette Ferreira Barcellos, tem história para contar. Com o sangue azul e branco correndo em suas veias, tornou-se um dos nomes mais respeitados na história do samba e da Portela. A matriarca fez da escola sua casa e sua família. Já desfilou como baiana e passou por vários setores elevando o nome da sua escola do coração.

Começou sua carreira musical na década de 50, ao fazer parte do coro do LP ‘A Vitoriosa Escola de Samba da Portela’. Dona de uma voz inigualável, a sambista mostrou que seu lugar era na avenida. Em 1966, foi convidada para puxar o samba-enredo ‘Memórias de um Sargento de Milícias’, de autoria de Paulinho da Viola, ao lado de Catoni e Maninho. Naquela época, não era comum uma mulher assumir um papel tão importante. Ela brilhou e fez a escola vencer naquele carnaval.

Nascida e criada no bairro de Madureira, o samba entrou em sua vida em 1944, ainda criança, aos quatro anos de idade. Foi amor à primeira vista e, desde então, não largou mais e o casamento dura até hoje. Após a morte dos seus pais, a sambista foi criada pelos avós maternos José e Amélia, e também por sua mãe de criação, Evangelina. Conta que sua infância foi boa, com uma ótima formação e bons princípios. Seu apelido peculiar foi colocado por sua avó: segundo ela, Surica é caracterizado por algo pequeno e roliço e, por ser baixinha e forte, começou a lhe chamar assim.

Hoje, com idade avançada, já não tem mais tanto pique para o samba-enredo, que é mais acelerado. A portelense com todo o seu talento já se apresentou em todo Brasil. Rodou o mundo levando nossa música e cultura, cantando na Alemanha, Itália, Bélgica e França. Já fez coro com importantes nomes do cenário musical brasileiro como Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, Marisa Monte e Zeca Pagodinho. Entrou para Velha Guarda na década 80 onde se dedica e concilia com sua carreira solo.

Tia Surica também é conhecida por sua feijoada inaugurada em 2004. O evento começou para reunir integrantes da Portela e hoje virou um momento onde todos se reencontram para comemorar a boa música e amizade. À frente da famosa festa, ela prepara tudo com muito carinho com suas famosas ‘suriquetes’. Seu tempero sempre regado com muito samba e convidados ilustres como Leci Brandão, Velha Guarda da Portela, Teresa Cristina, Candeia, Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho e Dona Ivone Lara. Quem sabe o segredo do seu tempero é a alegria?

Foto: Divulgação

pt Português
X
EDITORIAS