Lugar de criança é brincando

Foto: Divulgação

Por Franciane Miranda

Ver o sorriso no rosto de uma criança não tem preço. Fundado em 2013, o projeto Quintal de Infâncias tem como objetivo incentivar as crianças a brincarem e se divertirem, mas não em frente ao celular, tablet ou computador. Quem nunca brincou de pular corda, com elástico, bolinha de gude, peteca, peão e bambolê? A ideia é levá-los para entreter-se em ambientes ao ar livre e resgatar estas brincadeiras sadias da infância.

A violência nas ruas e as novas tecnologias contribuíram, ao longo dos anos, para as crianças ficarem cada vez mais em casa e, em frente a televisão. Percebendo estas mudanças comportamentais, a babysitter Carolina de Paula, criou o projeto que há vários anos preserva e incentiva as brincadeiras no espaço público. Ela afirma que mudar esse cenário é uma responsabilidade de todos nós. O que importa é tirar nossos jovens de casa para que se divirtam juntas. O lema: é fazer uma criança feliz!

Para participar é só chegar e somar. Todos podem aproveitar como preferir. Pode pular uma corda, segurar o elástico nas pernas, jogar peteca, rodar bambolês. Carolina também explica que é possível levar brinquedos que estejam de acordo com a proposta do projeto.

O local escolhido para realizar tais brincadeiras são praças, parques públicos e ruas fechadas para lazer. Os espaços sempre são ao ar livre, para potencializar o ‘livre brincar’. São quatro horas de lazer e diversão para a criançada e adultos, claro! No Instagram @quintaldeinfancias você pode acompanhar os depoimentos de várias pessoas que participaram e amaram!

Para manter o projeto, Carolina conta com doações e a generosidade de todos. Nos eventos é passado um porquinho, que é um chapéu chamado ‘Manoel’ em homenagem ao poeta Manoel de Barros. As pessoas podem colaborar com quanto quiserem. Se você gostou e deseja participar, entre em contato pelo Instagram ou pela a página do Facebook. Ela disponibiliza um kit e explica sobre à ação.

Na hora das atividades, as crianças reagem com surpresa e curiosidade, pois a maioria não conhece os brinquedos. Carol conta que elas ficam encantadas ao presenciarem os seus pais brincando. A interação entre as crianças é linda, elas ensinam as brincadeiras aos que não conhecem e juntos inventam novas formas de se divertirem com os objetos. Desta forma, brincando aprendem a valiosa missão de compartilhar e ensinar: “É sempre muito satisfatório ver a interação entre elas e como ficam felizes”.

Carolina lembra o quanto é gratificante fazer parte deste lindo do projeto e conta sobre alguns momentos que a emocionaram. “No Parque Madureira vi uma senhora que pulava corda e rodava bambolê”, afirma. Ao longo dos anos presenciou muitas crianças crescerem e retribuírem o carinho que receberam.

É importante como os pais olham para o projeto e reconhecem o seu papel na construção do aprendizado dos seus filhos. Acompanhar a evolução e ajudá-los a se desenvolver de maneira feliz e participativa faz parte da filosofia do projeto. Precisamos de mais ações como esta. É gratificante saber que o projeto é um espaço para todos, inclusive para crianças com autismo. É uma troca de confiança entre todos que fazem o Quintal de Infâncias florescer.

pt Português
X
EDITORIAS