Rio suspende aulas e cancela eventos como medidas de prevenção e contenção à circulação do novo coronavírus

Os governos municipal e estadual do Rio de Janeiro anunciaram medidas emergenciais para a prevenção e contenção ao contágio do novo coronavírus no estado. Entre as determinações anunciadas, estão a suspensão das aulas nas escolas municipais, estaduais e particulares e o cancelamento de eventos e atividades culturais e esportivas.

Mesmo com o fechamento temporário, as 1.540 unidades de ensino do município fecharão por uma semana, mas o prazo pode se estender até o fim de março. Mas as escolas estarão abertas para almoço dos alunos entre 11h e 13h. No total, são 626 mil alunos. No estado, as aulas ficarão, a princípio, suspensas por: 15 dias, que serão descontados das férias de julho, como uma antecipação das férias.

O governador Wilson Witzel montou um gabinete de crise e publicou um decreto visando evitar aglomerações e com medidas de enfrentamento que incluem restrição excepcional e temporária de entrada e saída da cidade, por rodovias portos ou aeroportos e também a possibilidade de realização compulsória de vacinação, exames médicos e outros tipos de testes de saúde.

Gabinete de crise: ações coordenadas de combate ao novo coronavírus (Foto Governo do Estado do Rio)

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que a cidade entrou em Estágio de Atenção às 16h da sexta-feira, 13 de março, com as seguintes recomendações:

  1. A Prefeitura do Rio recomenda que ônibus e BRTs evitem superlotação de passageiros
  2. A Prefeitura do Rio não vai conceder licenças para eventos que causem grandes aglomerações. Licenças já concedidas serão canceladas a partir de segunda-feira
  3. A Prefeitura do Rio suspende os períodos de férias do pessoal da saúde e assistência social enquanto durar a pandemia
  4. A Prefeitura do Rio suspende as aulas em escolas municipais na próxima semana, mantendo os refeitórios abertos para o almoço a partir das 11h às 13h
  5. Estão suspensas também, a partir de segunda-feira, 16, atividades nas Casas de Convivência, cinemas, teatros, lonas culturais e museus da Prefeitura do Rio
  6. Prefeitura do Rio recomenda que pessoas com baixa imunidade (asma, pneumonia, tuberculose, câncer, renais crônicos e transplantados) evitem sair de casa
  7. Prefeitura do Rio orienta que a população evite frequentar cinemas e teatros particulares
  8. Recomendação de jornadas de turnos de trabalho alternativos para empresas, com o objetivo de evitar a superlotação nos transportes coletivos. E, sempre que possível, o trabalho em casa. O setor público deverá adotar o mesmo princípio de escala
  9. Prefeitura do Rio irá disponibilizar álcool gel em todas as repartições municipais de atendimento ao público, incluindo hospitais, abrigos, estações de BRT, escolas e equipamentos culturais
  10. Prefeitura do Rio recomenda que as atividades esportivas no Engenhão não sejam abertas ao público

Município: 150 leitos destinados a casos graves

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e a secretária Municipal de Saúde, Beatriz Busch, anunciaram na manhã desta quinta-feira (12/03) a ampliação de 120 para 150 do número de leitos da rede municipal destinados a casos graves de coronavírus. A Prefeitura determinou ainda que o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, passe a ser a unidade de referência para tratamento do Covid-19. Uma terceira medida foi a elevação em um nível do Plano de Contingência, aumentando ao Nível 1 a vigilância municipal.

O anúncio foi feito durante cerimônia de recebimento dos seis primeiros tomógrafos, de um total de 16 novos adquiridos recentemente pela Prefeitura do Rio, com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Os equipamentos fazem parte do investimento de R$ 370 milhões realizado pela atual gestão na renovação do parque tecnológico das unidades de saúde da rede municipal. Ao todo, foram comprados mais de 18 mil equipamentos para a rede de saúde.

O ministro da Saúde destacou que a chegada dos equipamentos do parque tecnológico é vista como providencial no contexto da pandemia. “O município do Rio de Janeiro está de parabéns, porque reforça sua rede de atendimento neste momento de grande desafio trazido pelo novo coronavírus”, disse Luiz Henrique Mandetta.

Uma das principais preocupações do Poder Público é evitar a lotação dos transportes públicos. Chegou a ser cogitado impedir que as pessoas fizessem viagens em pé em ônibus e transportes sobre trilhos, mas optou-se por sugerir que a indústria padronize turnos de trabalho com início às 6h; o comércio, às 8h; e os serviços, às 10h, para que os trabalhadores não usem os modais ao mesmo tempo.

“Isso nós recomendamos. Temos que preservar a atividade econômica, porque é ela que vai pagar a conta toda desse esforço que vamos fazer”, afirmou Crivella.

Secretária municipal de Saúde: “Não há motivo para pânico”

Marcelo Crivella anunciou que trabalhará com todas as esferas para evitar a proliferação entre os cariocas e moradores de outros municípios. “Vamos trabalhar junto com o governo do estado e o governo federal para que, caso esse problema surja como pandemia na nossa cidade, no nosso estado, estejamos preparados para tratar todos”, afirmou Crivella, ao destacar que a rede municipal de saúde está monitorando os casos no município.

A secretária Beatriz Busch ressaltou que a cidade está preparada para a pandemia e aumentou o nível de vigilância. “Passamos agora para o nível 1 do plano de contingência, estamos preparando 150 leitos para abertura imediata, se necessário, e não há dificuldade nenhuma de insumos. Neste momento, o prefeito também está estudando a regulamentação do decreto que nos permitirá pular algumas etapas de fluxo administrativo para contratação de recursos humanos, pequenas obras que sejam necessárias e compra de insumos”, afirmou.

Beatriz Busch enfatizou também que o momento é de tranquilidade e que os profissionais da rede estão treinados para diagnóstico e notificação de casos e uso de equipamentos de proteção: “Não há motivo para pânico. A população deve tratar as gripes como sempre, mas se tiver alguma dúvida, pode procurar nossas clínicas da família e centros municipais de saúde. Se tiver dificuldades respiratórias ou sintomas mais graves, pode procurar as UPAs ou hospitais de urgência ou  utilizar o tele-saúde, cujo telefone é 136”.

Higiene é a melhor forma de prevenção

A única forma cientificamente comprovada de prevenir a Covid-19 é higienizar bem as mãos e evitar o contato das mãos sujas com o rosto, o nariz e a boca. Outros cuidados são usar lenços descartáveis após tossir e espirrar ou proteger a boca com o antebraço, se precisar fazer isso em público. A prefeitura do Rio recomenda ainda que pessoas com imunidade debilitada evitem sair de casa.

Com informações da Prefeitura do Rio, governo do Estado do Rio e Agência Brasil

 

pt Português
X
EDITORIAS