Categorias
Destaque Economia

Caixa inicia pagamento a 5 milhões de beneficiários cadastrados

Cerca de 5,3 milhões de brasileiros recebem hoje (22) o equivalente a cerca de R$ 4,3 bilhões de auxílio emergencial. O lote de beneficiários inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) foi enviado no último domingo (19) pela Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev). Além desses, a Caixa também faz hoje o pagamento a 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família.

A partir de amanhã (23), a Caixa inicia o pagamento da segunda parcela para os inscritos no CadÚnico, de acordo com o mês de nascimento do beneficiário:

Quinta-feira (23):

Nascidos em janeiro e fevereiro

Sexta-feira (24):

Nascidos em março e abril

Sábado (25):

Nascidos em maio e junho

Segunda-feira (27):

Nascidos em julho e agosto

Terça-feira (28):

Nascidos em setembro e outubro

Quarta-feira (29):

Nascidos em novembro e dezembro

Pagamentos para beneficiários do Bolsa Família

Até o próximo dia 30, serão liberados mais R$ 12 bilhões em auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família conforme calendário abaixo:

Segunda-feira (20):

1.923.492 pessoas – NIS final 3

Quarta-feira (22):

1.924.261 pessoas – NIS final 4

Quinta-feira (23):

1.922.522 pessoas – NIS final 5

Sexta-feira (24):

1.919.453 pessoas – NIS final 6

Segunda-feira (27):

1.921.061 pessoas – NIS final 7

Terça-feira (28):

1.917.991 pessoas – NIS final 8

Quarta-feira (29):

1.920.953 pessoas – NIS final 9

Quinta-feira (30):

1.918.047 pessoas – NIS final 0

Saque em espécie

Segundo a Caixa, o saque em espécie será liberado de forma escalonada para evitar aglomerações nas agências e unidades lotéricas, expondo empregados e clientes ao risco de contágio. Os recursos creditados na poupança digital podem ser utilizados por meio do aplicativo do banco para pagamentos e transferências, entre outros serviços. Quem indicou conta bancária anterior ou vai receber os R$ 600 em substituição ao Bolsa Família, não tem restrição para saque.

Calendário de saque em espécie da poupança digital sem cartão nos canais de autoatendimento e lotéricas:

27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro

28 de abril – nascidos em março e abril

29 de abril – nascidos em maio e junho

30 de abril – nascidos julho e agosto

04 de maio – nascidos em setembro e outubro

05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

Análise dos dados

A Caixa lembra que a Lei 13.982/2020 estabelece os critérios de quem tem direito a receber o auxílio emergencial. Todos os requisitos previstos nessa legislação devem ser observados para ter direito ao recebimento do benefício.

A Caixa disponibiliza o aplicativo e o site para cadastramento e acompanhamento das solicitações do auxílio. As informações coletadas por estes canais são enviadas à Dataprev para avaliação dos requisitos previstos na lei.

A Dataprev é responsável por verificar e informar à Caixa os cidadãos elegíveis e o valor do benefício, bem como informar os inelegíveis e o motivo da não aprovação. Após concluído o processo de análise, que tem sido feito em lotes de milhões de inscritos, as informações são homologadas pelo Ministério da Cidadania e encaminhadas ao banco, que, então, realiza o pagamento aos aprovados.

Vale lembrar que, para aqueles que recebem o Bolsa Família, a avaliação de elegibilidade é automática. Quem tiver o direito, receberá o crédito do auxílio no mesmo calendário e forma do benefício regular.

Os cidadãos inscritos no CadÚnico até 20 de março de 2020 que cumprem os requisitos legais, não fazem parte do Bolsa Família e têm conta poupança na Caixa ou no Banco do Brasil, recebem o crédito de forma automática. No caso daqueles sem conta, o crédito é feito na poupança social digital da Caixa.

Contestação de resultado

O aplicativo CAIXA | Auxílio Emergencial passou a disponibilizar a possibilidade de nova solicitação ou contestação do resultado da análise efetuada pela Dataprev.

Para os inscritos no CadÚnico, a consulta do resultado da análise realizada pela Dataprev pode ser feita desde segunda-feira (20) no aplicativo. Se o cidadão inscrito no CadÚnico tiver sido reprovado pela Dataprev, poderá solicitar nova avaliação através do cadastramento no aplicativo no celular ou site

Para quem se inscreveu através do aplicativo e site, a a consulta do resultado da análise será liberada, ainda nesta semana, após o recebimento pela Caixa dos arquivos a serem enviados pela Dataprev com a relação de brasileiros não aprovados.

Se o retorno da análise for “dados inconclusivos”, será permitido ao cidadão realizar nova solicitação. Segundo a Caixa, os motivos da inconclusão podem ser: marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro; falta de inserção da informação de sexo; inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento; divergência de cadastramento entre membros da mesma família; inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Se o resultado for “benefício não aprovado”, o cidadão poderá contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação.

Poupança digital

O aplicativo Caixa Tem, utilizado para movimentação das contas Poupança Social Digital, já registrou 21,9 milhões de downloads e foram abertas mais de 10 milhões de contas.

O banco disponibilizou no endereço passo a passo de cadastramento no aplicativo Caixa Tem para facilitar a utilização pelos clientes.

Fonte: EBC

Categorias
Saúde

Rio tem 5,3 mil casos confirmados e 461 mortes por coronavírus

O estado do Rio de Janeiro tem 5.306 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus (covid-19), de acordo com o boletim divulgado ontem (21) pela Secretaria de Estado de Saúde. O órgão confirmou mais 39 mortes, totalizando 461 óbitos em decorrência da doença causada pelo vírus. Há ainda 204 óbitos suspeitos de coronavírus em investigação no estado.

Até o momento, a cidade do Rio de Janeiro concentra a maior parte dos casos confirmados, 3.587, o que equivale a cerca de 68% dos casos registrados no estado. A cidade registra também o maior número de mortes em decorrência da infecção, 283.

Em todo o estado, 68 municípios apresentam casos de covid-19. Depois da capital, Niterói aparece em segundo lugar com maior número de casos confirmados, 233. Em seguida, vêm Duque de Caxias, com 205; Nova Iguaçu, com 196; Volta Redonda, com 147; e São Gonçalo, com 112. Os demais apresentam menos de 100 casos confirmados de covid-19.

Onze municípios têm um caso confirmado até o momento: Areal, Cantagalo, Carapebus, Itatiaia, Mendes, Pinheiral, Porciúncula, Rio das Flores, Santo Antônio de Pádua, São João da Barra e Sumidouro.

Mais informações sobre a doença podem ser obtidas pelo telefone 160 (ligação gratuita) ou pela internet. [LINK: www.coronavirus.rj.gov.br]

Com informações e foto da Agência Brasil

Categorias
Destaque Rio

Witzel vai reavaliar isolamento social no RJ na próxima quinta-feira

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), vai se reunir com secretários na próxima quinta-feira (23), para avaliar o quadro de isolamento social contra o novo coronavírus no estado. As atuais medidas estão em vigor até o dia 30, quando poderão ser parcial ou totalmente renovadas, ou ainda flexibilizadas.

Witzel quer receber informações seguras de seus auxiliares, inclusive com relação aos hospitais de campanha, para analisar uma saída segura e gradual da quarentena. Segundo fonte próxima ao governador, não há ainda nenhuma decisão tomada quanto a esse processo.

Witzel integra a frente formada por governadores, a maioria de oposição ao presidente Jair Bolsonaro, como o tucano João Doria (SP), em defesa das medidas de isolamento social para retardar a contaminação pela doença.

A medida é recomendada por médicos e cientistas, para evitar uma sobrecarga nos sistemas de saúde por excesso de pacientes em curto espaço de tempo, o que levaria os hospitais a um colapso. O governador é crítico da postura de Bolsonaro, que defende o rápido fim da quarentena para que a economia não seja prejudicada.

Categorias
Rio

Justiça nega pedido de desbloqueio de leitos no Rio e MPRJ recorre

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Defensoria Pública do Estado recorreram da decisão judicial que negou o pedido para que governos cumpram o cronograma de ampliação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) para pacientes com o novo coronavírus na cidade do Rio de Janeiro.

MPRJ e Defensoria ajuizaram ação coletiva para que o estado e o município do Rio desbloqueiem 155 dos 287 leitos destinados aos pacientes com coronavírus na capital. Os órgãos também pediram que as medidas de distanciamento social sejam mantidas até que todos os leitos estejam funcionando. Na ação, MPRJ e Defensoria argumentam que o sistema de saúde da cidade do Rio de Janeiro está com 93,9% dos leitos de UTIs ocupados e pode entrar em colapso muito em breve.

A Justiça negou o pedido alegando que os leitos bloqueados estão sendo reservados pelo poder público para o atendimento de pacientes com covid-19. A Justiça argumenta ainda que “qualquer ingerência do Poder Judiciário na Política Pública gerará custos, ou seja, interferência em recursos públicos, matéria que conforme já se manifestou a doutrina pode ofender o princípio da reserva do possível”.

Diante da negativa, MPRJ e Defensoria decidiram recorrer da decisão. “Seria ótimo se fosse realidade. Infelizmente, não é. Os leitos de UTI impedidos/bloqueados são aqueles que não estão operacionais, ou seja, não apresentam condições técnicas de atender no momento atual, pelas mais diversas razões, pacientes de covid-19”, argumentam.

Segundo os órgãos, tais leitos não terão, caso pacientes infectados necessitem de atendimento emergencial, condições técnicas para receber contaminados em estado grave.

Eles reforçam o pedido de que os 155 leitos, que são aqueles não estruturados pelo poder público para atender pacientes graves de covid-19, sejam colocados à disposição. “Caso o presente requerimento liminar seja indeferido, causará mortes evitáveis”, defendem.

Com informações e foto da Agência Brasil

Categorias
Rio

Prefeitura de Niterói prorroga quarentena até 30 de abril

A Prefeitura de Niterói vai prorrogar o período de isolamento social na cidade até 30 de abril. O anúncio foi feito prefeito Rodrigo Neves em seu pronunciamento diário nas redes sociais. Outra medida importante é a ampliação da restrição da circulação com municípios vizinhos a partir da próxima quinta-feira, dia 23. Só poderão entrar Niterói pessoas que trabalharam na cidade em atividades essenciais.

De acordo com o prefeito, as decisões foram tomadas após reuniões com especialistas em saúde pública da Fiocruz, UFF e UFRJ, além de empresários e representantes do MP.

“Seria imprudente neste momento não estender a quarentena até o dia 30. Não podemos colocar em risco todo o esforço feito até agora com o isolamento social e outras medidas que estão fazendo com que Niterói esteja vencendo essa guerra contra o coronavírus”, afirmou Rodrigo Neves.

O prefeito Rodrigo Neves ressaltou que foi criado um grupo de trabalho formado por técnicos da Prefeitura de Niterói, especialistas em saúde pública e representantes de entidades empresariais para que nos próximos dias seja montado um plano para a retomada das atividades econômicas na cidade. “Mas deixo claro que isso será feito de forma gradual e segura, com responsabilidade”, disse.

Em seu pronunciamento, o prefeito reiterou também que, a partir de quinta-feira (23), será obrigatório o uso de máscaras na cidade. E reforçou o apelo para que as pessoas só saiam às ruas em caso de extrema necessidade.

“Contaremos com os agentes de segurança pública neste trabalho e orientação e conscientização da população sobre o uso da máscara. É importante destacar que o uso é um hábito que teremos que incorporar, mesmo quando retomarmos a atividade econômica da cidade”, enfatizou Rodrigo Neves.

Rodrigo Neves, prefeito de Niterói

Restrição na circulação

O plano de restrição de circulação com municípios vizinhos entra numa nova etapa a partir desta quinta-feira (23). Com isso, só poderão entrar no município pessoas vindas de outras cidades que exerçam atividades profissionais em Niterói. Os empregados precisarão apresentar crachá, contracheque ou carteira de trabalho com o endereço do empregador em Niterói. No dia 4 de abril, foi instituída a restrição de acesso de ônibus intermunicipais a 30% da frota e proibida a circulação de táxis de outros municípios. E, no dia 11, a restrição de acesso à Niterói foi ampliada para transportes por aplicativo de outros municípios. Essas medidas estão valendo até o próximo dia 2 de maio.

Foi anunciada também que será aberta uma janela, entre os dias 23 e 30 de abril, para uma série de atividades. Poderão funcionar serviços médicos e odontológicos, óticas, lojas de material hospitalar, atividades relacionadas à manutenção de eletrodomésticos e eletromecânicos, comércio de conserto de bicicletas e bancas de jornal.

“Todos esses estabelecimentos deverão determinar providências para que não exista aglomeração em seus espaços, exigir o uso de máscaras e disponibilizar álcool em gel para que o serviço funcione de forma segura”, afirmou o prefeito.

Com informações de O Fluminense

Categorias
Destaque Rio

Rio: 8 cidades com permissão para abrir comércio têm casos de covid-19

Até esta terça-feira (21), oito cidades do Rio de Janeiro que receberam permissão para retomar as atividades comerciais registraram casos de novo coronavírus (covid-19). De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, Sumidouro, Cantagalo, Paty do Alferes, Santo Antônio de Pádua, Quissamã, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana e Bom Jesus de Itabapoana têm casos confirmados.

São Francisco de Itabapoana e Bom Jesus de Itabapoana registraram, cada uma, uma morte devido à infecção do novo coronavírus.

As cidades estão em lista divulgada em decreto pelo governo do estado no dia 7. Naquela data, por não apresentarem nenhum caso confirmado do novo coronavírus, os municípios receberam a autorização para permitir o funcionamento do comércio. As lojas poderiam abrir, mas deveriam cumprir as normas e orientações sanitárias e observar as boas práticas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O decreto não é obrigatório. As prefeituras de cada cidade podem decidir se colocam ou não o decreto em prática. Cabe aos prefeitos fazerem o controle, em cada localidade. Ao todo, 30 municípios integram a lista.

A norma ainda diz que, caso seja confirmado algum caso de infecção de covid-19, o município será excluído da lista e o comércio voltará a ser restrito como no restante do estado.

De acordo com o último boletim, divulgado hoje pela Secretaria de Estado de Saúde, o estado do Rio de Janeiro tem 5.306 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus. Nesta terça-feira, o órgão confirmou mais 39 mortes, totalizando 461 óbitos em decorrência da doença causada pelo vírus. Há ainda 204 óbitos suspeitos de coronavírus em investigação no estado.

Em Bom Jesus de Itabapoana foram confirmados cinco casos de covid-19. Em Quissamã e São Fidélis, foram três em cada cidade. Em Paty do Alferes e São Francisco de Itabapoana, dois casos em cada. Sumidouro, Cantagalo e Santo Antônio de Pádua têm um caso confirmado cada.

Com informações e foto da Agência Brasil

Categorias
Destaque Mulher

Violência doméstica, a outra urgência da América Latina em quarentena

O confinamento em vários países da América Latina para conter a pandemia de covid-19 disparou os pedidos de ajuda de vítimas de violência doméstica, obrigadas a conviverem com seu agressor em uma região onde a média de feminicídios ultrapassa dez por dia.

Da ONU ao papa Francisco, acumulam-se os pedidos para que se dê atenção ao drama dessas mulheres em um contexto de medidas excepcionais com restrição de circulação, economia paralisada e limitações de acesso à Justiça.

“A quarentena deixa milhares de mulheres em um inferno, trancadas com um agressor que temem mais do que o coronavírus”, disse à AFP Victoria Aguirre, representante da ONG argentina MuMaLá, que luta contra a violência de gênero. Na Argentina, 18 mulheres foram assassinadas por seus companheiros, ou ex-companheiros, nos primeiros 20 dias de quarentena, que começou em 20 de março. Os pedidos de ajuda por telefone aumentaram 39%.

A situação se repete no México, no Brasil e no Chile, onde as ações do governo e de associações civis são insuficientes para conter os assassinatos.

O México registrou 983 feminicídios em 2019, e 3.226 mulheres foram vítimas de homicídio doloso, de acordo com dados oficiais. No ano passado, o número de emergências pela violência contra a mulher recebeu por volta de 530 denúncias por dia.

Desde 24 de março, quando se iniciou a quarentena por covid-19, “os pedidos de ajuda aumentaram”, disse à AFP a diretora do Instituto Nacional das Mulheres do México (Inmujeres), Nadine Gasman. Os pedidos de ajuda cresceram 60% na Rede Nacional de Refúgios e a acolhida de vítimas aumentou em 5%.

Em São Paulo, centro dos casos de covid-19 no Brasil, durante os primeiros dez dias de quarentena, as denúncias aumentaram em 30%. Cerca de 700 voluntárias formaram a chamada “rede de justiceiras”, que fornece assistência médica, jurídica e psicológica via WhatsApp.

De acordo com Ada Rico, da ONG argentina “La Casa del Encuentro”, “todos os dias uma mulher é abusada, violentada, ou agredida, em casa, por seu companheiro, ou seu ex”. “Em tempos normais trabalhamos para que os denunciem, mas hoje a urgência é tirá-las do local. A rapidez pode ser a diferença entre viver, ou morrer”, destacou.

Com informações da AFP

Categorias
Economia

Supermercados do Rio contratam mesmo durante a pandemia

Os supermercados fluminenses abriram mais de 1 mil vagas no período entre os dias 11 de março e 11 de abril. Essa é uma das informações do levantamento inédito realizado pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj) em estabelecimentos que responderam à pesquisa para avaliar o impacto da pandemia provocada pela contaminação pelo novo coronavírus (covid-19).

O setor é um dos poucos que está contratando em meio à pandemia. Os funcionários que foram afastados faziam parte do grupo de risco ou apresentaram sintomas de covid-19.

“A gente afastou todo o pessoal que se encaixava nos grupos de risco. São grávidas, doentes crônicos, pessoas com mais de 60 anos. Só aí a gente afastou mais de 7% do nosso quadro. Fora isso, tiveram as pessoas que foram se afastando por que foram contaminadas, umas com sintomas, outras com os casos confirmados. Então, a gente precisa repor”, disse a superintendente da Asserj, Keila Prates.

As contratações foram para manter o nível de atendimento, mesmo com os afastamentos, e as novas vagas são para funções operacionais, que têm mais contato com o público. “As vagas são de caixas, repositores, pessoal de fundo de loja, que são as pessoas que trabalham na área de estoque, pessoal de limpeza. Nosso pessoal administrativo tem menos contato com o público e muitos deles estão trabalhando em home office”, disse. Segundo Keila, mantido o atual cenário, não há previsão de demissões nas redes associadas.

Consumidor deve tomar cuidado

Keila disse que o consumidor também deve ter cuidado e pensar nos empregados que precisam desempenhar o seu trabalho nas lojas. “A gente pede muita atenção e cuidado das pessoas que vão visitar as lojas. Se está com sintomas, fique em casa, porque senão acaba contaminando quem está ali no trabalho de servir à população e, que por sua vez, vai para a casa e pode contaminar a família também”, disse.

A superintendente acrescentou que a maioria das mais de mil vagas criadas foi em lojas do município do Rio e em estabelecimentos da Baixada Fluminense. A superintendente destacou que elas não incluem mais mil vagas referentes a quatro novos supermercados inaugurados no município.

Com informações e foto da Agência Brasil

Categorias
Economia

Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação

O cidadão que tiver o auxílio emergencial de R$ 600 negado pode agora contestar o resultado da análise e pedir novamente o benefício diretamente pelo aplicativo ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita a partir desta segunda-feira (20), informou a Caixa Econômica Federal.

No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de “benefício não aprovado” pode verificar o motivo e fazer uma contestação. Se o aviso for de “dados inconclusivos”, o solicitante pode fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação, de acordo com a Caixa.

A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, estatal federal de tecnologia que analisa os dados informados pelo solicitante. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.

Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), não ter renda familiar mensal maior que R$ 3.135,00 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa.

Segundo a Caixa, responsável pelos pagamentos, as principais inconsistências nos dados informados pelos solicitantes são:
• marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;
• falta de inserção da informação de sexo;
• inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;
• divergência de cadastramento entre membros da mesma família;
• inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

CadÚnico

Os trabalhadores informais que possuem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico, têm sua elegibilidade para receber o auxílio emergencial analisada automaticamente pela Dataprev.

Nesse caso, se tiver o auxílio negado mesmo acreditando ter direito ao benefício, o trabalhador também pode recorrer diretamente no aplicativo do auxílio emergencial ou no site do programa, informou a Caixa.

Com informações e foto da Agência Brasil