Ruas bloqueadas no primeiro dia de restrições de acesso a Niterói

Terminal de ônibus registrou redução da frota

Começou a valer, a partir deste sábado (4), o bloqueio nas divisas de Niterói com outros municípios para táxis dessas cidades, além da redução da frota de ônibus intermunicipais para 30% de sua operação normal. Passageiros puderam notar a queda ainda mais acentuada no movimento do Terminal João Goulart, no Centro, além de ruas bloqueadas ou com pontos de controle. O Decreto Municipal visa diminuir a circulação de pessoas entre as cidades, sendo uma forma de prevenção ao coronavírus.

São 28 pontos de controle de acesso, sendo sete deles com a presença de agentes de trânsito e forças de segurança, espalhados por todos os limites do município, com as cidades de Maricá e São Gonçalo, e nas descidas da Ponte Rio-Niterói. O motorista encontra pequenas retenções na chegada aos bloqueios. Ao todo, 200 agentes trabalham na ação.

O secretário Municipal de Mobilidade e Urbanismo, Renato Barandier, acompanhou de perto o primeiro dia de operação. Segundo ele, a medida visa reduzir o tráfego intermunicipal, que não vinha no mesmo ritmo da movimentação dentro da cidade de Niterói, além de estabelecer controle nos acessos ao Município.

“A Prefeitura tem criado medidas de restrição e isolamento social há um mês e a resposta da população tem sido muito positiva. Como resultado disso, tivemos uma redução de 80% no movimento de carros na cidade. Os pontos de entrada da cidade estavam sem nenhum tipo de controle, por conta disso os movimentos intermunicipais não foram reduzidos na mesma proporção. Estamos com sete pontos de controle onde a partir de hoje vamos fiscalizar os táxis de outras cidades e reduzimos a 30% a quantidade de ônibus intermunicipais, assim como as vans. Isso tudo é para trazer a redução dos movimentos intermunicipais, que estão num patamar de 60%, para um nível mais próximo de Niterói”, disse o secretário.

Ainda de acordo com Barandier, em outros municípios há movimentações para além de serviços essenciais próximo às divisas. Para ele, os bloqueios também servem como uma forma de conscientizar não apenas os niteroienses, mas habitantes de outras cidades a ficarem em suas casas.

Inicialmente, a restrição seria de forma geral, conforme anunciado na quarta-feira (1º), com restrição também para a circulação de pessoas e carros de passeio, salvo aqueles que trabalham em serviços considerados essenciais. No entanto, no dia seguinte, a Prefeitura reviu a decisão.

Pontos de bloqueio

Na Região Central, seis pontos foram montados, sendo dois deles com checagem de guardas municipais e quatro com bloqueio total. Há um ponto de checagem na Avenida Feliciano Sodré, altura da Praça Renascença, e na alça de descida da Ponte Rio-Niterói para a Alameda São Boaventura. A saída da Ponte para a Av. Jansen de Melo ficará fechada.

A Região Oceânica tem um ponto de bloqueio na Avenida Central, enquanto a Estrada de Itaipuaçu (Serra) ficará fechada. Em Pendotiba, sete pontos de bloqueio, sendo seis deles permanentes. Veículos poderão passar apenas pela Estrada Caetano Monteiro.

Na Rodovia RJ-104, uma das principais ligações com São Gonçalo, há um posto de controle na altura de Santa Bárbara. Outros 12 pontos foram montados na Zona Norte: segundo a Prefeitura, a passagem de veículos só será permitida, de forma controlada, no viaduto do Barreto e Dr. March. As ruas Dr. Câmara Coutinho, João Batista, Sá Pinto e Travessa Loureiro Cintra serão bloqueadas. Os dois acessos de Venda da Cruz, a Rua da Cruz e as Ruas Capitão Geraldo de Oliveira, Cel. Amarantes e Major Goudin ficarão fechadas.

Mudanças no Trânsito

Para evitar que moradores da Ilha da Conceição tenham que passar pelos pontos de bloqueio, a Rua Benjamin Constant passa a ter mão dupla entre o viaduto do Santana e o Ponto Cem Réis e a pista da Feliciano Sodré foi invertida no sentido Alameda também no Ponto Cem Réis.

No bloqueio da Praça Renascença, apenas vans, ônibus e veículos oficiais são autorizados a seguir pela Feliciano Sodré. Carros de passeio são orientados a desviar pela Jansen de Melo, inclusive moradores de bairros da região, como a Ponta d’Areia.

Coletivos com destino à Alameda seguirão pelas ruas Marechal Deodoro e São Sebastião. Os ônibus com destino à Av. do Contorno (BR-101), passarão pela Rua Marechal Deodoro e Av. Jansen de Melo.

Com informações de O Fluminense / Fotos: Reproduções

 

pt Português
X
EDITORIAS