Um giro pela Glória

Vista área da Marina da Glória

Por Alessandro Monteiro

Bairro pequeno, sossegado e tradicional, leva esse nome por conta da sua igreja, que fica no topo de um morro acima da Baía de Guanabara, tendo a Rua do Russel a mais valorizada do bairro.

Pra comer, o local é bem servido, com bons bares e restaurantes. É também muito conhecido por marcos arquitetônicos, como a Igreja do Outeiro da Glória e um antigo casario que dá um requinte e encanto especial ao bairro.

Por lá tiveram moradores famosos que pertenceram às artes e literatura. O fabuloso Hotel Glória, fechado há 12 anos, hospedava presidentes quando vinham ao Rio, após a mudança da capital federal para Brasília, e conhecido mundialmente por abrigar os bailes de luxo do carnaval carioca.

Igreja Nossa Senhora da Glória

Uma das jóias da arquitetura do Rio, preserva os azulejos do escultor mineiro Mestre Valentim e belas pinturas na sacristia.

Herança dos tempos da monarquia, a Igreja Nossa Senhora da Glória do Outeiro foi construída em formato octogonal e cobertura em abóbada em 1739 pelo arquiteto português José Cardoso Ramalho. Sua arquitetura chama a atenção à noite, quando a igreja fica totalmente iluminada.

Atrás da igreja existe o Museu Imperial, que abriga acervo de quase mil peças sacras e ouriveria catalogadas. Todo terceiro domingo do mês, às 11h, o Coro Gregoriano do Rio de Janeiro se apresenta durante a missa.

O samba da feira

Um dos espaços mais democráticos do Rio, a roda de samba comandada pelo músico Paulão 7 Cordas e pelo o grupo A Mesa da Diretoria ocupa parte da Feira da Glória.

Além das frutas, flores, verduras, peixes, pastéis, tapiocas e queijos, há também barraquinhas de comida e artes. O point virou o reduto de centenas de cariocas e estrangeiros. O evento é gratuito, sempre aos domingos, a partir das 15h.

E tem para todos os gostos: chorinho, samba, música latina e o que mais pintar. É um dos espaços mais democráticos do Rio. Fácil de chegar (metrô e ônibus no local) e fica em frente ao Parque do Flamengo.

Marina da Glória

A Marina da Glória é um porto náutico para esportistas e visitantes que possui a infraestrutura de um cais flutuante, além de restaurante, lojinhas especializadas, estacionamento e outros serviços náuticos. Além desses serviços, a Marina é palco de vários eventos esportivos e musicais.

Seguindo em direção ao Aterro do Flamengo e atravessando a passarela, o translado a pé deve ser de aproximadamente 20 minutos. O caminho a pé é bem agradável e aconselho fazer aos domingos, pois nesse dia a pista do Aterro fecha para carros e o local vira uma área de lazer. Durante a semana o local fica mais deserto.

Plano Inclinado

Considerada uma das boas opções de passeio no bairro, foi inaugurado em 1944. Bucólico e bastante agradável, ainda permite acesso às belas casas e prédios que contam a história do bairro. A recomendação é descer a pé a Rua Barão de Guaratiba e fazer aquele pit-stop no Bar do Zé, um armazém antigo transformado em bar. Fantástico!

Memorial Getúlio Vargas

Inaugurado em 1992 para abrigar a Biblioteca Pública Municipal Raul de Leoni, a Exposição Permanente Getúlio Vargas e o espaço Memória de Volta Redonda, formando um polo irradiador de Cultura.

Conta com espaços de múltiplos usos, com um grande acervo pessoal e histórico do ex-presidente Getúlio Vargas, incluindo objetos pessoais e de sua residência e material histórico de sua vida política em livros, fitas e cartas.

Aos domingos, o projeto Vila Cultural ocupa o Memorial com roda de choro, bossa nova, samba e música instrumental, com entrada franca. E aos sábados, das 9h às 17h, cerca de 60 artesãos mostram seus trabalhos na Feira de Artesanato que acontece no térreo.

Fotos: Reproduções

pt Português
X
EDITORIAS