Zabelê

"É importante acreditar no amanhã!"

Por Alessandro Monteiro

De bem com a vida e fortes influências musicais, Zabelê, é filha de dois grandes gênios da MPB, Baby do Brasil e Pepeu Gomes, formou o grupo SNZ (1997), junto com as irmãs Nãna Shara e Sarah Shiva.

O primeiro álbum do grupo foi lançado em 2000 pela Warner Music Brasil, com o single “Longe do Mundo”, uma trilha sonora do filme “O Trapalhão e a Luz Azul”. Após o fim do grupo, Zabelê foi a única que continuou na música pop, realizando turnês pelo Brasil.

Seu primeiro álbum solo foi lançando em 2015, puxado pela música “Nossas Noites”. Em 2020, a cantora revelou estar produzindo um novo álbum, ainda sem data de lançamento.

 

Como você entende essas relações conservadoras em relação a mulher em pleno século XX?

Acho que devemos evoluir como nação e cidadãos, não podemos repetir o erro de gerações passadas.

Temos que parar com idéias super conservadoras em relação a mulher de hoje em dia, respeitar seus direitos que devem ser iguais ao de todos.

Nascida em uma família de artistas consagrados, você e suas irmãs enveredaram para música, que em determinada época criaram o grupo SNZ não foi?

Sim, criamos o SNZ em 1999 e tivemos uma carreira linda de 10 anos juntas.

Por que acabou?

Cada uma de nós resolveu seguir o seu caminho individual na música. As meninas foram para o Gospel e eu para o secular com uma carreira na MPB.

Já pensaram na possibilidade de retorno?

Não, temos ideologias,pensamentos diferentes e respeitamos o momento de cada uma em suas carreiras.

O SNZ fez história e eu sou muito grata a tudo o que vivi e aprendi com toda nossa experiência musical juntas. Mas chegou um momento de cada uma seguir o seu vôo solo.

 

Zabelê e Baby do Brasil
(Foto: Reprodução Instagram)

Como era sua infância, livre?

Tive a sorte de ter uma infância cheia de liberdade e muita cultura a todo tempo. O fato de ter crescido rodeada de muitos artistas foi uma inspiração para toda a minha vida.

Qual a sua visão da cultura atual?

Vejo a internet como nosso melhor caminho cultural, os artistas que antes não tinham voz, hoje em dia podem divulgar os seus trabalhos independentes e mostrar a sua arte.

Precisamos cada vez mais abrir esse espaço, e dar a atenção necessária para que a nossa cultura seja mais forte e sempre presente no nosso País.

E com suas irmãs? A relação é bacana?

Sim, temos uma relação de irmãs amorosas que se amam e querem o melhor uma para a outra.

O importante é sermos felizes com o que fazemos nessa vida!

 

Como é a sua percepção de vida hoje?

Para mim, temos que nos comprometer com a nossa felicidade e com o nosso crescimento interno, para sermos seres humanos evoluídos, doando amor e demostrando compaixão um com os outros.

Não estamos sozinhos nessa terra. Quanto mais percebemos isso mais damos valor ao próximo.

 

Foto: Reprodução Instagram

Um sonho?

No momento paz e amor no mundo! E que a gente consiga logo superar essa epidemia do Covid-19 e que a ciência consiga achar uma saída, vamos ter fé!

Sua mãe tem uma carreira sólida. Existe uma troca entre vocês duas em relação aos projetos profissionais? E na vida?

Somos muito amigas, trocamos de uma forma sadia as nossas experiências tanto na vida quanto na carreira.

Estou sempre aprendendo com ela e ela comigo! Oh sorte!

 

 

Seu primeiro disco solo foi lançado em 2015, o que marcou?

Foi um disco muito importante para a minha carreira, com ele consegui mostrar um pouco mais do meu lado Brasileiro e das minhas influências musicais como o afoxé e um pouco do samba.

Um disco Brasileiro mais alternativo, tenho muito orgulho de ter feito. Acho que nós artistas temos que ter a liberdade de poder explorar todos os nossos lados musicais. Eu vim de uma família Pop Brasileira que sempre explorou do Rock Roll ao Samba.

 

Apesar do ano ter começado cheio de atribulações, como você faz para manter sua mente equilibrada?

Sou uma pessoa que me foco para manter uma atitude mental constantemente positiva, acho que temos que perceber que por traz de toda essa dificuldade que estamos passando, existe um objetivo de aprendizado para todos nós. Se a gente conseguir ver isso tudo como uma oportunidade de crescimento espiritual e mental, passaremos esse tempo com mais paz e alcançaremos o objetivo maior!

Vamos manter a mente e o coração em paz, ter fé e acreditar no amanhã!

Tem alguma religião? Acredita em Deus?

Eu não sigo nenhuma religião, mas acredito em Deus, acredito na energia da vida e da natureza. Acredito que Deus está ali e tudo é movido por ele.

Além de seus pais, quais artistas você tem referência de boa música?

Ah… são muitas as referências! Costumo dizer que vão de Novos Baianos a Michael Jackson para citar algumas.

 

Uma música?

Acabou Chorare/ Novos Baianos

Se tivesse o poder de transformar as coisas, o que faria agora?

Ajudaria aos mais necessitados e acabaria com esse vírus!

Soube que está em estúdio produzindo novidades. Pode contar?

Surpresa! Estamos preparando coisas lindas para vocês! Em breve vocês saberão as novidades!

O que te inspira?

A arte, a vida, a música, a dança.

Música é?

Vida!

Zabelê por Zabelê?

Complicado eu me definir..rsrs

Mas acho que sou uma pessoa positiva, curiosa e que esta sempre procurando evoluir!

 

Foto de Capa: Denny Silva

pt Português
X
EDITORIAS