MP investiga ‘rede de amigos’ que deu apoio ao miliciano Adriano

Capitão Adriano, miliciano morto na Bahia em fevereiro (Foto: Reprodução)

Por Sandro Barros

O Ministério Público (MP) do Rio e a Polícia Civil investigam a existência de uma “rede de amigos” que teria dado sustentação financeira e operacional ao ex-policial militar Adriano da Nóbrega, o capitão Adriano, e seus familiares. O objetivo é saber quem ajudou o miliciano a ocultar patrimônio, blindando negócios e crimes, e participou de sua fuga.

Foragido da Justiça por um ano, Adriano foi morto pela polícia em fevereiro durante uma operação em Esplanada, na Bahia. Segundo o MP, foram encontrados indícios de que políticos, magistrados, policiais, agentes públicos e empresários podem ter integrado essa rede de proteção.

Com prisão decretada desde janeiro de 2019, alvo da Operação Os Intocáveis, que mirou crimes da milícia que domina a comunidade de Rio das Pedras, o miliciano se tornou alvo de outra apuração no ano passado: a de suposto esquema de “rachadinha” (apropriação de salários de assessores) no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro.

pt Português
X
EDITORIAS