O nosso admirável ‘exército de Brancaleone’

Foto: Pixabay

Editorial

Para quem não sabe, ‘O Incrível Exército de Brancaleone’ foi um dos filmes mais marcantes dos anos 60. O longa-metragem italiano, dirigido por Mario Monicelli, nos traz um encontro de maltrapilhos e estropiados, reunidos para a reconquista de um feudo, na Idade Média. Desde então, a expressão “exército de Brancaleone” virou sinônimo de grupo improvisado e debilitado tentando alcançar algum objetivo. Inicialmente uma comédia, passou a ter conotação mais dramática.

Na atualidade, em que a humanidade luta pela vida diante do novo coronavírus, costuma-se dizer que os profissionais de saúde estão na linha de frente dessa guerra, atuando perigosamente no ‘front’. Infelizmente, o aumento do número de mortes e contaminações dos mesmos confirma isso.

Com unidades hospitalares lotadas de infectados, falta de material de proteção adequado e com o esgotamento físico, o profissional ainda precisa lidar com sua própria saúde mental, pois o estresse e a pressão de trabalhar com o risco de adoecer provocam severos problemas. Dessa forma, são sim o “exército de Brancaleone” da atual realidade, desprovidos inúmeras vezes de armas capazes para sua própria defesa.

Reconhecemos nesses profissionais a prestação de serviço admirável, pois no propósito de ajudar a salvar vidas estão na ponta da ameaça de perderem as suas. Apesar de todas as adversidades, eles seguem seu ofício, mesmo estando em grande vulnerabilidade. Mais que imprescindíveis, são também exemplos de dedicação e amor ao próximo, apesar de não serem valorizados por muitos governantes e empresários do setor.

EDITORIAS