Polícia Federal executa buscas em endereços ligados a Wilson Witzel no Rio

Com equipes vindas de Brasília, a Polícia Federal fez uma operação nesta terça-feira, dia 26, no Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador Wilson Witzel (PSC-RJ), e no Palácio Guanabara, sede do governo do estado. A finalidade é a apuração dos indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência em razão da pandemia do novo coronavírus no Rio de Janeiro. Doze mandados de busca e apreensão foram cumpridos por 15 equipes, sendo dez na capital fluminense e dois na cidade de São Paulo. Os mandados foram expedidos pelo ministro Benedito Gonçalves do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Witzel acompanhou as buscas o tempo todo no Palácio das Laranjeiras e divulgou uma nota oficial para negar qualquer participação no esquema de desvios.

Investigações iniciadas no Rio pela Polícia Civil, pelo Ministério Público Estadual e pelo Ministério Público Federal apontam para a existência de um esquema de corrupção envolvendo uma organização social contratada para a instalação de hospitais de campanha e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do estado.

No Palácio com Witzel, estavam a mulher e os três filhos — que não presenciaram as buscas. Depois de cerca de três horas, três veículos da PF e um da MPF deixaram o local pouco antes das 9h. Os agentes recolheram dezenas de papéis que estavam na residência oficial e na sede do governo (Palácio Guanabara). O material foi levado para a sede regional da PF, na Praça Mauá, e à tarde será encaminhado para o sede da corporação, em Brasília. Dois advogados pessoais de Witzel chegaram ao Palácio Laranjeiras pouco depois das 9h. Os defensores não chegaram a acompanhar as buscas e apreensões que aconteceram na residência oficial do governador.

Com informações G1

.
EDITORIAS