Rio de Janeiro cria protocolo para flexibilizar isolamento social

Fotos: Pixabay e Agência Brasil

O governo do Rio de Janeiro anunciou nesta quarta-feira (20) o protocolo de flexibilização do isolamento social. O Pacto Social pela Saúde e pela Economia estabelece três bandeiras: vermelha, amarela e verde para a liberação das atividades econômicas e o retorno da população às suas rotinas. As bandeiras serão determinadas pela curva endêmica da doença e pela taxa de ocupação de leitos em UTI nos hospitais públicos. As bandeiras serão atualizadas às sextas-feiras.

Assim, o estado fica em bandeira vermelha (situação atual) quando a ocupação dos leitos de UTI foi superior a 90% ou se a ocupação for de 70% e a curva de contaminação estiver crescente.

O estado entra em bandeira amarela quando a taxa de ocupação de UTIs ficar entre 70% a 90% e a curva de contaminação estiver decrescendo ou com a taxa de ocupação em UTIs inferior a 70% e a curva endêmica subir. Apesar disso, apenas dois dos 10 hospitais de campanha previstos estão funcionando.

Na bandeira amarela, o uso de máscara por toda a população será obrigatório. Restaurantes e bares podem reabrir com 50% da capacidade ocupada e espaço de dois metros entre as mesas. Exceção para os restaurantes self-service que continuam proibidos. Transporte intermunicipal será liberado, mas passageiros terão de medir temperatura nas rodoviárias. Shoppings voltam a funcionar e lojas devem receber um cliente por cada dez metros quadrados. Não será permitido o acesso de menores de 12 anos. Academias também poderão ser reabertas nesta fase com um cliente por dez metros quadrados, mas as piscinas permanecerão fechadas.

Cinemas e teatros, com 50% de capacidade, poderão reabrir na bandeira amarela, shows, no entanto, permanecerão suspensos. Praias, parques e equipamentos turísticos não devem ser utilizados.

As competições esportivas serão retomadas na bandeira amarela, preferencialmente em ambientes abertos, e os torcedores terão aferição de temperatura na entrada do estádio.

Escolas, universidades, áreas de lazer públicas, shows, restaurantes e bares em plena capacidade voltam a funcionar na bandeira verde.

Com informações da Agência Brasil

.
EDITORIAS