A indústria das multas a todo vapor

Foto: Prefeitura do Rio/Divulgação

Por Carlos Augusto Aguiar

O cidadão carioca está enfrentando a pandemia na garra, indo trabalhar para se manter e manter seus entes queridos, se arriscando a um contágio ao ser obrigado a circular pela cidade para chegar ao seu local de destino, no caso seu trabalho. Muitos outros vão trabalhar de carro, pois é mais seguro. No entanto, os estacionamentos no Centro da cidade estão fechados, o que obriga que se estacione nas ruas.

Aí a situação se complica, pois não há espaço livre, fazendo com que se estacione em locais com placas de proibição. Muito embora não se vejam guardas municipais transitando pelas ruas da cidade, nessas horas eles aparecem para aplicar a multa por estacionamento irregular.

A Prefeitura não está levando em consideração a situação extremamente excepcional provocado por essa pandemia. Está certo que não se pode estacionar em local proibido. Porém, se o veículo não estiver impedindo a passagem de pedestre e outro veículo, isso precisa ser considerado e não sair aplicando as multas. O prefeito Crivella tem que reavaliar isso durante a pandemia e, como já foi dito antes, a falta de estacionamentos regulares.

pt Português
X
EDITORIAS