Governo do Rio de Janeiro quer desmontar hospitais de campanha até iniciode agosto

Foto: Reprodução

O hospital de campanha do Maracanã vai ser fechado no próximo dia 5 de agosto, e o de São Gonçalo encerra suas atividades no dia 12 de agosto. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Alex Bousquet, durante entrevista coletiva.

Mas, para fechar as unidades, o estado vai ter que derrubar uma decisão judicial. Segundo o secretário, a Procuradoria-Geral do Estado está trabalhando para isso.

Alex Bousquet disse que os equipamentos, insumos, medicamentos e também as equipes médicas, de enfermeiros e auxiliares dos hospitais de Campanha do Maracanã e de São Gonçalo serão distribuídas para outras unidades de saúde do estado ou de municípios que necessitem para atuar no combate ao novo coronavírus, como é o caso de Nova Friburgo, na região serrana, e São Sebastião do Alto, no norte fluminense.

Bousquet disse, ainda, não acreditar em uma segunda onda da Covid-19 no estado, mas afirmou que a rede de saúde está preparada para atender a demanda que vier. Ele avalia que novos casos da doença continuarão sendo notificados, mas em um ritmo bem menos intenso do que nos meses de abril e maio, principalmente nas duas primeiras semanas de maio, quando a Covid-19 atingiu o pico no Rio de Janeiro.

Sobre o pagamento de salários, Bousquet reiterou que está em entendimento com o Tribunal Regional do Trabalho para fazer depósitos judiciais e garantir que os colaboradores das Organizações Sociais recebam seus salários.

Outra possibilidade é que os salários dos colaboradores sejam depositados diretamente em suas contas bancárias, como determina um projeto de lei encaminhado à Alerj e que recebeu mais de 100 emendas. A expectativa é que o PL seja votado na próxima semana.

.
EDITORIAS