Categorias
Destaque Rio

Copacabana Palace reabre depois de 4 meses sem atividades

O Copacabana Palace, construção emblemática dos anos dourados no Rio de Janeiro, reabriu nesta quinta-feira (20) depois de quatro meses de portas fechadas – algo inédito em seus 97 anos de história – por causa da pandemia do novo coronavírus, informou o grupo hoteleiro Belmond.

O majestoso edifício art déco com vista para a praia de Copacabana voltou às atividades com o esforço de cumprir ao máximo as normas sanitárias, e com propostas para incentivar as reservas entre brasileiros, até mesmo cariocas, que queiram aproveitar um final de semana diferente na realidade da pandemia.

Desde de 10 de abril, quando deixou de receber hóspedes, apenas duas pessoas moravam no hotel, que tem 100 quartos e uma centena de suítes: a diretora-geral do Belmond Copacabana Palace, Andréa Natal, e o músico Jorge Ben Jor, morador desde 2018.

Para garantir a segurança dos seus hóspedes, “foram criadas regras de distanciamento social nas áreas de maior movimento, como piscinas e restaurantes”, ressaltou o grupo Belmond em nota.

Dos três restaurantes do complexo, apenas um estará funcionando no momento. Os outros dois devem reabrir em setembro.

Das quatro propostas sugeridas, uma é a hospedagem de 30 horas, “a opção perfeita para quem busca descanso e tranquilidade dentro da própria cidade”.

A assessoria de imprensa do grupo hoteleiro não informou os preços, mas em uma simulação de reserva on-line para o último fim de semana de agosto, as ofertas mais baixas começam em R$ 1.551 e chegam a R$ 9.249 por noite.

Um preço justificado tanto pelos seus serviços como pela mitologia ilustrada nas galerias de fotos de centenas de reis, escritores, músicos e artistas que animaram os seus dias e noites, como Rita Hayworth, Brigitte Bardot, Mick Jagger, Lady Di e Madonna.

A reabertura acontece em meio a incertezas sobre a normalização do cotidiano carioca e brasileiro.

Categorias
Destaque Rio

Idoso suspeito de fazer orgias com menores é detido; ex-militar do Exército é preso por estupro de vulnerável

Dois homens foram presos na noite desta quarta-feira (19) por estupro de vulnerável na Zona Oeste do Rio.

Agentes da 35ª DP (Campo Grande) prenderam um idoso de 65 anos suspeito de realizar orgias com menores de idade em Santíssimo.

Em Realengo, um ex-militar do Exército de 31 anos foi preso após denúncia de abuso contra sobrinhas.

Suspeita de orgias com menores
De acordo com a Polícia Civil, o idoso de Santíssimo foi detido em flagrante com uma adolescente de 13 anos. Identificado como Roberto Sardinha Oliveira, ele é suspeito de promover orgias com a participação de menores.

Segundo a polícia, a adolescente com quem o idoso estava no momento da prisão confirmou aos policiais que recebia dinheiro para se encontrar com o suspeito.

Ainda de acordo com a polícia, o homem foi preso em endereço próximo à casa que servia de estúdio para produção de material pornográfico com menores. O alemão Klaus Berno, dono da casa, foi preso nesta semana.

‘Nunca havia visto uma coisa tão bizarra’, diz delegado sobre estúdio de pornografia infantil
Testemunhas dizem que alemão suspeito de manter estúdio pornográfico oferecia lasanha e doces para atrair crianças
Segundo as investigações, algumas das vítimas de Roberto Sardinha também foram aliciadas por Klaus.
O ex-militar foi preso depois que a sobrinha, atualmente com 14 anos de idade, redigiu um texto “narrando com amargura os atos praticados pelo tio”.

Após este caso repercutir entre a família, pelo menos outros dois casos de abuso cometidos por ele vieram à tona, um deles contra outra sobrinha, que disse ter sido abusada por Márcio dos 10 aos 13 anos de idade – atualmente ela tem 20 anos.

A partir da denúncia da sobrinha, a Justiça determinou a prisão preventiva do ex-militar. Ele foi localizado e preso em Realengo.

Com Informações: G1

Categorias
Cultura Destaque

Decreto autoriza reabertura de cinemas e teatros em algumas regiões do Rio

No mesmo decreto, publicado na quarta-feira pelo governo estadual do Rio, que prorrogou o fechamento de escolas até 14 setembro (as particulares) e 5 de outubro (as públicas), cinemas e teatros já foram autorizados a reabrir a partir desta quinta-feira. Mas só podem funcionar os estabelecimentos culturais nas regiões onde é considerado baixo o risco de contaminação — da Baía da Ilha Grande, Baixada Litorânea, Metropolitana I, Metropolitana II, Noroeste, Norte e Serrana (bandeira amarela).

No entanto, o estabelecido pelo governo tem caráter de recomendação, ou seja, o estado reforçou que “os municípios têm autonomia para manter suas determinações”. Portanto, o funcionamento de estabelecimentos culturais na capital do estado, por exemplo, poderá ser determinado pela prefeitura.