Diogo Nogueira lança o single “Princípio, Meio e Fim”

Foto: Reprodução

Existem canções que impressionam instantaneamente, que acendem, inspiram, arrepiam. “Princípio, Meio e Fim” é uma delas. Um raro momento em que, encantados pelo tal poder da criação que outro poeta descreveu, Serginho Meriti e Claudemir deram forma a um clássico. Desde então, o povo começou a cantar.

Tocado como tantos outros ouvintes, Diogo Nogueira a abraça agora com todas as forças — e as sutilezas — que incorporou e desenvolveu ao longo de 15 anos de carreira como intérprete. Esta nova gravação leva “Princípio, Meio e Fim” às alturas a que estava destinada, com arranjo de Lua Lafaiette que agrega 14 músicos da Osesp (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e o apoio vocal do grupo Inovasamba ao time afinadíssimo que acompanha habitualmente o cantor: Rafael dos Anjos (violão), Henrique Garcia (cavaquinho), João Marcos (baixo), Wilsinho, Maninho e Chiclete (percussão).

“Eu sempre trouxe isso nos meus trabalhos. A gente precisa de uma canção assim para representar a esperança e a fé em um momento tão complicado de pandemia, de crise política no mundo todo”, explica Diogo. “E essa música me emocionava sempre que eu escutava. Vinha o sentimento, eu tinha que gravar, parecia ter sido feita para mim.”

Foto: Divulgação

A letra começa citando o Salmo 91:7 (“Mil cairão ao teu lado”), com uma novidade: o próprio Diogo toca o violão na bela introdução. “Eu não sou violonista; sei alguns acordes, algumas canções. Mas o Lua, sempre espirituoso, me viu brincando com o violão numa reunião por vídeo e me intimou, me desafiou”, conta.

Quem escuta o resultado grandioso não imagina o ambiente de descontração que gestou a faixa. Diogo descreve: “O Lua ouviu a gravação inicial e falou que iria precisar de cordas. E ficou dançando na sala. Sozinho. Ele fechava os olhos e dançava, fazia movimentos com a mão… E eu: ‘Caramba!’. Aí ele falou: ‘Deixa comigo, o arranjo todo tá pronto já, tá na minha cabeça’.

pt Português
X
EDITORIAS