O terror na ponta de uma caneta

Foto: Reprodução

O terrorismo pode ser praticado sob vários atos e ações revolucionárias ou contra revolucionárias ou paramilitares, quer seja de direita, quer seja de esquerda.

Mas o terrorismo praticado pela canetada, em alguns casos por uma única caneta (decisão monocrática), somente acontece em nosso País.

Essa canetada do “sabe com que está falando”, vem sem sombra de dúvidas, dos Ministros do STF. É a canetada terrorista que liberta os maiores corruptos e corruptores que fazem milhares de vítimas, que mancham a democracia brasileira, o Estado Democrático de Direito e a Constituição Federal.

Estamos vivenciando uma prática terrorista sem precedentes na história do nosso País. Estão intimidando os cidadãos de bens com ameaça de prisão àqueles que ousam a protestar contra os “11 Deuses do Olimpo”.

Quando se trata de protesto contra os 11 togados da Suprema Corte (que consome mais de 1 bilhão de reais por ano do erário público), o cidadão é tratado como fascista, antidemocrático e tem sua vida privada devassada, com a policia federal a invadindo suas casas, algemando-os e sendo conduzido para prisão a mando dos togados.

No caso dos dossiês sobre a vida dos servidores, que por 9 votos a 1, os 10 togados participaram da votação,  proibiram, ACERTADAMENTE, a elaboração desses dossiês.

O mais interessante foram os argumentos dos Ministros, pura hipocrisia, por exemplo:

 Ministro Alexandre de Moraes que disse “O que mais me preocupou, o que mais me parece desvio de finalidade é a tentativa de órgãos de inteligência de tentar planilhar a preferências políticas e filosóficas de agentes policiais sem que eles tivessem praticado qualquer atividade ilícita.” “não importa se o policial é a favor politicamente de A ou B. Desde de que exerça sua função dentro dos limites legais, ele tem absoluta liberdade para aderir à posição que ele quiser.”

A Ministra Rosa Werber “em uma democracia ninguém deve temer represálias por apenas expressar uma opinião, uma crença, um pensamento não endossado por quem ocupa posição de autoridade.”

O Ministro da libertação dos corruptos, Gilmar Mendes: “avaliou que dossiês foram produzidos “em virtude do exercício da liberdade de expressão, o que é incompatível com o regime de proteção às liberdades constitucionais estabelecidas.”

Já o ministro Ricardo Lewandowski: “é inadmissível num Estado Democrático de Direito, se elabore dossiês sobre cidadãos dos quais constem informações quanto as suas preferências ideológicas, políticas.”

Também concordo, sem sombra de dúvidas, que eles estão corretos nessas afirmações. Porém, como diz o velho ditado: “o pau de dá em Chico também serve para dá em Francisco”. Certo… Não para os 11 togados.

Quando se trata de defender seus próprios interesses, os 11 togados se apresentam como os supremos defensores da democracia. Agora quando eles praticam atos que contrariam as leis com decisões políticas impopulares, como por exemplo, libertação de políticos e empresários corruptos, ou quando se sentem ofendidos por manifestações populares contrárias a suas decisões, a primeira iniciativa é ameaçar e mandar prender os cidadãos de bem.

Em suma, praticam vários tipos de violências tais como abuso de poder, constrangimento ilegal da cidadania, arbitrariedades, invasão de domicílios com a policia federal, censura, atentados contra liberdade de expressão, lei de segurança nacional e tudo que tiver ao alcance de suas canetas.

Não será surpresa que todos os envolvidos na corrupção que se entranhou no Rio de Janeiro (mais um governador corrupto), sejam posto em liberdades pelo togados do STF, assim como ocorreu com vários outros. Já estão ensaiando a absolvição do ex-presidente mais corrupto da história brasileira, pois os libertadores de corruptos irão julgar se às condenações do juiz Moro foram imparciais.

Libertam a bandidagem do colarinho branco, mandam prender o “ladrão de galinha” e dão salvo conduto para bandidagem em geral. A população paga o preço como o mais um recentre episódio da violencia urbana no Rio de Janeiro, ocorrida na comunidade do morro de São Carlos.

Esse é o nosso STF. Puro AUTORITARISMO de Toga!

Está na hora do povo eleger diretamente os Ministros da mais alta corte do nosso País. O povo elege e o povo tira. Não se pode confiar numa corte que é indicada pelo Presidente da República com o aval do Congresso Nacional, e pasmem, com cargo vitalício. Os Ministros do STF tem que obedecer a regra das eleições gerais e serem submetidos ao crivo popular com mandato de 4 anos e com direito a uma reeleição. Isso sim é democracia. Isso sim é Estado Democrático de Direito.

Assim eu penso.

pt Português
X
EDITORIAS