Preço do plano anual do Bike Itaú aumenta mais de 100% em menos de um ano

A startup Tembici está implementando novos planos no serviço de bicicletas compartilhadas no Rio

Foto: Divulgação

Os usuários do Bike Itaú no Rio de Janeiro vão pagar mais caro e pedalar menos com os novos planos que estão sendo implementados no último trimestre deste ano na cidade. A Tembici, Startup que, com o patrocínio do Itaú Unibanco, opera o serviço de bicicletas compartilhadas no país criou novos pacotes que reduziram o número de viagens diárias e o tempo de uso das bikes dos antigos planos anual e mensal que eram ofertados no Rio. O preço do plano anual, que era o mais vantajoso, custava R$ 160,00 em dezembro de 2019, agora o usuário que assiná-lo vai pagar R$ 358,00. Um aumento de quase 124% em menos de um ano.

As mudanças começaram a valer a partir do dia 08 de outubro para os novos assinantes e a partir do 15 de outubro, de acordo com a data de vigência da assinatura, para os usuários que já tinham planos ativos.

Por meio de nota, a Tembici disse que não promovia revisões nos planos desde o lançamento do projeto, em 2013, e que realizou uma pesquisa com os usuários antes de implementar as mudanças. Segundo a startup, o objetivo das alterações é gerar maior aderência dos usuários e viabilizar um maior compartilhamento das bicicletas.

“A Tembici realizou pesquisas e estudos com mais de 1.500 pessoas (usuários e não usuários), que ajudaram na definição de três perfis de uso: eventual, que usa a bicicleta esporadicamente ou para lazer, rotineiro, que costuma utilizar o modal no dia a dia como meio de transporte, e profissional, que utiliza a bicicleta como forma de trabalho, e precisa de períodos maiores de uso. Com isso, em formato piloto, criou planos que sejam bastante flexíveis e que atendam as reais necessidades e perfis de uso dos ciclistas”, afirmou a empresa.

Os antigos planos anual e mensal não tinham limites para o número de viagens diárias e a duração delas era de até 60 minutos. Com as mudanças, os dois foram inseridos na categoria de uso “rotineiro”, e agora cada um deles têm uma versão básica e uma completa. Nas duas versões dos planos, o usuário poderá fazer apenas quatro viagens por dia, a diferença está no tempo das viagens e no preço cobrado a cada 15 minutos de uso das bicicletas elétricas – implementadas ao serviço no final de setembro.

Na básica, o preço do mensal é R$ 29,90, enquanto o do anual é R$ 238. Nesta versão, a viagem das bikes convencionais pode durar até 45 min e o uso das bikes elétricas custam R$ 3 a cada 15 minutos. Já na completa, o usuário pode pagar R$ 39,90 por mês ou R$ 358 por ano para pedalar por 60 minutos nas quatros viagens das bikes convencionais e o usar as elétricas pagando R$ 2 a cada 15 minutos.

Assinante do Bike Itaú há mais de um ano, o Psicólogo Adalton Costa conta que imaginava que haveria um aumento nos preços por conta da chegada das bikes elétricas e pelo aumento na quantidade de estações, mas que não esperava pelas limitações nos números de viagens.

“A limitação das viagens foi algo que me pegou de surpresa. Eu acho que foge totalmente a proposta, porque as pessoas usam muito para, por exemplo, ir até o metrô, para se deslocar pela cidade e pela facilidade de locomoção nas ciclovias. Acaba sendo um estilo de vida você poder optar por um transporte limpo e não poluente, mas com apenas quatro viagens isso vai ficar mais difícil”, disse.

O psicólogo afirmou ainda que não sabe se após as mudanças vai continuar com a assinatura do serviço.

“Estou pensando seriamente se vou manter minha assinatura, porque com os aumentos e as limitações nas viagens, fora as outras precariedades que a gente encontra: muita bike danificada, dificuldades para tirar e para devolver e, agora, com as bikes elétricas, muitas vezes tem faltado as convencionais, já que as pessoas não querem pagar um valor além do que é pago por mês ou por ano. Isso me faz pensar seriamente se manterei ou não minha assinatura”, ressaltou.

Na nota enviada, a Tembici, mesmo tendo lançado o plano profissional, não informou se as mudanças têm uma relação com o uso das bicicletas pelos entregadores de aplicativos. Apesar disso, a empresa destacou que observou um aumento de 4.000% nos números de viagens de setembro de 2017 em comparação a setembro de 2020 e que isso foi levado em consideração para a implementação dos novos pacotes.

Os novos planos podem ser conferidos no site do Bike Itaú: https://bikeitau.com.br/bikerio/planos/

Por: Matheus Domingues

pt Português
X
EDITORIAS