“The Last Fight” de Anderson Silva no UFC

Foto: Reprodução/Anderson Silva

O lutador de MMA, Anderson Silva, parece ter tomado uma decisão quanto a sua aposentadoria. Em entrevista ao site MMA Junkie, o ex-campeão peso-médio (84 kg) do UFC confirmou que a luta contra Uriah Hall, que acontece no dia 31 de outubro, em Las Vegas (EUA), será a última de sua carreira.

No MMA profissional desde 1997, Anderson Silva soma 34 vitórias, sendo 23 por nocaute, dez derrotas e um ‘no contest’ (luta sem resultado). O brasileiro, considerado por grande parte como um dos maiores lutadores de todos os tempos, foi campeão peso-médio do UFC entre 2006 e 2013.

Anderson Silva irá lutar pela última vez no UFC Foto: Reprodução/Anderson Silva

Adriano Albuquerque, repórter do Globoesporte.com e Combate.com, foi mudando sua visão em relação à discussão se Anderson Silva seria o melhor lutador do UFC da história.

Já pensei por muito tempo que Anderson foi o maior de todos, mas acho que os feitos de Jon Jones, Georges St-Pierre e outros colocaram ele para trás um pouco. Mas o que posso dizer é que ele é o lutador mais único, mais diferente e especial do UFC. A forma como ele lutava e dominava, seu arsenal de golpes, são coisas que não vimos igual na história do MMA.

O repórter Bruno Massami, que escreve sobre MMA na Gazeta Esportiva aponta que a pergunta sobre o Spider ser o melhor de todos os tempos no UFC é difícil de ser respondida por alguns fatores.

Eu diria que o Anderson é o maior lutador do MMA brasileiro. Mas não podemos esquecer o legado que Royce Gracie e Marco Ruas tiveram no início da organização. Não sei responder se o Spider é o maior de todos os tempos no Ultimate, devido os atuais feitos de Jon Jones, Khabib Nurmagomedov, Georges St.Pierre, mas com certeza posso afirmar que o Anderson até aqui é o maior peso médio da história do UFC.

Já o jornalista Daniel Fernandes, também acredita que é difícil em um esporte como o MMA, cravar o melhor da história.

MMA é um esporte multidisciplinar, é difícil cravar o melhor de todos os tempos, mas os números do Anderson são impressionantes. São raros os campeões dominantes como ele, que não só ganhavam as lutas, mas também davam espetáculo. O talento dele é indiscutível, técnica apuradíssima. É o lutador brasileiro mais importante e com certeza está entre os grandes da história.

O jornalista Eduardo Costa, redator de UFC da página Bola na Rede, coloca Anderson Silva entre os três melhores da história da organização de MMA.

Acho que o Anderson é talvez top-3 melhores da história do Ufc. No entanto, teve casos de doping que mancharam um pouco a sua carreira, mais agora na parte final. Mas é o segundo campeão mais dominante da história e um dos melhores artistas e strikers.

David Carvalho, Chargista especializado em MMA (MMA cartoonist) e host do @nocautecast, um podcast sobre MMA feito por fãs do esporte, destaca que é difícil cravar que o lutador seria o maior da história pelo grande número de possiblidades que o UFC oferece.

Quando pensamos em genialidade, imprevisibilidade e consistência na carreira, sempre temos o nome do Spider como um dos maiores, sim, mas esse grande número de possibilidades que o esporte traz dificulta bater o martelo sobre quem é o maior lutador de todos os tempos. Se eu tentar um top 5, colocaria, sim, o Anderson, junto com Saint Pierre, Jon Jones, Fedor Emelianenko e José Aldo, mas, de tempos em tempos, eu troco a minha escolha de GOAT (Greatest Of All Time).

 

A charge retrata Anderson Silva apresentando ao mundo o novo campeão dos médios, Israel Adesanya Créditos: David Carvalho

O estilo de luta agressivo e de muita movimentação de Anderson Silva sempre chamou a atenção de muitos fãs do esporte, fazendo dele um dos lutadores mais atrativos que passaram pelo UFC. Criativo dentro do octógono, o Spider conseguiu manter o alto nível tanto na trocação como no jogo de chão, por um bom tempo, além de sua famosa provocação aos seus oponentes com suas fintas.

A última vez em que Anderson Silva esteve em ação foi no UFC 237, em maio do ano passado, no Rio de Janeiro, quando acabou derrotado por Jared Cannonier após sentir uma lesão no joelho. Antes, o lutador também quebrou brutalmente a perna contra Chris Weidman , em 2013. O legado de Spider começou em 2006, quando ele garantiu o cinturão dos médios de Rich Franklin . Após a conquista, foram 16 vitórias consecutivas até perder o cinturão.

Um fator que pode ser debatido com mais uma aposentadoria de um lutador que marcou seu nome no esporte é o possível desinteresse do público no UFC. Confira a opinião de cada especialista sobre o assunto.

Adriano Albuquerque: “Os esportes sempre se renovam e surgem novos grandes nomes. Não tem mais Anderson e Wanderlei, mas tem Amanda Nunes, Deiveson Figueiredo, Gilbert Durinho e Paulo Borrachinha. Eles só precisam de tempo para construir suas histórias. E internacionalmente, o UFC chega a cada vez mais países e traz novos candidatos a lenda das mais diversas partes: o russo Khabib Nurmagomedov, a quirguistanesa Valentina Shevchenko, os nigerianos Kamaru Usman e Israel Adesanya. Arrisco dizer que o UFC nunca esteve tão interessante”.

Bruno Massami: “A pandemia e principalmente a coragem de Dana White, Presidente do UFC, que peitou muita gente e todos os críticos ao ter a ousadia de ser o primeiro esporte a retornar as atividades em meio ao caos do Covid-19, fez os números do UFC dispararem. O esporte nunca atingiu patamares tão altos como neste ano de 2020, seja em audiência na TV ou em vendas de pay-per-view. A questão é que o UFC focou suas forças no mercado americano e fortaleceu suas bases na Europa. Com isso, o Brasil acabou perdendo espaço na organização mesmo possuindo dois campeões (Amanda Nunes e Deivison Figueiredo)”.

Eduardo Costa: “Acho que a audiência se está constantemente renovando. Isto porque vão sempre surgindo nomes novos que vão entusiasmando o público e que têm muita qualidade”.

Daniel Fernandes: “Tem uma boa safra de novos lutadores surgindo, o alcance do esporte também cresceu muito, agora países do continente africano e do leste europeu estão entrando no jogo, então audiência não chega a ser uma questão. O problema é que os atletas mais antigos, posso citar Jon Jones, George St-Pierre e o próprio Anderson Silva, além de grandes lutadores, são extremamente carismáticos, com a saída deles fica uma impressão de que os que ficaram são “todos iguais”, são poucos que se destacam”.

David Carvalho: No próximo fim de semana, teremos o UFC 254, possivelmente um dos maiores PPV da história da empresa e, se pegarmos os maiores números da história do esporte, concluiremos que grande parte dos maiores vendedores de pacotes vêm da era moderna do MMA. E isso não será possível apenas por termos os incríveis lutadores como Justin Gaethje e Khabib Nurmagomedov. Para a empresa chegar ao que é hoje, precisou contar com a construção de um esporte, e os principais responsáveis por pavimentarem este caminho foram com certeza os grandes nomes que passaram pelo MMA, como Anderson Silva, Rodrigo Minotauro, Wanderley Silva, Fedor Emelianenko e muitos outros”.

*Por Luhan Alves

*Estagiário com supervisão de Alessandro Monteiro

 

 

 

 

pt Português
X
EDITORIAS