Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Atriz Nicette Bruno morre no Rio por complicações da Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 

A atriz Nicette Bruno morreu na manhã deste domingo (20), aos 87 anos, em decorrência de complicações da Covid-19. Ela estava  na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio, sedada e dependente de ventilação mecânica.

A informação da morte foi confirmada pelo hospital por volta das 13h20. “A Casa de Saúde São José informa que a atriz Nicette Bruno, que estava internada no hospital desde 26 de novembro de 2020, faleceu hoje, às 11h40, devido a complicações decorrentes da Covid-19. O hospital se solidariza com a família neste momento”, informa a nota divulgada .

Filha de Nicette, a atriz Beth Goulart, comentou em sua rede social: “Minha mãe, minha vida, meu amor #teamomaezinha #deuscuidadaminhamãe”. O autor Walcyr Carrasco, entre outros famosos, também se manifestou na internet: “A nossa querida Nicette Bruno nos deixou hoje. Mais uma vítima da covid. Nicette fez história na televisão brasileira. Tive o privilégio de trabalhar com ela. Aos familiares, amigos e fãs, deixo meu apoio e o meu carinho. Coração azul Descanse em paz!”.

Bela trajetória nas artes e um grande amor

Nascida em Niterói, em 7 de janeiro de 1933, Nicette Xavier Miessa começou a carreira ainda pequena, aos 4 anos, em um programa infantil na Rádio Guanabara.Aos 9 ingressou no teatro, no grupo da Associação Cristã de Moços (ACM).Depois disso, passou pelo Teatro Universitário e pelo Teatro do Estudante, criado pelo ator Paschoal Carlos Magno.

Aos 14 anos, ganhou o prêmio de atriz Revelação da  Associação Brasileira de Críticas Teatrais ao viver a Ornela, na peça “A Filha de Iório”. Já era atriz profissional na Companhia Dulcina-Odilon, da atriz Dulcina de Morais.

Aos 19 anos, conheceu o grande amor da sua vida Paulo Goulart, com quem ficou casada por quase 60 anos. Eles se conheceram em cena, fundaram a companhia Teatro Íntimo e ficaram juntos até a morte de Paulo, em 2014. Tiveram três filhos que seguiram a carreira dos pais: Paulo Goulart Filho, Bárbara Bruno e Beth Goulart.

A estreia de Nicette em novelas foi em 1967, na TV Excelsior, em “Os Fantoches”. De lá para cá, inúmeros papeis no teatro e na TV, em tramas como “Selva de Pedra” (1986), “Rainha da Sucata” (1990) e “Mulheres de areia” (1993). Em 1997, interpretou sua primeira vilã em novelas da Globo, a malvada Úrsula, em “O amor está no ar e , em  “Sítio do Picapau Amarelo”, uma Dona Benta mais moderna, na nova versão o clássico de Monteiro Lobato, em que  conversava com  o neto Pedrinho pela internet. Vai deixar muita saudade.

Foto: TV Globo

pt Português
X
Open chat