Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

Opinião: o Gigante da Colina precisa acordar

Foto: Luhan Alves/Jornal Diário do Rio
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 

“Jogo para esquecer, “perder de 4 a 1 em casa tem que doer na gente, tem que sangrar”. Essas foram algumas das frases da entrevista de Andrey ao fim da partida e que resume muito bem o que aconteceu na noite de segunda-feira (30) em São Januário. O que se viu do Cruzmaltino foi um time bem apático dentro de campo, pouca produtividade ofensiva e muitos erros defensivos. Foi um verdadeiro passeio da equipe do Ceará, que ao contrário da equipe carioca, mostrou organização e eficiência no ataque.

Pode se dizer que foi o pior jogo do Vasco no ano. O auxiliar Alexandre Grasseli manteve o esquema que vem sendo utilizado pelo treinador português Ricardo Sá Pinto. Mas, após assistir a sua equipe fazer um primeiro tempo ruim, mexeu bastante na etapa final. Porém, as mudanças não surtiram efeito e a goleada do Ceará foi sendo construída.

A defesa vascaína que vinha mantendo uma boa fase foi um destaque bem negativo nesta partida. Mesmo com o esquema de três zagueiros e quando o time fazia a recomposição formava uma linha de cinco na defesa, o Vasco deixou muitos espaços e foi facilmente superado pelos meias e atacantes do Ceará. Ninguém se salvou na parte defensiva, jogo muito abaixo de todos.

Do meio para frente, o único que tentava alguma coisa era o Andrey, que no segundo tempo tentou comandar a saída de bola da equipe do Vasco, mas a noite era ruim dos seus companheiros. Faltou qualidade na criação do meio campo Cruzmaltino. Benítez que entrou no segundo tempo, teve poucas chances de fazer alguma coisa, até porque o meia não está 100% fisicamente. Com isso a capacidade criativa do time diminui e a bola quase não chega aos atacantes.

Agora o Vasco tem pouco tempo para se recuperar da goleada, pois na quinta-feira (3) enfrenta a equipe do Defensa y Justicia pelo jogo de volta das oitavas de final da Sul-Americana. E, mais do que nunca, a defesa vai precisar voltar a ter o bom desempenho desse início de trabalho de Sá Pinto. Se não for vazado, o Vasco passa, uma vez que empatou por 1 a 1 na Argentina, e na competição vale o gol qualificado fora de casa. O Gigante da Colina precisa acordar.

Por: Luhan Alves 

pt Português
X
Open chat