Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

A formação do cabelo (Parte 1)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 

Parte tão importante para a expressão da nossa identidade… Vamos entender como é o cabelo e como ele funciona e, para isso, é necessário entender a sua origem: como ele se forma, nasce, cresce, e assim conseguir saber porque ele é como é e aprender a lidar com isso da melhor forma possível, escolhendo com propriedade a melhor forma de cuidar dos nossos fios.

O cabelo é composto basicamente pela proteína queratina, que está presente numa concentração de aproximadamente 95%, além de água, minerais e outras substâncias. O cabelo é formado a partir dos folículos pilosos, que são invaginações da camada mais externa de nossa pele, a epiderme.

Acoplados ao folículo estão o músculo piloeretor, que têm a função de arrepiar os pelos e cabelos em situações em que a pele necessita de proteção, como em um ambiente frio; glândulas sebáceas, que excretam sebo para proteção e lubrificação da pele e couro cabeludo, e glândulas sudoríparas, que excretam o suor para regular a temperatura corporal. Tudo isso neste minúsculo duto por onde o cabelo nasce e cresce.

Na parte mais profunda do folículo piloso encontra-se a fábrica de cabelos, a matriz. Na matriz, alimentadas por capilares sanguíneos, as células que formarão o cabelo se multiplicam a todo o vapor, dentre elas células que fabricam principalmente queratina, que dará a estrutura do fio. E outras, os melanócitos, que fabricam principalmente a melanina, que dará a coloração natural do cabelo.

Nesta fase, o cabelo ainda tem a consistência de uma geleia até que, em determinado momento, avançando em direção à abertura do couro cabeludo, mas ainda no interior do folículo piloso, as células comprimem-se entre si queratinizando-se, adotando a consistência do cabelo totalmente pronto e assumindo suas características organizacionais e comportamentais

A partir deste ponto, as células antes vivas e em atividade, desidratam-se e morrem e o que permanece são somente suas carcaças recheadas de queratina. Com isso, o fio de cabelo já possui suas principais subdivisões: a cutícula, o córtex e a medula. A cutícula, parte mais externa do fio, é formada por células queratinizadas de alto grau de resistência e dureza, tendo a função de proteger o córtex dos agentes externos como o sol, vento, atrito, calor, etc.. Estas células ficam sobrepostas umas sobre as outras, de forma muito semelhante com escamas de peixe, tendo entre três e oito camadas de células envolvendo cada fio de cabelo. Por estarem dispostas em escamas, as cutículas proporcionam à estrutura do cabelo alta flexibilidade nos movimentos do fio.

O sentido ao qual estão dispostas as escamas parte do couro cabeludo às pontas dos fios, ou seja, a abertura das cutículas está disposta na direção das pontas dos fios. É por isso que não é recomendado fazer qualquer movimento que não seja neste sentido, podendo ter como resultado disso a abertura e danificação desta importante estrutura, expondo o interior do fio deixando-o mais vulnerável.

Foto: Pixabay

Helainy de Araújo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

pt Português
X
Open chat