Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização. ©2019 Diário do Rio.

IPTU: versão digital não é acessível a todos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram

 

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) está com mudanças para este ano. Visando à redução dos gastos públicos, a Secretaria Municipal de Fazenda emitirá uma única guia com a Notificação de Lançamento do IPTU e/ou TCL, em substituição ao carnê. O contribuinte que optar pelo pagamento em cotas poderá pagar a primeira parcela com o código de barras disponível na guia de cobrança. As demais cotas deverão ser emitidas pela internet, no portal Carioca Digital.

Esta mudança vem gerando dúvidas, entre outros motivos, pela suspeita de golpe ao receber a cobrança, já que a correspondência que chega via Correios não contém o antigo carnê do IPTU, mas apenas uma carta com guia de folha única. Além disso, o código de barras é distinto da versão online. De acordo com a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento, não há registro de fraude nos documentos.

Mas um  aspecto a ser questionado com esta mudança é migração dos serviços para o ambiente digital. Em um país em que se tem uma desigualdade social como o Brasil, concentrar a maioria dos serviços para o online é ruim. É preciso pensar que nem todo mundo tem fácil acesso à internet e que nem todos possuem um celular moderno.

Então, é dever do governo pensar em alternativas que facilitem o acesso para as pessoas que precisam de um atendimento de forma presencial, como colocar em disponibilidade locais em que a população possa imprimir sua via para pagamento. Tudo, claro, seguindo todas as medidas de prevenção contra o coronavírus.

 

pt Português
X
Open chat