Categorias
Destaque Rio Saúde

Secretaria de Saúde finaliza hoje distribuição da segunda dose da CoronaVac

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) conclui, nesta segunda-feira (22.02), a entrega de um lote de vacinas CoronaVac que será destinado a pessoas que já receberam a primeira dose. A partir das 7h, quatro helicópteros decolaram do 12º Batalhão de Polícia Militar, em Niterói, levando o imunizante para 88 municípios. Na última sexta-feira (19.02), Rio de Janeiro, Niterói, Maricá e São Gonçalo retiraram os lotes.

Desta vez, serão distribuídas 173.500 segundas doses do imunizante, além de outras 20 mil para utilização como primeira dose – que estavam armazenadas como reserva técnica. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

“Conforme programado, estamos fazendo a entrega das vacinas para a aplicação da segunda dose das remessas enviadas nos dias 3 e 11 de fevereiro. Esta estratégia garante o cumprimento de uma etapa do calendário vacinal. Além disso, mais 20 mil doses serão entregues, possibilitando a vacinação de novas pessoas. Estamos aguardando confirmação de envio de remessas pelo Ministério da Saúde, que serão distribuídas de acordo com o proposto pelo Programa Nacional de Imunizações”, explicou o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) reforçou, por meio de ofício enviado aos 92 municípios, a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidose seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.

A SVS informa ainda que todo cidadão pode e deve acompanhar o processo de vacinação, verificando qual imunizante está recebendo, o uso de seringas descartáveis, a aspiração do produto e a correta anotação na carteira de vacinação. No caso de pessoas incapacitadas, esse acompanhamento deve ser feito por um responsável.

Público prioritário – A SES esclarece que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), por meio de decisões tomadas por comissão tripartite. O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por:

– profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação;
– pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos;
– pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas;
– trabalhadores dessas instituições;
– povos indígenas vivendo em terras indígenas;
– idosos com mais de 90 anos.

Enfrentamento à Covid-19 – A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que, até o momento, recebeu do Ministério da Saúde (MS) 1.040.320 doses da vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CorovaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca. Com a operação realizada nesta segunda-feira (22.02), o total distribuído é 1.036.390 doses. Uma reserva técnica fica armazenada na Coordenação Geral de Armazenamento (CGA) para repor possíveis perdas.

Balanço vacinação – Até as 9h deste domingo (21.02), 92 municípios registraram 427.482 pessoas vacinadas com a primeira dose. Destas, 80.876  já imunizadas com a segunda dose da vacina contra Covid-19 no estado. O balanço foi realizado por meio de busca ativa, a partir da gerência de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, junto às coordenações/gerências de imunização dos 92 municípios do estado. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/

Nova variante – Foram confirmados cinco casos de pessoas no estado do Rio contaminadas com as novas variantes do coronavírus, sendo um com a mutação britânica (VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7), e os outros quatro com a variante de Manaus (Variante P.1, linhagem B.1.1.28). Dois pacientes registrados com a cepa brasileira foram a óbito, sendo um morador de Belford Roxo e outro paciente oriundo de Manaus. A SES reforça que, em ambos os casos, não é possível afirmar que houve agravamento dos quadros devido à mutação do vírus.

As outras duas pessoas contaminadas pela variante brasileira são moradoras da capital, já se recuperaram e tiveram sintomas leves. Estudos apontam que a variante brasileira do coronavírus tem maior capacidade de transmissão, mas a letalidade não difere da linhagem inicial. A SES reforça a necessidade de que sejam intensificadas as medidas de prevenção de contágio: uso de máscaras, higienização das mãos e distanciamento social.

Casos em investigação – Até este sábado (20.02), há 13 casos notificados no estado do Rio de Janeiro, em investigação. O critério para notificação de caso suspeito está previsto na Nota Técnica elaborada pela Secretaria de Estado de Saúde: pacientes com sinais e sintomas de Covid-19 que tenham histórico de viagem ou contato com pessoas oriundas de outros estados e/ou países com circulação de novas variantes.

Cabe à Vigilância Epidemiológica dos municípios o preenchimento de um formulário eletrônico para notificação imediata à SVS/SES, que vai orientar e apoiar os municípios na investigação epidemiológica. As amostras coletadas serão encaminhadas e processadas para testagem molecular e selecionadas para sequenciamento viral pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-RJ).

A SVS ressalta que a chegada de variantes da Covid-19 ao estado era prevista, inclusive, uma Nota Técnica sobre o tema já havia sido enviada aos municípios no início do mês, com recomendações.

É importante destacar que o sequenciamento genético não é um método de diagnóstico para Covid-19, tampouco é indicado para ser feito em 100% dos casos positivos, contudo a análise do seu resultado permite quantificar e qualificar a diversidade genética viral circulante no país. Este é o propósito do monitoramento articulado pela SVS com os municípios na Nota Técnica SVS/SES n. 09/2021.

 Foto: Governo do Estado do RJ

Categorias
Destaque Rio

Prefeitura acompanha inventário para assumir operação da Linha Amarela

 

Neste domingo, 21 de fevereiro, diversos secretários e presidentes de órgãos da Prefeitura do Rio estiveram na base operacional da Linha Amarela para acompanhar o trabalho de inventário dos bens e dar início ao processo de transferência de operação da via.

A transição iniciada hoje deverá ser concluída até o dia 27 de fevereiro, prazo determinado pela Justiça para que o município encampasse a via de forma plena.

“Hoje, por determinação do prefeito Eduardo Paes, e cumprindo uma decisão judicial, começamos a transição para a operação da via. Um dos passos dessa transição é o inventário desse patrimônio, ou seja, tudo o que vai ser transferido para a Prefeitura do Rio. O nosso objetivo é que esta transferência aconteça da maneira mais harmoniosa possível, garantindo a operação da Linha Amarela, e, principalmente a segurança dos usuários”, afirmou o secretário de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero.

Estiveram presentes na base operacional da Linha Amarela os secretários de: Transporte, Maína Celidonio; Conservação, Anna Laura Secco; Ordem Pública, Brenno Carnevale; além do Procurador-Geral do Município, Daniel Bucar. Também compareceram ao local os presidentes da Comlurb; Cet-Rio; IplanRio e o chefe do Centro de Operações Rio (COR).

Parte das operações já passou integralmente para os órgãos púbicos. A partir deste domingo, por exemplo, a Cet-Rio passa a ser responsável por todo o serviço de resgate mecânico (em caso de pane em veículos na via), assim como a Conservação que passa a ser responsável pelo serviço de tapa buraco. O Corpo de Bombeiros, por sua vez, pelo resgate de vítimas em caso de acidentes.

 Prefeito Eduardo Paes questiona valor: “o preço estava absurdo”

A Linha Amarela continuará sem a cobrança de pedágio ao usuário até que seja feita uma nova licitação por parte da Prefeitura.  “O pedágio tem que ser praticado, mas com um preço justo. O preço estava absurdo, tanto que, no meu outro governo, a gente não deu reajuste em 2015 e começou essa discussão. Nós fizemos uma proposta à Lamsa de algo em torno de R$ 3, mas não houve entendimento na negociação”, declarou, no sábado (20) o prefeito Eduardo Paes.

A decisão de encampar a Linha Amarela, suspendendo a atuação da Lamsa, foi tomada pelo ex-prefeito Marcelo Crivella em 2019. O caso foi parar na Justiça, que chegou a proibir a encampação da via expressa em novembro daquele ano. A prefeitura recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que deu decisão favorável à administração municipal no fim do ano passado, permitindo a encampação.

Foto: Marcos de Paula

Categorias
Notícias do Jornal Turismo

Lazer ao ar livre no Rio

 

O Rio de Janeiro é uma das poucas cidades do mundo que conseguem combinar natureza, arquitetura, história e descontração. A cidade é um destino que oferece muitas opções de lazer ao ar livre e é uma ótima alternativa para seus visitantes e moradores nesse momento de pandemia e para o feriado de Carnaval, que, neste ano, precisará ser sem muito confete, serpentina e aglomeração.

“O Rio reúne a beleza natural do relevo com obras arquitetônicas de renomados artistas reconhecidos mundialmente e muitas se tornaram icônicas, como o hotel Copacabana Palace, a calçada desenhada de Copacabana, os Arcos da Lapa, os Arcos do Sambódromo, e o mais recente museu MAR (que mistura na sua fachada o antigo, arquitetura do tempo do império, com a moderna cobertura em forma de ondas).  Sem esquecer do Museu do Amanhã (moderno museu do famoso arquiteto espanhol Santiago Calatrava) na zona portuária da cidade do Rio”, detalha Amanda Pereira, diretora da agência Viagem Top Tour.

O Rio oferece opções para todos os gostos e numa simples caminhada na zona sul ou no Centro, por exemplo, moradores e visitantes podem encontrar ótimos locais de passeios, compras e gastronomia.  “Andar pelas ruas da cidade do Rio é perceber como um ambiente nativo pode viver em harmonia com a construção civil. É possível, e o Rio de Janeiro prova isso!”, explica Amanda,  especialista em planejamento, organização de roteiros personalizados de viagens.

A Cidade Maravilhosa é sempre lembrada como acolhedora e de gente muito simpática e isso cativa, sobretudo turistas estrangeiros.  “A diversidade e a combinação de estilos estão presentes tanto no ambiente quanto no jeito carioca de ser. Todos os estilos estão presentes nas ruas cariocas. Gosto de destacar o jeito singular do carioca da gema. Um perfil de pessoa que na maioria das vezes escolhe por ser acolhedor e informal. Carioca fala com todo mundo e é muito solidário. Sabe que a vida é para ser vivida e usufrui do melhor da sua cidade. Está sempre em busca de entretenimento ao ar livre em todas as estações”, explica a especialista.

Locais imperdíveis no Rio de Janeiro para aproveitar durante a pandemia:

Passeios ao ar livre – O Rio tem 14 parques naturais municipais que valem um passeio para um caminhada ao ar livre. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smac) vem recomendando e incentivando o uso dos parques naturais pela sociedade, pois frequentar áreas verdes é sinônimo de mais qualidade de vida e saúde mental. “Destaco o Parque da Chacrinha em Copacabana, é um oásis de mata nativa. Esse lugar é indicado para passear, principalmente para quem vai com crianças, devido a um playground com brinquedos infantis”, indica Amanda.

Fazer piquenique – estão permitidos os piqueniques na cidade , mas é fundamental que todos sigam as regras de distanciamento, higienização e usem máscaras. Os parques, como Darke de Mattos, em Paquetá, funcionam de terça-feira a domingo, das 6h às 17h. Para aproveitar os locais com segurança, a temperatura dos frequentadores está sendo medida nos acessos a áreas fechadas, como centros de visitação.

Espaços culturais – Há muitas opções históricas na cidade que valem a visita. Uma delas é o belo jardim da Casa de Rui Barbosa, que fica em Botafogo, zona sul carioca, é frequentado por famílias que buscam aproveitar o sol da manhã. Esse é um lugar calmo e convidativo para um passeio tranquilo no intuito de conversar e relaxar.

“O local foi a residência do jornalista, jurista, diplomata e orador Rui Barbosa. Hoje, o Museu é composto por decoração e mobília original e muitos objetos da família. Além de uma magnífica biblioteca com um acervo de mais de 22 mil títulos que inclui arquivos originais de Rui Barbosa. Atualmente as visitas são mediadas e precisam ser agendadas, mas vale a pena conhecer!”, dá a dica Amanda.

Fotos: Reprodução

 

 

Categorias
Destaque Rio

Passagem de trem aumenta para R$5

 

O Governo do Estado e a SuperVia assinaram, nesta sexta-feira (19), o acordo que garantiu um reajuste menor na nova tarifa de trem. Com a inclusão do termo aditivo ao contrato de concessão do sistema ferroviário, o valor da nova tarifa será de R$ 5 a partir da próxima terça-feira, 23 de fevereiro. Segundo o governo, antes do acordo, a passagem passaria dos atuais R$ 4,70 para R$ 5,90.

O objetivo das negociações , de acordo com nota divulgada pelo estado, era definir um reajuste tarifário mais condizente “com o atual cenário socioeconômico, fortemente atingido pela pandemia do novo coronavírus, diminuindo o impacto para o usuário”.

De acordo com o reajuste previsto anualmente no contrato e homologado pela Agetransp em dezembro, a passagem custaria R$ 5,90 a partir de 2 de fevereiro. Após diversas tratativas, o aumento foi adiado por 20 dias e definido nesta sexta-feira.

Foto: Divulgação/Supervia

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio confirma segunda morte em decorrência da nova variante do coronavírus

 

A prefeitura do Rio confirmou hoje a morte, no Rio, do segundo paciente infectado com a nova variante do coronavírus.  Trata-se do primeiro caso de nova variante (P1) identificado na cidade: um homem de 46 anos, residente em Manaus. Trata-se, portanto, de um caso importado. O paciente veio transferido para o Rio de Janeiro em 3 de fevereiro e foi internado em estado grave na UTI do Hospital Federal dos Servidores do Estado. Mas não resistiu ao tratamento e morreu, na noite desta quinta-feira (18). Na terça (16), um homem de 55 anos também morreu após testar positivo para a variante brasileira do coronavírus no estado.

Os outros três casos, segundo a SMS, são mais brandos e classificados como síndromes gripais. Os pacientes já foram curados ou estão no fim do período de quarentena. Foram considerados casos autóctones, ou seja, de transmissão local.

Uma mulher de 36 anos, moradora da Freguesia, que começou a sentir os sintomas em 21 de janeiro, foi identificada com a B.1.1.7. Outros dois homens de 30 e de 40 anos, moradores, respectivamente, de Copacabana e Laranjeiras, também apresentaram a variante de Manaus. Os sintomas do primeiro começaram em 25 de janeiro e os do outro, em 1º de fevereiro.

Em nota conjunta divulgada nesta sexta-feira (19), a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio)  informara que concluíram, nesta quinta-feira (18), a análise do histórico de em quatro das cinco pessoas contaminadas pelas novas variantes do coronavírus. Foi registrado um caso com a cepa do Reino Unido (VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7) e outros quatro com a mutação de Manaus (VOC P.1, linhagem B.1.1.28).

Cm exceção do paciente oriundo de Manaus, os demais são autóctones, ou seja, a contaminação aconteceu dentro do próprio estado. “Desta forma, a avaliação confirmou que as novas cepas já estão circulando em pelo menos um município do estado, o Rio de Janeiro, e provavelmente, Nova Iguaçu”, diz a nota.

Cuidados básicos e fiscalizações

Diante do novo cenário, a Secretaria Municipal de Saúde intensificou as ações de rastreamento de contatos e de testagem, para bloquear as cadeias de contágio dos casos de Covid-19, com o objetivo de prevenir a possível proliferação do vírus, incluindo as novas variantes. A autonotificação continua pelo aplicativo Rio Covid-19, nas plataformas iOS e Android, e pela Central 1746, com acompanhamento dos casos pelas equipes de saúde. Mais de 70 mil testes já foram realizados.

O órgão ressalta que é imprescindível que a população colabore com os esforços para evitar a proliferação do coronavírus, seguindo os cuidados básicos de prevenção: uso de máscara, higienização das mãos com álcool 70% e distanciamento social. Além de respeitar as medidas restritivas de proteção à vida para a faixa de risco alto. Todas as informações e orientações estão disponíveis no site https://coronavirus.rio, onde pode ser baixado o “Guia de medidas de proteção à vida”.

As ações de fiscalização na cidade também foram intensificadas para garantir que as normas restritivas de proteção à vida sejam cumpridas. Ações integradas desde o dia 15 de janeiro entre a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa-Rio), a Guarda Municipal e a Defesa Civil já passaram por 56 bairros, contabilizando 573 inspeções em estabelecimentos, 329 infrações sanitárias e 74 interdições.

A fila por leitos Covid-19 segue zerada no município, com nenhum paciente aguardando vaga especializada para internação. No momento, há 885 pacientes internados nos leitos da rede SUS na cidade, que mantêm uma taxa de ocupação de 72%. Na noite desta quinta-feira (18), não havia qualquer caso pendente à espera de regulação para leitos Covid-19 em nenhuma unidade da rede municipal.

Foto: ABr

Categorias
Destaque Rio Saúde

Começa a distribuição da segunda dose de vacinas contra Covid-19 no Rio

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) começa, nesta sexta-feira (19.02), a distribuição de uma nova remessa de 173.500 segundas doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19 para os 92 municípios do estado. Também serão entregues outras 20 mil doses, sendo 10 mil para primeira aplicação e 10 mil para segunda, que estavam armazenadas na Coordenadoria Geral de Armazenamento (CGA), em Niterói, como reserva técnica para casos de reposição.

Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e Maricá serão os primeiros a retirar na CGA os lotes do imunizante, nesta sexta-feira (19.02), com escolta da Polícia Militar.  Para os outros 88 municípios, a entrega será realizada, a partir das 7h da próxima segunda-feira (22/02) por quatro aeronaves. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil.

“Vamos realizar a entrega da segunda dose das vacinas CoronaVac que foram disponibilizadas aos municípios em 03.02 e 11.02. Conforme programamos desde o início, distribuímos a primeira dose e armazenamos a segunda. Desta forma, estamos garantindo que os municípios cumpram o esquema vacinal”,  afirmou o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) atualizou o ofício enviado aos 92 municípios, reforçando a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidoses seja totalmente utilizado. Denúncias de irregularidades na vacinação são encaminhadas imediatamente aos órgãos de controle.

Público prioritário – A SES esclarece que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), por meio de decisões tomadas por comissão tripartite. O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por:

📌 profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação;
📌pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos;
📌pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas;
📌trabalhadores dessas instituições;
📌povos indígenas vivendo em terras indígenas;
📌 idosos com mais de 90 anos.

Doses recebidas e entregues – A Secretaria já recebeu do Ministério da Saúde (MS) 1.040.320 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CorovaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca.  Até o último dia 11, haviam sido entregues 842.890 doses aos 92 municípios. Dessas, 242.060 eram destinadas à segunda dose da CoronaVac, para atender à população que recebeu o imunizante enviado no primeiro lote, do dia 20 de janeiro.

Balanço vacinação – Até as 9h desta quarta-feira (17.02), 92 municípios registraram 418.419 pessoas imunizadas com a primeira dose e 49.407 com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no estado. O balanço foi realizado por meio de busca ativa, a partir da gerência de Imunização da Vigilância Epidemiológica da Subsecretaria de Vigilância em Saúde, junto às coordenações/gerências de imunização dos 92 municípios do estado. O vacinômetro pode ser acessado pelo site: https://vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br/

Foto: Carlos Magno/Governo do Estado do RJ

 

Categorias
Cinema Cultura Notícias do Jornal

Doutor Hipóteses dribla a solidão na pandemia

 

Doutor Hipóteses − uma alma perdida na pandemia, filme do cineasta e ator Vicentini Gomezfoi, convidado especial e um dos destaques do festival de Alter do Chão , no Amazonas,  que aconteceu em dezembro e por conta da pandemia foi realizado em formato online. A produção ultrapassou a marca de 11 mil visualizações e o site do festival continua sendo visitado por cinéfilos do mundo inteiro.

Vicentini Gomez, além de escrever, dirigir e produzir é o único interprete humano e entrega-se ao desequilíbrio passional  do tal Doutor Hipóteses em cenas que transcendem a normalidade a avança patologias outras. E tudo em um paralelo com a nossa realidade: o mundo em tempos de coronavírus.

Com a chegada da pandemia, condenado à reclusão e ao isolamento social, a mente inquieta e sufocado  pelo  enclausuramento, Doutor Hipóteses cria uma clinica com bonecos e começa a se relacionar com eles, num jogo de posse, amor, ódio e sedução que transcende a normalidade. Seria a loucura a solução para nossa solidão?

“Com todos os projetos suspensos por conta da pandemia, as leis de incentivo paradas, um vírus  que recicla todo o processo do comportamento humano…. O que fazer? O que inventar? Ficar em casa com tudo parado? A mente inquieta,a criatividade estocada e reclusa começou a pedir socorro. Lancei então um grito de ousadia: vou fazer um filme longa metragem”, conta Vicentini.

Ele revela que tomou por base um texto que usa em suas oficinas de interpretação: “Os malefícios do tabaco” de Anton Chekhov,  e o transformou  em fio inspirador do roteiro.  “Busquei referências de outras pandemias, em especial a gripe Espanhola, na primeira guerra mundial e comecei a escrever. Empolguei-me. Noites em branco, e finalmente o roteiro!”, comemora.

Para dar voz aos bonecos, Vicentini buscou  parceria com artistas de primeira grandeza como Fabio Saltini, Vanessa Goulart,Kiko Pissolato, Maximiliana Reis, Carla Masumoto, Miriam Palma, Rodrigo Dorado, Calixto de Inhamuns, Marcelo Galdino,  João D´Olyveira, Claudemir Santana, Cid Pimentel , Veridiana Carvalho, Dan Rosseto, Pedro Paulo Vicentini, Diaulas Ullysses, Matheus Cirilo, Noelle Nataly  e Giulia Maia.

A equipe de produção e direção formada por: Vicentini Gomez, Pedro Paulo Vicentini, Diaulas Ullysses, Hugo Caserta, Michel Vicentine, Claudemir Santana,  Rogério Leite e Noelle Nataly .

 Foto: Divulgação

Categorias
Música Notícias do Jornal

Todos os tons e sons de Sandra de Sá

 

São quatro décadas de carreira, muita história e muita música pra cantar É nessa pegada que acontece o “Sandra de Sá – Acústico”. Serão quatro apresentações em formato on-line (live), nos dias 19 e 26 de fevereiro,  05 e 12 de março, com transmissão no canal Verastar. O espetáculo do dia 26 de fevereiro trará ainda uma atração extra: um bate-papo e Sandra de Sá com o público. Uma afetuosa contrapartida cultural porque a cantora, apesar do berço humilde, realizou o sonho de  tornar-se uma artista conhecida  e sua trajetória pode ser incentivo àqueles que almejam realizar desejos que poderiam parecer inatingíveis.

Sandra  é um desses casos raros  que não encontram similares na música brasileira por conta de sua personalidade, potência vocal invejável, e timbre ímpar e inconfundível.  “Acústico”, o novo espetáculo,  foi concebido como um presente para o público que a acompanha desde a consagração conquistada no FESTIVAL MPB-80, da Rede Globo. Recheado de hits,  é uma viagem no tempo . No roteiro musical, canções como “Dançando com a vida”, “Sozinha”, “Vale Tudo”, “Olhos Coloridos”, “Bye, bye Tristeza”,  “Soul de Verão”.

“Sandra de Sá – Acústico” integra a chamada emergencial de Premiação nº 01/2020  “Retomada Cultural RJ” – Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (SECEC/RJ). E poderá ser visto pelo link: http://bit.Iy/VerastarProducoes.

Uma trajetória de sucesso

Cantora, compositora e instrumentista, Sandra não ultrapassou quatro décadas de sucesso por mero acaso. Vinda de uma família de músicos,  a artista ouvia de tudo na infância, adolescência, e frequentou alguns dos mais famosos bailes da periferia carioca. Esse mix de sons, ritmos e influências resultaram em uma obra única e apreciada por fãs de todas as idades, credos e cores. Do Brasil e exterior.

Aliás, De Sá,  que conquistou todas as principais premiações nacionais,sendo também indicada a um Grammy Latino. Ano passado, disputando com outros compositores célebres,  teve a honra de ver seu samba-enredo  campeão e de atravessar a Marquês de Sapucai  com a  Mocidade Independente de Padre Miguel, escola que homenageou Elza Soares.

Foto Raissa Forte

Categorias
TV & Famosos

Especial Adam Sandler é destaque na Fox Life

 

Nesta semana, a Fox Life explora toda a versatilidade de Adam Sandler em fazer o público rir e chorar, com uma seleção de filmes do ator em sua programação. Ainda dá tempo de curtir, nesta quinta-feira (18) e na sexta-feira (19), sempre a partir das 18h45, o “ESPECIAL ADAM SANDLER – O REI DA COMÉDIA”, que com obras de sucesso do astro hollywoodiano.

Claro que, além de muito conhecidos, os filmes de comédia contam com toda a veia humorística característica do artista, que conquista o público há anos! Entre os blockbusters de Sandler no especial, estão os clássicos “Como se Fosse a Primeira Vez” (2004), exibido na terça (16); “A Herança de Mr. Deeds” (2002), na quarta (17) e  “Tratamento de Choque” (2003), que rola amanhã, sexta (19), na telinha da Fox.

 

Quinta 18/02 – ESPANGLÊS (2004) – 10 anos.

SINOPSE: Uma doméstica mexicana, Flor Moreno (Paz Vega), decide partir para os Estados Unidos com a sua filha, Cristina Moreno, em busca de novas oportunidades. Ao chegar, começa a trabalhar na casa de uma rica família americana e vê a necessidade de aprender a falar inglês. Até que Flor se envolve com o patrão (Adam Sandler), após uma grande discussão entre ele e sua esposa Deborah Clarsky (Téa Leoni).

 

Sexta 19/02 – TRATAMENTO DE CHOQUE (2003) – 14 anos.

SINOPSE: Dave Buznik (Adam Sandler) é um pacato empresário que é condenado por um crime e sentenciado a realizar um tratamento para controlar seu temperamento. O encarregado de realizar este tratamento é o Dr. Buddy Rydell (Jack Nicholson), um louco psiquiatra que tem seus próprios problemas de temperamento e parece ser o único capaz de tirar Buznik do sério.

Foto: DIvulgação

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio tem cinco casos de infectados com novas variantes da Covid-19

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou entrevista coletiva, nesta quarta-feira (17), para esclarecer o que se sabe, até o momento, das novas variantes do coronavírus identificadas por exames realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em pacientes atendidos no Estado do Rio de Janeiro. São cinco casos confirmados, sendo um com a variante oriunda do Reino Unido e os outros quatro, com a variante de Manaus.

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, e a equipe da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES esclareceram que a chegada dessas mutações do vírus ao estado já era esperada e as investigações epidemiológicas dos cinco casos estão em andamento. Após a conclusão desse estudo, será possível afirmar se essas variantes estão ou não em circulação no Rio de Janeiro.

“ Fomos surpreendidos, na tarde desta terça-feira (16), com a informação na imprensa. O ideal é que uma nota técnica tivesse sido elaborada, envolvendo os três entes federativos, para o melhor esclarecimento a todos, e o repasse de informações precisas sobre a investigação epidemiológica destes casos. Contudo, o que importa é que a SES está trabalhando, de forma ética e técnica, e mantendo contato direto com os 92 municípios para intensificar as medidas preventivas e de rastreio de contágio. E reforço que a população deve manter os cuidados recomendados, como o uso de máscara e álcool 70, assim como o distanciamento social “, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Até o momento, foram identificadas no estado do Rio de Janeiro duas variantes: a VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7, notificada pelas autoridades do Reino Unido à Organização Mundial da Saúde; e a Variante P.1, linhagem B.1.1.28, considerada um tipo de mutação brasileira. Mundialmente, há outra variante em investigação, sem casos confirmados no estado.

“A chegada de variantes da Covid-19 já era esperada, inclusive, uma Nota Técnica sobre o tema já havia sido enviada aos municípios, no início do mês, com recomendações. O que precisa ser destacado é que não se pode ainda afirmar que os casos são autóctones (contraídos no próprio município) ou importados. Sendo assim, a identificação dessas mutações não pode ser associada com a transferência de pacientes de outros estados”, esclareceu o superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Mário Sérgio Ribeiro.

Estudos apontam que, neste momento, não há evidência científica de que as novas cepas identificadas no estado do Rio de Janeiro provoquem casos mais graves de Covid-19. No entanto, já se sabe que essas variantes se disseminam com maior facilidade.

“A avaliação de cada um dos casos de forma específica, abrangendo histórico de viagem e outras informações, vai possibilitar definir se temos a efetiva circulação do vírus no estado ou se são casos isolados. A partir disso, poderemos avaliar a adequação das ações, caso haja necessidade. A princípio, a mutação que deu origem à nova linhagem não interfere na eficácia das vacinas que estão sendo aplicadas na população, o que está sendo monitorado pelos fabricantes “, pontuou o médico da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) Alexandre Chieppe.

Em paralelo, o estado do Rio de Janeiro já participa de um programa de monitoramento de variantes da Covid-19, organizado pelo Ministério da Saúde. Há quatro semanas, tem sido feito o envio de amostras para análise – das 12 enviadas até o momento para o laboratório contratado em Minas Gerais, ainda não há resultados.

“ Também está em andamento o sequenciamento genético das amostras colhidas nos 58 pacientes oriundos do Amazonas e dos cinco vindos de Rondônia com Covid-19. Estamos atuando para que seja dada a esses pacientes a melhor assistência, minimizando riscos aos profissionais da saúde e à população fluminense”, disse a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES, Cláudia Mello.

Vacinação – Questionados sobre a campanha de vacinação, os secretários Carlos Alberto Chaves e Daniel Soranz confirmaram que as vacinas disponíveis para a segunda dose estão reservadas para serem utilizadas no tempo oportuno, completando o calendário vacinal das pessoas que já receberam a primeira dose do imunizante. Na sexta-feira (19.02), esses lotes começam a ser enviados aos 92 municípios do estado.

Não há notificação oficial do Ministério da Saúde quanto ao envio de nova remessa de vacinas para o Rio de Janeiro.

Fotos: Maurício Bazílio / SES GovRJ