Categorias
Cidade Rio Saúde

Vacinação nos supermercados: 180 estacionamentos em todo o estado poderão ser usados como pontos de vacinação.

Acordo de cooperação foi assinado nesta segunda (18) entre o Governo do Estado e as associações de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE)

A população do estado do Rio de Janeiro terá à disposição estacionamentos de supermercados para serem usados como pontos de vacinação. É o que garante o acordo de cooperação assinado entre o Governo do Estado e as associações de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), na manhã desta segunda-feira (18/01).
O secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, representou o governador em exercício Cláudio Castro durante o evento.

A Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) vai colocar à disposição do governo, por intermédio de seus associados, 180 estacionamentos em todo o estado para que possam ser usados como pontos de vacinação. Na capital, serão 110 locais.

– Supermercados fazem parte da vida de todo cidadão, e nossos associados irão disponibilizar esses espaços com o intuito de agilizar o processo de vacinação. Nós esperamos que, com isso, possamos contribuir para que os postos de saúde fiquem desafogados. A Secretaria de Saúde vai avaliar e definir os pontos que serão utilizados. Assim como estivemos com a população desde o início da pandemia, como serviço essencial, queremos estar neste cenário de vacinação também – garantiu o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz.

– Iniciamos a nossa ofensiva contra a Covid-19. O Rio de Janeiro está preparado para a campanha de vacinação, que começa hoje. O estado tem pronta uma grande logística de distribuição das vacinas para todos os municípios. O esquema foi colocado em prática neste sábado (16/01), com a distribuição de 5,5 milhões de seringas. Estamos garantindo um início de vacinação de forma igualitária a todos os cidadãos prioritários desta primeira fase – ressaltou Nicola Miccione.

Queiróz ressaltou toda a organização dos supermercados durante a pandemia para garantir o abastecimento da população, e que na fase de vacinação não será diferente.
– Não houve aglomeração nas nossas lojas, nem do lado de dentro, nem do lado de fora. O índice de contaminação foi baixíssimo. Firmamos o compromisso de colocar à disposição 180 lojas espalhadas por todo o estado do Rio de Janeiro para que possamos vacinar mais rapidamente a população – disse.
Categorias
Cidade Pelos Bairros Rio

Fim de ano: condomínios reforçam medidas de segurança com proximidade das festas

Diante da proximidade das festas de fim de ano e a determinação da Prefeitura do Rio de fechar áreas comuns de condomínios onde não são usadas máscaras, como saunas e piscinas, muitos condomínios vêm tomando medidas para reforçar as ações de segurança interna. Com o aumento dos casos de Covid-19 em todo o Estado do Rio de Janeiro, muitos condomínios já vinham aumentando as medidas restritivas de convívio interno. Segundo o coordenador Síndico da Cipa, Bruno Gouvêa, todos os protocolos de segurança foram reforçados.

Cada condomínio tem sua convenção interna própria, mas, de forma geral, reforçamos todas as ações de segurança sanitária. É um dever do síndico zelar pela saúde e segurança de todos os condôminos.

O representante da Cipa afirma que a principal arma do síndico é aprimorar a comunicação interna.

Precisamos, num momento crítico como este, orientar sempre. Explicar as medidas podem ajudar a evitar ou diminuir possíveis conflitos. O papel do síndico é o de encontrar uma saída razoável, buscando moderar possíveis argumentações distintas, mas tendo os fatos como princípios balizadores de qualquer decisão – afirma Gouvêia.
Categorias
Cidade Pelos Bairros Rio

Revitaliza Rio conclui recuperação do Parque da Catacumba e restauro do Portão Guinle

 

O projeto Revitaliza Rio entrega para a cidade do Rio de Janeiro o Parque da Catacumba, na Lagoa, totalmente renovado. Suas 32 esculturas foram restauradas e recuperadas, jardins refeitos e limpos, instalados parque infantil e academia para terceira idade, reforma da sede e novas placas de sinalização. No escopo do projeto, também o Portão do Parque Guinle passou por uma profunda restauração e será finalizado no final de dezembro.

O Revitaliza Rio é uma iniciativa da Carioca DNA e do ICCC, em parceria com a produtora Das Lima, com financiamento da iniciativa privada, através das leis federais e municipais de incentivo à cultura.

“Mesmo em um ano difícil, com todas as adversidades e condições impostas pela pandemia, conseguimos entregar um trabalho primoroso, fruto de muita dedicação e profissionalismo de todos os envolvidos. Esse projeto só foi possível com o apoio das leis de incentivo à cultura, instrumentos fundamentais para que iniciativas como essa sejam viabilizadas, e com o comprometimento das empresas patrocinadoras, que acreditaram na nossa proposta de reintegrar parte da história e do patrimônio cultural e devolver para a cidade equipamentos sustentáveis, preservando e valorizando o meio ambiente”, diz Luciana Levacov, da produtora Carioca DNA.

Ações no Parque da Catacumba:

·           Recuperação paisagística – primeira fase do projeto, o paisagismo foi iniciado em maio e envolveu o plantio de mudas de espécies nativas, a reconstituição das áreas verdes próximas aos locais destinados ao uso público, a recuperação do projeto original do gramado e a identificação das árvores frutíferas e das espécies naturais existentes no parque;

·           Restauro e sinalização de 32 obras de arte – destaque para obras emblemáticas, como “Estrutura”, de Sérgio Camargo, “Estrutura em Diagonal ou Flor de Cactos”, de Franz Weissmann, e “Medida do Tempo/Ampulheta”, de Frans Krajcberg. Após todo o processo técnico, executado pela Companhia de Restauro, as 32 esculturas receberam novas placas com legendas de identificação e, também, QR Code com informações aprofundadas sobre as obras e os seus autores, com textos assinados pela curadora e historiadora Vanda Klabin;

·          Instalação de Parque Infantil – nova área de lazer de 55m², próxima ao portão principal de entrada;

·          Instalação de Academia da Terceira Idade (ATI) – equipamentos passam a complementar as atividades já oferecidas a esse público no Pavilhão Victor Brecheret;

·          Reforma do Pavilhão Victor Brecheret – única edificação existente no parque, o Pavilhão tem projeto arquitetônico de Carlos Porto e Leila Beatriz Silveira, premiado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ);

·          Nova Sinalização – mapa geral das esculturas e novo conjunto de sinalização nas trilhas, auxiliando na segurança e localização dos visitantes e placas com informações e curiosidades sobre espécies da fauna e da flora nativas da Mata Atlântica presentes no local;

·          Reforma do Quiosque e do observatório no início da trilha;

·          Troca das madeiras do guarda-corpo da trilha;

·          Novo Mobiliário – o parque recebeu 39 bancos com alto padrão de qualidade, durabilidade e design.

“Com a recuperação do Parque da Catacumba e a instalação de novos atrativos para todas as idades, esperamos reconectar a comunidade ao parque e vê-lo reviver como importante referência em lazer e cultura. O Rio é uma cidade privilegiada e usufruir de espaços como esse, de estreito contato com a arte e a natureza, contribuem para melhorar a qualidade de vida e elevar a autoestima do carioca”, afirma Lilian Pieroni, da Carioca DNA.

Ações no Portão Guinle:

Em agosto, teve início o processo de restauração do Portão Guinle, com trabalho técnico executado pela Concrejato. O portal monumental histórico, pórtico de entrada do Parque Guinle, recanto verde localizado no bairro de Laranjeiras, zona sul da cidade,  foi fabricado na fundição Schwartz & Meurer, em Paris, e adquirido, em 1911, por Eduardo Guinle para ser o portal do palacete, construído entre 1910 e 1913, que servia como residência de sua tradicional família. Atualmente, o Palácio das Laranjeiras é a residência oficial do Governador do Estado do Rio de Janeiro.

Tombado pelo município do Rio de Janeiro em 2001, o portão possui estrutura em ferro fundido e os ornamentos, em formatos de folhas, flores e pináculos, são produzidos em bronze. “O belo do Portão Guinle é ser inteiramente vazado. Diferentemente de portões que impedem a visão do outro lado, o do Parque Guinle é aberto aos ventos e à vista, todo estruturado em hastes livres interligadas. Monumental e aconchegante, sua restauração é bem-vinda, pois o que se restaura, para além do portão, é a dignidade de uma cidade que deve, por meio de seus símbolos, sempre renovar a crença em si mesma. O Portão Guinle revive, na sua beleza inventada pelo homem, a beleza imensurável da natureza que o rodeia”, declara o jornalista e curador de arte Leonel Kaz, morador do Parque Guinle.

No Portão e no Parque Guinle, o Revitaliza Rio elaborou um projeto que incorporou:

·          Restauração total do portão, ornamentos e luminárias;

·          Restauração de duas estátuas de leões alados em ferro, produzidas pela fundição francesa Val d’Osne;

·          Restauração de duas estátuas de anjos em bronze montados em duas esfinges em mármore branco, reproduções da obra de Louis Lerambert, existentes no Jardim de Versalhes, na França;

·          Decapagem total em todos os elementos;

·          Substituição de peças que não permitiam restauro;

·          Reprodução de ornatos faltantes;

·          Reestruturação na base do portão;

·          Pintura do portão e seus elementos com tinta usada em cascos de navios, proporcionando uma melhor proteção e longevidade;

·          Conservação das duas grandes jardineiras que enfeitam o portão;

·          Sinalização de Trilhas no Parque Guinle – criação de sinalização com o objetivo de identificar dois tipos de atividades saudáveis ao ar livre: a trilha funcional, com possibilidade de exercícios em áreas com aclividade, escada e circuito em plena natureza; e a caminhada saudável no interior do parque, criando o Caminho das Aves e o Caminho das Plantas, que destacam elementos da fauna e da flora brasileira.

“É fundamental a participação da sociedade civil no dia a dia da cidade. Juntos, podemos transformar os espaços públicos e participar ativamente do desenvolvimento de todo o potencial do Rio, destacando suas riquezas naturais, históricas e culturais”, declara Renata Lima, diretora e produtora cultural da Das Lima.

Categorias
Cidade Destaque Rio Witzel

O Rio, “na corda bamba de sombrinha”.

Por Alessandro Monteiro

 São tantos os problemas, que fica difícil enumerar tamanha crise, que a cidade do Rio de Janeiro vem enfrentando. Entra ano, sai ano, muda governo, partido e tudo permanece favorável aquela meia dúzia que articula os esquemas da cidade. Ainda sobre a problemática dos hospitais de campanha, a corrupção levou mais de um bilhão de reais, o governo pagou 90% a mais por leito nos dois hospitais de campanha estaduais inaugurados e segue tudo na maior normalidade.

Na última semana, o IABAS se disse “vítima da falta de gestão e transparência das ações do Estado a respeito dos hospitais de campanha”, dá para acreditar? O secretário de Saúde em exercício, Alex Bousquet, autorizou a desativação dos hospitais de Nova Friburgo, na Região Serrana, e de Nova Iguaçu e Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que curiosamente nem chegaram a receber pacientes.

O valor somado e previsto em contrato para esses três hospitais chega a R$ 770 milhões, conforme acordo firmado entre a Secretaria de Saúde do Estado e a Organização Social Iabas. Meio a tudo isso, tivemos a soltura do ex-secretário de Saúde Edmar Santos, que na última quarta-feira (12), teve sua delação premiada homologada pelo STF.

O ex-secretário afirmou o envolvimento do governador Wilson Witzel, no esquema de desvio de dinheiro, que tenta a cada dia, uma nova estratégia para barrar seu pedido de impeachment negociando secretarias e uma lista infinita de cargos comissionados.  Uma lástima para o bolso do povo, vítimas da incompetência e falta de gestão e justiça. No entanto, é bem provável que Witzel caia ainda esta semana.

Já o prefeito Marcelo Crivella, continua com os olhos vendados para a crise na cidade e a grave situação dos hospitais. O foco agora é o tal aplicativo para reserva de vaga na praia. O que parece ser piada, é a mais pura verdade.

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) entrou com pedido esta semana, para que Crivella se torne inelegível até 2026. O processo trata especificamente do abuso político e religioso daquele caso em que o jargão era “Fala com a Márcia”, que na ocasião o prefeito pediu para que “irmãos” procurassem à servidora Márcia caso alguém tivesse “problema de catarata” ou varizes.

Em relação ao aplicativo, o prefeito já virou motivo de chacota nas ruas e meme de internet, desqualificando ainda mais o seu governo. Segundo Crivella, as pessoas poderão ocupar as demarcações com reservas feitas pelo aplicativo, que busca organizar a frequência dos banhistas. E quem não tem celular? Palhaçada, não acham? Como se fosse de fato funcionar como manda o figurino.

Porém, nada consegue intimidar ou conter os cariocas, que diariamente desrespeitam os decretos, lotando praias, bares, praças e realizando eventos na zona norte da cidade. Os flagrantes de aglomeração são diários e tendem a aumentar, com todas essas medidas de relaxamento da fase seis, que boa parte foi autorizada, mas pelos índices altos da Síndrome Gripal, ouros grupos aguardam liberação.

Mesmo alvo de um processo de impeachment, o governador Wilson Witzel ainda sonha com a Presidência da República (Foto: Reprodução)

Na quarta-feira (12), a cidade registrou 104 mortes diárias, um pouco mais de 14.300 óbitos no geral e quase 186.000 casos confirmados do novo coronavírus. Paralelo a isso, a crise só cresce na saúde, que por falta de pagamento de salário, medicação e condições mínimas para garantir a boa qualidade de vida da população, mantendo alguns hospitais parcialmente fechados sem atendimento ao público.

É fato, que os índices estão caindo fortemente, mas não é possível relaxar tanto e fazer vista grossa para os novos casos que poderão surgir, nesse vai e vem de informações e falta de gestão. A cidade que hoje tem, mas de 800 mil desempregados, 60 restaurantes que encerraram suas atividades e tantos outros que ainda lutam para manter as portas abertas.

Tanto dinheiro empregado, que poderia ser revertido em programas em apoio aos pequenos e médios empresários, escolas, creches, máscaras gratuitas, kits de higiene e por aí vamos agonizando durante esses 5 meses de pandemia.  Até o momento, as vendas do comércio ainda não conseguem emitir qualquer reação de melhoria. De acordo, com o Clube dos Diretores Lojistas do Rio, tudo parece andar na contramão da maioria das capitais do país.

Aldo Silva, presidente do CDL afirma que somente a união entre o poder público e as entidades de classe representativas do comércio e da sociedade podem salvar a crise que está somente no início. As demissões são diárias, a fome chega à mesa e como fica o chefe de família? Sem trabalho, não podendo contar com programas do governo e ainda de quarentena? Certamente tudo isso é um prato cheio para o crescimento da violência e a desigualdade social.

 

Operação na comunidade Boca da Lagoa, na Gardênia Azul, na Zona Oeste da cidade (Foto: Reprodução)

O que fica difícil analisar é a dificuldade na gestão do governo que venda os olhos para a expansão das milícias no território urbano, dominando bairros, ruas, famílias e cidadãos de bem, que são obrigados a o “pedágio”, do crime paralelo.

Bairros como Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá, Itanhangá e Engenho da Rainha, viraram quartéis da milícia carioca que clandestinamente constroem empreendimentos e condomínios ilegais.

Nem a pandemia, foi capaz de frear as obras, que denunciadas por moradores, permanecem em execução. Prédios com piscinas e saunas considerados de luxo para uma classe média assalariada que busca através da clandestinidade, realizar o sonho da casa própria.

Nessas regiões, também existem muitos edifícios inacabados, como gente morando sem chamar atenção, como estratégia de burlar a fiscalização e consequentemente, a fiscalização. Embora a prefeitura tenha realizado algumas ações nessas áreas, a coisa ainda segue “na flauta”, como dizem por aí.

No topo da cidade, o Cristo Redentor, de braços abertos, escolhido como um das maravilhas do mundo, a beleza do Píer Mauá dando boas-vindas aos turistas e as belas praias cariocas mundialmente desejadas por tantos, me lembram a música “Cartão Postal” de Cazuza, que numa das estrofes diz que “Tudo é tão simples que cabe num cartão postal, e se a história é de amor, não pode acabar