Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar Notícias do Jornal

A formação do cabelo (Parte 1)

 

Parte tão importante para a expressão da nossa identidade… Vamos entender como é o cabelo e como ele funciona e, para isso, é necessário entender a sua origem: como ele se forma, nasce, cresce, e assim conseguir saber porque ele é como é e aprender a lidar com isso da melhor forma possível, escolhendo com propriedade a melhor forma de cuidar dos nossos fios.

O cabelo é composto basicamente pela proteína queratina, que está presente numa concentração de aproximadamente 95%, além de água, minerais e outras substâncias. O cabelo é formado a partir dos folículos pilosos, que são invaginações da camada mais externa de nossa pele, a epiderme.

Acoplados ao folículo estão o músculo piloeretor, que têm a função de arrepiar os pelos e cabelos em situações em que a pele necessita de proteção, como em um ambiente frio; glândulas sebáceas, que excretam sebo para proteção e lubrificação da pele e couro cabeludo, e glândulas sudoríparas, que excretam o suor para regular a temperatura corporal. Tudo isso neste minúsculo duto por onde o cabelo nasce e cresce.

Na parte mais profunda do folículo piloso encontra-se a fábrica de cabelos, a matriz. Na matriz, alimentadas por capilares sanguíneos, as células que formarão o cabelo se multiplicam a todo o vapor, dentre elas células que fabricam principalmente queratina, que dará a estrutura do fio. E outras, os melanócitos, que fabricam principalmente a melanina, que dará a coloração natural do cabelo.

Nesta fase, o cabelo ainda tem a consistência de uma geleia até que, em determinado momento, avançando em direção à abertura do couro cabeludo, mas ainda no interior do folículo piloso, as células comprimem-se entre si queratinizando-se, adotando a consistência do cabelo totalmente pronto e assumindo suas características organizacionais e comportamentais

A partir deste ponto, as células antes vivas e em atividade, desidratam-se e morrem e o que permanece são somente suas carcaças recheadas de queratina. Com isso, o fio de cabelo já possui suas principais subdivisões: a cutícula, o córtex e a medula. A cutícula, parte mais externa do fio, é formada por células queratinizadas de alto grau de resistência e dureza, tendo a função de proteger o córtex dos agentes externos como o sol, vento, atrito, calor, etc.. Estas células ficam sobrepostas umas sobre as outras, de forma muito semelhante com escamas de peixe, tendo entre três e oito camadas de células envolvendo cada fio de cabelo. Por estarem dispostas em escamas, as cutículas proporcionam à estrutura do cabelo alta flexibilidade nos movimentos do fio.

O sentido ao qual estão dispostas as escamas parte do couro cabeludo às pontas dos fios, ou seja, a abertura das cutículas está disposta na direção das pontas dos fios. É por isso que não é recomendado fazer qualquer movimento que não seja neste sentido, podendo ter como resultado disso a abertura e danificação desta importante estrutura, expondo o interior do fio deixando-o mais vulnerável.

Foto: Pixabay

Helainy de Araújo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Colunas Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como cuidar dos cabelos na menopausa?

A menopausa traz muitas mudanças na vida mulher. Vamos entender como cuidar das madeixas, bem como do seu couro cabeludo. Ambos sofrem muito nesse período.

O seu couro cabeludo está ligado à sua produção de hormônios. Portanto, ele irá sentir a confusão hormonal que está acontecendo em você. Por conta da produção de hormônios estar sendo afetada, os fios capilares param de receber os nutrientes na medida certa. E,  por mais temível que isto possa parecer, os fios brancos aparecem por conta da produção hormonal. A melanina dá cor à pele e aos pelos, e sim, ela é afetada pela menopausa! Portanto, é normal seu cabelo ficar grisalho.

Como as pessoas não são todas iguais, os produtos indicados para diminuir os sintomas da menopausa no seu cabelo e couro cabeludo devem ser específicos “para você”, pois alguns produtos que são bons para alguém podem não funcionar para você, podendo até piorar a situação do seu cabelo.

O correto é ter calma e buscar informações precisas sobre qual produto seria bom para você.

Buscar vitaminas nesta fase é algo muito importante. A “fabricação” de nutrientes do seu corpo está sendo afetada durante a menopausa, o que significa que você precisa de vitaminas e minerais para que ela se estabilize. As vitaminas indicadas são a A, B, C e E, que podem ser consumidas em cápsulas ou, melhor ainda, em alimentos saudáveis!

A vitamina A, conhecida também como retinol, é essencial para a produção de colágeno, para o crescimento e outros fatores. Ela também traz benefícios `a pele, e claro, para o seu cabelo;

As vitaminas do complexo B: B1, B2, B3 etc. são importantes para regular o gasto de energia do corpo, dar proteínas ao corpo e para a produção de anticorpos;

A vitamina C combate o envelhecimento natural da pele. Isso ocorre por conta do colágeno que ela produz;

Por fim, a vitamina E age como um antioxidante e é de grande ajuda na produção hormonal, justamente o ponto que é afetado na menopausa.

Lembre-se: o seu cabelo está “indefeso” nesse período. Você tem que ajudá-lo defendendo-o de determinados ambientes. O cloro da piscina, o sal marinho e até mesmo a exposição à luz solar atingem seus cabelos de forma mais agressiva durante a menopausa. A radiação ultravioleta, ou mesmo o calor, podem interferir em toda a química do seu cabelo.

A verdade é que eventuais danos podem ser amenizados com uso de leave-ins que contenham filtro solar e proteção contra o cloro e água do mar. Tais produtos permitem que você não abra mão de aproveitar o sol, o mar e a piscina, e, ao mesmo tempo, proteja seus fios.

Foto: Pixabay

HELAINY ARAUJO DEVOS

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Colunas Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como Pentear os Cabelos Corretamente?

Parece algo muito trivial, pois pentear os cabelos é algo que fazemos todos os dias, mas, por ser um ato simples, fazemos de forma quase automática, sem pensar. Você sabia que não pentear os cabelos da forma correta pode comprometer a saúde dos fios?

A escovação não serve somente para desembaraçar os cabelos, mas também para levar a oleosidade natural da raiz para a extensão dos fios até as pontas, ou seja, pentear o cabelo também nutre as pontas dos cabelos!

Um cuidado importante é a forma de pentear os cabelos quando estão molhados, pois é o estado em que os fios ficam mais vulneráveis. Com os cabelos úmidos, o atrito do pente com a umidade dos fios pode provocar muita quebra, já que os fios estão mais elásticos. Para evitar isso, o ideal é pentear os fios com o auxílio de um leave-in ou creme para pentear.

A escolha da escova e do pente também é fundamental para evitar quebras, diminuir e evitar o frizz e ajudar a manter a forma dos cabelos.

Feita para cabelos crespos, a escova tangle desembaraça os fios e aumenta o volume dos crespos, respeitando a textura e forma natural do cabelo sem quebrar.

A escova raquete é de plástico com bolinhas na ponta, com formato oval ou retangular. Ideal para pentear e desembaraçar todos os tipos de cabelo, principalmente os ondulados. Com cerdas largas é um curinga que dá certo em quase todas as texturas de cabelos, diminui a quebra dos fios, abrange mechas grossas e é ideal para quem tem muito cabelo.

O pente fino serve apenas para cabelos super lisos e finos, e é raramente é uma boa escolha para as brasileiras, já que a estrutura natural de nossos cabelos não favorece o uso deste tipo de pente.

O pente de madeira promove reais benefícios para as madeixas, tanto lisas quando cacheadas, e possui inúmeros benefícios! Absorve a oleosidade natural dos fios e as devolve para a extensão dos cabelos quando escovados, desembaraça sem quebrar os fios, diminui o frizz, proporciona mais brilho aos fios e evita as pontas duplas.

Para pentear bem cabelos lisos e ondulados, devemos seguir estas regrinhas: Se o cabelo é médio ou longo, divida-o em duas partes; Comece desembaraçando as pontas e penteie os fios de cima para baixo, estimulando a circulação sanguínea do couro cabeludo;

Os cabelos crespos e cacheados devem ser penteados da seguinte forma: O ideal é que o desembaraço seja feito com os cabelos ainda úmidos, sempre com delicadeza e de baixo para cima, com leave-in em mãos; No dia seguinte à lavagem, o ideal é somente desembaraçar os cabelos com os dedos e umidificador de cachos.

Existem diversas opções de escovas, das mais em conta às mais caras e é um investimento necessário para manter qualquer cabelo saudável.

 

Helainy Araujo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Disfunções Hormonais e a Perda de Cabelo

As causas hormonais da queda de cabelo merecem atenção especial na mulher. Muitas não percebem, mas a queda de cabelo pode ocorrer após o parto ou após a interrupção de contraceptivos orais. É importante lembrar que a queda de cabelo iniciada após uma alteração do estado hormonal, leva de 3 a 6 meses para que os fios voltem a nascer.

Mulheres na perimenopausa e menopausa com diminuição da produção de estrogênio ovariano, também podem apresentar queda de cabelo difusa, geralmente mais proeminente na parte superior do cabeça com recessão bitemporal.

Uma fina tira de cabelo na linha anterior do couro cabeludo é geralmente poupado. A obtenção de um nível de hormônio folículo estimulante (FSH) pode auxiliar a determinar se a paciente está na menopausa.

No entanto, muitas mulheres vão começar experimentar perda de cabelo significativa, mesmo que o nível de FSH ainda esteja dentro da faixa normal. Neste caso, ainda é vantajoso iniciar a terapia de reposição hormonal estrogênica, desde que haja outros sintomas da menopausa, como menstruação irregular, calor, flashes, suores noturnos, fadiga, depressão, alterações de humor, crises de choro, etc.

A precoce terapia de reposição hormonal pode prevenir mais perdas, mas não demonstrou promover o crescimento de novos fios. Outros tratamentos, com tônicos e medicamentos orais podem ser eficazes.

Por último, é importante descartar quaisquer anomalias hormonais, como irregularidade da menstruação, a presença de problemas de infertilidade, que podem demonstrar insuficiência hormonal ovariana ou a presença de excesso de andrógenos endógenos.

Ingerir esteróides orais com efeitos androgênicos, muito comuns em praticantes de halterofilismo, também causa significativa perda capilar. Assim como, a terapia de reposição hormonal que inclui testosterona, que pode tratar problemas de disfunção sexual na menopausa, mas infelizmente esta suplementação pode causar o início da queda de cabelo em mulheres suscetíveis.

 

Helainy Araujo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Queda Capilar e Tratamento com Laser

A queda capilar é um dos maiores problemas que fazem lotar as clínicas dos dermatologistas e terapeutas capilares atualmente.

E essa preocupação faz todo sentido quando sabemos que adquirimos os folículos pilosos quando ainda somos um feto de 22 semanas, e não há formação de novos folículos ao longo da vida. O ciclo de vida do cabelo começa com o folículo vazio, em seguida passa pelas fases de crescimento, repouso e queda, retornando novamente ao folículo vazio. As fases acontecem simultaneamente e ao mesmo tempo, o que significa que neste exato momento você tem alguns fios crescendo e outros caindo.

A fase de crescimento dos fios (fase anágena) dura em média de 2 a 8 anos e o tempo de duração desta fase irá determinar o comprimento final dos cabelos. O repouso (fase catágena), dura em média de 2 a 3 semanas, nesta fase o fio deixa de crescer e a bainha (parte do folículo responsável por ejetar o fio para fora) começa a atrofiar. A fase de queda (fase telógena) compreende a atrofia do bulbo até o desprendimento do fio e dura em média 3 meses. De 9% a 19% dos fios encontram-se nesta fase.

Alterações na proporção de fios anágenos e telógenos levam a formação de alopecias. A alopecia mais comum é a alopecia androgenética (AAG), popularmente conhecida como calvície. Esta alopecia pode acometer homens e mulheres, sendo mais comum em homens. Geralmente a AAG tem início após a adolescência, costuma se agravar entre 18 a 30 anos e se estabilizar por volta dos 40 anos.

Atualmente os únicos medicamentos aprovados pelo FDA (Food and Drug Administration) como tratamento para AAG são o minoxidil e a finasterida. O Laser de baixa potência é o único dispositivo reconhecido pelo FDA para tratamento de AAG.

O laser de baixa potência (LBI) parece modular a liberação da enzima 5-α-redutase e favorecer a liberação de fator de crescimento endotelial vascular, os quais possuem importante papel no crescimento do folículo piloso. Além disso, o laser é capaz de aumentar a síntese de ATP celular, melhorar a oxigenação e a vasodilatação no couro cabeludo, o que pode fornecer excelentes resultados ao ser associado ao uso tópico de minoxidil.

A terapia com LBI vermelho para tratamento de alopecia androgenética pode ser realizada semanalmente, com doses aplicadas de forma específica e direcionada por dermatologistas e terapeutas capilares, que são os profissionais habilitados para realizarem este tipo de procedimento.

Os estudos realizados demonstram aumento na contagem total de fios em um período de 16 a 26 semanas de tratamento. Em alguns casos o LBI pode ser utilizado até 3 vezes por semana, sendo, sem dúvida, bastante eficaz no combate à calvície.

Helainy Araujo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Porosidade Capilar

Essencialmente, a porosidade do cabelo é a capacidade do seu cabelo de absorver e reter a umidade e os tratamentos que fazemos. Por isso, a porosidade do cabelo afeta o quanto os óleos, as máscaras e a umidade penetram e saem da camada mais externa do seu cabelo, conhecida como cutícula. A porosidade do cabelo é normalmente dividida em três grandes categorias: baixa porosidade, onde as cutículas estão muito próximas umas das outras, porosidade média onde as cutículas são menos firmemente ligadas e alta porosidade, com cutículas que são mais espaçadas.

Para entender o conceito de porosidade do cabelo, é importante conhecer um pouco da estrutura do cabelo, que consiste em três camadas. Essas camadas incluem: cutícula, que é a camada externa protetora e resistente do seu cabelo; o córtex, que é a camada mais espessa do seu cabelo, contém proteínas fibrosas e o pigmento que dá cor ao seu cabelo; e a medula que é a parte central e macia da haste capilar.

Para que seu cabelo fique saudável e hidratado, água, óleos e outros produtos hidratantes precisam passar pela cutícula para chegar ao córtex. Mas, se as cutículas estiverem muito próximas, não é fácil a água e os tratamentos penetrarem nos cabelos. Isso pode dificultar o seu cabelo obter a umidade necessária. Além disso, se as cutículas estiverem muito espaçadas, o cabelo terá mais dificuldade em reter a umidade e permanecer hidratado.

Como o cabelo absorve e retém a umidade se deve em grande parte à genética, porém o uso de ferramentas térmicas, a descoloração, o alisamento, a lavagem excessiva e o uso de produtos agressivos podem danificar o cabelo ao longo do tempo. Isso pode fazer com que as cutículas do cabelo fiquem levantadas e abertas, o que pode dificultar a retenção de umidade.

Com cabelos de baixa porosidade, as cutículas são bem compactadas e muito próximas umas das outras. Isso dificulta a penetração de umidade no eixo do cabelo. Você pode ter cabelos com baixa porosidade se os produtos para o cabelo tendem a ter dificuldade de penetrar no cabelo, e ao lavar leva muito tempo para o seu cabelo secar ao ar livre.

Com cabelos de porosidade média, as cutículas não estão muito próximas umas das outras, mas também não são muito abertas. Isso permite que a umidade penetre facilitando a retenção de umidade por um longo período. Você pode ter cabelos de porosidade média se seu cabelo: é fácil de pentear, mantém bem a cor, tende a parecer saudável, brilhante ou não demora muito para o seu cabelo secar ao ar livre.

Cabelos de alta porosidade permitem que a umidade seja absorvida facilmente no eixo do cabelo, mas não tem capacidade de retenção por muito tempo. Isso ocorre porque as cutículas tendem a ter a estar dilatadas. Você pode ter cabelos com alta porosidade se a água e outros produtos hidratantes são rapidamente absorvidos pelo cabelo, porém perdem a hidratação rapidamente e seca rapidamente ao ar livre.

Para cabelos com baixa porosidade, aplique condicionador nos cabelos já molhados, pois a diluição do condicionador pode facilitar a absorção pelo cabelo e evite produtos com óleos, pois estes tendem a ter mais dificuldade em penetrar na cutícula. Para cabelos com alta porosidade, procure ingredientes como manteigas e óleos em xampus e condicionadores e máscaras, e use sempre condicionadores para selar as cutículas.

Helainy Araujo Devos

Consultora de produtos capilares

www.saudecapilar.vip

[email protected]

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Água dura e seus efeitos nos cabelos

Se você já sentiu que, não importa o quanto hidrate o cabelo, ele não reage, ou a hidratação não dura até a próxima lavagem, a água dura pode ser a culpada.

Algo acontece quando você sai de férias, principalmente se sua viagem for para regiões diferentes do planeta: seu cabelo muda! Já percebeu? Mas como isso acontece, se você continua usando os mesmos produtos? Há algo na água.

O excesso de calcário na água, assim como acontece na maioria dos países europeus, pode causar estragos na pele e no cabelo.

Do eczema exacerbado aos cabelos opacos e ‘sem vida’, a água dura pode ser a culpada por uma infinidade de problemas de beleza.

Mas o que é água dura?

É a qualidade mineral que afeta a dureza. A presença de calcário e giz deixa depósitos de cálcio e magnésio. Por outro lado, a água macia é praticamente livre de minerais ─ como a chuva que cai, por exemplo.

Alguns são os sinais reveladores da água dura: o sabão não ensaboa o suficiente; suas roupas parecem ásperas ao toque; um aumento de resíduos nas torneiras; e uma espécie de ‘filme’ nas portas do chuveiro ou banheiras.

Como a água dura afeta seu cabelo?

Se você está lutando contra um couro cabeludo escamoso e irritado e cabelos sem brilho e sem vida, o seu banho diário pode ser o culpado. Seu couro cabeludo é apenas pele ─ ele precisa de tanta hidratação quanto o resto do corpo. As pessoas geralmente condicionam os comprimentos de seus cabelos, mas o couro cabeludo não recebe o mesmo alimento, o que faz a secura realmente algo comum. Além disso, a porosidade do cabelo e a barreira física que ele cria no couro cabeludo significam que a água dura fica ‘presa’ um pouco, deixando minerais lá.

A água dura pode irritar até o couro cabeludo mais oleoso. Mesmo que você acha que tem cabelos muito finos que precisam ser lavados diariamente para evitar a aparência oleosa, a água dura pode secar o couro cabeludo até o ponto em que fica desidratado e ainda mais oleoso. Da mesma forma, se o seu couro cabeludo já estiver ligeiramente seco, a água dura poderá ressecá-lo ainda mais e causar descamação. Água dura também corrói a elasticidade do cabelo e deixa o cabelo muito áspero, pois levanta a cutícula.

A melhor opção para reverter o dano, é usar uma máscara própria para o couro cabeludo semanalmente. Para ajudar a remover quaisquer vestígios minerais, usar um xampu suave e depois termine com um tônico de couro cabeludo para hidratar e acalmar.

Se você deseja suavizar a água permanentemente e proteger toda a sua casa, recomendo que um profissional encaixe em um sistema de filtragem onde a água entra em sua residência, o que talvez seja muito oneroso. Por outro lado, existem algumas opções de solução rápida, como a instalação de filtros de água de carvão ativado diretamente sob uma torneira ou dentro do chuveiro.

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Massagem no couro cabeludo

Além de muito satisfatória, causando bem-estar, a massagem no couro cabeludo é bastante indicada, pois os dois requisitos básicos para um couro cabeludo saudável são limpeza e estímulo.

Os tratamentos feitos no couro cabeludo devem ser feitos em movimentos contínuos e uniformes, que estimularão o couro cabeludo e ajudarão no relaxamento durante o ritual de higienização dos cabelos.

Importante saber que, caso o couro cabeludo esteja muito sensível ou com ferimentos, a massagem pode não ser indicada.

Tratamentos e massagens no couro cabeludo podem ser realizados antes da lavagem, com produtos específicos para o couro cabeludo seco, ou durante a lavagem − após o condicionador ter sido aplicado aos cabelos − para relaxamento.

A diferença entre uma massagem de “relaxamento” e de “tratamento” tem a ver com os produtos utilizados. Assim, para um ritual de relaxamento, praticamente qualquer condicionador pode ser usado para criar uma experiência agradável durante o banho.

Não importa o tipo e a indicação da massagem: ela deve ser feita com as pontas dos dedos, nunca com as unhas!

A finalidade de um tratamento geral do couro cabeludo é mantê-lo, bem como o cabelo, em condições limpas e saudáveis. E, para que qualquer tratamento seja eficaz, o couro cabeludo deve ser previamente examinado.

Nunca esqueçam que para ter cabelos bonitos, fortes e saudáveis, o couro cabeludo deve estar fortalecido, limpo e estimulado.

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

A função fisiológica do cabelo

Para nossos ancestrais primitivos, o cabelo possuía função de aquecimento e proteção do corpo. Hoje, mesmo que o cabelo não seja mais necessário à nossa sobrevivência, ele ainda exerce enorme impacto psicológico sobre nós.

Na década de 1960, o comprimento do cabelo era uma questão de afirmação social e política, não só de modismo. Algumas religiões insistem na ausência completa dos cabelos, enquanto outras proíbem que ele seja cortado. Em algumas civilizações da antiguidade, o cabelo era um símbolo de poder, enquanto em outras era considerado sinônimo de sabedoria. Na Bíblia, o cabelo de Sansão o transformava no homem mais forte da Terra, e tê-lo cortado foi sua ruína. No Japão, nos primórdios de sua cultura, a importância do cabelo para as mulheres era enorme, pois acreditavam que a imortalidade do espírito feminino estava nele.

Na atualidade, as práticas e representações do cabelo estão profundamente enraizadas em todas as culturas do planeta.

Foram os gregos que fizeram os primeiros registros sobre estudos de crescimento dos cabelos. O filósofo Aristóteles percebeu que os eunucos ─ homens ou meninos sem testículos ou genitália externa ─ não ficavam carecas. Alguns séculos depois, o imperador Júlio César ordenou que o Senado Romano permitisse que ele usasse sua coroa de louros o tempo todo para esconder sua calvície.

Seja antigamente, seja nos dias atuais, o cabelo tem enorme importância social e faz parte da formação da nossa identidade visual. Nossa imagem depende muito do formato, comprimento e da forma que tratamos o nosso cabelo. Por isso, cuidar da higiene do nosso couro cabeludo, bem como dos fios, nos traz saúde, bem-estar e é imperioso na formação da nossa autoestima.

Categorias
Helainy Araujo | Saúde Capilar

Como manusear sua máscara capilar

Quando o assunto é cuidados com o cabelo, uma dúvida permanece: podemos colocar a mão diretamente dentro do pote de creme no momento de retirar o produto?

Muitos argumentam que não se deve nunca colocar a mão no pote da máscara, creme de pentear e demais produtos, pois as bactérias do corpo alteram a fórmula do produto, comprometendo o resultado. Será que é isso é verdade?

Ao contrário do que se possa imaginar, atualmente, devido às inovações e tecnologia da indústria cosmética, essa não é uma preocupação necessária. A maioria dos produtos leva em suas fórmulas conservantes dos mais diversos tipos, que ajudam o produto a não “estragar”, ou seja, não perder sua textura, odor e a potência de seus ativos, fazendo com que o produto também não perca sua eficácia e seu poder de ação.

Além disso, há uma preocupação da moderna indústria cosmética no sentido de que seus produtos sejam desenvolvidos para que o cliente tenha uma experiência positiva, um sensorial agradável e um resultado esperado, sem precisar se preocupar com a forma que manuseia o pote de creme.

Alguns sites e blogs sobre o assunto informam que devemos “lavar bem as mãos antes de manusear os produtos de cabelo”, porém não há razão para se preocupar tanto com isso. A higiene sempre será vantajosa, mas os ingredientes dos produtos já são pensados para garantir que você possa usá-los com segurança, pois, como foi dito anteriormente, a indústria cosmética dispõe de eficientes conservantes, que fornecem aos produtos a garantia de eficácia durante todo período de validade dos mesmos.

O mercado dispõe de vários modelos e formas de embalagens, sendo algumas preferidas dos consumidores, pela praticidade na manipulação do conteúdo, sem que haja necessidade de colocar a mão diretamente dentro da embalagem.

Um exemplo disto são as bisnagas e os tubos com pumps, onde o produto é retirado deslizando por uma abertura que evita o contato das mãos dentro da embalagem. Alguns ainda se incomodam em colocar as mãos “dentro do pote”, por isso as bisnagas e embalagens com pumps são boas opções para evitar o contato direto com o produto ainda não utilizado.

Apesar da tecnologia de conservação aplicada aos produtos, é importante ressaltar que é bom que não se coloque a mão “molhada” dentro do pote de creme, já que a água pode alterar a fórmula. Mas, caso se sinta mais confortável em manusear o produto com uma espátula ou colher, lembre de nunca usar de metal, pois oxida o produto, devendo utilizar uma com material plástico.