Categorias
Destaque Rio Saúde

Prefeitura do Rio recebe vacinas na cidade e inicia vacinação no Hospital Ronaldo Gazolla

Prefeitura do Rio Recebe Vacinas na cidade.

Primeiro lote será distribuído para vacinação imediata.

A Secretaria Municipal de Saúde recebe nesta terça-feira, com previsão de chegada às 11h o primeiro lote de vacinas contra o coronavírus. O carregamento chegará na Central de Logística da Secretaria e será distribuído às instituições e unidades de saúde onde a vacinação será iniciada imediatamente.

Prefeitura inicia vacinação no Hospital Ronaldo Gazolla

Profissionais da unidade começam a ser imunizados nesta terça-feira contra a covid-19.

A Secretaria Municipal de Saúde dá início nesta terça-feira, às 14h, à vacinação contra o coronavírus para os profissionais do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. A unidade é a principal referência da rede municipal para o tratamento da covid-19, com 380 leitos, e conta com mais de mil funcionários da área assistencial, fora o pessoal de apoio, como maqueiros, administrativos e limpeza.

A técnica de enfermagem Dulcinéia da Silva Lopes, de 59 anos, que foi a primeira pessoa a tomar a vacina no Rio, aos pés do Cristo Redentor, é profissional da unidade.

Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio começa a vacinação contra a Covid-19 aos pés do Cristo Redentor

 

Por Claudia Mastrange

O Rio de Janeiro deu início, nesta segunda-feira , 18 de janeiro à campanha de vacinação contra a Covid-19. Uma cerimônia no Cristo Redentor marcou o começo da imunização da população fluminense. Duas mulheres, Terezinha Conceição, de 80 anos e moradora do Abrigo Cristo Redentor; e Dulcinea da Silva Lopes, de 59 anos e profissional de saúde que atua na linha de frente no combate à pandemia, foram as escolhidas para tomar a primeira dose da vacina.

Ducinea foi a primeira. “Fiquei muito emocionada por ser escolhida e pela vacinação ter acontecido no Cristo Redentor, um lugar tão simbólico para o Rio. Não tive reação nenhuma, estou ótima , muito feliz e só recomendo a todos que sigam se prevenindo, se cuidando até que todos possam tomar a vacina”, declarou ela em entrevista, na manhã desta terça-feira (19), um dia após viver o momento histórico.

A técnica de enfermagem, Dulcinea: a emoção de ser a primeira vacinada, no RIo

Vinte caixas – cada uma com 1.200 doses da vacina CoronaVac – chegaram na tarde de ontem e o restante do que foi prometido pelo Ministério da Saúde chegou ao Rio para esta primeira fase de imunização na madrugada desta terça-feira  e já está sendo encaminhado de helicóptero para os 92 municípios de estado do Rio.

“É muito singular começar a vacinação no Cristo Redentor, que representa a paz, o amor e a vida. Hoje cedo fui a São Paulo e me reuni com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e mais 15 governadores para reiterar que o plano de imunização é nacional. Cada brasileiro importa igualmente ao outro. Essa é a primeira etapa, ainda pequena, mas ao final dela o Brasil estará entre os cinco países que mais vacinaram no mundo. Este é o início da virada no Rio de Janeiro”, declarou o governador em exercício Cláudio Castro, durante o evento.

Eduardo Paes: “ A vacina é uma luz no fim do túnel”

Cinco cidades receberão o maior número de vacinas nesta primeira fase – Rio de Janeiro (capital), com 231.840 doses; São Gonçalo, 27.590; Niterói, com 23.240; Nova Iguaçu, 14.930; e São João de Meriti, 14.870. “A vacina é uma luz no fim do túnel para todos nós e, sem dúvida, nos trará grandes resultados. O Governo do Estado coordena a ação de todos os municípios e, ao mesmo tempo, apoia a logística. Se não fosse a preparação do Governo do Estado, nós, por exemplo, não teríamos a quantidade necessária de seringas para a vacinação”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

Nesta primeira fase, serão priorizados os trabalhadores de saúde, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, as pessoas com deficiência que vivem em residências Inclusivas e a população indígena.

Distribuição aos municípios

Logo no início da manhã desta terça-feira (19) começou a distribuição simultânea e proporcional aos 92 municípios do estado. Antes, as vacinas serão catalogadas no Centro de Distribuição da Secretaria de Estado de Saúde, em Niterói. Na sequência, carros, caminhões e vans serão utilizados na logística de distribuição às cidades. A operação terá também o apoio de cinco helicópteros do estado (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros) para que a vacina chegue até as mais distantes cidades no menor tempo possível.

Pontos de vacinação e insumos

Toda a preparação para a vacinação no Rio de Janeiro está pronta. Foram definidos 1,5 mil postos de saúde e clínicas da família que devem participar da imunização. A Secretaria de Estado de Saúde pode abrir mais 3 mil pontos de apoio, utilizando espaços de escolas, supermercados, shoppings e quartéis do Corpo de Bombeiros.

Durante o fim de semana, o Governo do Estado realizou a distribuição de seringas para os municípios fluminenses. No sábado (16) foram enviadas 3.346.800 seringas com agulha para 30 cidades. Domingo (17), outras 115.500 seringas descartáveis de 3 ml com agulha foram encaminhadas para outros 19 municípios. Ao todo, nesta primeira fase, a SES enviou 5,5 milhões de kits para todo o estado. Uma mega-operação, com apoio da Polícia Militar, foi montada para realizar a distribuição do material para todas as regiões fluminenses.

Fotos: Eliane Carvalho

Categorias
Destaque Rio

Rio inicia hoje vacinação contra a Covid-19, no Cristo Redentor

 

Por Claudia Mastrange

Chega ao Rio, a partir das 13 horas desta segunda-feira, 18 de janeiro, um lote de 590 mil vacinas Coronavac para o início da vacinação contra a Covid-19 no estado. A notícia foi dada pelo governador em exercício, Claudio Castro, em entrevista ao telejornal Bom Dia Rio, minutos antes da solenidade de recebimento das doses, em São Paulo.  Com isso, o governo anunciou que o inicia a hoje às 17h, a vacinação contra a Covid-19, no Cristo Redentor.

A respeito do primeiro lote, Claudio Castro informou: “Profissionais da saúde e idosos com mais de 85 anos serão os primeiros vacinados. Vamos dividir o lote em dois, para garantir que as pessoas dessa primeira fase de vacinação recebam as duas doses, no intervalo de 28 dias recomendado. Até porque não temos ainda a data de recebimento do segundo lote. As vacinas serão distribuídas para os 92 municípios e cada prefeitura terá sua logística. Amanhã (terça-feira, 19) já estarão recebendo e podem iniciar a vacinação”.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, que prevê a distribuição de vacinas contra a Covid-19 para todos os estados do País. O PNI, que há mais de 45 anos é o responsável pelas campanhas de vacinação brasileira, acontecerá inicialmente em quatro fases, obedecendo a critérios logísticos de recebimento e distribuição das doses.

A primeira fase prioriza os trabalhadores de saúde, a população idosa a partir de 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência e população indígena. A segunda fase inclui pessoas de 60 a 74 anos. A terceira fase prevê a vacinação de pessoas com comorbidades. A quarta fase abrangerá professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade.

“A vacinação é o início do processo que vai nos devolver uma vida parecida com a que tínhamos antes dessa pandemia. Mas não podemos descuidar dos cuidados com a prevenção, o uso de máscara, o distanciamento e a higiene das mãos”, alerta o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Toda a preparação para a vacinação no Rio de Janeiro está pronta. Foram definidos 1,5 mil postos de saúde e clínicas da família que devem participar da imunização. A Secretaria Estadual de Saúde pode abrir mais 3 mil pontos de apoio, utilizando espaços de escolas, supermercados, shoppings e quartéis dos Bombeiros.

Neste domingo, a SES realizou o segundo dia de distribuição de seringas para os municípios fluminenses. Ontem, foram enviados 3.346.800 de seringas com agulha para 30 cidades. Hoje, foram distribuídas 115.500 seringas descartáveis de 3ml com agulha para outros 19 municípios. Ao todo, nesta primeira fase, a SES enviará 5,5 milhões de kits para todo o Estado. Uma mega-operação, com apoio da Polícia Militar,  foi montada para realizar a distribuição do material  para todas as regiões fluminenses.

.As equipes técnicas da Secretaria de Estado de Saúde e dos municípios estão capacitadas para o monitoramento e terão o apoio do grupo técnico já constituído pela subsecretaria de Vigilância em Saúde.

“A população-alvo para vacinação pode e precisa acreditar na importância deste momento, após avaliação criteriosa realizada pela Anvisa, definindo a segurança de ambas. Os dois imunizantes trarão diminuição de casos no enfrentamento à doença. A vacinação aumentará a proteção individual e coletiva da população – avalia a subsecretária de Vigilância em Saúde, Cláudia Mello”.

(Atualizada às 9:10)

Foto: ABr.

 

Categorias
Destaque

Começa a vacinação contra a Covid-19 no Brasil

 

Por Claudia Mastrange

Chegou o tão esperado momento! Começou a vacinação no Brasil. No inicio da tarde deste domingo, 17 de janeiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), aprovou por unanimidade o uso emergencial de duas vacinas  contra a Covid-19: a Coronavac, já disponível no Brasil, e produzida pelo Instituto Butantan, de São Paulo, em parceira com o laboratório Sinovac, da China. E também a vacina de Oxford, feita em parceria com o laboratório AstraZeneca, e, que será produzida pela Fiocruz, no Rio de Janeiro.

A primeira brasileira vacinada contra o coronavírus é Mônica Calazans, 54, enfermeira da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Nesse primeiro dia de campanha, profissionais de saúde de hospitais de referência no combate à pandemia e integrantes de populações indígenas começaram a ser vacinados em uma sala dedicada do Complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

“Hoje é um dia muito especial para milhões de brasileiros que estão sofrendo com a COVID-19 em hospitais, centros de atendimento e em suas casas. E também aos que estão em quarentena, se protegendo e ajudando a proteger suas famílias. Hoje é o Dia V, o dia da vacina, da vitória, da verdade e da vida. Quero dedicar este dia aos familiares dos 209 mil mortos pela COVID-19”, afirmou o Governador. De São Paulo, João Dória

O uso emergencial , atestado pela Anvisa, vale para um lote de 2 milhões de doses da vacina de Oxford produzida pelo Instituto Serum, na Índia, que ainda serão transportados para o Brasil, em data a ser definida, e os 6 milhões de doses da CoronaVac, que já estão em território nacional. Para o uso de outros lotes, será necessária uma nova solicitação.

A CoronaVac foi incorporada ao plano nacional de vacinação contra covid-19 do Ministério da Saúde. Esse primeiro lote vai dar início à campanha de imunização, em nível nacional, a partir de quarta-feira (20).  Em coletiva de imprensa no domingo, dia 17, o ministro da Saúde Eduardoo Pazuelle declarou que só comentará a primeira dose, efetuada em São Paulo, após consulta jurídica, pois todo o lote da Coronavac teria sido comprado pelo Ministério da Saúde. “As vacinas serão distribuídas igualmente para os estados. Se alguma dose já foi usada, está fora da lei”, afirmou Pazuello.

Fotos: Reprodução

Categorias
Destaque Política Rio

Edson Torres confirma que entregou R$ 980 mil a Witzel

O Tribunal Especial Misto (TEM), que julga o processo de impeachment contra o governador afastado Wilson Witzel, realizou nesta quarta-feira (13) uma sessão decisiva para o futuro do ex-juiz. O depoimento do empresário Edson Torres, arrolado como testemunha pelo deputado estadual Waldeck Carneiro, relator do processo, foi detalhado e devastador para as pretensões de Witzel de se manter no cargo.

 
Torres, que disse ao Ministério Público ter participado de desvios do governo, confirmou que entregou pessoalmente a Witzel recursos da ordem de R$ 980 mil antes mesmo de ele assumir o cargo, em pergunta feita por Waldeck na sessão. Este valor seria utilizado para as despesas pessoais do governador afastado após largar a magistratura.
 
Disse ainda que a “caixinha” da corrupção chegou a um montante aproximado de R$ 55 milhões. Sobre a divisão dos valores, revelou aos integrantes do Tribunal Especial Misto: “15% eram para mim , 30% para o Edmar (Santos) , 15% para o Vitor Hugo e 40% para (Pastor)Everaldo, que repassava parte a autoridades do governo”.
Contou também que indicou Hélio Cabral para presidir a Cedae e chancelou a nomeação do ex-subsecretário de Saúde do Rio, Gabriell Neves, preso e investigado, para o cargo.

 
Wilson Witzel alimenta a esperança de retornar ao Palácio Guanabara através de chicanas jurídicas para se beneficiar do decurso de prazo. Mas o depoimento de Edson Torres pode ter colocado uma pá de cal em suas pretensões.

Recurso

Em recurso protocolado no fim de dezembro, a defesa de Witzel argumentou que a contagem do prazo de 180 dias não podia ter sido interrompida, como determinou o Tribunal Especial Misto, e que os limites de 180 dias de afastamento e 120 dias para a conclusão do processo, que se encerram nos meses de maio e março, respectivamente, precisavam ser respeitados.
Os prazos foram suspensos no último dia 28 de dezembro, após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar que Witzel só fosse ouvido após a delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos se tornar pública.
Isso acontecerá quando a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), que tem por base a delação de Edmar, for aceita pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), decisão que a corte não tem prazo para tomar.
Categorias
Destaque Música

EXALTA lança single com participação de Jorge Aragão

 

Nesta quinta-feira, 14 de janeiro, o grupo EXALTA lança nas plataformas e rádios de todo o Brasil o single “Retrato Cantado de Um Amor” com participação especial do cantor Jorge Aragão.  OUÇA AQUI!

A música é uma releitura da obra de autoria de Adilson Bispo e Zé Roberto, e pode ser considerada um dos clássicos do Samba / Pagode, e foi grande sucesso nacional no ano de 1986. Em novembro daquele mesmo ano começava uma nova formação do Grupo EXALTASAMBA, cuja maioria dos integrantes se manteve até fevereiro de 2012, quando alguns deles optaram por seguir em carreira solo.

Em 2021 essa história completará 35 anos, e para dar início às comemorações, o EXALTA (assim denominado a partir de janeiro de 2017) e que conta com os integrantes remanescentes da formação original de 1986: Thell e Brilhantina, somados aos dois atuais intérpretes Jeffinho e Italo Magrão, resolveu convidar “O MESTRE, JORGE ARAGÃO” para participar desse novo single.

“Para mim, nascido e criado nos Altos da Favela da Serrinha, foi a maior emoção de minha vida até aqui, poder participar desse Single, junto com meu Ídolo maior no Samba, o Mestre Jorge Aragão”, comemorou Ítalo Magrão.

“Retrato Cantado de Um Amor”, teve sua produção audiovisual, divididas entre São Paulo e Rio de Janeiro em função da Pandemia da Covid-19 e contou com Arranjos de Base de Jota Moraes, a Direção Executiva de Brilhantina e a Direção de Produção Musical de Naldo de Souza, que também atua com a equipe da Cantora Paula Lima.

“Somente a Alegria de estar participando, mesmo à distância de uma canção com o Mestre Jorge Aragão, poderia acalantar as saudades da presença do público nos finais de semanas, nas dezenas de Rodas de Samba que participei no Parque de Madureira ou da presença e participação das milhares de pessoas que tem acompanhado nos Shows do EXALTA pelo Brasil, nos últimos anos.”, afirmou Jeffinho

O grupo já havia disponibilizado o videoclipe oficial no YouTube. Confira o vídeo. 

Embora o EXALTA originalmente tenha sido considerado um grupo musical de natureza Paulistana, a presença de dois intérpretes cariocas: Jeffinho e Magrão, nascidos e criados no bairro de Madureira no Rio de Janeiro, trouxe um novo conteúdo ao grupo, porém sem descaracterizar musicalmente sua essência histórica.

Categorias
Destaque Educação Notícias do Jornal

Contagem regressiva para o Enem

 

Faltam poucos dias para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas os estudantes ainda têm um tempinho para tirar aquelas dúvidas pendentes e reforçar os estudos. E eles podem recorrer a diversos conteúdos online disponibilizados gratuitamente para isso. Nessas plataformas é possível realizar cursos de reforço, assistir videoaulas, fazer simulados, aprender por meio de jogos educativos e também acessar as provas anteriores do exame.

Em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), as provas do Enem 2020 foram adiadas serão realizadas nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa) e em 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital).

Ao todo, 5.783.357 inscrições foram confirmadas. Além da redação, o exame tem 45 questões em cada prova das quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, disponibilizou, a partir de cinco de janeiro, o Cartão de Confirmação de Inscrição para o exame, contendo número de inscrição, data, hora e local do exame. O documento poderá ser acessado na Página do Participante.

O cartão também registra se o participante deve contar com atendimento especializado, e se deve ser tratado pelo nome social, caso essas solicitações tenham sido feitas e aprovadas. Apesar de não ser obrigatório, o Inep recomenda que o participante leve o cartão nos dias de aplicação das provas.

 

Uso de máscara e máscara extra

Os estudantes que vão participar do Enem também devem prestar atenção às medidas de prevenção para garantir a segurança sanitária e evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Será obrigatório o uso de máscara durante toda a aplicação do exame. A recomendação é que os candidatos levem outra máscara para trocá-la durante o exame, seguindo as orientações do Ministério da Saúde. Os participantes devem também manter distância uns dos outros.

Além disso, os que forem diagnosticados com covid-19 ou com outra doença infectocontagiosa, como sarampo, rubéola, varíola e influenza humana A e B, terão outra chance de fazer as provas, na reaplicação. O atestado médico poderá ser enviado ao Inep pela página do participante até um dia antes da aplicação. Caso a doença seja confirmada no dia do exame, o estudante deverá entrar em contato pelo telefone 0800 616161.

 

Plataformas gratuitas

Confira abaixo algumas sugestões de plataformas online gratuitas para auxiliar os estudantes a se preparar para a prova.

 

Aplicativo do Enem

É uma ferramenta que transforma qualquer smartphone em uma opção para obter mais informações sobre o exame. O aplicativo tem o simulado oficial do exame.

Lá também é possível visualizar o cronograma da prova, acompanhar a inscrição, acompanhar pedido de isenção de taxa de inscrição, ter acesso aos avisos e às notícias, verificar as perguntas frequentes e as orientações e visualizar a nota e redação de provas anteriores do Enem. O aplicativo está disponível para usuários dos sistemas Android e IOS.

 

Banco de provas do Inep

O Inep disponibiliza todas as provas e os gabaritos do Enem para você estudar pelas questões de edições anteriores, além de um simulado oficial no aplicativo do exame.

Também disponibiliza a Cartilha do Participante – Redação no Enem que traz para o participantes dicas de como estruturar seu texto e explicações sobre a correção e os critérios usados na distribuição dos pontos.

O Inep também possui plataformas para estudantes que utilizam a Língua Brasileira de Sinais (Libras), onde é possível acessar todas as questões das provas passadas em Língua Brasileira de Sinais. O canal do Youtube do Inep também possui outros conteúdos em Libras..

A Cartilha do Participante, com orientações sobre a redação, também possui uma versão direcionada à comunidade surda que tem Libras como primeira língua.

A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) também disponibiliza uma página com diversas questões do exame.

 

Blog do Enem

O site traz conteúdos dedicados ao Enem, com simulados, apostilas, dicas para redações, aulas gratuitas, entre outros conteúdos.

 

Cursos Aperfeiçoamento da Capes

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) disponibiliza cursos de aperfeiçoamento, em ambiente virtual, nas áreas de Matemática, Português, Tecnologia e Comunicação.O objetivo é complementar ou aperfeiçoar a formação do participante. Quem se inscrever e cumprir as 60 horas de carga horária, receberá um certificado de conclusão do curso de aperfeiçoamento.

Além destas plataformas, outros sites também disponibilizam conteúdos de maneira gratuita. Como o site Super Vestibular, Fundação Getúlio Vargas, Sistema Positivo de Ensino (YouTube) e plataforma Resolve Sim, elaborada pela Estácio e a Eleva Educação).

 

Sabedoria e calma na preparação final

Leonardo Chucrute

Professor de matemática e diretor-geral do Colégio e Curso Progressão

Estamos a poucos dias da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e nesse momento, o candidato deve estar atento aos sentimentos como insegurança, medo e ansiedade. É natural se sentir assim, até porque a pandemia trouxe novos desafios.

Alguns estudantes estão desanimados por conta de alguma dificuldade encontrada nos estudos ou pela falta de ritmo dos anos anteriores. Porém, lamentar-se não irá ajudar. É fundamental que possa focar no que conseguiu aprender, apesar das adversidades. Busque ainda ser positivo e tenha certeza de que dará o seu melhor na prova.

Professor Leonardo Chucrute Foto: Arquivo Pessoal

Pais, seus filhos necessitam de compreensão. Então, cobranças exageradas só pioram a situação. Devemos cobrar de nossos filhos, mas isso deve ser feito com sabedoria. Sempre aconselho que devemos repreender e ao mesmo tempo dar carinho. Sejam parceiros e estejam prontos para ouvir.

Observem se seus filhos estão dormindo bem. Os médicos orientam ter oito horas de sono por dia. É essencial ter qualidade de sono. Atentem-se também à alimentação, pois ela influencia no bom rendimento. Incentivem que comam alimentos saudáveis e que não sejam pesados, até para não correr o risco de passar mal no dia da prova.

Candidato, nessa reta final treine a redação, interpretação de textos e faça uma revisão rápida, tendo em mente os conceitos básicos de cada matéria. Lembre-se: o Enem é diferente de outros exames  e 80% da prova é leitura e interpretação. Também indico que tenham calma e tranquilidade para fazer o exame.

Na hora da prova, tente esquecer as dificuldades e foque nesse momento. Mentalize-se aprovado e sinta essa sensação. Acredite em você e perceba que o exame é uma oportunidade para mudar o seu futuro. O pensamento positivo tem poder. Acredite e você vai chegar lá.

Por: Claudia Mastrange

Categorias
Cultura Destaque

Conheça mais um pouco sobre o projeto “Movimento Ocupa Fazenda Engenho Novo”

 

O “Movimento Ocupa Fazenda do Engenho Novo” é uma ação popular voltada para o resgate histórico, humanitário e cultural deste que é, inegavelmente, um dos maiores monumentos material e imaterial da história de São Gonçalo. A Fazenda do Engenho Novo está localizada no bairro de Monjolos, cidade de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro, cujo acesso se dá a partir da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-104), seguindo pela Estrada José de Souza Porto, Largo da Ideia e Estrada Rio Frio.

Também nomeada como Fazenda Engenho Novo Retiro e Fazenda do Serrado ao longo do tempo, esse espaço, contendo as ruínas em estilo de casa rural dos séculos XVII e XVIII, foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Artístico e Cultural (INEPAC) em 1998. O local é conhecido como lote 32, e em 1993 teve suas terras desapropriadas pelo Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro (ITERJ), órgão do Governo do Estado, dando origem ao Assentamento Rural Fazenda Engenho Novo.

O “Movimento Ocupa” tem como objetivo construir uma nova identidade para a cidade de São Gonçalo, transformando ruínas em relíquias, histórias esquecidas em memórias vivas, lembranças da cultura passada em atividades culturais de grande diversidade e interesse, enfim, realizar resgates em vários segmentos, tanto materiais quanto imateriais, essenciais para a preservação da memória. Desde setembro de 2019 as atividades educativas e sociais estão acontecendo no espaço da Fazenda Engenho Novo. A idealizadora do projeto, Daniele Gonçalves, comenta um pouco sobre a sensação de participar do Movimento.

“A sensação é da certeza de estar no caminho certo em relação a nossa historia/ancestralidade na construção da historia de São Gonçalo”

Com a crise sanitária as tarefas de pesquisa estão funcionando de maneira remota. Nesse momento, nosso objetivo central é desenvolver parcerias com as agências de fomento para transformar o espaço em local de conhecimento, tornando-o útil para a comunidade gonçalense. Dessa forma, a Fazenda Engenho Novo proporcionará cursos de capacitação nas modalidades Ead e presencial para a comunidade em diversos níveis. Em termos econômicos, a reconstrução e criação do museu atrairão muitos turistas para São Gonçalo, e aumentará a demanda de serviços e vendas de produtos na região de Monjolos e arredores. O funcionamento do espaço revitalizado possibilitará a oferta de emprego e crescimento para os comerciantes residentes. Daniele falou um pouco também sobre os projetos para este ano.

“A ideia para este ano é nos instrumentalizar em relação a Fazenda, oferecendo cursos online sobre a história da Fazenda e após a vacina atuar de maneira presencial no espaço,  oferecendo visitas guiadas e futuramente cursos para a comunidade local”

Atualmente, a Fazenda Engenho Novo, apesar de catalogada e tombada como patrimônio cultural brasileiro está abandonada e necessita urgentemente de uma intervenção em sua estrutura material. O projeto “Museu Histórico e Cultural da Fazenda Engenho Novo” tem o propósito de preservar a cultura histórica material e imaterial na cidade de São Gonçalo. A ação do “Movimento Ocupa” consiste na revitalização do espaço com a oferta de práticas educacionais para os moradores da comunidade, estudantes, e turistas. Com a revitalização da Fazenda Engenho Novo a população gonçalense terá os seguintes benefícios:

  • Aproximação dos alunos, professores e a comunidade em geral da história da fazenda e dos pesquisadores, auxiliando-os na construção da história oral e da memória local.
  • Visitas guiadas gratuitas as ruínas da Fazenda, destinada aos estudantes das redes públicas estaduais e municipais da cidade de São Gonçalo e região.
  • Promover de fato o turismo em São Gonçalo com visitas mediadas ao público em geral, trazendo a construção sociohistórica da cidade de São Gonçalo e as conexões com a diáspora africana.
  • Recuperar a história do local para além da história do Barão Belarmino Ricardo de Siqueira, visando colocar em destaque os sujeitos da história que foram esquecidos das narrativas oficiais e ressaltar a importância de se recuperar, uma vez que todos têm direito de usufruir de um meio ambiente cultural.
  • Resgatar a história e formação da população gonçalense no sentido de realizar a educação das relações étnico-raciais.
  • Investigar e resgatar junto aos sitiantes e antigos donos da fazenda, possíveis objetos históricos que fizeram parte do local para um futuro acervo do museu.
O Movimento Ocupa Fazenda Engenho Novo conta com um Podcast no Spotify Foto: Reprodução

O “Movimento Ocupa” tem o incentivo da UNEGRO e de coletivos organizados dentro do município de São Gonçalo, assim como o apoio dos residentes locais de Monjolos. As atividades serão realizadas por um grupo de moradores de São Gonçalo. Os integrantes do “Movimento Ocupa Fazenda Novo” possuem vasta experiência em educação museal, pesquisa e ações sócio assistenciais, além disso, todos são residentes do município de São Gonçalo, unânimes na consciência da importância da construção do museu para o acesso e desenvolvimento da cultura histórica da cidade.

Categorias
Brasil Destaque Economia

O impacto na economia após o fim do auxílio emergencial e dos benefícios às empresas

Economista Alessandro Azzoni comenta quais são as medidas que o governo pode tomar para recuperar a economia
A continuação da pandemia e de seus efeitos negativos na economia do país, somada ao fim do auxílio emergencial oferecido pelo governo brasileiro, certificam uma dura realidade: milhões de brasileiros começaram o ano sem ter como pagar suas contas. Essa ajuda, que se mostrou primordial para enorme parcela da população, chegou ao fim sem nenhum anúncio de um novo programa social para substituir a renda extra. Pesquisa recente publicada pelo Datafolha apontou que, entre as famílias que receberam o benefício, 36% não têm outra fonte de renda.

O advogado e economista Alessandro Azzoni confirma a previsão de um cenário preocupante para esse início de 2021. “Com o fim do auxílio emergencial, teremos uma queda acentuada no poder de compra das famílias, o que irá provocar uma natural retração da demanda. Essa ajuda deveria continuar, pois as famílias poderiam equilibrar a renda e sobreviver, pois não têm de onde tirar recursos. E se você partir para um novo isolamento social horizontal, como foi feito em algumas cidades, isso neutraliza alguns setores empresariais e causa um impacto na economia”, afirma Azzoni.

Embora defenda a manutenção do auxílio, o economista reconhece que o governo atingiu o teto de gastos e precisa arrumar recursos para oferecer novos incentivos. “As saídas são: ampliar o teto dos gastos públicos, aumentar a arrecadação ou reduzir gastos do governo”.

Alessandro Azzoni aponta algumas saídas. ” O governo tem que fazer a sua lição de casa, continuar com as reformas propostas e o pacote de privatizações, que ainda não avançou. As privatizações reduzem os gastos da máquina e geram capital para o caixa do governo, em um fluxo positivo. Isso seria um dos passos que ainda não avançou”, comenta Azzoni.

O segundo passo, vital segundo o especialista, passaria pelas reformas administrativa e tributária. “A reforma administrativa é uma das mais importantes na minha opinião, pelo alto custo da folha de pagamento. Se você somar os gastos com previdência e funcionalismo público, temos quase 90% do orçamento comprometido. Isso provoca endividamento para tocar as obras de infraestrutura. E a reforma tributária tem que ser mais favorável ao setor produtivo, deveria trazer redução da carga, mas nenhuma das propostas apresentadas falam em reduzir, pelo contrário, falam em aumento, além da criação de um imposto sobre transações eletrônicas”, critica Azzoni.

A alta carga tributária do país é apontada como um obstáculo ao crescimento pelo economista. “Se você reduz os tributos, você consegue aumentar a arrecadação e isso pode ser feito. Precisamos reduzir esses impactos tributários. A tabela do Imposto de Renda, por exemplo, está defasada desde o governo Lula. Com isso, várias faixas salariais que estariam isentas hoje ainda pagam tributos”, finaliza.

Categorias
Brasil Destaque Notícias do Jornal

Brasileiros em contagem regressiva para o início na vacinação no país

 

Por Claudia Mastrange

Em meio à pandemia do novo coronavírus, quando o Brasil ultrapassou a marca de 200 mil mortes pela Covid-19,  mais de 50  países já começaram a vacinação contra a doença, enquanto os brasileiros seguem na contagem regressiva para usar os imunizantes já disponíveis mundialmente.  Rio de Janeiro e São Paulo planejam iniciar a vacinação em 25 de janeiro, ou assim que a Anvisa aprove o uso. O ministro da Saúde Eduardo Pazuello, em entrevista  nesta segunda-feira, dia 11, declarou: “A vacinação vai começar simultaneamente e todos os estados. Será no dia D e na hora H, três ou quatro dias após chegar ou for autorizada”.  Independente das divergências políticas, tudo que a população precisa agora é ter acesso aos imunizantes o mais breve possível.

O Reino Unido se tornou o primeiro país do Ocidente a vacinar a população contra a Covid-19, em 8 de dezembro de 2020.  O imunizante aprovado para o uso emergencial foi o desenvolvido pela parceria entre a farmacêutica americana Pfizer e a empresa de biotecnologia alemã BioNTech.

Pouco tempo depois, a aprovação também ocorreu nos Estados Unidos, no Canadá, na União Europeia e assim em diante.  Os últimos a entrarem na lista, até seis de janeiro, foram Holanda, República de Palau, Islândia, Singapura, Irlanda e Belarus.

E por aqui, os brasileiros continuam na expectativa da chegada da vacina contra a doença. A aprovação ou não das vacinas depende da  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  O órgão recebeu, em oito de janeiro, o pedido de autorização do uso emergencial da vacina de Oxford, pela Fundação Oswaldo Cruz. A Fiocruz conduz os estudos do imunizante desenvolvido pela farmacêutica AstraZeneca no Brasil. Segundo a Anvisa, o pedido da Fiocruz é para o uso de 2 milhões de doses de vacinas que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia. O laboratório é um dos fabricantes da vacina da AstraZeneca. A Fiocruz também se prepara para  produzir a vacina e prevê entregar 100 milhões de  doses até o mês de julho.

A Fiocruz vai prouzir 100 milhões de doses da vacina Oxford,AstraZeneca até julho (Foto: ABr)

A eficácia geral da vacina de Oxford/AstraZeneca é de 70%. Um erro na dosagem nos testes fez com a comunidade dos cientistas colocassem em dúvida a credibilidade na divulgação das informações, mas a empresa tratou de ajustar as análises de dados.

Também em oito de janeiro, o Instituto Butantan protocolou  à Anvisa o pedido para uso emergência da vacina Coronavac.  De acordo com a nota da Anvisa, “as primeiras 24h serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e checar se os documentos necessários estão disponíveis”. “Se houver informação importante faltando, a Anvisa pode solicitar as informações adicionais ao laboratório. O prazo de 10 dias, não considera o tempo do processo em status de exigência técnica”, diz a nota.

Produzida pelo Instituto Butantan, a Coronavac tem 78% de eficácia comprovada (Foto:ABr)

Ministro Eduardo Pazuello: “Nosso objetivo maior é o controle da pandemia”

O anúncio de que a Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan alcançou eficácia de 78% foi muito comemorado de modo geral e, mais ainda, pela comunidade científica.  O Ministério da Saúde anunciou assinatura de contrato com o Butantan para adquirir até 100 milhões de doses da vacina para o ano de 2021, produzidas pelo órgão em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

A perspectiva da pasta é que sejam disponibilizadas em 2021 até 354 milhões de doses. Este total deve ser formado por dois milhões de doses importadas da Astrazeneca da Índia, 10,4 milhões produzidas pela Fiocruz até mês de julho, 110 milhões fabricadas no Brasil pela Fiocruz a partir de agosto, 42,5 milhões do mecanismo Covax Facility (provavelmente da Astrazeneca) e as 100 milhões da CoronaVac oriundas do contrato com o Instituto Butantan. O MS ainda negocia com a Pfzer, mas há divergências em torno de exigências contratuais.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o plano nacional de imunização está previsto para que, em 12 meses, todo o público-alvo seja vacinado. “Está previsto para nós vacinarmos 50% da população-alvo até junho e os outros 50% até dezembro, com uma margem de mais quatro meses, que seria uma margem para buscar ainda algum grupo que não tenha sido ainda vacinado”, disse. “O objetivo maior nosso é o controle da pandemia. Na hora em que você controla a pandemia, as taxas de contaminação caem e a vida começa a voltar ao normal”.

Presidente Bolsonaro e Ministro Pazuello em Live no Facebook

O presidente Jair Bolsonaro declarou lamentar as 200 mil mortes pela Covid-19 idas no Brasil, “mas a vida continua”, declarou.  O Ministério da Saúde divulgou nota em que se solidariza com as “famílias que perderam entes queridos”. No comunicado, a pasta diz que está “trabalhando incansavelmente paragarantir vacinas seguras e eficazes à população” e destaca o papel dos profissionais de saúde no combate à pandemia. Sabe-se que o pais registrou em 2020 mais de 600 mil mortes por causas variadas, mas as vítimas da pandemia são um doloroso capítulo em nossa história.

Parceria estado e município no Rio para vacinação e enfrentamento da pandemia

O governador em exercício Cláudio Castro e o prefeito do Rio, Eduardo Paes decidiram unir forças e trabalhar em parceria, para as ações de enfrentamento à pandemia do coronavírus. Ficou acertado que haverá trabalho em conjunto na vacinação da população do Estado do Rio contra a Covid-19, na abertura de novos leitos para pacientes com coronavírus e também na adoção de um sistema único de regulação para as unidades de saúde de todo o estado. Castro visitou as instalações da Fiocruz, que planeja iniciar produção da vacina em 20 de janeiro.

O prefeito Eduardo Paes e o governador em exercício Cláudio Castro i: parceria no enfrentamento à Covid-19 (Foto: Governo do Estado do Rio)

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves informou que o estado do Rio já adquiriu 8 milhões de seringas e aguarda o recebimento de mais 8 milhões, para os 92 municípios. “Ainda teremos mais 50 milhões, que vão chegando conforme a demanda. Já estamos licitando caixas térmicas, freezers e termômetros. Nossa Vigilância Sanitária está pronta, são técnicos acostumados a organizar campanhas de vacinação”, afirmou o secretário.

Rio terá 450 postos de vacinação

Na capital, o Eduardo Paes avisou que pretende iniciar a vacinação em 25 de janeiro. “O secretário Daniel Soranz vai para mais uma reunião com o Butantan. Temos um compromisso para comprar 3,3 milhões de doses. Estamos trabalhando para começar a vacinação no mesmo dia que São Paulo”, afirmou Paes, em entrevista coletiva, pedindo que até lá, a população siga com os cuidados de prevenção. “A doença ainda está aí. Enquanto a vacina não vier, nós temos uma situação crítica. Peço a atenção de todos”, ressaltou o prefeito.

O plano de  imunização, no Rio,  prevê cerca de 2,6 milhões de cariocas vacinados, em 450 postos de vacinação, na primeira etapa, dividida em quatro subgrupos:

1ª fase: idosos acima de 75 anos de idade; trabalhadores da saúde; indígenas, idosos em instituições de longa permanência, como asilos.
2ª fase: idosos na faixa etária de 60 a 74 anos.
3ª fase: pessoas com comorbidades
4ª fase: professores; profissionais das forças de segurança e salvamento; funcionários do sistema prisional; privados de liberdade.