Categorias
Destaque Rio Saúde

Rio tem cinco casos de infectados com novas variantes da Covid-19

 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou entrevista coletiva, nesta quarta-feira (17), para esclarecer o que se sabe, até o momento, das novas variantes do coronavírus identificadas por exames realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em pacientes atendidos no Estado do Rio de Janeiro. São cinco casos confirmados, sendo um com a variante oriunda do Reino Unido e os outros quatro, com a variante de Manaus.

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, o secretário municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, e a equipe da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES esclareceram que a chegada dessas mutações do vírus ao estado já era esperada e as investigações epidemiológicas dos cinco casos estão em andamento. Após a conclusão desse estudo, será possível afirmar se essas variantes estão ou não em circulação no Rio de Janeiro.

“ Fomos surpreendidos, na tarde desta terça-feira (16), com a informação na imprensa. O ideal é que uma nota técnica tivesse sido elaborada, envolvendo os três entes federativos, para o melhor esclarecimento a todos, e o repasse de informações precisas sobre a investigação epidemiológica destes casos. Contudo, o que importa é que a SES está trabalhando, de forma ética e técnica, e mantendo contato direto com os 92 municípios para intensificar as medidas preventivas e de rastreio de contágio. E reforço que a população deve manter os cuidados recomendados, como o uso de máscara e álcool 70, assim como o distanciamento social “, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Até o momento, foram identificadas no estado do Rio de Janeiro duas variantes: a VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7, notificada pelas autoridades do Reino Unido à Organização Mundial da Saúde; e a Variante P.1, linhagem B.1.1.28, considerada um tipo de mutação brasileira. Mundialmente, há outra variante em investigação, sem casos confirmados no estado.

“A chegada de variantes da Covid-19 já era esperada, inclusive, uma Nota Técnica sobre o tema já havia sido enviada aos municípios, no início do mês, com recomendações. O que precisa ser destacado é que não se pode ainda afirmar que os casos são autóctones (contraídos no próprio município) ou importados. Sendo assim, a identificação dessas mutações não pode ser associada com a transferência de pacientes de outros estados”, esclareceu o superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Mário Sérgio Ribeiro.

Estudos apontam que, neste momento, não há evidência científica de que as novas cepas identificadas no estado do Rio de Janeiro provoquem casos mais graves de Covid-19. No entanto, já se sabe que essas variantes se disseminam com maior facilidade.

“A avaliação de cada um dos casos de forma específica, abrangendo histórico de viagem e outras informações, vai possibilitar definir se temos a efetiva circulação do vírus no estado ou se são casos isolados. A partir disso, poderemos avaliar a adequação das ações, caso haja necessidade. A princípio, a mutação que deu origem à nova linhagem não interfere na eficácia das vacinas que estão sendo aplicadas na população, o que está sendo monitorado pelos fabricantes “, pontuou o médico da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) Alexandre Chieppe.

Em paralelo, o estado do Rio de Janeiro já participa de um programa de monitoramento de variantes da Covid-19, organizado pelo Ministério da Saúde. Há quatro semanas, tem sido feito o envio de amostras para análise – das 12 enviadas até o momento para o laboratório contratado em Minas Gerais, ainda não há resultados.

“ Também está em andamento o sequenciamento genético das amostras colhidas nos 58 pacientes oriundos do Amazonas e dos cinco vindos de Rondônia com Covid-19. Estamos atuando para que seja dada a esses pacientes a melhor assistência, minimizando riscos aos profissionais da saúde e à população fluminense”, disse a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES, Cláudia Mello.

Vacinação – Questionados sobre a campanha de vacinação, os secretários Carlos Alberto Chaves e Daniel Soranz confirmaram que as vacinas disponíveis para a segunda dose estão reservadas para serem utilizadas no tempo oportuno, completando o calendário vacinal das pessoas que já receberam a primeira dose do imunizante. Na sexta-feira (19.02), esses lotes começam a ser enviados aos 92 municípios do estado.

Não há notificação oficial do Ministério da Saúde quanto ao envio de nova remessa de vacinas para o Rio de Janeiro.

Fotos: Maurício Bazílio / SES GovRJ

Categorias
Destaque Educação Rio

Rio abre novas inscrições para matrícula na Rede Municipal de Ensino

 

Começou hoje, dia 18 de fevereiro, a segunda fase de inscrições para o ano letivo de 2021 na Rede Municipal de Ensino do Rio, que podem ser  realizadas pelo site www.matricula.rio  até o dia 21 de fevereiro. Serão disponibilizadas vagas para as turmas de pré-escola, Ensino Fundamental, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A inscrição será realizada somente pela internet, no endereço eletrônico  www.matricula.rio, como já citado acima. Devido à pandemia, os alunos que já solicitaram transferência interna foram automaticamente matriculados na escola selecionada.

Caso o responsável deseje nova transferência, deverá aguardar novo período para essa movimentação. As inscrições são para novos alunos e aqueles que, na primeira fase, solicitaram o cancelamento da inscrição por erro de preenchimento.

A Secretaria Municipal de Educação disponibilizará ao público acesso gratuito à internet em unidades escolares da Rede para quem não conseguir realizar a inscrição. Lembrando que a inscrição também pode ser feita pelo próprio celular. Estarão presentes funcionários no local para auxiliar no preenchimento do formulário. Esses postos (escolas) estarão abertos para atendimento ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. O atendimento seguirá as Regras de Ouro estabelecidas pelo Comitê Científico Municipal de higienização e distanciamento para evitar a propagação da Covid-19.

É importante salientar que não há necessidade de realizar a impressão do comprovante de inscrição. Pode-se anotar o número gerado, fotografar, com o celular do responsável, todo o comprovante, desta forma, o cidadão fica com as informações contidas no comprovante registradas.

Foto: ABr

 

Categorias
Notícias Rio

Cantor Belo é preso 4 dias após fazer show no Complexo da Maré

O cantor Belo foi preso nesta quarta-feira (17) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, quatro dias após realizar um show lotado no Complexo da Maré, mesmo com a proibição de eventos desse tipo por causa da pandemia.

A prisão dele foi efetuada durante uma operação deflagrada pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD). Conforme a Polícia Civil, o cantor foi localizado e preso em Angra dos Reis.

Outros três mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão também foram cumpridos durante a ação. Equipamentos e veículos foram apreendidos na sede de uma produtora que teria sido uma das organizadoras da festa.

Dois sócios da produtora e um homem apontado pela polícia como sendo traficante também são alvos dos mandados de prisão.

Belo fez show no Complexo da Maré no sábado. (Foto: Reprodução TV)

O show realizado por Belo aconteceu no último sábado (13) na Escola Municipal do Parque União, mas o evento não tinha autorização da prefeitura.

Após o evento, a assessoria de comunicação do cantor divulgou nota dizendo que o show seguiu todos os protocolos.

A polícia disse, após o show, que todas as pessoas envolvidas no evento seriam ouvidas e que Belo seria intimado para esclarecer quem pagou o cachê do evento.

Categorias
Destaque Notícias Rio Saúde

Fiocruz confirma presença de variante brasileira da Covid-19 no Rio

Foi confirmada pela primeira vez nesta terça-feira (16) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) o primeiro caso da variante brasileira da covid-19 no Rio de Janeiro.

Chamada de P.1., a variante foi identificada primeiro em Manaus e, segundo os especialistas, tem uma maior capacidade de transmissão. A mutação acontece quando ocorre uma alteração, de forma aleatória,  no material genético do vírus.

A Fiocruz informou que a variante foi identificada no Rio mediante análise laboratorial, por meio de sequenciamento genético de uma amostra.

O laudo da Fiocruz não aponta se há transmissão local dessa variante ou se a amostra é de alguém que pegou a mutação em outro lugar do país — também não foram divulgadas informações sobre o paciente. Mas o Ministério da Saúde informou que se trata de um caso importado.

Pesquisadores da Fiocruz já encontraram a variante P.1 do novo coronavírus também no Pará, Paraíba, Roraima, Santa Catarina e São Paulo. Além disso, os governos da Bahia, Ceará e de Pernambuco também já confirmaram presença da variante nos seus respectivos estados.

Além variante identificada em Manaus, outras duas têm causado preocupação em todo mundo: a B.1.1.7, identificada pela primeira vez no Reino Unido, e a 501Y.V2, descoberta na África do Sul.

A Organização Mundial da Saúde alerta que as mutações estão se espalhando rapidamente pelo mundo: a britânica já foi identificada em 80 países, a sul-africana em 41 países e a brasileira em 10 países.

Categorias
Cidade Destaque Notícias Rio

Prefeito do Rio diz que vacinação contra covid-19 pode parar por falta de doses

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, divulgou em suas redes sociais que a vacinação contra a COVID-19 pode ser paralisada na cidade, a partir de quarta-feira (17), por falta da chegada de novas doses.

A vacinação na cidade está na fase de imunização de pessoas acima de 80 anos e, segundo a prefeitura, está garantida para esta segunda (15) e para a terça-feira (16).

“Recebi a notícia de que não chegaram novas doses. Teremos que interromper nossa campanha. Hoje vacinamos pessoas de 84 anos e amanhã de 83. Estamos prontos e já vacinamos 244.852 pessoas”, postou Paes no Twitter.

Caso a vacinação seja mesmo paralisada nesta semana, a previsão é que o calendário só retorne na próxima segunda, dia 22 de fevereiro, quando a cidade deve receber mais doses da Coronavac.

“Só precisamos que a vacina chegue. Nova leva deve chegar do Butantan na próxima semana”, disse Paes.

A vacinação no Rio de Janeiro havia sido antecipada no dia 2 de fevereiro, com previsão de imunizar todas as pessoas a partir de 75 anos até o fim do mês. Agora, com a possível paralisação, o esquema deve voltar para o calendário original.

A prefeitura disse que, a partir da chegada de novas doses o plano segue sendo vacinar idosos com mais de 60 anos até março. Informou ainda que a segunda dose para as pessoas que já tomaram a primeira na cidade está garantida, independente da paralisação.

Categorias
Destaque Rio

Governo do Estado investe mais de R$ 6,2 milhões para apoiar eventos carnavalescos

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro está investindo mais de R$ 6,2 milhões para apoiar a indústria do Carnaval e ajudar a minimizar o impacto econômico causado pela pandemia da Covid-19. Na próxima semana, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa lança editais para auxiliar eventos online para a escolha de sambas-enredo de oito escolas do Grupo Especial e apresentações de blocos de rua por meio do Fundo Estadual de Cultura. Cada agremiação receberá R$ 150 mil e os blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, R$ 200 mil no total. Além disso, o Estado já aplicou recursos no valor de R$ 5 milhões por meio da Lei Aldir Blanc em 103 projetos carnavalescos.

“Infelizmente, a pandemia da Covid-19 nos impede este ano de realizar o maior Carnaval do mundo, mas temos que pensar na segurança da população. Para reduzir o impacto financeiro no setor, estamos apoiando as escolas de samba e os blocos de rua através do repasse desses recursos, da Lei Aldir Blanc e do Fundo Estadual de Cultura. Já preparando o Carnaval de 2022, quando toda a população fluminense estiver imunizada contra o novo coronavírus”,  afirmou o governador em exercício, Cláudio Castro.

O edital que beneficia as agremiações da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) vai garantir renda para profissionais que atuam na Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel.

A escolha dos sambas-enredo deve ser realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo, por conta da boa infraestrutura e condições de acessibilidade, com respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19. As outras quatro agremiações da Liesa foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

“ O cancelamento dos desfiles gera um prejuízo incalculável, mas foi uma medida acertada para o atual momento. Entendemos como merecido esse apoio às escolas diante de tudo que já fizeram pela cultura do estado e pelo que elas contribuem em termos de geração de emprego e renda. É um momento de unirmos força para que essa indústria possa se manter viva e possa fazer um belo espetáculo ano que vem”, afirmou a secretária de Cultura, Danielle Barros.

Já as apresentações dos blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, que se juntou ao Bola Preta, devem acontecer em uma casa de espetáculo em data a ser definida. Os shows, transmitidos pela internet, contarão também com público presente restrito, seguindo as regras de prevenção contra a Covid-19.

 Lei Aldir Blanc

 Os R$ 5 milhões em recursos da Lei Aldir Blanc investidos em projetos ligados diretamente ao Carnaval movimentaram uma cadeia criativa e produtiva que envolve milhares de profissionais também de forma indireta. Além de artistas, músicos e sambistas, foram contemplados profissionais que atuam nos bastidores das produções, como aderecistas, cenógrafos, coreógrafos e ritmistas.

Dos 103 projetos aprovados nos diferentes editais culturais, estão incluídos os blocos carnavalescos tradicionais da capital e do interior, quatro agremiações do Grupo Especial e as ligas que compõem os chamados grupos de acesso (LIERJ e LIESB). Também receberam apoio os eventos virtuais que apresentam a história de grandes ícones do Carnaval, como Nelson Sargento, Tia Surica, Beth Carvalho, Noel Rosa e Cartola.

Foto: Prefeitura do Rio

Categorias
Cidade Destaque Notícias Rio

Personalidades do samba são vacinadas contra a covid-19 no Sambódromo

Portelense Monarco foi vacinado no Sambódromo (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

O Sambódromo do Rio de Janeiro, na Cidade Nova, que esse ano não tem os desfiles das escolas de samba por causa da pandemia, foi transformado em palco para vacinação da COVID-19. A imunização no local começou, no sábado (13), simbolicamente por personalidades do samba.

Veja também: Marquês de Sapucaí ganha iluminação em homenagem a vítimas da covid-19

A Prefeitura do Rio realizou no local a repescagem da vacinação de idosos a partir de 85 anos. O compositor Monarco, de 87 anos, baluarte da Velha Guarda da Portela, foi uma das pessoas imunizadas na Marquês de Sapucaí, junto com outros sambistas. Ele ficou emocionado e fez um apelo.

“Que todos os idosos venham se vacinar. Eu quero cantar para o meu povo, quero subir no palco. Estou com saudade dos meus amigos, da Velha Guarda da minha Portela querida”, disse, ao lado da esposa, Olinda Diniz.

Ele também lembrou de companheiros que morreram vítimas da Covid-19, como o compositor Aldir Blanc e o sambista Ubirany, do Cacique de Ramos.

Lizette Prazeres, 85 anos, da velha guarda do Império Serrano também tomou vacina (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

Outros três sambistas se vacinaram na Marquês de Sapucaí: Nedyr Torquato, de 85 anos, um dos fundadores da escola de samba Ilha do Governador; Lizette José dos Prazeres, 85 anos, da Velha Guarda do Império Serrano; e Marsilia Lopes, 85 anos, considerada a Mãe dos Destaques da Portela.

Marsília Lopes Santos Albuquerque, 85, da Portela foi imunizada (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

240 mil vacinados

A prefeitura do Rio informou que, até o sábado (12), já tinham sido aplicadas na cidade 240.577 doses da vacina, em  3,3% da população.

Na segunda (15) e na terça-feira (16), está mantida a imunização de idosos de 84 e 83 anos, respectivamente. Pelo cronograma informado pelo Ministério da Saúde, há previsão de o município receber novas remessas de doses nas duas próximas semanas, com as quais espera manter a programação da vacinação para os próximos grupos prioritários.

A prefeitura informou que as vacinas para a segunda dose de quem tomou a primeira no início da campanha estão garantidas e começarão a ser aplicadas na semana que vem.

As equipes de saúde aproveitarão a terça-feira de Carnaval para retornar às instituições de longa permanência, onde aplicarão a segunda dose em idosos que vivem em asilos e pessoas com deficiência institucionalizadas. População indígena e quilombola, além dos profissionais das unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) envolvidos na campanha de vacinação também receberão a segunda dose neste dia.

Ainda no dia 16, unidades hospitalares e de pronto atendimento deverão aplicar a segunda dose da vacina nos próprios profissionais que tomaram a primeira dose no local de trabalho em janeiro.

 

Categorias
Destaque Rio

Ministro Gilmar Mendes livra Crivella de prisão domiciliar

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes revogou, em 12 de fevereiro, a decisão que concedeu, em dezembro de 2020 prisão domiciliar ao ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella.

Com a decisão, Crivella não precisará mais permanecer em casa, mas deverá cumprir medidas cautelares como comparecimento periódico à Justiça, proibição de sair do país, de manter contato com outros investigados, além de entregar o passaporte em até 48 horas.

Na decisão Gilmar justifica que o Crivella, em prisão domiciliar desde 23 e dezembro, está proibido de sair ter contatos de qualquer espécie com terceiros, seja fisicamente ou via meios de telecomunicação, como telefone  celular ou internet. E diz que “tal  isolamento integral  não se justifica, sobretudo diante do fato que o paciente (Crivella) não exerce mais o cargo de prefeito do município do Rio de Janeiro, diminuindo assim drasticamente  o risco que o paciente poderia causar para a higidez da instrução e para a aplicação da lei penal”, explicou Gilmar Mendes em um trecho de sua decisão.

Quer dizer então que, se o político rouba, esquematiza negociatas, lidera uma organização criminosa, recebe propina, se apropria de dinheiro que é do povo, entre outros ilícitos,  basta deixar o cargo público para se ver livre  das acusações e da punição pelos seus crimes? Não oferece mais risco?  Um absurdo a justificativa de Gilmar Mendes. Péssimo exemplo em um momento em que ninguém agüenta mais ver a impunidade dos corruptos.

O ex-prefeito é investigado por suposta participação num esquema de um “QG da Propina” na Prefeitura do Rio, que movimentou mais de R$50 milhões. No esquema, de acordo com o MP, empresários pagavam para ter acesso a contratos e para receber valores que eram devidos pela prefeitura. Será que, na ótica de Gilmar Mendes, é Crivella o grande injustiçado nessa história corrupta?

.Foto: ABr

Categorias
Destaque Rio

Prefeitura do Rio tem plano logístico para combater aglomerações

 

Durante cerimônia de inauguração da iluminação especial s do Sambódromo, nesta sexta-feira, dia 12 de fevereiro, o prefeito Eduardo Paesreforçou o apelo para que a população evite aglomeração. “ Nos próximos dias, é para não ir a festas e nem desfilar em blocos. Vamos curtir o carnaval de maneira diferente. A minha promessa, o meu compromisso, quero assumir aqui perante o Rei Momo: em 2022, faremos o maior carnaval da história. Vamos fazer uma celebração inesquecível, para compensar esse ano “, destacou.

Ele comentou a respeito do  Carnaval diferente deste ano,. Não vai ter carnaval porque a gente quer salvar vidas. Não vai ter carnaval porque a gente precisa preservar vidas. Não vai ter carnaval porque quem amamos e até os que não conhecemos não podem ficar expostos a essa doença que, infelizmente, matou no mundo uma quantidade enorme de pessoas. Essa também é uma homenagem a todas essas vidas perdidas”, declarou o prefeito.

A Prefeitura do Rio montou um plano logístico de ações para combater aglomerações durante o período em que seria realizado o carnaval. O esquema especial de fiscalização começou nesta sexta-feira (12/02) e vai até as 6h do dia 22. O planejamento conta com bloqueios em pontos estratégicos de acesso à cidade, ações destacadas da Guarda Municipal para impedir blocos, e comboios integrados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), com o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa) e o apoio da Polícia Militar, entre outros órgãos.

Além do levantamento prévio feito pela Seop, o trabalho das equipes nas ruas terá o suporte de monitoramento de câmeras 24 horas pelo Centro de Operações Rio (COR). Quem descumprir as regras (pessoas físicas e jurídicas) está sujeito a multas por infrações sanitárias, como aglomeração e falta de uso de máscara e interdição.

Sites que promovem festas pagas também estão sendo rastreados e serão notificados e responsabilizados, caso os eventos ocorram. Blocos ou agremiações carnavalescas que descumprirem as regras estarão automaticamente descredenciados do carnaval 2022. Além disso, equipamentos e carros de som serão apreendidos e acautelados.

Foto: Prefeitura do Rio

Categorias
Cidade Cultura Destaque Notícias Rio

Sem carnaval, Marquês de Sapucaí ganha iluminação em homenagem a vítimas da Covid-19

Sem carnaval esse ano por causa da pandemia da COVID-19, a Marquês de Sapucaí e a Apoteose, no Rio de Janeiro, ganharam uma iluminação especial em homenagem às vítimas da doença.

Até sábado (20), quando seria realizado o Desfile das Campeãs, as luzes ficam acesas no sambódromo todas as noites até meia-noite, informou a prefeitura.

A iluminação, inaugurada na sexta-feira (12) pela prefeitura do Rio, por meio da Riotur, muda a cada 10 segundos, lembrando as cores de cada uma das escolas de samba do Rio. A prefeitura disse também que é uma forma de homenagear as vítimas que são do mundo do samba.