Categorias
Rio

Presos que trabalham não precisam retornar à cadeia para dormir

A Vara de Execuções Penais (VEP) no Rio de Janeiro decidiu nesta quarta-feira (18), que todos os presos do estado do Rio que saem para trabalhar de dia e retornam à prisão para dormir não precisam retornar para suas unidades prisionais, podendo permanecer em suas residências. A medida tem validade de 30 dias e foi tomada para reduzir os riscos de contaminação pelo novo coronavírus no sistema penitenciário do Rio. A VEP também concedeu o benefício de prisão-albergue domiciliar a quem cumpre pena em regime aberto.

A decisão é do juiz titular da VEP, Rafael Estrela, que atendeu a um requerimento da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), a partir de um decreto estadual que prevê a adoção de medidas temporárias de prevenção ao contágio e propagação do novo coronavírus (Covid19), reconhecendo ser imprescindível a adoção de medidas de prevenção da doença no sistema presidiário.

A decisão visa evitar a entrada e saída dos presos nas unidades, diminuindo o fluxo de pessoas ao sistema prisional. Eles poderão sair de suas moradias, exclusivamente, para o seu local de trabalho estabelecido na ocasião em que recebeu o benefício.

Com informações da Agência Brasil

Categorias
Rio

Deputados do Rio querem garantir quarentena a moradores de favelas

A possível chegada do Covid-19 nas favelas e comunidades do Rio preocupa deputados da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), que defendem a construção imediata de abrigos e hospitais de campanha onde as pessoas isoladas possam ser acolhidas. O temor dos parlamentares é que as moradias diminutas, onde moram muitas pessoas da mesma família, não tenham espaço para garantir com segurança a quarentena dos infectados, que acabariam passando a doença para os demais parentes.

A Alerj aprovou dez projetos relacionados ao coronavírus nesta quarta-feira (18) e um deles autoriza o governo do estado a requisitar propriedades privadas, como hotéis, pousadas e até motéis, para viabilizar o cumprimento de quarentenas, isolamentos e demais tratamentos médicos. Segundo o projeto, os proprietários terão direito de receber pagamento posterior pela utilização do espaço.

O deputado Carlos Minc (PSB) disse que o governo do estado pode estar perdendo o prazo ideal para começar a prover os locais onde ficarão as pessoas isoladas em quarentena, pois existe uma logística complexa que inclui a instalação de equipamentos e contratação de pessoal.

“Este é o problema mais sério. Se 20 ou 30 pessoas na Rocinha se contaminarem, isso vai se expandir, pois as casas são grudadas uma nas outras e em cada uma moram muitas pessoas. Nós já perdemos muito tempo e o quadro de evolução [da doença] é semelhante ao da Itália. Pode vir um drama pior que o italiano. Perdemos o timing, estamos correndo atrás do prejuízo. Agora temos que acelerar o passo”, disse Minc.

A deputada Marta Rocha (PDT) também demonstrou preocupação com o quadro que está se desenhando no Rio, pelo grande número de favelas na cidade. Ela lembrou que o Rio é uma cidade com altos índices de tuberculose, principalmente nas comunidades pobres, o que já deixa as pessoas vulneráveis, com problemas respiratórios.

“Tem que aumentar a velocidade na capacidade de resposta. Para quem é da classe média, é fácil o isolamento social. Mas quando se pensa nas comunidades, em que os domicílios têm um único quarto e abrigam cinco moradores, essa questão tem que ser verificada para garantir o atendimento dessas pessoas”, disse Marta Rocha.

O deputado Waldeck Carneiro (PT) pediu pressa às autoridades de saúde para abrigar pessoas que precisarem ser isoladas em quarentena. Ele sugeriu o uso de prédios de hospitais desativados, para colocar em condição de abrigar os pacientes.

“A China ergueu um hospital em uma semana. A Itália vacilou na prevenção e está contando os mortos. É preciso criar soluções. Há prédios públicos e privados para serem usados, e também a possibilidade de construção de hospitais de campanha”, disse Waldeck.

Riocentro

A Secretaria de Estado de Saúde foi procurada para se manifestar sobre a posição dos deputados, mas ainda não se pronunciou. Há uma projeto, de iniciativa da prefeitura do Rio, de utilizar o centro de eventos Riocentro, em Jacarepaguá, como um dos pontos de apoio ao atendimento médico, com capacidade de 500 leitos. Até o momento, nenhuma obra começou no local.

De acordo com dados oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), coletados durante o Censo de 2010, cerca de 11,4 milhões de pessoas, equivalente a 6% da população brasileira, viviam em uma das 6.329 favelas do país. No Rio de Janeiro, segundo o IBGE, a população moradora de favelas e comunidades pobres é estimada em 1,7 milhão de habitantes.

Com informações da Agência Brasil

Categorias
Rio

Prefeitura de Niterói fecha acesso às praias para conter coronavírus

A partir desta quinta-feira (19), a prefeitura de Niterói, na região metropolitana do Rio, vai bloquear os acessos às 15 praias da cidade, entre elas, Icaraí, Camboinhas, Piratininga, Itacoatiara, Itaipu, além de determinar o fechamento de shoppings, centros comerciais, restaurante e clubes. Essas medidas se somam a outras já adotadas para conter a disseminação do novo coronavírus em Niterói. O prefeito Rodrigo Neves assinou o decreto com as novas determinações.

De acordo com o decreto, o fechamento ao público de todos os bares, restaurantes, shoppings centers, centros comerciais, clubes e quiosques de alimentação de Niterói e as praias vai até o dia 6 de abril. A prefeitura vai manter o serviço de entrega de refeições e lanches por meio de aplicativos de entrega ou entrega direta.

Sobre as praias, o documento proíbe a permanência nas praias da Região Oceânica e da Baía de Guanabara, bem como nas praças públicas de Niterói, também até 6 de abril. O texto reforça que os cidadãos devem sair às ruas “apenas para atividades inadiáveis ligadas à alimentação, saúde e trabalho”. A finalidade é conter o aumento dos casos de coronavírus entre a população da cidade.

O prefeito Rodrigo Neves determinou também o fechamento de vias públicas de acesso às praias da Região Oceânica de Niterói, permitido apenas os acessos de moradores e serviços de entrega.

“O objetivo dessas medidas duras é fazer com que as pessoas fiquem em casa. A cidade já teve uma redução muito grande de pessoas nas ruas, mas é necessário diminuir ainda mais, reduzir ao mínimo possível o número de pessoas circulando nas ruas. Só dessa forma vamos salvar vidas”, afirmou Rodrigo Neves.

O prefeito ressalta que, para o bloqueio do acesso às praias, haverá a presença das agências de segurança e dos agentes de ordem pública.

Coronavírus

De acordo com a Fundação Municipal de Saúde (FMS), Niterói tem seis casos confirmados de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Todos os pacientes realizaram viagem ao exterior, estão em isolamento domiciliar e sendo acompanhados pela FMS.

O prefeito avaliou que é fundamental o engajamento do setor privado. O município reconhece o impacto econômico das medidas de contenção e, por isso, anunciou, no início da semana, o adiamento do pagamento do Imposto Sobre Serviço (ISS) para todos os setores pelo prazo de três meses.

“O momento é fundamental para salvarmos vidas e protegermos os cidadãos, para cuidarmos da nossa cidade. Por isso, é importante a compreensão também de todo o setor privado. Assim como tivemos outras crises em Niterói, como a crise fiscal do início do mandato, e a da Segurança Pública, vamos sair mais fortes dessa situação, como saímos das demais”, disse Neves.

Aumento de leitos

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, anunciou a montagem imediata de mais 14 leitos de UTI no Hospital Municipal Carlos Tortelly, no Centro, além dos que já estão garantidos de acordo com o plano de contingência da Secretaria Estadual de Saúde.

“Na semana que vem, teremos mais 30 leitos e, se for necessário, passaremos de 100 novos leitos de UTI”, afirmou o secretário.

Rodrigo Oliveira informou, ainda, que estão suspensas as consultas ambulatoriais e cirurgias eletivas, mantendo apenas aquelas que a não realização coloque em risco a vida do paciente, como por exemplo, as cirurgias cardíacas e oncológicas.

“É importante que a população tenha a clareza de que, nesse momento, a prioridade é o enfrentamento do coronavírus. Importante que a população só procure as unidades de saúde para casos graves para evitar risco de exposição ao vírus. As emergências continuarão abertas. Mas fica o apelo para que a população só procure as unidades de saúde para casos graves”, reforçou Oliveira.

Com informações da Agência Brasil

Categorias
Rio

Justiça manda Cedae dar 25% de desconto

Da Redação

Consumidores do Rio de Janeiro afetados pelo fornecimento de água em condições impróprias nos meses de janeiro e fevereiro deste ano terão 25% de desconto em suas contas. A decisão foi divulgada em 10 de março e é da juíza Maria Christina Berardo Rucker, da 2ª Vara Empresarial do Rio, que determinou à Cedae a redução na conta. Em caso de descumprimento, a empresa está sujeita a multa diária de R$ 1 milhão.

Na decisão, a juíza separou a cobrança da água da do esgoto, fixando o percentual de 25% de desconto para a água e mantendo inalterada a cobrança pelo esgoto. O governador Wilson Witzel disse que irá recorrer da decisão.

Nove milhões de consumidores do Estado receberam da Cedae água com aparência turva e gosto de terra por causa da proliferação de algas e da consequente contaminação por geosmina. Isso ocasionou gastos extras às famílias com a compra de água mineral, usada para consumo e preparação de alimentos.

Categorias
Rio

Após meses, Avenida Niemeyer é liberada

Por Franciane Miranda

A Avenida Oscar Niemeyer, importante via que liga a Zona sul à Zona Oeste do Rio, foi reaberta. A decisão foi expedida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no dia 6 de março pelo presidente do órgão, ministro João Otávio de Noronha. O ministro determinou a imediata reabertura da via que estava fechada desde 28 de maio de 2019 por medidas de segurança, depois que um temporal provocou graves deslizamentos na região.

Após a autorização do STJ, o prefeito Marcelo Crivella esteve no local um dia após a decisão para oficializar a tão esperada abertura da avenida nos dois sentidos. A ciclovia Tim Maia, no entanto, continua fechada.

A juíza titular da 3ª Vara da Fazenda Pública do Rio, Mirela Erbisti, responsável pela decisão na época, determinou o fechamento imediato a pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ). Ela alegou que a via oferecia risco de novos deslizamentos de terra nas encostas. A magistrada chegou a esta conclusão após o resultado do laudo pericial. A vistoria foi feita em alguns pontos da avenida por uma equipe técnica.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), a circulação de veículos na Avenida Niemeyer só seria liberada após um laudo pericial produzido por um especialista de sua confiança afirmar que o trajeto não oferecerá mais perigo para a população. Um dos peritos da Justiça destaca que a Prefeitura não cumpriu com todas as normas de segurança e, por isso, pode haver riscos no local.

Os enormes transtornos causados pelo fechamento da Avenida Niemeyer fez a Prefeitura entrar na Justiça pela reabertura. A Procuradoria Geral do Município (PGM) do Rio de Janeiro foi solicitar a liberação ao STJ. De acordo com o governo municipal, as obras já haviam terminado, mas a via continuava fechada causando prejuízos à economia e mobilidade da cidade.

O prefeito contou que está feliz com a decisão tomada pelo STJ. “O tribunal disse que houve uma interferência indevida em matéria de competência da Prefeitura. É importante dizer isso, porque ninguém entende mais de Niemeyer que os técnicos da Geo-Rio, que estão aqui todos os dias e não só aqui, como em todas as encostas da cidade. Essa foi uma decisão que cria uma jurisprudência importantíssima para a cidade. Interferência indevida. Esse é um grande avanço que essa decisão trouxe para a cidade”, disse Marcelo.

Durante a interdição, a população sofreu com os engarrafamentos no local. Várias horas perdidas em um trânsito que parecia não ter fim. Diariamente, cerca de 36 mil veículos circulam pela Niemeyer. Ela fazia falta, pois liga bairros importantes da Zona Sul com os da Zona Oeste. Todo o caos gerado pela interdição refletia em vários bairros: São Conrado, Leblon, Ipanema, Lagoa, Gávea e Jardim Botânico, além da Barra da Tijuca.

‘Tenho certeza que o carioca está feliz’

A Prefeitura informou que investiu mais de R$ 34 milhões nas obras, em suas 56 intervenções feitas ao longo da via. Entres os serviços realizados no local estão colocação de drenos profundos, o restabelecimento do sistema de drenagem, a eliminação de contribuição de esgoto e as instalações de muros de contraforte, telas grampeadas, chumbadores e cortinas atirantadas. Estas melhorias prometem eliminar os riscos geológicos da região. Foram demolidas 34 casas construídas em áreas de risco e outras 17 construções também serão destruídas no local.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH), a segurança da via está garantida para circulação de veículos, pedestres e moradores. A avenida será fechada quando ocorrer chuvas de 38 milímetros em uma hora, com ventos de até 70 km/h conforme o novo parâmetro estabelecido. Esta medida está bem abaixo do volume suportado pela via − de 110 milímetros de chuva por hora, com ventos de 130 km/h. Ainda de acordo com a SMIH, foi instalada, no último dia 17 de janeiro, uma Comissão de Monitoramento e Avaliação de Encostas da Avenida Niemeyer. Para tranquilidade da população, o objetivo é operar de maneira preventiva e permanente.

O prefeito Marcelo Crivella afirmou que a avenida foi aberta com total segurança e destaca que a população fluminense também pedia pela abertura. “Todas as obras foram realizadas e, em caso de chuvas acima de 38 milímetros, o protocolo de segurança para o fechamento da Niemeyer será feito. Eu tenho certeza que o carioca está feliz”, afirma.

O TJRJ afirmou que não vai se pronunciar sobre a abertura. Destacou que o Ministério Público decidirá se vai entrar com recurso ou não. Confira a nota do TJRJ: “O Tribunal de Justiça lamenta as declarações do Sr. Prefeito do Município do Rio de Janeiro, uma vez que, no momento do deferimento da liminar, a situação de fato exigia a garantia da integridade física e do direito à vida da população carioca, ante omissão de setor da administração pública municipal, reafirmando o direito fundamental de acesso à Justiça”.

De acordo com o Ministério Público já foi solicitado uma nova avaliação técnica de toda documentação enviada pela Prefeitura. O MP se pronunciará até dia 19 de março, prazo final da análise.

A disputa causada entre a Justiça e Prefeitura sobre se há risco na avenida ainda geram insegurança na população. O carioca merece uma resposta mais concreta, com ações mais conclusivas sobre a real situação da avenida.

‘A Amasco trabalha em defesa da população e cobrando respostas’

José Britz, presidente da Amasco (Foto: Arquivo pessoal)

José Britz, presidente da Associação dos Moradores de São Conrado (Amasco), explica que esta seria uma solução: abrir a via em dias secos e fechar quando ocorrer chuvas fortes. Ele destaca que esta liberação precisa ser controlada e com total segurança para não oferecer riscos à população. “Quando chovesse haveria todo um controle para o fechamento, com equipes de manutenção, equipes médicas de emergência, sinalizações, etc.”. O presidente também chama a atenção para o modo como é feito essa organização nos Alpes e Andes, por exemplo.

Britz conta que, para ajudar a solucionar o problema, realizaram manifestações com outras associações de moradores de bairro próximos. Ele afirma que existia uma torcida para que o Poder Judiciário e o Executivo chegassem a um consenso e achassem um caminho paliativo para que a Avenida Niemeyer voltasse a funcionar com segurança.

O presidente da Amasco chama à atenção para um projeto de um túnel da década de 90, que foi paralisado por protestos de ambientalistas. O trajeto começaria atrás do Centro Esportivo da Rocinha e sua saída seria no final da Avenida Niemeyer, no Leblon. “O traçado original da via prevê escavações de 2,4Km do Morro Dois Irmãos e seria uma alternativa à Avenida Niemeyer”, aponta.

José Britz afirma que a Justiça não informava diretamente à associação, mas que o acesso aos dados oficiais se dava à sua condição no processo ou através da mídia. “A Amasco participa do processo judicial inserida como ’amicuscuriae’, portanto não pode opinar nem perguntar, atuando somente como ouvinte”, diz José Britz. “A Amasco trabalha em defesa da população e cobrando respostas”, destaca ele.

Categorias
Destaque Rio

Detran-RJ fecha postos de atendimento

Na tentativa de conter a proliferação do coronavírus, o Detran-RJ tem das 495 unidades em todo o estado, apenas a sede e quatro postos  abertos para casos de emergência.

O prazo para renovação da Carteira de Habilitação (CNH) está prorrogado por mais 30 dias e também serão anistiados os pagamentos de multa para quem registrar a Transferência de Propriedade com atraso em decorrência do risco de surto do coronavírus.

Quem tiver urgência deve ligar para os telefones 3460-4040 ou 3460-4041 (para a Região Metropolitana) e 0800-020-4040 ou 0800-020-4041 (para o interior) e será orientado sobre como proceder para resolver o problema. Basta comprovar a situação de emergência.

Os exames de habilitação anteriormente agendados entre a última segunda-feira, 16, e o próximo dia 30 foram passados para o período entre 6 e 20 de abril.

 

Categorias
Destaque Rio

Novas medidas para conter coronavírus no Rio

Com a decretação da situação de emergência no estado, eventos e atividades com a presença de público estão suspensos por 15 dias, inclusive feiras e reuniões em salões de festa, atividades em cinema e teatro, visita nas unidades prisionais e transporte de detentos para a realização de audiências, visita a pacientes internados nas redes pública e privada diagnosticados com Covid-19.

As aulas nas redes pública e privada, inclusive de nível superior, também estão suspensas pelo mesmo prazo.

Também foram suspensos por 15 dias o curso dos prazos de processos administrativos e a circulação de linhas de ônibus interestaduais com origem em estados que estejam com o contágio comunitário do vírus confirmado ou com a situação de emergência decretada.

O estado recomenda que bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres operem com 30% da capacidade, pelos próximos 15 dias, mantendo o serviço de entrega e de retirada. Os restaurantes que ficam no interior de hotéis e pousadas devem atender apenas os hóspedes.

Academias, centros de ginástica e shoppings centers devem ser fechados. Estão excluídos das recomendações os supermercados, as farmácias e os serviços de saúde que funcionam dentro dos shoppings. Os estabelecimentos de alimentação dos shoppings podem funcionar, mas devem reduzir em 30% o horário de atendimento.

Ainda como recomendação, o decreto pede que a população deixe de frequentar praias, lagoas, rios e piscinas públicas. A operação aeroportuária e a atracação de navios de cruzeiro com origem em estados ou países onde há confirmação de coronavírus deve ser restringida.

O texto determina a redução pela metade da capacidade de lotação de ônibus, barcas, trens e metrôs. O transporte coletivo deve circular, quando possível, com as janelas abertas. O decreto também proíbe por 15 dias o uso do passe livre estudantil nos transportes.

Servidores ou empregados públicos e contratados por empresas que prestam serviço para o estado do Rio de Janeiro que apresentarem os sintomas respiratórios da doença devem informar a administração pública e seguir os protocolos determinados pela Secretaria de Saúde.

Ainda em relação aos servidores, o decreto determina a preferência pelo trabalho remoto fora das dependências do órgão. O texto abre também a possibilidade para antecipação de férias ou flexibilização da jornada. As reuniões devem deixar de ser presenciais.

Fonte: EBC

Categorias
Destaque Rio

Governo restringe linhas intermunicipais de ônibus e isola Região Metropolitana do Rio

Nesta terça-feira (17), o Detro publicou que restringe as linhas intermunicipais de ônibus no RJ por 15 dias. Estando  proibida a circulação de quaisquer ônibus entre a Região Metropolitana e o interior.

O transporte intermunicipal realizado dentro da Região Metropolitana continuará sendo operado com os passageiros podendo ser transportados somente sentados. A medida foi tomada considerando que a maior parte dos casos da Covid-19 no estado está concentrada na Região Metropolitana. Os passageiros com bilhetes emitidos para os municípios com restrição, com validade posterior à data da portaria, serão ressarcidos pelas respectivas empresas.

 

São considerados municípios da Região Metropolitana:

 

  • Belford Roxo
  • Cachoeiras de Macacu
  • Duque de Caxias
  • Guapimirim
  • Itaboraí
  • Itaguaí
  • Japeri
  • Magé
  • Maricá
  • Mesquita
  • Nilópolis
  • Niterói
  • Nova Iguaçu
  • Paracambi
  • Petrópolis
  • Queimados
  • Rio Bonito
  • Rio de Janeiro
  • São Gonçalo
  • São João de Meriti
  • Seropédica
  • Tanguá.

 

 

Categorias
Destaque Rio

Rio suspende aulas e cancela eventos como medidas de prevenção e contenção à circulação do novo coronavírus

Os governos municipal e estadual do Rio de Janeiro anunciaram medidas emergenciais para a prevenção e contenção ao contágio do novo coronavírus no estado. Entre as determinações anunciadas, estão a suspensão das aulas nas escolas municipais, estaduais e particulares e o cancelamento de eventos e atividades culturais e esportivas.

Mesmo com o fechamento temporário, as 1.540 unidades de ensino do município fecharão por uma semana, mas o prazo pode se estender até o fim de março. Mas as escolas estarão abertas para almoço dos alunos entre 11h e 13h. No total, são 626 mil alunos. No estado, as aulas ficarão, a princípio, suspensas por: 15 dias, que serão descontados das férias de julho, como uma antecipação das férias.

O governador Wilson Witzel montou um gabinete de crise e publicou um decreto visando evitar aglomerações e com medidas de enfrentamento que incluem restrição excepcional e temporária de entrada e saída da cidade, por rodovias portos ou aeroportos e também a possibilidade de realização compulsória de vacinação, exames médicos e outros tipos de testes de saúde.

Gabinete de crise: ações coordenadas de combate ao novo coronavírus (Foto Governo do Estado do Rio)

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que a cidade entrou em Estágio de Atenção às 16h da sexta-feira, 13 de março, com as seguintes recomendações:

  1. A Prefeitura do Rio recomenda que ônibus e BRTs evitem superlotação de passageiros
  2. A Prefeitura do Rio não vai conceder licenças para eventos que causem grandes aglomerações. Licenças já concedidas serão canceladas a partir de segunda-feira
  3. A Prefeitura do Rio suspende os períodos de férias do pessoal da saúde e assistência social enquanto durar a pandemia
  4. A Prefeitura do Rio suspende as aulas em escolas municipais na próxima semana, mantendo os refeitórios abertos para o almoço a partir das 11h às 13h
  5. Estão suspensas também, a partir de segunda-feira, 16, atividades nas Casas de Convivência, cinemas, teatros, lonas culturais e museus da Prefeitura do Rio
  6. Prefeitura do Rio recomenda que pessoas com baixa imunidade (asma, pneumonia, tuberculose, câncer, renais crônicos e transplantados) evitem sair de casa
  7. Prefeitura do Rio orienta que a população evite frequentar cinemas e teatros particulares
  8. Recomendação de jornadas de turnos de trabalho alternativos para empresas, com o objetivo de evitar a superlotação nos transportes coletivos. E, sempre que possível, o trabalho em casa. O setor público deverá adotar o mesmo princípio de escala
  9. Prefeitura do Rio irá disponibilizar álcool gel em todas as repartições municipais de atendimento ao público, incluindo hospitais, abrigos, estações de BRT, escolas e equipamentos culturais
  10. Prefeitura do Rio recomenda que as atividades esportivas no Engenhão não sejam abertas ao público

Município: 150 leitos destinados a casos graves

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e a secretária Municipal de Saúde, Beatriz Busch, anunciaram na manhã desta quinta-feira (12/03) a ampliação de 120 para 150 do número de leitos da rede municipal destinados a casos graves de coronavírus. A Prefeitura determinou ainda que o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, passe a ser a unidade de referência para tratamento do Covid-19. Uma terceira medida foi a elevação em um nível do Plano de Contingência, aumentando ao Nível 1 a vigilância municipal.

O anúncio foi feito durante cerimônia de recebimento dos seis primeiros tomógrafos, de um total de 16 novos adquiridos recentemente pela Prefeitura do Rio, com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Os equipamentos fazem parte do investimento de R$ 370 milhões realizado pela atual gestão na renovação do parque tecnológico das unidades de saúde da rede municipal. Ao todo, foram comprados mais de 18 mil equipamentos para a rede de saúde.

O ministro da Saúde destacou que a chegada dos equipamentos do parque tecnológico é vista como providencial no contexto da pandemia. “O município do Rio de Janeiro está de parabéns, porque reforça sua rede de atendimento neste momento de grande desafio trazido pelo novo coronavírus”, disse Luiz Henrique Mandetta.

Uma das principais preocupações do Poder Público é evitar a lotação dos transportes públicos. Chegou a ser cogitado impedir que as pessoas fizessem viagens em pé em ônibus e transportes sobre trilhos, mas optou-se por sugerir que a indústria padronize turnos de trabalho com início às 6h; o comércio, às 8h; e os serviços, às 10h, para que os trabalhadores não usem os modais ao mesmo tempo.

“Isso nós recomendamos. Temos que preservar a atividade econômica, porque é ela que vai pagar a conta toda desse esforço que vamos fazer”, afirmou Crivella.

Secretária municipal de Saúde: “Não há motivo para pânico”

Marcelo Crivella anunciou que trabalhará com todas as esferas para evitar a proliferação entre os cariocas e moradores de outros municípios. “Vamos trabalhar junto com o governo do estado e o governo federal para que, caso esse problema surja como pandemia na nossa cidade, no nosso estado, estejamos preparados para tratar todos”, afirmou Crivella, ao destacar que a rede municipal de saúde está monitorando os casos no município.

A secretária Beatriz Busch ressaltou que a cidade está preparada para a pandemia e aumentou o nível de vigilância. “Passamos agora para o nível 1 do plano de contingência, estamos preparando 150 leitos para abertura imediata, se necessário, e não há dificuldade nenhuma de insumos. Neste momento, o prefeito também está estudando a regulamentação do decreto que nos permitirá pular algumas etapas de fluxo administrativo para contratação de recursos humanos, pequenas obras que sejam necessárias e compra de insumos”, afirmou.

Beatriz Busch enfatizou também que o momento é de tranquilidade e que os profissionais da rede estão treinados para diagnóstico e notificação de casos e uso de equipamentos de proteção: “Não há motivo para pânico. A população deve tratar as gripes como sempre, mas se tiver alguma dúvida, pode procurar nossas clínicas da família e centros municipais de saúde. Se tiver dificuldades respiratórias ou sintomas mais graves, pode procurar as UPAs ou hospitais de urgência ou  utilizar o tele-saúde, cujo telefone é 136”.

Higiene é a melhor forma de prevenção

A única forma cientificamente comprovada de prevenir a Covid-19 é higienizar bem as mãos e evitar o contato das mãos sujas com o rosto, o nariz e a boca. Outros cuidados são usar lenços descartáveis após tossir e espirrar ou proteger a boca com o antebraço, se precisar fazer isso em público. A prefeitura do Rio recomenda ainda que pessoas com imunidade debilitada evitem sair de casa.

Com informações da Prefeitura do Rio, governo do Estado do Rio e Agência Brasil

 

Categorias
Rio

Marcelo Crivella é alvo de operação do MP em ‘QG da propina’ no Rio de Janeiro

Desde o início da manhã da última terça-feira (10), equipes do MP-RJ (Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro) cumprem mandados de busca e apreensão. A investigação apura a criação de um balcão de negócios na Prefeitura no Rio para a liberação de verbas a empresas com pagamento de propina.

As ordens de busca e apreensão foram dadas pela desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), Rosa Maria Helena Guita, e entre os 17 alvos da operação nesta terça estão o prefeito Marcelo Crivella, a sede da Riotur, na Barra da Tijuca e as casas do presidente da empresa, Marcelo Alves e de seu irmão Rafael Alves.

De acordo com o jornal Extra, ás 6h da manhã policiais civis estiveram na Cidade das Artes onde fica a sede da Riotur. Os agentes pularam o portão e apenas 15 minutos depois puderam dar início à operação.

Investigação

Ainda conforme o Extra, a investigação foi revelada em dezembro pelo jornal O Globo, e está baseada na delação premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, preso pela ‘Câmbio, Desligo’ em 2019.

A delação do doleiro foi homologada pelo Tribunal de Justiça do Rio e se referiu a um ‘QG da propina’ operando na Riotur e ainda apontou o empresário Rafael Alves como operador do suposto esquema no município.

Sede do MP-RJ

Mizrahy chegou a afirmar que Rafael Alves era um dos homens de confiança de Crivella por ajudar a viabilizar a doação de recursos de empresas e pessoas físicas na campanha de 2016. Logo após a eleição, o empresário emplacou o irmão na Riotur e, segundo o doleiro, montou um “QG da propina” na Prefeitura mesmo sem ocupar cargo.

Conforme o depoimento do doleiro, Rafael entregava semanalmente cheques oriundos de prestadores de serviço da prefeitura para posterior recebimento em espécie. Um dos cheques seria de propina paga pela empresa Locanty, especializada em serviços como limpeza, coleta de lixo e locação de veículos.

Segundo Extra, embora a Locanty não tenha contratos na gestão Crivella, a empresa ainda protesta recursos a receber da administração passada de um contrato de aluguel de veículos para reboque de carros.

O dono da Locanty João Alberto Felippo Basrreto também está na mira da operação desta terça-feira conduzida pelo Gaocrim (Grupo de Atribuição Originária em Matéria Criminal do MP-RJ) e CIAF (pela Coordenadoria de Investigação de Agentes com Foro) da Polícia Civil.