Categorias
Cidade Rio Saúde

Vacinação nos supermercados: 180 estacionamentos em todo o estado poderão ser usados como pontos de vacinação.

Acordo de cooperação foi assinado nesta segunda (18) entre o Governo do Estado e as associações de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE)

A população do estado do Rio de Janeiro terá à disposição estacionamentos de supermercados para serem usados como pontos de vacinação. É o que garante o acordo de cooperação assinado entre o Governo do Estado e as associações de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) e Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), na manhã desta segunda-feira (18/01).
O secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione, representou o governador em exercício Cláudio Castro durante o evento.

A Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ) vai colocar à disposição do governo, por intermédio de seus associados, 180 estacionamentos em todo o estado para que possam ser usados como pontos de vacinação. Na capital, serão 110 locais.

– Supermercados fazem parte da vida de todo cidadão, e nossos associados irão disponibilizar esses espaços com o intuito de agilizar o processo de vacinação. Nós esperamos que, com isso, possamos contribuir para que os postos de saúde fiquem desafogados. A Secretaria de Saúde vai avaliar e definir os pontos que serão utilizados. Assim como estivemos com a população desde o início da pandemia, como serviço essencial, queremos estar neste cenário de vacinação também – garantiu o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz.

– Iniciamos a nossa ofensiva contra a Covid-19. O Rio de Janeiro está preparado para a campanha de vacinação, que começa hoje. O estado tem pronta uma grande logística de distribuição das vacinas para todos os municípios. O esquema foi colocado em prática neste sábado (16/01), com a distribuição de 5,5 milhões de seringas. Estamos garantindo um início de vacinação de forma igualitária a todos os cidadãos prioritários desta primeira fase – ressaltou Nicola Miccione.

Queiróz ressaltou toda a organização dos supermercados durante a pandemia para garantir o abastecimento da população, e que na fase de vacinação não será diferente.
– Não houve aglomeração nas nossas lojas, nem do lado de dentro, nem do lado de fora. O índice de contaminação foi baixíssimo. Firmamos o compromisso de colocar à disposição 180 lojas espalhadas por todo o estado do Rio de Janeiro para que possamos vacinar mais rapidamente a população – disse.
Categorias
Aconteceu Pelos Bairros Rio

Campanha de vacinação contra gripe imuniza 392 pessoas no Complexo da Maré

A ação teve o objetivo de contribuir para a vacinação da população e ajudar no diagnóstico da Covid-19

O Conjunto de Favelas da Maré (Rio de Janeiro) recebeu nos últimos dias 19 e 20 de dezembro um mutirão de vacinação promovido pela ONG Rede da Maré com o apoio da Drogarias Pacheco, rede de farmácias centenária da cidade carioca. A ação impactou mais de 392 pessoas, que puderam se vacinar contra a H1N1 e outros tipos de vírus que causam a gripe.

A Maré é um dos maiores conjuntos de favela do país, e tem mais de 140 mil habitantes, de acordo com o Censo Maré. A vacinação aconteceu no Galpão Ritma, na Nova Holanda, espaço que abriga um polo de testagem da Covid19, iniciativa da ong com parceiros na área da saúde; e em um espaço da Redes da Maré, na Vila dos Pinheiros.

A ação teve o objetivo de contribuir para a imunização da população e ajudar no diagnóstico da Covid-19. Isso porque os sintomas das duas doenças são semelhantes, se o paciente com suspeitas chegar ao pronto-atendimento e tiver se vacinado contra gripe, médicos e enfermeiros poderão descartar a hipótese da doença e se concentrar na possibilidade de se tratar da Covid-19.

Sobre o Grupo DPSP

Com a missão de proporcionar qualidade no atendimento, cuidados com a saúde e bem-estar a todos, o Grupo DPSP nasceu em 2011, a partir da fusão das redes Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo. A companhia é um dos principais players do varejo farmacêutico com mais de 1.350 lojas em 8 estados do Brasil, além do Distrito Federal. Hoje, o Grupo DPSP atende seus clientes em lojas físicas, e-commerce, televendas e app Meu Viva Saúde. As marcas Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo levam em seu DNA uma história de confiança e credibilidade no mercado nacional da saúde, preocupando-se constantemente em oferecer excelência em seus processos e a garantia da satisfação do consumidor.
Categorias
Destaque Saúde

Dez milhões ainda não se vacinaram contra gripe na segunda fase

Iniciada no dia 16 de abril e com previsão de terminar nesta sexta-feira (8), a segunda fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe atingiu apenas 36% do público-alvo. Segundo o Ministério da Saúde, a meta era de 90%.

Faltam ainda cerca de 10 milhões de pessoas do grupo prioritário pretendido pela campanha para esta fase, focada em povos indígenas, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transportes coletivos, trabalhadores portuários, membros das forças de segurança e salvamento; pessoas com doenças crônicas e outras condições clínicas especiais; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Primeira fase

Na primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação, dirigida a idosos com 60 anos ou mais e a trabalhadores da saúde, mais de 18,9 milhões de idosos foram vacinados, o que corresponde a 90,66% deste público – índice, portanto, acima da meta pretendida pelo governo. No caso dos trabalhadores da saúde, esse segmento registrou 3,8 milhões de profissionais imunizados, o que corresponde a apenas 75,5% da meta.

Profissionais de transporte coletivo (motoristas e cobradores), caminhoneiros e portuários são os que registraram a menor procura na segunda fase da campanha. Até o momento, apenas 467 mil doses foram aplicadas, quando a estimativa era a de vacinar 2,6 milhões de profissionais.

O Ministério da Saúde informou, também, que “motoristas e cobradores, caminhoneiros e portuários devem buscar a vacinação, independente do seu estado ou município de residência, em qualquer serviço público de vacinação, fixo ou móvel, pois transitam em todo o país”.

Terceira fase

A terceira fase da campanha será iniciada na próxima segunda-feira (11). Ela será dividida em duas etapas. Entre 11 e 17 de maio terá, como público-alvo, pessoas com deficiência; crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; e mães no pós-parto até 45 dias.

Na segunda etapa, entre 18 de maio a 5 de junho, serão incluídos professores das escolas públicas e privadas e os adultos de 55 a 59 anos de idade.

Segundo o governo, a exemplo das demais fases, a meta é vacinar pelo menos 90% de cada um desses grupos até o dia 5 de junho, quando a Campanha Nacional de Vacinação se encerra.

Influenza

Até o dia 18 de abril deste ano, foram registrados 1.696 casos de pessoas hospitalizadas com Síndrome Respiratória Aguda Grave por causa da influenza (gripe) em todo o país. O Ministério da Saúde já contabiliza 163 mortes pela doença.

Do total de ocorrências cuja subtipagem foi identificada, 468 foram casos de influenza A (H1N1), com 66 óbitos; 45 casos e 10 óbitos por influenza A (H3N2), 263 de influenza A não subtipado, com 43 mortes; e 399 casos e 44 óbitos por influenza B.

Com informações da Agência Brasil / Fotos: Reproduções