Categorias
Destaque Notícias Rio

Belo consegue habeas corpus e deixa cadeia no Rio após show lotado

O cantor Belo deixou a cadeia na manhã desta quinta-feira (18) no Rio de Janeiro. Ele tinha sido preso na quarta (17), quatro dias após fazer um show lotado, e sem autorização por causa da pandemia, no Complexo da Maré.

Ele foi liberado após sua defesa entrar com um pedido de habeas corpus e ter o pedido acatado pela Justiça. O documento foi assinado pelo desembargador Milton Fernandes de Souza, que mandou expedir o alvará de soltura no início da madrugada.

A prisão de Belo, na quarta, foi efetuada durante uma operação deflagrada pela Delegacia de Combate às Drogas (DCOD). Conforme a Polícia Civil, o cantor foi localizado e preso em Angra dos Reis.

Outros três mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão também foram cumpridos durante a ação. Equipamentos e veículos foram apreendidos na sede de uma produtora que teria sido uma das organizadoras da festa.

Dois sócios da produtora e um homem apontado pela polícia como sendo traficante também foram alvos dos mandados de prisão.

Cantor Belo tinha sido preso em Angra dos Reis na quarta-feira. (Foto: Reprodução)

O show realizado por Belo aconteceu no último sábado (13) na Escola Municipal do Parque União, mas o evento não tinha autorização da prefeitura.

Após o evento, a assessoria de comunicação do cantor divulgou nota dizendo que o show seguiu todos os protocolos.

A polícia disse, após o show, que todas as pessoas envolvidas no evento seriam ouvidas e que Belo, apontado por associação ao tráfico, seria intimado para esclarecer quem pagou o cachê do evento.

Ele disse, no entanto, que não teve contato com traficante de drogas, ou com alguma pessoa armada no local. O cantor não disse quem pagou pelo show, que, segundo a polícia, teria custado R$ 65 mil.

Categorias
Cultura Notícias do Jornal

Emicida é homenageado com Espaço de Cultura Urbana em São Gonçalo

 

Por Claudia Mastrange

Em funcionamento desde 24 de julho, por iniciativa da Secretaria Municipal de Educação de São Gonçalo – SEMED, em parceria com a ONG AfroTribo, a Sala de Leitura Ruth de Souza, localizada no bairro Venda da Cruz, em São Gonçalo, inaugura em 28 de dezembro o “Espaço Emicida de Cultura Urbana”. Haverá transmissão ao vivo, em formato ‘live’, às 16 h, feita pelo rapper Emicida,  que titula o local. O Espaço Emicida de Cultura Urbana contará com cineclube e aulas de breakdance, graffiti, MC e DJ, além de dispor de sala multiuso para palestras e reuniões.

Nascido e criado no Jardim Fontális, zona norte de São Paulo, Leandro Roque de Oliveira, mais conhecido pelo nome artístico Emicida, é um MC-rapper, considerado uma das maiores revelações do hip hop nacional desse século. O nome “Emicida” vem da fusão das palavras “MC” e “Homicida”, apelido herdado por ele através dos amigos das rodas de rima que frequentava, por lhe considerarem um “assassino” de seus concorrentes, durante as batalhas. Outro significado para seu nome artístico vem da sigla: E.M.I.C.I.D.A (Enquanto Minha Imaginação Compor Insanidades Domino a Arte). Formado em desenho pela Escola Arte São Paulo, Emicida também atua como desenhista e roteirista de histórias em quadrinhos.

O primeiro passo para o sucesso acontece em 2009, quando o clipe de “Triunfo” alcança mais de 8 milhões de visualizações no YouTube, seguido de uma mixtape de vinte e cinco faixas intitulada, a Pra quem já Mordeu um Cachorro por Comida, até que eu Cheguei Longe. Em 2015, Emicida lançou o álbum Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa… que lhe rendeu uma indicação ao Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Música Urbana.

Além de rapper, Emicida atuou como repórter nos programas Manos e Minas, da TV Cultura e no Sangue B da MTV e atualmente é um dos apresentadores do programa Papo de Segunda, no canal GNT.

E sendo São Gonçalo o celeiro de 40 rodas culturais de rima, além de ser  ser considerada a ‘Meca do graffiti fluminense’, caiu como uma luva o nome de Emicida na inauguração de um espaço que fosse de grande representação para a Cultura Urbana local.  Tão logo seja a pandemia permita, o músico promete visitar o espaço e promover uma roda de rima cultural com artistas locais, aos moldes das rodas que lhe consagraram como um ícone dessa geração.

Foto: Reprodução

Categorias
Notícias do Jornal TV & Famosos

Jorge Aragão é internado com Covid-19

A assessoria de Jorge Aragão confirmou para a Quem que o sambista está reagindo bem ao tratamento da pneumonia viral, causada pela Covid-19. O cantor está internado desde o dia 13 de outubro em um hospital particular do Rio de Janeiro.

“A assessoria do cantor e compositor Jorge Aragão confirma que ele deu entrada no hospital, no dia 13 de outubro, sendo diagnosticado com pneumonia viral, Covid-19. Ele apresenta um quadro estável, boa resposta ao tratamento clínico e segue consciente, com previsão de alta nos próximos dias. Jorge agradece ao carinho de todos e em breve estará apto para cumprir a agenda de shows”, informou o assessor.

Categorias
Brasileiro com muito Orgulho

O nosso Gilberto Gil

Por Alessandro Monteiro

Nasceu em Salvador, Bahia, no dia 2 de junho de 1942. Filho de médico e de professora primária com vinte dias de vida mudou-se com a família para Ituaçu, na região da caatinga baiana. Desde cedo mostrou interesse por música. Cresceu ouvindo os intérpretes da época, entre eles, Sílvio Caldas, Orlando Silva e Francisco Alves.

Em 1966, Gil começa a apresentar-se no programa Fino da Bossa, de Elis Regina na TV Record. Nesse mesmo ano, lança seu primeiro disco “Louvação”. Nesse mesmo ano, sua música “Ensaio Geral”, interpretada por Elis Regina, ficou em 5.º lugar no II Festival de Música Popular Brasileira (FMPB), realizado pela TV Record.

Em 1967, a música “Domingo no Parque”, que Gilberto Gil cantou com a participação dos Mutantes, ficou em 2.º lugar no III FMPB. O festival foi o ponto de partida para o movimento artístico chamado “Tropicalismo”, que Gilberto Gil participou junto com Caetano Veloso, Torquato Neto, Tom Zé, Rogério Duprat, entre outros.

A ideia do movimento tropicalista era a fusão de elementos da música inglesa e americana junto com as músicas de João Gilberto e Luiz Gonzaga. O movimento causou polêmica, porém, abriu portas para uma nova etapa na música popular brasileira, sendo considerado subversivo pela ditadura militar e Gilberto Gil foi preso, junto com Caetano Veloso.

Exilado na Inglaterra. Nesse mesmo ano foi lançado “Gilberto Gil” (1969), onde se destacou a música “Aquele Abraço”. Em 1968, lançou o disco “Gilberto Gil” com 14 músicas, entre elas, “Procissão” e “Domingo no Parque”. Lançou também um disco manifesto, intitulado “Tropicália” do qual participaram, além de Gilberto Gil, Caetano, Gal Costa, Os Mutantes, Tom Zé e Torquato Neto.

Entre 1989 e 1992, Gilberto Gil foi vereador na Câmara Municipal de Salvador, pelo Partido Verde. Em 2003, Gilberto Gil foi nomeado Ministro da Cultura, se desligando em janeiro de 2008, para se dedicar à carreira musical.

Entre suas músicas mais famosas destacam-se ainda: “Não Chore Mais” (1979), “Andar com Fé” (1982), “Se Eu Quiser Falar Com Deus” (1981), “Vamos Fugir” (1984) e “Esperando na Janela” (2000), que recebeu o Grammy Latino: Melhor Canção Brasileira.

Categorias
TV & Famosos

Fábio Jr. agradece orações e diz: ‘fique em casa’

Após alta hospitalar, o cantor Fábio Júnior tranquilizou seus fãs, gravando um vídeo em sua conta oficial agradecendo as orações. Internado por 8 dias num hospital na cidade São Paulo, o cantor passou por exames para descobrir se havia sido contaminado com o novo coranavírus. O diagnostico negativo, detectou apenas estafa e estresse.