Categorias
Fica a Dica Notícias do Jornal

Carnaval bem diferente

 

A quadra da escola de samba Grande Rio, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense,  foi a primeira de seis escolas de samba do grupo especial do Rio, considerado a elite do carnaval carioca, a receber, em pleno feriadão da folia, intervenções artísticas da fotógrafa paulista Flávia Junqueira. Além de fotos, Flávia vai fazer vídeos, que ao fim do projeto serão editados e resultarão em um documentário.

“A ideia de entrar nesses espaços foi justamente por entender que o carnaval é uma festa popular, muito característica de nosso país e, neste momento, com todas as restrições que estamos passando por causa do novo coronavírus, esses espaços estão extremamente vazios, quando a gente sabe que se fosse uma situação normal estariam repletos de pessoas, supercoloridos e com samba. As quadras são lugares de união do público”, disse a fotógrafa em entrevista.

 Foto: Flávia Junqueira

Categorias
Fica a Dica Notícias do Jornal

Botando os blocos na rede!

 

Não está havendo o tradicional carnaval no Rio, em 2021, e nem há blocos nas ruas…  Mas quem disse que eles estão parados? Os blocos “Escravos da Mauá” e “Meu Bem Volto Já” lançam o projeto “Do Leme à Praça Mauá — Histórias e Músicas do Carnaval Carioca”, dia 12 de fevereiro, no canal do Youtube “Histórias e Músicas do Carnaval Carioca” (https://bit.ly/3qmUBUs).

Com roteiro e direção de Pedro Monteiro, a série terá 12 programas de sete a dez minutos que vão contar algumas das curiosidades dos sambas e compositores que fizeram sucesso no Carnaval da cidade dos anos 90 aos dias atuais.

Na estreia, serão exibidos dois episódios consecutivos. O projeto tem patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Especial de Cultura e do Ministério do Turismo por meio da Lei Aldir Blanc.

Foto: Divulgação

Categorias
Destaque Rio

Governo do Estado investe mais de R$ 6,2 milhões para apoiar eventos carnavalescos

 

O Governo do Estado do Rio de Janeiro está investindo mais de R$ 6,2 milhões para apoiar a indústria do Carnaval e ajudar a minimizar o impacto econômico causado pela pandemia da Covid-19. Na próxima semana, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa lança editais para auxiliar eventos online para a escolha de sambas-enredo de oito escolas do Grupo Especial e apresentações de blocos de rua por meio do Fundo Estadual de Cultura. Cada agremiação receberá R$ 150 mil e os blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, R$ 200 mil no total. Além disso, o Estado já aplicou recursos no valor de R$ 5 milhões por meio da Lei Aldir Blanc em 103 projetos carnavalescos.

“Infelizmente, a pandemia da Covid-19 nos impede este ano de realizar o maior Carnaval do mundo, mas temos que pensar na segurança da população. Para reduzir o impacto financeiro no setor, estamos apoiando as escolas de samba e os blocos de rua através do repasse desses recursos, da Lei Aldir Blanc e do Fundo Estadual de Cultura. Já preparando o Carnaval de 2022, quando toda a população fluminense estiver imunizada contra o novo coronavírus”,  afirmou o governador em exercício, Cláudio Castro.

O edital que beneficia as agremiações da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) vai garantir renda para profissionais que atuam na Imperatriz, Mangueira, Salgueiro, São Clemente, Paraíso do Tuiuti, Portela, Unidos da Tijuca e Vila Isabel.

A escolha dos sambas-enredo deve ser realizada em quatro etapas, todas com transmissão pela internet. As apresentações eliminatórias e as finais acontecem na Cidade do Samba, no Santo Cristo, por conta da boa infraestrutura e condições de acessibilidade, com respeito aos protocolos de segurança contra a Covid-19. As outras quatro agremiações da Liesa foram atendidas com recursos da Lei Aldir Blanc e contempladas com o mesmo valor.

“ O cancelamento dos desfiles gera um prejuízo incalculável, mas foi uma medida acertada para o atual momento. Entendemos como merecido esse apoio às escolas diante de tudo que já fizeram pela cultura do estado e pelo que elas contribuem em termos de geração de emprego e renda. É um momento de unirmos força para que essa indústria possa se manter viva e possa fazer um belo espetáculo ano que vem”, afirmou a secretária de Cultura, Danielle Barros.

Já as apresentações dos blocos Sebastiana e Amigos do Zé Pereira, que se juntou ao Bola Preta, devem acontecer em uma casa de espetáculo em data a ser definida. Os shows, transmitidos pela internet, contarão também com público presente restrito, seguindo as regras de prevenção contra a Covid-19.

 Lei Aldir Blanc

 Os R$ 5 milhões em recursos da Lei Aldir Blanc investidos em projetos ligados diretamente ao Carnaval movimentaram uma cadeia criativa e produtiva que envolve milhares de profissionais também de forma indireta. Além de artistas, músicos e sambistas, foram contemplados profissionais que atuam nos bastidores das produções, como aderecistas, cenógrafos, coreógrafos e ritmistas.

Dos 103 projetos aprovados nos diferentes editais culturais, estão incluídos os blocos carnavalescos tradicionais da capital e do interior, quatro agremiações do Grupo Especial e as ligas que compõem os chamados grupos de acesso (LIERJ e LIESB). Também receberam apoio os eventos virtuais que apresentam a história de grandes ícones do Carnaval, como Nelson Sargento, Tia Surica, Beth Carvalho, Noel Rosa e Cartola.

Foto: Prefeitura do Rio

Categorias
Cidade Destaque Notícias Rio

Personalidades do samba são vacinadas contra a covid-19 no Sambódromo

Portelense Monarco foi vacinado no Sambódromo (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

O Sambódromo do Rio de Janeiro, na Cidade Nova, que esse ano não tem os desfiles das escolas de samba por causa da pandemia, foi transformado em palco para vacinação da COVID-19. A imunização no local começou, no sábado (13), simbolicamente por personalidades do samba.

Veja também: Marquês de Sapucaí ganha iluminação em homenagem a vítimas da covid-19

A Prefeitura do Rio realizou no local a repescagem da vacinação de idosos a partir de 85 anos. O compositor Monarco, de 87 anos, baluarte da Velha Guarda da Portela, foi uma das pessoas imunizadas na Marquês de Sapucaí, junto com outros sambistas. Ele ficou emocionado e fez um apelo.

“Que todos os idosos venham se vacinar. Eu quero cantar para o meu povo, quero subir no palco. Estou com saudade dos meus amigos, da Velha Guarda da minha Portela querida”, disse, ao lado da esposa, Olinda Diniz.

Ele também lembrou de companheiros que morreram vítimas da Covid-19, como o compositor Aldir Blanc e o sambista Ubirany, do Cacique de Ramos.

Lizette Prazeres, 85 anos, da velha guarda do Império Serrano também tomou vacina (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

Outros três sambistas se vacinaram na Marquês de Sapucaí: Nedyr Torquato, de 85 anos, um dos fundadores da escola de samba Ilha do Governador; Lizette José dos Prazeres, 85 anos, da Velha Guarda do Império Serrano; e Marsilia Lopes, 85 anos, considerada a Mãe dos Destaques da Portela.

Marsília Lopes Santos Albuquerque, 85, da Portela foi imunizada (Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio)

240 mil vacinados

A prefeitura do Rio informou que, até o sábado (12), já tinham sido aplicadas na cidade 240.577 doses da vacina, em  3,3% da população.

Na segunda (15) e na terça-feira (16), está mantida a imunização de idosos de 84 e 83 anos, respectivamente. Pelo cronograma informado pelo Ministério da Saúde, há previsão de o município receber novas remessas de doses nas duas próximas semanas, com as quais espera manter a programação da vacinação para os próximos grupos prioritários.

A prefeitura informou que as vacinas para a segunda dose de quem tomou a primeira no início da campanha estão garantidas e começarão a ser aplicadas na semana que vem.

As equipes de saúde aproveitarão a terça-feira de Carnaval para retornar às instituições de longa permanência, onde aplicarão a segunda dose em idosos que vivem em asilos e pessoas com deficiência institucionalizadas. População indígena e quilombola, além dos profissionais das unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) envolvidos na campanha de vacinação também receberão a segunda dose neste dia.

Ainda no dia 16, unidades hospitalares e de pronto atendimento deverão aplicar a segunda dose da vacina nos próprios profissionais que tomaram a primeira dose no local de trabalho em janeiro.

 

Categorias
Destaque Rio

Prefeitura do Rio tem plano logístico para combater aglomerações

 

Durante cerimônia de inauguração da iluminação especial s do Sambódromo, nesta sexta-feira, dia 12 de fevereiro, o prefeito Eduardo Paesreforçou o apelo para que a população evite aglomeração. “ Nos próximos dias, é para não ir a festas e nem desfilar em blocos. Vamos curtir o carnaval de maneira diferente. A minha promessa, o meu compromisso, quero assumir aqui perante o Rei Momo: em 2022, faremos o maior carnaval da história. Vamos fazer uma celebração inesquecível, para compensar esse ano “, destacou.

Ele comentou a respeito do  Carnaval diferente deste ano,. Não vai ter carnaval porque a gente quer salvar vidas. Não vai ter carnaval porque a gente precisa preservar vidas. Não vai ter carnaval porque quem amamos e até os que não conhecemos não podem ficar expostos a essa doença que, infelizmente, matou no mundo uma quantidade enorme de pessoas. Essa também é uma homenagem a todas essas vidas perdidas”, declarou o prefeito.

A Prefeitura do Rio montou um plano logístico de ações para combater aglomerações durante o período em que seria realizado o carnaval. O esquema especial de fiscalização começou nesta sexta-feira (12/02) e vai até as 6h do dia 22. O planejamento conta com bloqueios em pontos estratégicos de acesso à cidade, ações destacadas da Guarda Municipal para impedir blocos, e comboios integrados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), com o Instituto de Vigilância Sanitária (Ivisa) e o apoio da Polícia Militar, entre outros órgãos.

Além do levantamento prévio feito pela Seop, o trabalho das equipes nas ruas terá o suporte de monitoramento de câmeras 24 horas pelo Centro de Operações Rio (COR). Quem descumprir as regras (pessoas físicas e jurídicas) está sujeito a multas por infrações sanitárias, como aglomeração e falta de uso de máscara e interdição.

Sites que promovem festas pagas também estão sendo rastreados e serão notificados e responsabilizados, caso os eventos ocorram. Blocos ou agremiações carnavalescas que descumprirem as regras estarão automaticamente descredenciados do carnaval 2022. Além disso, equipamentos e carros de som serão apreendidos e acautelados.

Foto: Prefeitura do Rio

Categorias
Aconteceu Brasil

Skol testa helicóptero que faz chover em aglomerações no Carnaval e vai dar cerveja pra quem ficar em casa

 

A marca faz brincadeira com helicóptero que pode “fazer chover” para dispersar aglomerações, dá frete grátis para quem ficar em casa e ainda tem promoção pra quem estiver fantasiado.

No ano passado, para prolongar a diversão no Carnaval e juntar a galera, Skol apostou em espantar a chuva dos bloquinhos com o Avião da Skol e sua tecnologia especial. Desta vez, a intenção é dispersar a multidão!

Em uma ação para desincentivar a aglomeração neste Carnaval, a cerveja da leveza e da diversão, apresenta o HeliSkolptero, helicóptero equipado com um mecanismo que despejava água como uma tromba d’água. A aeronave entra em cena para dispersar a multidão e dar, literalmente, um banho de água fria em quem estiver aglomerado.

A ideia nada convencional é o enredo do novo filme da marca, gravado com manequins que ganharam um banho de água fria resultando em fantasias arruinadas, modelos danificados e confete pelo chão. O vídeo vai circular nas redes sociais da marca e de influenciadores para incentivar as pessoas a não aglomerarem.

“Mesmo nesse ano atípico, a Skol vai fazer de tudo pra continuar levando diversão e leveza para a casa dos nossos consumidores, mas com segurança. Vamos manter o espírito do carnaval vivo, seja com promoções exclusivas ou até mesmo inventando jeitos inusitados de mandar a galera pra casa.” afirma Cibele Nunes, Gerente de Marca na Ambev.

‘Fantasia de Delivery’: frete grátis e concurso que promete cerveja de graça até o Carnaval de 2022

Para os consumidores que optarem por curtir o Carnaval na segurança de suas casas, o frete grátis será válido na compra de Skol e Skol Puro Malte pela plataforma Zé Delivery, entre os dias 11 a 17 de fevereiro. Para garantir a entrega na faixa, basta inserir o código de cupom HELISKOL no pagamento. A ação é válida para todo o país, nas praças atendidas por Zé Delivery.

Quem comprar pela plataforma e quiser mostrar sua criatividade e estilo, ainda ganhará a oportunidade de participar da promoção “Fantasia de Delivery”. Após a finalização do pedido, o cliente deverá postar uma foto sua fantasiado no Instagram, Facebook ou Twitter, marcando o perfil da Skol ou a #FantasiaSkol na publicação. Publicada a foto, a melhor fantasia ganhará cerveja de graça até a folia de 2022, enquanto outros participantes serão selecionados para ganhar um pack extra de Skol. A promoção só será válida para quem realizar a compra de Skol ou Skol Puro Malte no Zé Delivery. Os ganhadores deverão apresentar comprovante de compra para receber o prêmio.

 

Categorias
Destaque Rio

Rio de Janeiro não terá ponto facultativo no Carnaval

 

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) publicou hoje no Diário Oficial o decreto que revoga o ponto facultativo do Carnaval para conter o avanço de infecções pelo novo coronavírus na cidade. A festa aconteceria entre 12 e 16 de fevereiro.

“Considerando a necessidade de continuidade das medidas adotadas pelo Município para o enfrentamento da emergência sanitária de importância Internacional, decorrente da pandemia pela covid-19”, explica. “º Fica revogado o Decreto Rio nº 48.435, de 15 de janeiro de 2021, que estabelece ponto facultativo nas repartições públicas municipais no dia que menciona”, conclui.

A medida ainda é citada como “ser decisivo para o processo de retomada do estágio de normalidade da cidade, o planejamento de ações que possibilitem a segurança necessária à retomada da atividade econômica”.

Categorias
Destaque Notícias do Jornal

Crivella, o prefeito impopular

São tantas as negativas do governo Marcelo Crivella, que fica difícil achar algo positivo que comprove a eficácia de um bom governo. A problemática na saúde, os casos de indicação que ficou nacionalmente conhecido como “Fala com a Márcia” e os superfaturamentos, comprovam que o Rio não teve sorte.

Um escândalo que motivou várias ações e movimentos de revolta contra Crivella, após vir à tona, informações de uma agenda, que constava um planejamento envolvendo 250 pastores, cujo atendimento nos hospitais municipais seriam facilitados, as cirurgias teriam prioridade, além de amortização de dívidas, isenção tributária de igrejas e muito mais.

Após o vazamento das informações, o vereador Átila Nunes protocolou o primeiro pedido de impeachment do governo Crivella, com 60 páginas, cuja acusação defendia a “apuração de crime de responsabilidade e infração político-administrativa”, além da “inabilitação para exercer a função pública pelo prazo de oito anos.

Em outro momento, Crivella, atualmente bispo licenciado volta a oferecer privilégios para as igrejas e fala explicitamente em utilizar seu cargo para isso. “Às vezes o pastor está na porta da igreja e diz assim: ‘quando o povo atravessa, pode ser atropelado’. Vamos botar um sinal de trânsito. Vamos botar um quebra-molas.

Ou então o pastor diz assim: ‘o ponto de ônibus é lá longe, o povo desce e vem tomando chuva até a porta da igreja’. Então vamos trazer o ponto pra cá. Vamos aproveitar esse tempo que nós estamos na prefeitura para arrumar nossas igrejas”, discursa.

E continua: “Se vocês quiserem fazer eventos no parque Madureira, está aqui o nosso líder, que é o doutor Valmir. Se vocês tiverem problema, tem o Manassés, o nosso companheiro, que cuida das pessoas com problema de vícios em drogas. Contem conosco, este palácio está aberto a vocês. Qualquer coisa, nossa equipe está aqui. Se as igrejas estiverem bem, crescendo, quantas tragédias não vamos evitar?”

Acima, o diálogo de Marcelo Crivella com os líderes religiosos que tentavam a todo instante, blindar sua campanha, mas por 35 votos contra 13, a denúncia que indicava irregularidades na renovação de contratos com concessionárias estrangeiras e os dados acima mencionados, foi arquivada.

Com a pandemia, os holofotes colocaram o atual prefeito em mais evidências e trouxe de fato, a crise e as jogadas políticas que colocam o governo numa completa saia justa, com novo processo de impeachment de Crivella, as vésperas das eleições.  Se não bastassem os escândalos denunciados pelo doleiro Sérgio Mizrahy numa delação premiada, trazendo à tona, novo escândalo de Crivella com os irmãos Alves e a RioTur.

Marcelo Alves Foto de Tânia Rego Agência BrasilO presidente da Riotur, Marcelo Alves, durante coletiva sobre o Carnaval Rio 2020

Alvos de uma operação da Polícia Civil e Ministério Público do Rio, Marcelo e Rafael Alves são os protagonistas de operar um esquema milionário de propina, conforme divulgado pelo MP-RJ e informações divulgadas pelo RJ2, da Tv Globo. Crivella, que também foi alvo de mandados de busca e apreensão, teve seu celular apreendido.

No aparelho apreendido, mais de 1949 mensagens trocadas entre Rafael e Crivella confirmam a veracidade das denúncias. Apesar de algumas desavenças que surgiram no meio da trajetória política, Crivella funcionava como quase um subordinado de Rafael Alves, que ao que tudo indica, era articulador e todo poderoso que ditava as ordens ao prefeito, que por motivos ainda não comprovados, executava todas as solicitações de Alves.

Em licitações fraudadas, a  falta de pagamento aos prestadores de serviços, fornecedores e parte do funcionalismo público, a prefeitura do Rio claramente nada fez, para minimizar os impactos da pandemia na cidade, empurrando cada vez mais no poço, milhares de cidadãos que imploravam por um atendimento, por uma medicação, por atenção!

Desde o início da pandemia, em março, a Prefeitura do Rio gastou quase R$ 250 milhões na compra itens de prevenção e combate à doença. Porém, um relatório feito por técnicos do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro (TCM-RJ) diz que há indícios de superfaturamento na compra de 57 itens pela prefeitura durante a pandemia.

 

Crivella e Rafael Alves Foto de Reprodução

Os técnicos do órgão de controle analisaram contratos da Secretaria, cuja lista de mercadorias compradas, estavam bem acima do preço normal e comparados as notas anteriores, é nítido o superfaturamento principalmente nos remédios e equipamentos de proteção, como máscaras e toucas.

Prefeito omisso, que sempre buscou governar em benefício próprio, tendo como prioridade tudo que pudesse beneficiar as igrejas evangélicas, Crivella se tornou político mais indesejado e rejeitado nos últimos tempos.

A troca contínua do secretariado também chama atenção para a inexperiência, falta de competência e gestão de Crivella. Só na pandemia, o prefeito executou 12 trocas de cargos e a dança das cadeiras parece não parar.

Novamente Crivella entra na mira da justiça, após o Ministério Público Eleitoral (MPE) apresentar no último dia 27, o pedido de impugnação da candidatura à Prefeitura do Rio. O pedido que tem como base, abuso de poder político e conduta vedada a agente público, deixa Crivella na corda bamba.

Condenado por abuso de poder político, pela participação de funcionários da Companhia de Limpeza Urbana (Comlurb) em um encontro de apoio a seu filho, Marcelo Hodges Crivella, que concorria a deputado federal, mas não se elegeu. O prefeito também foi condenado ao pagamento de multa no valor de R$ 106 mil. A condenação à inelegibilidade pelos próximos oito, contados a partir de 2018.

Na tentativa de buscar fôlego e garantir a reeleição Crivella uniu-se ao presidente Jair Bolsonaro, que autorizou a veiculação de sua imagem junto à campanha. Amigos desde 1977 quando serviram junto o exército, em declaração pública, Crivella disse estar feliz e confiante.

Um momento de extrema importância para a cidade, esse tipo de comportamento não cabe mais. Crivella tem a maioria dos vereadores ao seu favor, nos processos de tramitam pela Câmara de Vereadores, muitos pontos contra e um histórico de completa omissão e descaso com a cidade.

Além de todos os problemas relatados, a cultura, os bairros em geral e desordem urbana, ainda somam a péssima gestão de um prefeito que mantido pela força da igreja, busca reeleição para terminar de sepultar das os sonhos e a vida de quem ainda resiste por aqui.

Categorias
Destaque Rio

Ação da Cidadania doa cestas para carnavalescos no Rio

Na próxima segunda-feira (17), a Ação da Cidadania irá realizar uma doação na capital fluminense com escolas de samba mirins e com os mestres-salas e porta-bandeiras ligados à Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj). Na ocasião, a ONG fundada pelo sociólogo Betinho nos anos 1990 entregará 5 toneladas de alimentos não perecíveis, além de materiais de higiene.

A doação irá ocorrer na sede da Ação da Cidadania e beneficiará as três escolas mirins cujas escolas-mães fazem parte da Lierj: Nova Geração do Estácio, Infantes do Lins e Império do Futuro – esta última ligada à Império Serrano, que homenageou Betinho em seu samba-enredo do Carnaval carioca de 1996.

Também serão contemplados todos os mestres-salas e porta-bandeiras das 15 escolas de samba da Série A do Carnaval carioca, todas associadas à Lierj. As vítimas assistidas pelo programa da Polícia Militar Patrulha Maria da Penha, que dá assistência a mulheres que sofreram violência doméstica, serão igualmente beneficiadas.

O diretor social da Lierj, Bruno Teté, exalta que há um mês a Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro e a Ação da Cidadania fizeram outra parceria, que resultou na doação de 18 toneladas de alimentos não perecíveis e kits de higiene. “Foram beneficiadas cerca de 1.800 famílias das escolas da Série A do Carnaval carioca, do Baile dos Passistas, Associação das Baianas do Samba, e Associação das Velhas Guardas”, comemora.

Filho de Betinho e presidente do Conselho da Ação da Cidadania, Daniel Souza relembra a história da ONG com as escolas de samba da Série A do Carnaval carioca. “Em 1996, quando meu pai foi homenageado como tema do samba-enredo da Império Serrano, ele declarou que o desfile daria visibilidade para a campanha contra a fome. Agora, quase 30 anos depois, damos continuidade ao seu sonho, de transformar o Brasil em um país sem fome e desigualdade”, declara.

Serviço:

Entrega de cestas de alimentos não-perecíveis e kits de higiene

Data: Segunda-feira, 17/08, a partir das 10h

Local: Armazém Docas Pedro II – sede da Ação da Cidadania

Endereço: Av. Barão de Tefé, 75, Saúde – Rio de Janeiro – RJ
Categorias
Notícias do Jornal TV & Famosos

Viviane Araújo está envolvida em mais uma confusão com um ex.

Após o fim tumultuado do romance dela com o cantor Belo, Vivi agora está em guerra com outro ex, Radamés e a mulher dele.

Viviane procurou a delegacia do Recreio (42ª DP), na Zona Oeste do Rio, para registrar um boletim de ocorrência contra Caroline Furlan, atual mulher de seu ex-marido, o jogador Radamés Martins.

A confusão entre eles começou após a divisão de um apartamento onde Viviane e Radamés moravam juntos. Durante esse processo, onde Viviane se comprometeu a pagar metade do imóvel para o ex. Caroline, mulher de Radamés, se referiu a atriz como ‘alguém que vive de mídia baseada em barraco’, em um comentário na internet.