Categorias
Janaina Macedo Calvo | Desenvolvimento Pessoal & Finanças Notícias do Jornal

Hora de trocar o planejamento pela realização

 

O ano de 2020 terminou com um grande ensinamento: planejamento. E 2021 inicia com uma grande promessa: realização. Ano de realizar o que ficou retido. Agora com mais foco, mais vontade de vencer, principalmente com os aprendizados adquiridos dos momentos de seca. E com planejamento. Nada de reclamar ou de sentir pena do que passou. Agora é hora de sentar com sua família ou sozinho e redesenhar as prioridades.

Janeiro é um mês maravilhoso, porém cheio de tributos, materiais escolares, pagamentos das folias do natal e ano novo. Como priorizar? Tenha foco. Agora é hora de se preparar para a guerra. Sim, guerra. Apesar de falarmos das promessas de 2021, se não agirmos como guerreiros e comandantes e planejarmos as ações não teremos êxito.

Coloque num papel todos os gastos: água, luz, celular, internet, mercado, etc. Qual a sua receita mensal? Para vencer é preciso se lembrar que a meta é viver com 90% do que ganha.

Experimente acompanhar seus gastos diários por 30 dias. Já mencionei que a dívida é nosso pior inimigo. E eu sei que não é fácil abandoná-la. Às vezes podemos fazer um acordo para quitar o cartão de credito e quando percebemos já estamos novamente usando e a dívida ficando maior. Percebe que é o nosso comportamento que deve mudar?

Devemos declarar guerra aos hábitos causadores das dívidas. E digo isso porquê estamos no início do ano. É hora de fazer uma declaração para si mesmo: Vou mudar!

 A dívida é fruto de gastos de previsão de fluxo caixa futuro em troca de gratificação imediata. Para ter controle das dívidas primeiro temos que descobrir onde está o vazamento. E fazemos isso através de um orçamento (Existem várias planilhas de orçamento gratuitas na internet, caso deseje pode baixar gratuitamente www.palestrafinanceira.com.br). Seu orçamento é a chave para a liberdade financeira. Se você não estiver disposto a seguir um orçamento dificilmente conseguirá mudar financeiramente e certamente passará a vida vítima de sua situação. Orçamentos dirão se você está ganhando ou perdendo a guerra.

Agora que já está acompanhando seus gastos por 30 dias, anotando tudo: cafezinho, um novo par de meias, noitadas, salão de beleza, sempre definindo qual a categoria do gasto: alimentação, moradia, entretenimento, presentes, dívida, etc. já é possível analisar onde os gastos estão indo.

Por exemplo, alimentação: será que era preciso mesmo comprar aquele salgadinho ou era um desejo? Procure separar o que é necessidade do que é desejo. Faça uma anotação, NB para necessidades básicas e D para desejos. Isso será muito revelador a respeito do porquê você está onde está financeiramente.

Muitos perceberão que estão em déficit, ou seja, estão gastando mais do que ganham. E é hora de cortar e viver um estilo de vida que corresponde com o seu rendimento. É hora de colocar o ego de lado. A meta é criar um excedente e acredite: Você estará fazendo algo muito importante com o excedente que irá aprender a criar. Desista agora de viver de sonhos para seguir em frente e ter uma vida frutífera.

É uma decisão difícil, eu sei. Ainda mais que vivemos de aparência e de mostrar nas redes sociais que somos incríveis. Você já é incrível do jeito que é. As pessoas que realmente importam estarão com você, independente do que você tem. Seus pais, seus filhos, seus amigos verdadeiros…

Tudo isso passa. Precisamos aprender que o importante não é chegar lá e sim o caminho para chegar lá. Conte comigo nessa trajetória.

Janaina Macedo Calvo

Doutoranda em Administração e Sustentabilidade, Economista, Professora da FGV,  autora e palestrante.

Categorias
Destaque Economia

Banco Central apresenta nova cédula de R$ 200

O Banco Central apresentou nesta quarta-feira (2) a nova cédula de R$ 200, que passa a ter valor legal imediatamente e começa a circular conforme a demanda. Ao todo, serão disponibilizadas 450 milhões de unidades da nota até o fim do ano.

Para o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a introdução da nova cédula era fundamental para evitar um eventual desabastecimento do pepel-moeda frente ao aumento da demanda por dinheiro em espécie desde o início da pandemia do novo coronavírus.

“O momento singular que estamos vivendo trouxe os mais diversos desafios, e um deles foi um aumento expressivo na demanda da sociedade brasileira por dinheiro em espécie. O aumento foi verificado no Brasil desde o início da pandemia, mas não foi exclusividade do nosso país. Outras nações viveram fenômeno semelhante. Em momentos de incerteza, é natural que as pessoas busquem a garantia de uma reserva em dinheiro”, afirmou, durante o discurso de lançamento do novo modelo.

A cédula de R$ 200 traz cores cinza e sépia predominantes e homenageia o lobo-guará, animal típico da fauna do cerrado brasileiro, e atualmente ameaçado de extinção. A nota tem o mesmo formato e dimensões da cédula de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm). A decisão de manter o formato, segundo o BC, é para melhor adaptação aos caixas eletrônicos e demais equipamentos automáticos que aceitam e fornecem cédulas de dinheiro.

“O Banco Central tem atuado durante todos estes meses e tem conseguido fornecer cédulas e moedas de modo a atender às necessidades da sociedade de forma adequada. Ainda assim, como estamos vivendo um momento sem precedentes na história, não há como prever se essa demanda por dinheiro em espécie continuará aumentando, e por quanto tempo. Esse momento, com essas necessidades, se mostrou oportuno para o lançamento de uma cédula de maior valor, cujo pré-projeto já existia desde o lançamento da segunda família de cédulas, em 2010”, acrescentou Campos Neto.

Ao também justificar a necessidade da nova cédula, a diretora de administração do BC, Carolina de Assis Barros, explicou que a estimativa de papel-moeda projetada pelo Banco Central tornaria inviável a reposição com a impressão de novas notas de R$ 100.

Segundo ela, os cálculos do BC, em análise conservadora, estimavam a necessidade de um adicional de R$ 105,9 bilhões, em valor financeiro, que precisaria ser gerado em um espaço de cinco meses. Isso sem contar as encomendas de novas cédulas e moedas previstas para o ano, da ordem de R$ 64 bilhões, também em valor financeiro.

“A Casa da Moeda do Brasil possui um parque fabril dimensionado para as necessidades brasileiras conforme o padrão histórico verificado até aqui. No entanto, a fim de gerar maior volume financeiro em menor espaço de tempo, imprimir cédulas de R$ 100 não seria uma alternativa factível, pois a capacidade de produção da referida denominação em 2020 já estava integralmente adquirida”, explicou a diretora.

Características da nova cédula

A cédula de R$ 200 é impressa em papel fiduciário, que tem uma textura mais firme e áspera que o papel comum. Pelo tato, é possível sentir um alto-relevo em algumas áreas da nota, como nas legendas “Banco Central do Brasil” e “República Federativa do Brasil”, nos numerais impressos na frente e no verso, na faixa vertical de folhas, nas flores e no fruto, na efígie da República (frente) e no lobo-guará (verso).

Sob luz ultravioleta, é possível enxergar o número 200 na frente e a numeração vermelha do verso aparece na cor amarela. Além disso, pequenos fios coloridos se tornam visíveis. Ao colocar a nota na altura dos olhos, na posição horizontal, é possível ver o número 200 sob o desenho de um arbusto, no canto direito inferior da cédula, em sua face frontal.

A marca-d’água da nova cédula permite visualizar, se colocada contra a luz, a figura de um lobo-guará e o número 200, em tons que variam do claro ao escuro. Também ao posicionar a cédula contra a luz, o fio de segurança fica visível, próximo ao meio da nota.

A partir de hoje e até o final de setembro, o governo federal vai veicular uma campanha publicitária de apresentação da nova cédula de R$ 200 nos meios de comunicação e na internet.

Com Informações: Agência Brasil

Categorias
Destaque Notícias

Atenção aos golpes de internet na quarentena

Golpistas se aproveitam do auxílio emergencial para enviar mensagens falsas prometendo a liberação de benefícios.

Todo cuidado é pouco, com o golpe do phishing digital, ou seja, os golpistas pescam as senhas digitadas por meio do envio de links para obter de forma ilegal os dados pessoais.

É importante ressaltar que bancos não encaminham e-mail aleatoriamente, pedindo dados. De acordo, com as instituições financeiras, ao receber e-mail ou mensagem com o link, não clique e não forneça dados pessoais.

Em caso de dúvida, ligue para a sua instituição bancária para se certificar de que o e-mail ou o link enviado para o celular é verdadeiro.