Categorias
Destaque Educação Rio

Rio abre novas inscrições para matrícula na Rede Municipal de Ensino

 

Começou hoje, dia 18 de fevereiro, a segunda fase de inscrições para o ano letivo de 2021 na Rede Municipal de Ensino do Rio, que podem ser  realizadas pelo site www.matricula.rio  até o dia 21 de fevereiro. Serão disponibilizadas vagas para as turmas de pré-escola, Ensino Fundamental, Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A inscrição será realizada somente pela internet, no endereço eletrônico  www.matricula.rio, como já citado acima. Devido à pandemia, os alunos que já solicitaram transferência interna foram automaticamente matriculados na escola selecionada.

Caso o responsável deseje nova transferência, deverá aguardar novo período para essa movimentação. As inscrições são para novos alunos e aqueles que, na primeira fase, solicitaram o cancelamento da inscrição por erro de preenchimento.

A Secretaria Municipal de Educação disponibilizará ao público acesso gratuito à internet em unidades escolares da Rede para quem não conseguir realizar a inscrição. Lembrando que a inscrição também pode ser feita pelo próprio celular. Estarão presentes funcionários no local para auxiliar no preenchimento do formulário. Esses postos (escolas) estarão abertos para atendimento ao público de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. O atendimento seguirá as Regras de Ouro estabelecidas pelo Comitê Científico Municipal de higienização e distanciamento para evitar a propagação da Covid-19.

É importante salientar que não há necessidade de realizar a impressão do comprovante de inscrição. Pode-se anotar o número gerado, fotografar, com o celular do responsável, todo o comprovante, desta forma, o cidadão fica com as informações contidas no comprovante registradas.

Foto: ABr

 

Categorias
Destaque Educação Notícias Rio

Sesc-RJ disponibiliza 330 vagas gratuitas em cursos online de inglês e espanhol

O Sesc-RJ está com 330 vagas gratuitas abertas para cursos online de inglês e espanhol (nível básico).

Para participar do processo seletivo, os interessado devem preencher um formulário disponível aqui.  O prazo se encerra na terça-feira (16), e o curso está previsto para começar no dia 1º de março.

Os cursos são voltados para maiores de 15 anos, com renda familiar mensal que não ultrapasse o valor de três salários mínimos nacionais (R$ 3.300). Trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo (e seus dependentes) e alunos da educação básica da rede pública têm preferência, embora o processo seletivo seja aberto a todos que cumprirem o requisito de renda no estado do Rio de Janeiro.

No total, serão 34 turmas em diferentes dias e horários, com opções de uma aula semanal de 2h30 ou duas de 1h15.

Oferecido tradicionalmente no modelo presencial, o curso ganhou uma versão digital por conta da pandemia.

Categorias
Destaque Educação Rio

Escolas do Rio começam ano letivo hoje com aulas remotas

 

O ano letivo de 2021 na Rede Municipal do Rio começa nesta segunda-feira (08/02), com transmissão do programa Rio Educa pela TV Escola. São videoaulas elaboradas e apresentadas por professores da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio.

Serão abordados temas dos componentes curriculares do Ensino Fundamental, que incluem Educação Infantil, 1º ao 9º ano, além de Educação Especial e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os programas são exibidos de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 20h30, em rede aberta e fechada, pela TV Escola. A MultiRio, braço audiovisual da SME, está articulando com a pasta a organização da programação.

Nesta segunda-feira, durante a programação de Rioeduca na TV, acontece a Aula Inaugural com o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, transmitida a partir das 9h15, ao vivo, e com reapresentação às 15h15 e às 19h30. O secretário dá as boas-vindas à comunidade escolar e fala sobre o planejamento para 2021. O primeiro dia da programação também traz um vídeo de apresentação sobre o Rioeduca na TV, exibida ao longo do dia, e programas do acervo da MultiRio – entre 7h45 e 9h, 10h20 e 12h05 – voltados ao acolhimento de alunos, professores e demais profissionais da educação. Na parte da tarde, há a reapresentação do bloco da manhã.

As videoaulas começam a ser exibidas na terça-feira (9/2), em uma programação com cerca de 10 horas diárias de conteúdos curriculares distribuídos de acordo com faixas de atendimento, etapas e modalidades de ensino. De manhã, a partir das 7h30, a grade é voltada para a Educação Infantil. Às 8h, começam as videoaulas para os primeiros anos do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano). No final da manhã, a partir das 9h50, vai ao ar a programação para os anos finais (6º ao 9º ano). Já à tarde, a partir das 13h30, há a reapresentação dos blocos da manhã. À noite, a partir das 20h, as videoaulas são destinadas à Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Um dos destaques de Rioeduca na TV é a interação com o público por meio de dois momentos ao vivo diariamente, às 9h15 e às 15h15. Nas duas primeiras semanas, entre os blocos de videoaulas, essa interação é com o programa Explorando Caminhos, que busca apresentar o trabalho nas diferentes áreas pedagógicas e componentes curriculares. Nas semanas seguintes, a interação será incorporada à grade de programação, com dois momentos de tira-dúvidas ao longo do dia, para que os alunos que assistiram ao bloco anterior possam enviar suas perguntas a um professor que responderá ao vivo.

Rioeduca na TV vai ao ar pelo sinal aberto da TV Escola (canal 2.3) e também pela TV fechada: NET/Claro (canal 15), Claro TV (canal 8), Oi TV (canal 25), Sky (canal 21) e Vivo (canal 235). As videoaulas de Rioeduca na TV também ficam disponíveis no canal da MultiRio no YouTube (www.youtube.com/multiriosme). Além disso, no Portal MultiRio, uma área especial (http://multi.rio/rioeducanatv) reúne informações sobre o Rioeduca na TV, como a programação, e conteúdos relacionados.

Confira a programação completa desta semana:

Segunda-feira (08/02)

7h30 – 7h45 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO
7h45 – 9h – SELEÇÃO DE PROGRAMAS DO ACERVO MULTIRIO
9h – 9h15 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO
9h15 – 10h15 – AULA INAUGURAL – SECRETÁRIO RENAN FERREIRINHA
10h15 -12h – SELEÇÃO DE PROGRAMAS DO ACERVO MULTIRIO
12h – 12h15 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO

Representação:

13h30 – 13h45 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO
13h45 – 15h – SELEÇÃO DE PROGRAMAS DO ACERVO MULTIRIO
15h – 15h15 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO
15h15 – 16h15 – AULA INAUGURAL – SECRETÁRIO RENAN FERREIRINHA
16h15- 18h – SELEÇÃO DE PROGRAMAS DO ACERVO MULTIRIO
18h – 18h15 – RIOEDUCA NA TV – APRESENTAÇÃO
19h30 – 20h30 – AULA INAUGURAL – SECRETÁRIO RENAN FERREIRINHA

Terça-feira (09/02)

7h30 – 7h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Olá, Educação Infantil!
7h45 – 8h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – Quem sou eu?
EDUCAÇÃO INFANTIL – Meias Aventuras – A Barraca de frutas
8h- 8h15 – 1.º ANO – Os números
1º ANO – Detetive das palavras
8h15 – 8h30 – 2.º ANO – Contagem: as roupas da Alice
2.º ANO – Jogo da rima
8h30 – 8h45 – 3.º ANO – Organizando os brinquedos
8h45 – 9h – 4.º ANO – Perdi a hora
9h – 9h15 – 5.º ANO – Desafios Matemáticos
9h15 – 9h50 – EXPLORANDO CAMINHOS
9h50 -10h05- 6.º ANO – MATEMÁTICA – Patrícia e as unidades de medidas
10h05 -10h20- 7.º ANO – MATEMÁTICA – Sequência Numérica
10h20-10h35 – 8.º ANO – MATEMÁTICA – Unidades de Medida
10h35 – 10h50 – CARIOCA II – Sólidos Geométricos
10h50- 11h05 – 9.º ANO – MATEMÁTICA – Raiz quadrada
11h05 – 11h20 – 4.º/5.º E 6.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Maculelê
11h20 – 11h35 – 7.º/8.º E 9.º ANOS/CARIOCA II E PEJA I PEJA II – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Criando Frases Rítmicas
11h35 – 12h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS

Reapresentação:

13h30 – 13h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Olá, Educação Infantil!
13h45 – 14h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – Quem sou eu?
EDUCAÇÃO INFANTIL – Meias Aventuras – A Barraca de frutas
14h -14h15 – 1.º ANO – Os números
1º ANO – Detetive das palavras
14h15 – 14h30 – 2.º ANO – Contagem: as roupas da Alice
2.º ANO – Jogo da rima
14h30 -14h45 – 3.º ANO – Organizando os brinquedos
14h45 – 15h – 4.º ANO – Perdi a hora
15h – 15h15 – 5.º ANO – Desafios Matemáticos
15h15 – 15h50 – EXPLORANDO CAMINHOS
15h50 – 16h05 – 6.º ANO – MATEMÁTICA – Patrícia e as unidades de medidas
16h05 – 16h20 – 7.º ANO – MATEMÁTICA – Sequência Numérica
16h20 – 16h35 – 8.º ANO – MATEMÁTICA – Unidades de Medida
16h35 – 16h50 – CARIOCA II – Sólidos Geométricos
16h50 – 17h05 – 9.º ANO – MATEMÁTICA – Raiz quadrada
17h05 – 17h20 – 4.º/5.º E 6.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Maculelê
17h20 – 17h35 – 7.º/8.º E 9.º ANOS/CARIOCA II E PEJA I PEJA II – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Criando Frases Rítmicas
17h35 – 18h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
19h30 – 19h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Olá, Educação Infantil!
19h45 – 20h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – Quem sou eu?
EDUCAÇÃO INFANTIL – Meias Aventuras – A Barraca de frutas
20h – 20h15 – PEJA I – Somando e subtraindo com ábaco
20h15 – 20h30 – PEJA II – Frações no dia a dia

Quarta-feira (10/02)

7h30 – 7h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com a música
7h45 – 8h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Entrei na roda
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Marcha soldado!
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – A linda rosa juvenil
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Seu Lobo
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Casinha de cupim
8h- 8h15 – 1.º ANO – Contagem: as roupas da Alice
1.º ANO – Jogo da rima
8h15 – 8h30 – 2.º ANO – Os números
2.º ANO – Detetive das palavras
8h30 – 8h45 – 3.º ANO – O lobo voltou!
8h45 – 9h – 4.º ANO – Elementos da narrativa
9h – 9h15 – 5.º ANO – Ecossistema
9h15 – 9h50 – EXPLORANDO CAMINHOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
9h50 -10h05 – 6.º ANO – CIÊNCIAS – Energia para correr, brincar e pular
10h05 -10h20 – 7.º ANO – CIÊNCIAS – Fóssil
10h20-10h35 – 8.º ANO – CIÊNCIAS – Ecossistemas brasileiros
10h35 – 10h50 – CARIOCA II – A Terra redonda, o mundo antigo e o entregador de comida
10h50- 11h05 – 9.º ANO – CIÊNCIAS – As estações do ano
11h05 – 11h20 – CARIOCA II – As fontes históricas
11h20 – 11h35 – 9.º ANO – GEOGRAFIA – Identidade e Globalização
11h35 – 12h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NO PEJA

Reapresentação:

13h30 – 13h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com a música
13h45 – 14h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Entrei na roda
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Marcha soldado!
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – A linda rosa juvenil
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Seu Lobo
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Casinha de cupim
14h -14h15 – 1.º ANO – Contagem: as roupas da Alice
1.º ANO – Jogo da rima
14h15 – 14h30 – 2.º ANO – Os números
2.º ANO – Detetive das palavras
14h30 -14h45 – 3.º ANO – O lobo voltou!
14h45 – 15h – 4.º ANO – Elementos da narrativa
15h – 15h15 – 5.º ANO – Ecossistema
15h15 – 15h50 – EXPLORANDO CAMINHOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
15h50 – 16h05 – 6.º ANO – CIÊNCIAS – Energia para correr, brincar e pular
16h05 – 16h20 – 7.º ANO – CIÊNCIAS – Fóssil
16h20 – 16h35 – 8.º ANO – CIÊNCIAS – Ecossistemas brasileiros
16h35 – 16h50 – CARIOCA II – A Terra redonda, o mundo antigo e o entregador de comida
16h50 – 17h05 – 9.º ANO – CIÊNCIAS – As estações do ano
17h05 – 17h20 – CARIOCA II – As fontes históricas
17h20 – 17h35 – 9.º ANO – GEOGRAFIA – Identidade e Globalização
17h35 – 18h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NO PEJA
19h30 – 19h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com a música
19h45 – 20h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Entrei na roda
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Marcha soldado!
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – A linda rosa juvenil
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Seu Lobo
EDUCAÇÃO INFANTIL – Cantigas de Roda – Casinha de cupim
20h – 20h15 – PEJA I – Desenrolando a língua
20h15 – 20h30 – PEJA II – Avanços da Ciência e método científico

Quinta-feira (11/02)

7h30 – 7h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com papel
7h45 – 8h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – O meu, o seu, o nosso espaço
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Trânsito
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Pichação nas escolas
EDUCAÇÃO INFANTIL – Pode ou não pode – Aglomeração
8h- 8h15 – 1.º ANO – Grafema e fonema
8h15 – 8h30 – 2.º ANO – Contando com a Chapeuzinho Vermelho
2.º ANO – Pontuação das frases
8h30 – 8h45 – 3.º ANO – Que texto é esse?
8h45 – 9h – 4.º ANO – O segredo do baú
9h – 9h15 – 4.º/5.º E 6.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Maculelê
9h15 – 9h50 – EXPLORANDO CAMINHOS NA ALFABETIZAÇÃO
9h50 -10h05 – 6.º ANO – GEOGRAFIA – Estado do RJ
10h05 -10h20 – 7.º ANO – GEOGRAFIA – Coordenadas geográficas
10h20-10h35 – 8.º ANO – HISTÓRIA – Tempo de Estudar – Reinos Africanos
10h35 – 10h50 – CARIOCA II – Paisagens naturais e culturais
10h50- 11h05 – 9.º ANO – HISTÓRIA – O pensamento liberal e o iluminismo
11h05 – 11h20 – 7.º ANO – LÍNGUA ESTRANGEIRA – Who are you?
11h20 – 11h35 – 8.º ANO – LÍNGUA ESTRANGEIRA – My routine
11h35 – 12h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS

Reapresentação:

13h30 – 13h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com papel
13h45 – 14h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – O meu, o seu, o nosso espaço
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Trânsito
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Pichação nas escolas
EDUCAÇÃO INFANTIL – Pode ou não pode – Aglomeração
14h -14h15 – 1.º ANO – Grafema e fonema
14h15 – 14h30 – 2.º ANO – Contando com a Chapeuzinho Vermelho
2.º ANO – Pontuação das frases
14h30 -14h45 – 3.º ANO – Que texto é esse?
14h45 – 15h – 4.º ANO – O segredo do baú
15h – 15h15 – 4.º/5.º E 6.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Maculelê
15h15 – 15h50 – EXPLORANDO CAMINHOS NA ALFABETIZAÇÃO
15h50 – 16h05 – 6.º ANO – GEOGRAFIA – Estado do RJ
16h05 – 16h20 – 7.º ANO – GEOGRAFIA – Coordenadas geográficas
16h20 – 16h35 – 8.º ANO – HISTÓRIA – Tempo de Estudar – Reinos Africanos
16h35 – 16h50 – CARIOCA II – Paisagens naturais e culturais
16h50 – 17h05 – 9.º ANO – HISTÓRIA – O pensamento liberal e o iluminismo
17h05 – 17h20 – 7.º ANO – LÍNGUA ESTRANGEIRA – Who are you?
17h20 – 17h35 – 8.º ANO – LÍNGUA ESTRANGEIRA – My routine
17h35 – 18h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS
19h30 – 19h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Brincando com papel
19h45 – 20h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Quarto de brinquedo – O meu, o seu, o nosso espaço
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Trânsito
EDUCAÇÃO INFANTIL – Sapequinha, se liga – Pichação nas escolas
EDUCAÇÃO INFANTIL – Pode ou não pode – Aglomeração
17h20 – 17h35 – PEJA I – Criando frases rítmicas
20h15 – 20h30 – PEJA II – O que é cultura?

Sexta-feira (12/02)

7h30 – 7h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Construindo histórias
7h45 – 8h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Caixa Mágica – História sem fim
EDUCAÇÃO INFANTIL – Que Medo! – As pintas de Júnior
8h- 8h30 – VAMOS APRENDER – 1.º AO 3.º ANOS – Medidas de tempo
8h30 – 8h45 – 1.º/2.º e 3.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Teatro de sombras
8h45 – 9h15 – VAMOS APRENDER – 4.º e 5.º ANOS – Ciclos da água
9h15 – 9h50 – EXPLORANDO CAMINHOS NA LÍNGUA PORTUGUESA
9h50 -10h05 – 6.º ANO – HISTÓRIA
10h05 -10h20 – 7.º ANO – HISTÓRIA – As fontes históricas
10h20-10h35 – 8.º ANO – GEOGRAFIA – Formação territorial brasileira
10h35 – 11h05 – VAMOS APRENDER – 6.º E 7.º ANOS – Contação de histórias
11h05 – 11h35 – VAMOS APRENDER – 8.º e 9.º ANOS
11h35 – 12h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NA MATEMÁTICA

Reapresentação:

13h30 – 13h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Construindo histórias
13h45 – 14h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Caixa Mágica – História sem fim
EDUCAÇÃO INFANTIL – Que Medo! – As pintas de Júnior
14h -14h30 – VAMOS APRENDER – 1.º AO 3.º ANOS – Medidas de tempo
14h30 -14h45 – 1.º/2.º e 3.º ANOS – ARTES VISUAIS E CÊNICAS/EF/MÚSICA – Teatro de sombras
14h45 – 15h15 – VAMOS APRENDER – 4.º e 5.º ANOS – Ciclos da água
15h15 – 15h50 EXPLORANDO CAMINHOS NA LÍNGUA PORTUGUESA
15h50 – 16h05 – 6.º ANO – HISTÓRIA
16h05 – 16h20 – 7.º ANO – HISTÓRIA – As fontes históricas
16h20 – 16h35 – 8.º ANO – GEOGRAFIA – Formação territorial brasileira
16h35 – 17h05 – VAMOS APRENDER – 6.º E 7.º ANOS – Contação de histórias
17h05 – 17h35 – VAMOS APRENDER – 8.º e 9.º ANOS
17h35 – 18h15 – EXPLORANDO CAMINHOS NA MATEMÁTICA
19h30 – 19h45 – EDUCAÇÃO INFANTIL – Construindo histórias
19h45 – 20h – EDUCAÇÃO INFANTIL – Caixa Mágica – História sem fim
EDUCAÇÃO INFANTIL – Que Medo! – As pintas de Júnior
20h – 20h15 – PEJA I
20h15 – 20h30 – PEJA II

Foto:SME

 

Categorias
Destaque Notícias do Jornal Rio

Faetec: inscrições abertas e 2.370 vagas

 

A Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) prorrogou o prazo de inscrição para os processos seletivos que vão preencher 2.370 vagas no primeiro semestre do ano letivo de 2021. Os interessados em participar têm até o dia 7 de fevereiro para se inscreverem e até o dia 8 para pagar a taxa de inscrição de R$ 55,00.  Com o novo prazo, aqueles que se inscreveram e ainda não efetuaram o pagamento podem gerar novo boleto bancário no site e garantir a participação no seletivo. As inscrições podem ser feitas no site da Faetec (www.faetec.rj.gov.br) ou no do Instituto Selecon (www.selecon.org.br).

Há vagas para Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio (Geral, Normal), Ensino Médio Integrado (Técnico de Nível Médio) e para o Ensino Superior (tecnólogo e licenciatura), com oportunidades em diversos municípios.

Entre os cursos técnicos gratuitos oferecidos pela rede estão: Administração, Análises Clínicas, Construção Naval, Eletrônica, Eletrotécnica, Enfermagem, Informática, Programação de Jogos Digitais, Rede de Computadores, Segurança do Trabalho, Telecomunicações, entre outros.

 

Categorias
Educação

Saiba quais são os Direitos do Consumidor na compra de materiais escolares

 

Segundo especialista, listas devem conter apenas materiais necessários para atividades pedagógicas do aluno e escolas não podem exigir que a compra seja feita em local determinado

Com o início do ano letivo, os pais começam o planejamento da compra do material escolar e do material didático dos filhos. E já faz um bom tempo que aquela pequena lista do passado deixou de ser realidade e evoluiu para uma extensa lista de livros, cadernos, apostilas e materiais de apoio que encarecem muito a compra, em um mês conhecidamente já conturbado para o cidadão, com o vencimento de vários tributos.

Neste momento, é importante saber qual o tipo de material pode ser exigido, quais são os reajustes permitidos e o que pode ser negociado com as escolas. De acordo com as leis 9.870/99 e 12.886/13, os estudantes não são obrigados a pagar adicional ou fornecer qualquer material administrativo ou escolar de uso coletivo, assim como produtos de limpeza e higiene. As listas devem conter apenas materiais necessários para atividades pedagógicas diárias do aluno.

De acordo com o advogado Leandro Nava, especialista em Direito do Consumidor e sócio do escritório Nava Sociedade de Advocacia, as escolas não podem exigir que o material escolar seja comprado no próprio estabelecimento. “Apenas indicar algum lugar, por si só, não traz prejuízo ao consumidor. Mas, se houver imposição, este tipo de exigência configura diversas afrontas ao Código de Defesa ao Consumidor, caracterizando a famosa “venda casada”. A lista deve ser divulgada para que os pais possam realizar pesquisas e comprar no lugar que melhor atenda suas necessidades, sem exigências de marcas, nem de locais”, alerta o advogado. “Porém, é importante mencionar que essa regra não se aplica aos materiais não encontrados no comércio, como por exemplo, apostilas e livros”, explica.

Também é normal que os pais se deparem, em mudanças de séries, com valores e quantidade de apostilas bem maiores do que no ano anterior. Porém, segundo o especialista, não existe disposição legal que determine um percentual ou valor máximo a ser fixado no valor das apostilas. “O que deve ser observado é o fato de que qualquer reajuste deve ser compatível com a qualidade, quantidade, conteúdo e confecção, seja no que se refere à variação por mudanças de séries, ou no número de apostilas, que deve seguir um plano educacional adequado ao aluno”, ressalta Nava.

O que fazer quando há abuso

O especialista aponta que, em caso de discordância com a lei, os pais podem recorrer para que seus direitos sejam preservados. “Inicialmente, eles devem realizar uma reclamação junto à escola, solicitando informações adicionais sobre o ponto que acreditam ser um descumprimento da lei ou abuso. Em caso de dúvidas, os pais podem procurar um advogado de sua confiança para orientações, acionar o Procon local para formalizar uma reclamação ou buscar o Poder Judiciário para resolução do problema”, finaliza.

Categorias
Brasil Educação

Educadores de todo o País são convidados a participar do Prêmio Professor Transformador

Inscrições seguem abertas até 1° de março; além de prêmios em dinheiro e da possibilidade de expor seus projetos no maior evento de Educação da América Latina – a Bett Educar -, vencedores ganharão um programa completo de treinamento em Mindfullness.

Após vivenciarem um ano totalmente atípico e desafiador, por conta da pandemia, educadores de todo o País são convidados a participar de uma iniciativa cujo objetivo também é valorizar o esforço do professor nesse período. Trata-se do Prêmio Professor Transformador, que reconhece projetos de Educação Transformadora desenvolvidos por educadores de todo o Brasil, em quatro categorias: Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio. As inscrições seguem abertas até 1º de março e podem ser feitas, gratuitamente, pelo site: significare.org.br/premio

O Prêmio Professor Transformador é promovido em conjunto pelo Instituto Significare, Base2edu e Bett Educar, organizadora do maior evento de Educação da América Latina – a Feira Bett Educar. Aliás, os finalistas do Prêmio (serão três em cada categoria) terão a oportunidade de expor seus projetos na edição do evento em 2021 e o vencedor (também de cada categoria) terá participação como convidado especial.

E por que participar do Prêmio Professor Transformador 2021? Confira outros motivos:

• Os primeiros colocados em cada categoria serão premiados com um treinamento completo em meditação Mindfulness, ministrado pela Mindkids, empresa idealizada pela especialista Daniela Degani, certificada pelo Mindfulness Training Institute da Inglaterra. O objetivo é proporcionar oportunidades para que também os educadores cuidem do seu equilíbrio emocional, tão necessário em meio ao atual contexto da pandemia;

• Os vencedores em cada categoria receberão troféu e prêmios em dinheiro no valor de R$ 7 mil. Já os segundos e terceiros colocados (também em cada categoria) receberão, além do troféu, prêmios no valor de

R$ 2.500,00;

• O Prêmio Professor Transformador possui ampla divulgação nos principais veículos de Educação do País, como o portal Porvir, as Revistas Direcional Escolas e Educação, o Portal Educador 21, entre outros. Trata-se, portanto, de uma importante oportunidade para dar visibilidade a práticas educacionais transformadoras e inspiradoras;

• Os autores dos 350 projetos selecionados para a etapa classificatória do Prêmio farão parte do Banco de Práticas do Instituto Significare, um espaço com acesso gratuito para educadores de todo o País, que podem consultar informações em formato de vídeo, artigos e outros materiais sobre práticas educacionais transformadoras;

• Aos 350 educadores que chegarem à etapa classificatória da premiação, também será concedido o Certificado Professor Transformador 2021 e o Selo Digital Professor Transformador, além da possibilidade de indicar alguma liderança de sua escola para receber o Certificado Liderança Transformadora.

Como se inscrever?

Pelo site significare.org.br/premio, professores de todo o País podem se inscrever para a segunda edição do Prêmio Professor Transformador. No portal, também é possível consultar o regulamento completo da premiação.

O educador pode inscrever mais de um projeto de sua autoria, aplicado em escola pública ou privada, com conclusão em 2021 ou em anos anteriores. Com essa abertura, a organização do Prêmio Professor Transformador abre possibilidade para que mais projetos sejam inscritos e inspirem outros educadores pelo Brasil a também compartilharem suas iniciativas para promover uma Educação Transformadora.
Categorias
Destaque Rio

Rio terá volta às aulas remotas em 8 de fevereiro e presenciais no dia 24

 

A Prefeitura do Rio apresentou, nesta quarta-feira (27/01), o Plano de Volta às Aulas da rede municipal de ensino, que conta com 1.543 unidades escolares. O anúncio oficial foi feito pelo prefeito Eduardo Paes com o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, e o secretário de Saúde, Daniel Soranz, no Palácio da Cidade, em Botafogo. Para dar segurança ao retorno presencial, marcado para o dia 24 de fevereiro, o plano estabelece medidas de prevenção, monitoramento e contingência de casos do coronavírus.

O secretário Ferreirinha ressaltou que o plano é dinâmico e pode ser modificado de acordo com as condições epidemiológicas de cada região da cidade. “ A escola só voltará se tiver o protocolo sanitário seguido à risca, além da questão da infraestrutura e questão de recursos humanos. Tudo isso faz parte para que a escola esteja apta a abrir!, disse o secretário.

Paes criticou  o fato de terem aberto tudo no ano passado, menos as escolas. “Está na hora de a gente priorizar as nossas crianças. A escola tem que ser a primeira a abrir, o que não foi feito. Mas, a partir de agora, ela será a última coisa a fechar. Se tivermos que fazer novas restrições na cidade, não serão restrições que signifiquem impacto para a vida e,  principalmente, para o futuro de nossas crianças”, afirmou o  prefeito.

Retorno em duas etapas

A volta às aulas terá duas etapas iniciais: remota, a partir de 8 de fevereiro, e presencial, a partir de 24.  As aulas presenciais estão divididas em fases. Na primeira fase, voltam parcialmente alunos da pré-escola, 1º e 2º ano. Na segunda, voltam parcialmente alunos de creches, 3º ao 6º ano e 9º ano. Na 3ª e última etapa, mais alunos de creches e 6º ano, alunos do 8º ano, PEJA e Classes Especiais. Para evitar aglomeração, a quantidade de alunos nas unidades estará condicionada às condições epidemiológicas de cada Região Administrativa da cidade. Se a situação estiver Moderada (bandeira amarela), as unidades escolares poderão receber 75% de seus alunos. Se estiver Alta (bandeira laranja), 50% de sua capacidade. E se estiver Muito Alta (bandeira vermelha), 30% da capacidade.

“ O Plano de Volta às Aulas prevê três principais pontos: protocolo sanitário, monitoramento contínuo e plano de contingência. É um plano rigoroso para dar segurança a nossa comunidade escolar. Está chegando a hora de reabrir as escolas com toda a segurança que o atual momento exige, pois estamos pensando nas nossas crianças e jovens que precisam recuperar o tempo perdido “,  afirmou Ferreirinha.

Programa [email protected]

O Programa [email protected] irá oferecer dados patrocinados aos 641 mil alunos e 39 mil professores da rede municipal de ensino para que tenham acesso gratuitamente à plataforma de aulas. Estudantes que não têm equipamentos para acessar a internet ou morem em áreas sem cobertura, vão receber o material didático impresso e, em algum momento, irão às escolas deixar as atividades didáticas. Caso o aluno tenha alguma dúvida, ela será respondida na próxima vez em que ele for à escola buscar suas atividades didáticas.

As principais diretrizes do protocolo visam reduzir as chances de contaminação dentro das unidades escolares. Para isso, o distanciamento dentro das escolas, creches e EDIs será de 1,5 metro, a higienização das mãos será frequente, o uso de máscara será obrigatório, exceto para crianças de até 3 anos, e as refeições serão feitas dentro das próprias salas, para evitar aglomeração nos refeitórios. Além disso, o horário de entrada e saída será escalonado. O  secretário Renan Ferreirinha explicou que estudantes e profissionais da Educação do grupo de risco só participarão de atividades presenciais nas unidades de ensino quando forem vacinados.

“ O grupo de risco será preservado. Não tem aqui nenhum negacionismo. Estamos trabalhando com a ciência do nosso lado. E o grupo de risco, seja professor, profissional da educação ou estudante, estará sendo preservado no momento do retorno presencial. Os nossos profissionais de educação serão os primeiros a serem vacinados após os idosos”, explicou.

Eduardo Paes reforçou: “A gente entra, nas próximas semanas, numa fase de vacinação das pessoas mais velhas. Aqueles que estão efetivamente nos grupos de mais riscos. Isso vale para os vários profissionais de educação, vale para os professores, merendeiras e auxiliares administrativos”.

Limpeza nas escolas

As unidades de ensino receberão ações de limpeza e desinfecção, segundo as recomendações da Anvisa, e o chão das unidades terão marcações para facilitar o distanciamento necessário. As janelas e portas ficarão abertas para facilitar a ventilação, e atividades ao ar livre terão prioridade. As mesas dos professores ficarão, no mínimo, distantes 2 metros da dos estudantes. Entre os alunos, a distância das carteiras será de 1,5 metro.

Áreas comuns terão restrições de acesso

O protocolo sanitário proíbe a realização de eventos que gerem aglomerações (feiras, palestras, seminários, festas, assembleias, competições e campeonatos esportivos) e o uso de materiais de difícil higienização (massinhas de modelar, jogos de peças pequenas etc). Além disso, os alunos não poderão compartilhar objetos pessoais, como livros e canetas.

Os parquinhos das unidades serão usados apenas por crianças de até 10 anos, que deverão manter a distância de 1,5 metro umas das outras. As bibliotecas estarão liberadas, desde que respeitando o distanciamento e garantindo que os funcionários higienizem as mãos com álcool em gel 70% antes e depois de manusear o acervo.

O protocolo sanitário que será usado nas escolas municipais tem o aval do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 da prefeitura do Rio, grupo formado por especialistas em Saúde, pesquisadores e acadêmicos.

Monitoramento de casos

A rede de Educação do Rio contará com o aplicativo Alerta Covid-19, que irá reunir notificações de pessoas da comunidade escolar contaminadas por coronavírus. Será feito ainda um acompanhamento integrado dos registros com encaminhamento para a SMS e determinação de isolamento.

Além disso, a volta às aulas conta com um plano de contingência, que reúne cinco diretrizes: afastamento de quem contrair Covid-19, isolar estudantes que tiverem contato com pessoas contaminadas (quem estiver indo às aulas presencialmente passará automaticamente para o ensino remoto, isolar professor contaminado (se for possível substituir o professor, as aulas continuarão presenciais), isolar uma turma se for registrado mais de um caso no intervalo de 14 dias, e se mais de um caso surgir, no intervalo de 14 dias, em turmas diferentes da mesma escola, o comitê local, SMS e SME poderão decidir pelo fechamento da unidade

Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

Categorias
Educação Rio Saúde

Faculdade São Leopoldo Mandic vai capacitar 94 mil profissionais do SUS responsáveis pela vacinação em todo o país

Projeto será feito em parceria o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), que tem como objetivo apoiar o Projeto ImunizaSUS

A Faculdade São Leopoldo Mandic firmou uma parceria o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento do Projeto ImunizaSUS., que vai oferecer formação para profissionais que trabalham com vacinação nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do SUS.

A iniciativa, que conta com o apoio do Ministério da Saúde, tem como meta aperfeiçoar até 94 mil profissionais que atuam diretamente nas ações de imunização nas 47 mil UBS em todo território nacional, no período de 10 meses.

A capacitação será realizada pela modalidade EAD, por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem do CONASEMS. O projeto contará com 1.890 tutores, que serão formados pela Faculdade São Leopoldo Mandic. As aulas serão gravadas, distribuídas para os alunos por diversos canais, possibilitando que seja acessível a todas as unidades do Brasil, com disponibilização de material didático e espaço para diálogo com os tutores. O projeto abordará as práticas de imunização para Covid-19 e para as demais vacinas já existentes no calendário nacional por meio da Política Nacional de Imunização PNI.

“A capacitação de profissionais tem relação direta com as boas práticas e com a estratégia de gestão, que permite que a cobertura vacinal seja o mais ampla possível, já que se trata de uma estratégia coletiva, que deve ser seguida por todos. E as UBS são as unidades de assistência mais próximas da população e contam com estrutura e profissionais que ajudam cotidianamente o Brasil a ter a maior política de imunização do mundo. Ficamos honrados de poder contribuir com essa etapa tão significativa para a Saúde e Educação, com a certeza de que podemos impactar positivamente o Sistema de Saúde Brasileiro”, afirma o diretor de Pós-graduação e Pesquisa da SLMANDIC, Prof. Dr. Marcelo Henrique Napimoga.

A Faculdade São Leopoldo Mandic já conta com participação em outros projetos, nos quais os alunos da instituição, assim como os professores, contribuem ativamente. “É uma ação que auxilia na formação de profissionais em consonância com as melhores práticas e com o SUS. Além disso, é o reconhecimento aos docentes, pesquisadores e a excelência acadêmica, que sempre foram os pilares da SLMandic”, conclui Napimoga.

Sobre a São Leopoldo Mandic

Considerada uma das dez melhores instituições de ensino superior do País há 12 anos consecutivos no Índice Geral de Cursos (IGC) do MEC, a Faculdade São Leopoldo Mandic reúne, no corpo docente, professores doutores formados pelas melhores instituições de ensino do Brasil e do Exterior. Estruturada com laboratórios de última geração e clínicas odontológicas completas, a Instituição oferece aos alunos vivência prática nos cursos de Odontologia e de Medicina desde o 1º ano, atividades de pesquisa e prestação de serviços comunitários, convênio com hospitais e Unidades Básicas de Saúde, cursos de graduação e pós-graduação. Além de laboratórios com exercícios de simulação realística, utilizando recursos modernos para diagnóstico, o HUB de Inovação e o Barco da Saúde. O corpo docente é formado por doutores e pós-doutores com vasta produção intelectual. A Faculdade São Leopoldo Mandic tem outras nove unidades distribuídas pelo País, que oferecem cursos de pós-graduação e mais uma unidade de graduação em Medicina, na cidade de Araras (SP). Canais: slmandic.edu.br facebook.com/saoleopoldomandic .
Categorias
Brasil Educação

Rede de escolas dá dicas para educadores se prepararem para 2021

Muitas coisas mudaram no Brasil, e no mundo, no último ano. Não apenas as formas de interagir, ensinar, apoiar e viver, mas também mudanças em diretrizes que afetam todas as escolas. Houve avanço no ensino híbrido, o que é um ponto extremamente positivo para o futuro, mas ainda há outras questões que precisamos observar para garantir bons resultados nos próximos meses.
Para a Sphere International School , rede de escolas inovadoras, bilíngues e internacionais concebida a partir das referências da educação e cultura brasileira, do Grupo SEB, fazer diagnósticos ao longo de todo o processo remoto de ensino é essencial para todas as escolas e séries. A prática ajuda a entender quais são os ajustes necessários que precisam ser feitos no ensino para cada aluno e a hora certa para isso. Essa tomada de decisão promove melhorias e evita defasagens. Por isso, a rede oferece abaixo algumas dicas para educadores se prepararem para 2021. Confira!
1. Diagnóstico de aprendizagem

Foram muitos os dias de aulas totalmente online e isolamento social. Apesar de uma vacina já existir, ao que parece, ainda temos muitos outros por vir. Porém, é preciso se preparar para a volta às aulas presenciais. Alguns alunos se adaptaram bem, mas outros, apesar de todo o apoio dado por professores, responsáveis e escolas, ainda tiveram dificuldade. Só saberemos o impacto real da pandemia na aprendizagem das crianças com diagnósticos profundos para entender onde estão as lacunas. A partir disso, os educadores deverão elaborar planos personalizados de recuperação para cada aluno.

“É importante pensar que cada aluno é único e, por isso, tem facilidades e dificuldades em áreas diferentes, além de formas de aprender distintas. A realização desse diagnóstico e um plano de ensino que leva em consideração a necessidade de cada criança será essencial para que a educação seja completa”, explica Susan Clemesha, diretora acadêmica da Sphere International School.
2.Acolhimento socioemocional

O isolamento social e as notícias sobre mortes e doenças causaram em muitas crianças, ao longo de 2020, sentimentos como medo, ansiedade, estresse, confusão e insegurança. Os educadores devem estar preparados para receber e apoiar essas crianças na volta às aulas presencial. Devem ouvir suas preocupações e responder suas perguntas com calma e paciência. Também é importante incentivá-los a expressar, comunicar e nomear seus sentimentos.

Durante os últimos meses, em que a escola teve que migrar para o ambiente online, também houve um movimento de aproximação entre as instituições de ensino e as famílias dos alunos. Não seria possível continuar o ensino sem a assistência dos pais. Eles, por sua vez, também deram mais valor para as escolas e professores. Com isso, as decisões escolares ficaram alinhadas com as opiniões e visões dos familiares das crianças, criando uma real comunidade. A integração entre os dois núcleos deve ser mantida em 2021 para melhor apoiar os pequenos.
3. Uso de tecnologia

Os desafios para as escolas vão além de integrar a tecnologia no uso diário. É preciso ampliar o uso de ferramentas tecnológicas que garantam a continuidade das aulas ou atividades para o caso do surgimento de outras pandemias mais adiante. Esse ponto é ainda mais importante se considerarmos a segunda onda da doença que acomete o mundo nesse momento e as incertezas com relação à aplicação de vacinas no Brasil.
Além disso, a adequação do ensino à tecnologia é fundamental para gerar nos alunos o seu protagonismo e a atuação de forma interativa, modelo que está cada vez mais presente na sociedade moderna. Por isso, as instituições devem propor atividades com recursos digitais de forma integrada e construtiva. Não se trata apenas da utilização das plataformas, mas de entender cada quesito que faz parte do processo educativo relacionado ao uso das tecnologias, sejam elas ferramentas físicas ou virtuais.
4.Matrículas

As instituições precisam estar preparadas para as matrículas e rematrículas deste ano, e flexibilizar a forma como isso acontece será necessário. A Sphere, por exemplo, abriu visitações digitais para atender os pais que não podiam ir até o local, mas continuou a receber na escola quem assim preferisse, em horários alternativos.
A digitalização das matrículas ajuda a economizar materiais e papéis, evita grandes deslocamentos e aglomerações e pode até ter uma atuação preventiva de cobrança, já que o processo passa a ser feito automaticamente. Outros serviços, como secretaria e tesouraria também devem ter a opção de acontecer digitalmente, mesmo após o retorno das aulas presenciais.
5.Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

O uso da tecnologia aumentou em todos os setores, e na educação básica não poderia ser diferente. Em 2020, inclusive, foi a peça principal para permitir que o ensino continuasse, mesmo à distância. A tendência é que após a erradicação deste vírus, a tecnologia ainda faça cada vez mais parte do ambiente escolar.
A LGPD, aprovada no segundo semestre de 2020, colocou o Brasil entre os países que atuam legalmente para proteger os dados e a privacidade dos cidadãos. A princípio pode parecer um exagero, ou um desafio, mas é uma maneira de garantir segurança para todos os envolvidos. Ela vai exigir mudanças e garantias das escolas também, que armazenam informações financeiras e dados pessoais de centenas de famílias. Servidores confiáveis, sistemas de proteção contra ataques virtuais, documentos de autorização de uso de imagem para publicar fotos e vídeos dos alunos em redes sociais e sites, entre outras medidas. É importante que as instituições procurem conselhos legais e tecnológicos para garantir sua conformidade com a nova legislação.

6.Medidas de biossegurança

As dificuldades surgiram com tudo quando o assunto é biossegurança. Depois da crise sanitária do novo coronavírus, e entendendo que essas situações podem voltar a acontecer no futuro, ficou evidente a necessidade de criar medidas de proteção para que, na volta às aulas, nenhum contágio aconteça.
A lista de protocolos a ser adotada deve ser extensa. A Sphere, por exemplo, implementou mudanças nos espaços físicos, como sanitização, processos de biossegurança e higienização dos ambientes, uso obrigatório de máscaras, checagem constante de temperaturas, higienização, distanciamento, salas mais arejadas, entre outras. Incluir orientações para pais e responsáveis também ajuda, já que o risco não está limitado ao espaço físico da instituição. A adoção dessas medidas fez com que a rede não registrasse nenhum caso de contágio desde que as aulas retornaram ao modelo presencial e vai continuar trabalhando para que isso não ocorra em 2021.
Categorias
Brasil Educação Saúde

Diante de todo o estigma associado à saúde mental, o que fazer com questões como ansiedade e estresse no pré-vestibular?

Reta final dos estudos e provas costumam causar transtornos nos estudantes; pandemia pode agravar o quadro.

Sensações de incertezas e ansiedade são recorrentes na vida dos estudantes no período pré-vestibular. E o estigma associado a doenças mentais e a pandemia podem agravar esse quadro, pois além do estresse de se preparar para as provas e inseguranças comuns desta fase, as imposições do isolamento social, dificuldades e indefinições, por exemplo, podem levar a mente à exaustão.

“Sabemos que o estigma associado à doença mental é dos mais importantes e difíceis obstáculos para a recuperação e reabilitação do indivíduo; a discriminação pode ser um problema tão grande quanto a própria doença. Neste momento de incertezas, esse quadro pode ser agravado, porque além de lidar com esses preconceitos, os adolescentes estão vivendo um dos períodos mais desafiadores de sua vida, estão tomando uma grande decisão e em um momento sem precedentes, em que os seus sentimentos e transtornos podem estar ainda mais intensos”, afirma o médico de adolescentes e gerente médico da Apsen Farmacêutica, Williams Santos. “O olhar empático e proximidade de amigos e familiares é ainda mais fundamental”, reitera o médico.

Como é possível cuidar da saúde mental, manter a calma e o foco nos estudos finais e na prova, diante de preconceitos e de tudo pelo que estamos passando? Para ajudar os vestibulandos a enfrentar um dos primeiros grandes desafios de suas vidas, reunimos seis dicas de especialistas:

• Apoio familiar: este suporte é um dos pilares mais importantes para os estudantes, que se cobram muito nesta fase. Em vez de pressionar por resultados, os familiares precisam ser uma retaguarda, com apoio psicológico, e respeitar os momentos de estudo. “O isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19 impactou a vida e a saúde mental de todos. No caso dos jovens, o fato de precisar estudar em casa, por exemplo, com seus pais trabalhando no mesmo ambiente muitas vezes, pode prejudicar a manutenção do foco. Por isso, a compreensão, o diálogo e ajuda são essenciais, para dar mais segurança”, reforça a psicóloga e orientadora vocacional, Fabiana Luckemeyer.

• Disciplina, organização e foco: os estudantes costumam ouvir muito essas palavras de seus professores. Não à toa. Um ambiente arrumado, arejado e iluminado, horários estabelecidos de estudos e disciplina para manter a rotina diariamente farão com que os jovens se sintam mais preparados, o que ameniza boa parte do estresse. “Buscar recursos e mecanismos para se organizar pedagogicamente e encontrar qual é a forma de estudar que funciona melhor pode ser um diferencial para bons resultados nas provas e no futuro”, orienta Fabiana Luckemeyer.

• Cuide da mente e do corpo: aplicativos de mindfulness ajudam a manter a atenção e ganharam ainda mais adeptos durante a pandemia. Para os estudantes, que precisam se organizar para as provas e diminuir sensações de ansiedade e estresse, é recomendado, pois ajuda a trabalhar a respiração, abaixar a agitação mental, acalmar os batimentos cardíacos, além de relaxar todo o corpo e soltar o peso dos ombros, por exemplo.

• Alimente-se bem e faça exercícios: buscar uma alimentação saudável, evitando excessos, pode ajudar tanto nos estudos quanto nos vestibulares. “E não se esquecer de beber água com frequência, inclusive durante as provas, pois a desidratação, principalmente antes das provas, pode levar à alteração na memória e falta de atenção. Já as atividades físicas, respeitando as medidas de distanciamento necessárias, devem fazer parte da rotina do estudante, pois ajudam na redução de níveis de ansiedade e estresse e aumentam a sensação de bem-estar. No entanto, é preciso ter cuidado para não se esforçar muito antes das provas”, aconselha o gerente médico da Apsen Farmacêutica, Williams Santos.

• Não dá para fazer tudo, mas faça tudo o que puder: a autoestima e autoconfiança neste momento são importantes aliados, acredite e confie que você terá os frutos daquilo que plantou, de seus esforços… “Busque seus próprios recursos para a véspera e dia da prova, como: massagem, banho gostoso, roupas confortáveis, alimentação leve, muita hidratação como dito anteriormente, ouça uma música bacana para você, enfim, aquilo que trará conforto e tranquilidade para elevar sua confiança e fazer uma boa prova”, finaliza a psicóloga Fabiana Luckemeyer.

• Procure ajuda médica, em caso de necessidade: além do estresse e ansiedade comuns dessa fase, com a pandemia há um maior impacto na saúde mental dos jovens. E um dos fatores que podem contribuir com isso é a conexão do eixo cérebro-intestino. Uma das opções é uma novidade no mercado brasileiro, o uso de psicobióticos, que atuam na microbiota intestinal e auxiliam na melhora destes quadros. “Vale lembrar que cerca de 90% da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar, é produzida pelo intestino. Então, os pais precisam ficar alertas e, se necessário, buscarem ajuda de um profissional de saúde, para indicar a melhor terapia”, explica o médico Williams Santos.