Categorias
Destaque Notícias

Procura por serviços cresce 84% no Rio de Janeiro em agosto

Segundo uma pesquisa feita pelo GetNinjas, maior aplicativo de contratação de serviços da América Latina, houve um aumento de 84% na demanda por serviços no estado do Rio de Janeiro em agosto em comparação com mesmo período do ano anterior. Tal crescimento na demanda reflete o comportamento do consumidor fluminense em meio a flexibilização da quarentena e reabertura gradual do comércio. O levantamento é baseado nos mais de 500 tipos de serviços que são oferecidos no aplicativo pelos mais de 1,7 milhão de profissionais cadastrados.

Apesar da pandemia ter afetado diversos setores, o aumento na demanda por serviços pôde ser percebido desde maio, tanto no país quanto no estado. Em maio, o crescimento da procura no Rio de Janeiro chegou a crescer 52%; em abril, 99%. Para Eduardo L’Hotellier, fundador e CEO do GetNinjas, “essa crise antecipou mais um comportamento que já víamos ocorrer nos últimos anos, o da digitalização do mercado de serviços. De forma segura, as pessoas têm online opções de serviços, assim como elas já têm para entrega de comida e de produtos, por exemplo”. Além disso, o empreendedor pontua que ao passarem mais tempo em casa, as pessoas começaram a usar mais os eletrodomésticos e veem melhorias que podem ser feitas em casa.

Tais melhorias domésticas fez parte da realidade de muitos fluminenses, já que a demanda por serviços de reformas aumentou 80% em agosto em comparação comparação com o mesmo período do ano anterior. Com tamanho crescimento, essa é a categoria mais demandada no estado. Em segundo lugar há a procura por profissionais de “Assistência técnica”, que teve um acréscimo de 101% no mês passado em comparação com agosto de 2019. Em seguida há a busca por “Serviços domésticos”, que subiu 65% e levando em consideração o mesmo período; as solicitações por serviços de “Saúde” cresceram 214%, de “Consultoria” aumentaram 138% e por fim, a categoria de “Moda e beleza”, 109% .

Para evitar que os profissionais cadastrados no app e os consumidores corram riscos de contraírem ou transmitirem o novo coronavírus, o GetNinjas realizou uma campanha interna para auxiliar e orientar todos os prestadores de serviço cadastrados no aplicativo à tomarem as devidas medidas de segurança e prevenção, nos serviços essenciais que precisam ser feitos presencialmente.

Categorias
Destaque Economia

MP que permite corte de até 70% do salário está em vigor

O governo anunciou medida provisória que vai permitir às empresas reduzir jornada e salário de funcionários em até 70% por até três meses, ou suspender totalmente o contrato de trabalho e o pagamento de salário por até dois meses. Em ambos os casos, o trabalhador receberá seguro-desemprego, em parte ou na íntegra, pago pelo governo como compensação. A medida faz parte do combate aos impactos do coronavírus.

A redução na jornada e no salário poderá ser de 25%, 50% ou 70%. Não ficou claro pela apresentação do governo se será possível negociar, em acordo coletivo, um percentual diferente destes.

Em contrapartida, o empregado terá estabilidade no emprego por um período igual ao da redução da jornada ou suspensão de contrato. Por exemplo, se o acordo for de dois meses, ele terá estabilidade durante quatro meses.

A suspensão poderá ser firmada por acordo individual com empregados que recebem até três salários mínimos ou mais de dois tetos do INSS (12.202,12) e que tenham curso superior. Fora dessas condições será preciso firmar acordo coletivo.

 

Categorias
Ana Cristina Campelo | Seus Direitos

Justa causa no empregador

Patrão e empregado. Ambos têm igualmente direitos e deveres. Ambos têm responsabilidades. E ambos têm papéis diferentes em uma relação que não tem prazo para acabar e que se espera seja harmônica e civilizada.
Porém, há empregadores que, se utilizando do seu poder potestativo – de mando –, abusam do direito que possuem, de determinar providências e “passam do ponto”, nas ordens, na maneira com que se dirigem aos subordinados e extrapolam o bom sendo do poder de mando e gestão.

E o que o empregado pode, impotente e achando-se o inferior nesta relação, fazer? Rescisão indireta do contrato de trabalho ou, como é conhecida, justa causa no empregador.
O motivo mais comum para a rescisão indireta do contrato de trabalho é a falta de recolhimento das verbas próprias do contrato de trabalho, costumeiramente, os recolhimentos previdenciários e do FGTS.

A exigência de serviços superiores às forças do empregado, não só a força física mais a intelectual, também é motivo para a aplicação da justa causa no empregador. Como exemplo dos esforços físicos pode ser a exigência de que o empregado remova objeto com peso acima de 60 kg sem ajuda de aparelho mecânico (artigo 198 da CLT). Quanto à força intelectual, a exigência de que o empregado elabore grande número de textos em espaço de tempo pequeno o que será impossível sua realização.

A exigência de realização de serviços que são proibidos por lei também é procedimento errado como, por exemplo, o trabalho do menor em local perigoso, insalubre ou em horário noturno, transportar substância ilícita ou também executar por ordem do empregador uma tarefa lesiva ao patrimônio ou à moral de alguém.

A exigência de serviços contrários aos bons costumes também enseja a rescisão indireta, sendo um pouco mais difícil de precisar, pois é necessário adotar o princípio do bom senso, do comportamento respeitoso normalmente aceito pelas pessoas e a sociedade em geral, para definir quando não é. Como um exemplo pode-se dizer quanto o empregador orienta seu funcionário a manter um relacionamento com um cliente importante para o estabelecimento.

A exigência de serviços alheios ao contrato – muito comum –, quando o empregado recebe ordens para executar tarefas para as quais não foi contratado, como determinar que o porteiro deva pintar as paredes da casa do síndico, ou que um professor exerça a função de motorista ou a costureira faça a limpeza semanal na casa do patrão.

Quando o empregado é tratado com rigor excessivo, que é quando acontece uma perseguição contra o empregado, passando a tratá-lo de forma diferente da que trata os demais e aplicando punições exageradas, desnecessários e sem sentido. Há casos de inclusive o comportamento configurar assédio moral ou sexual.

Perigo evidente de mal considerável também dá motivo e ocorre quando o empregado é exposto a situações perigosas não característica das atividades para o qual foi contratado, como, por exemplo, obrigar o empregado a trabalhar “em altura ou obras em construção sem o fornecimento de equipamentos de proteção adequados”.

Ato lesivo da honra e boa fama pode ser não só contra o empregado, mas também contra pessoas da sua família. Honra englobando a reputação e dignidade do empregado. Boa fama no tocante a pessoa perante a sociedade em que vive.

A ofensa física no caso de lesão à integridade física do empregado, praticada pelo empregador, através de violência física, desde que não seja em legítima defesa.

A redução do trabalho afetando o salário. Por exemplo, quando o empregado trabalha por produção, por quantidade que produz e tem o seu trabalho reduzido, diminuindo o valor do salário que recebe.

Acontecendo uma das hipóteses acima descritas, o empregado deverá comunicar a aplicação da rescisão indireta – ou justa causa no empregador – de preferência através de telegrama com aviso de recebimento, dizendo que não quer mais trabalhar para ele, porque o empregador fez, e descreve o que ele fez, para que o empregador não fique achando que a ausência ao trabalho foi abandono de emprego.

Se o empregador não aceitar e reconhecer a rescisão indireta, não pagará as verbas rescisórias devidas ao ex-empregado. Então, logo após a aplicação da justa causa no empregador, com o envio do telegrama comunicando, o empregado deverá ajuizar ação trabalhista, requerendo o reconhecimento da rescisão indireta, bem como o pagamento de todas as verbas rescisórias devidas e, em muitas ocasiões, dependendo do motivo caberá ainda uma ação de indenização por danos morais.
Na dispensa indireta, ou justa causa no empregador, o empregado tem direito a receber as verbas rescisórias como se tivesse sido demitido sem justo motivo, ou seja, aviso prévio, férias, décimo terceiro salário, saldo de salário, multa de 40% do FGTS, levantamento dos depósitos do FGTS e seguro desemprego.

A empresa, não aceitando a aplicação da justa causa, estas verbas deverão ser reconhecidas e pagas através de decisão judicial.
Para a ação judicial, o empregado deve ter todos os documentos que possam ser utilizados como prova – salvo os obtidos de forma ilícita – e também testemunhas que possam confirmar suas alegações em Juízo.

A simples falta de recolhimento do FGTS não é grave suficiente para motivar a rescisão indireta. O mesmo ocorre com as férias. Mas o não pagamento das férias e o não recolhimento do Fundo de Garantia em conjunto já são motivos ensejadores da justa causa do empregador. Não pagar as férias, ou ficar, sem motivo razoável, por três meses sem efetuar o pagamento dos salários também é passível deste procedimento. Fique de olho!

Ana Cristina Campelo
Advogada e jornalista
MTb 38578RJ
[email protected]

Categorias
Rio

Prefeitura do Rio disponibiliza mais de 1.130 vagas de emprego

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação, da prefeitura do Rio, disponibiliza vagas 1.134 para vários níveis, inclusive, para quem não tem experiência.

São  838 para pessoas com deficiência e reabilitados do INSS e  296 para candidatos sem deficiência. Quem nunca trabalhou, também, tem chance.Para saber mais, os interessados devem ir a um dos Centros Municipais de Trabalho e Emprego com identidade, CPF, carteira de trabalho e PIS.  Se estiverem dentro do perfil, receberão o encaminhamento e seguirão para a entrevista.

É importante ressaltar que não há nenhuma possibilidade de encaminhamento das pessoas sem deficiência para as vagas exclusivas para pessoas com deficiência e reabilitados do INSS.

As vagas expiraram e saem do sistema em função, a medida que são feitos de encaminhamentos e/ou em função de ter acabado o prazo estipulado pelo empregador. Confira as vagas e observe ao lado de cada uma se há ou não exigência de experiência.

Pessoas sem deficiência 

Fundamental Incompleto

Pizzaiolo – Sim

Fundamental Completo

Frentista – Não

Médio Completo

Operador de loja – Não
Assistente de prevenção de perdas – Não
Recepcionista Atendente – Sim
Motorista Carreteiro – Sim
Subgerente de posto de gasolina – Sim
Gerente de posto de gasolina – Sim
Atendente – Sim
Monitor de Sistemas Eletrônicos de Segurança Interno – Sim

Vagas exclusivas para pessoas com deficiência e reabilitados do INSS

Fundamental Incompleto

Auxiliar de limpeza – sim
Auxiliar de Linha de produção – não
Operador de Loja – não

Fundamental Completo

Deposista/Encarregado – não
Arrumador de Prateleiras – não
Atendente – sim
Auxiliar de Limpeza – não
Empacotador – não
Operador de Câmara – não
Repositor – não
Vendedor – Aprendiz – não

Médio Incompleto

Auxiliar de Cabeleireiro – não
Operador de Telemarketing – sim
Operador de Loja – não

Médio Completo

Assistente de Produtos e Serviços – sim
Atendente – não
Auxiliar Administrativo – não
Atendente de CAC – sim
Caixa – sim
Operador de Telemarketing Receptivo – não
Operador de loja – não
Vendedor Interno – não

Superior Incompleto

Analista de suporte (informática) – sim
Analista Desenvolvedor (informática) – sim
Analista de DBA Oracle (informática) – sim
Analista de DBA (informática) – sim
Analista de Redes – Segurança (informática) – sim
Analista de Infraestrutura – Storage (informática) – sim

Superior Completo

Designer – sim
Arquiteto de Soluções de Sistema ( Informática ) – sim

 Os Centros Municipais de Trabalho e Emprego ficam nos seguinte endereços:
– Campo Grande: Rua Barcelos Domingos, 162
– Méier: Rua 24 de Maio, 931
– Centro – Ciad: Avenida Presidente Vargas, 1997 (Atendimentos exclusivos a PCD)
– Ilha do Governador: Estrada do Dendê, 2080
– Providência: Rua da América, 81
– Santa Cruz – Rua Lopes Moura, 58
– Tijuca: Rua Camaragibe, 25
– Jacarepaguá –  Quality Shopping -Av. Geremário Dantas, 1400

 Foto: Pixabay