Categorias
Economia Rio

ASSERJ promove curso para geração de empregos

Capacitação oferecida pela Associação de Supermercados do Estado do Rio – ASSERJ, em parceria com a UFRJ, não exige formação superior. Com aulas 100% online e ao vivo, curso de extensão é focado na gestão de supermercados com método desenvolvido em Harvard.
Aprender na prática, com aulas dinâmicas e experiências de situações do cotidiano dos supermercados é o objetivo do curso online de extensão Gestão Estratégica de Supermercados que inicia em 02 de fevereiro.

O curso é realizado pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (ASSERJ), em parceria com o Instituto Coppead de Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, escola de negócios reconhecida globalmente pela sua excelência.

São aplicados métodos ativos de aprendizagem, desenvolvidos em Harvard, e utilizados por business schools de todo o mundo. São discutidos problemas vivenciados por empresas muitas vezes reais, debatendo lentes teóricas, práticas e especificidades relacionadas aos supermercados. Os materiais são disponibilizados antecipadamente, na plataforma digital de acesso exclusivo da turma.

Com aulas 100% online e ao vivo, o curso de extensão é focado na gestão de supermercados e não exige formação superior. Os alunos, de qualquer lugar do mundo, vão ter acesso a um conteúdo inovador, visando a capacitação para uma gestão mais assertiva. São dois encontros por semana, às terças e quintas-feiras, com 3 horas de duração cada encontro.

A capacitação visa atender a demanda de profissionais que enxergam o crescimento do setor que projeta, para 2021, a abertura de pelo menos 30 novas lojas no estado do Rio de Janeiro e o crescimento das vendas em mais de 4,5%. O aumento se deve ao período da quarentena, em que os supermercados, como serviços essenciais, tiveram grande procura pela população.

No último ano, as redes associadas da ASSERJ tiveram um crescimento nas vendas de mais de 3,98% comparado ao ano de 2019. O setor supermercadista foi um dos que mais contratou em 2020, tanto por empregos fixos quanto por temporários, totalizando mais de 3.800 oportunidade de emprego no estado, somente no ano passado.

Para o presidente da ASSERJ, Fábio Queiróz, o consumidor está cada vez mais exigente e os interessados no curso terão a oportunidade de aprender como lidar com esse novo perfil, além de crescer na carreira. “As empresas precisam estar cada vez mais preparadas. O consumidor de hoje quer um atendimento diferenciado. Com o crescimento do setor e a possibilidade de novas vagas é fundamental a capacitação que vai tratar as dores desse segmento tão importante para a população e a economia”, garante Fábio Queiróz.

As inscrições estão abertas para o curso Gestão Estratégica de Supermercados no site:

https://asserj.com.br/ideia/gestao-estrategica-de-supermercados/

GESTÃO ESTRATÉGICA DE SUPERMERCADOS – COPPEAD E ASSERJ

Programa Avançado para Executivos de Supermercados

Início: 02 de Fevereiro de 2021

Carga Horária: 90 horas de curso, com aulas 100% online e ao vivo, duas vezes por semana.

Vagas limitadas! Associado ASSERJ tem 15% de desconto.

Sobre a ASSERJ

Criada em 1969, a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro tem como objetivo unir, servir e representar o segmento supermercadista nos cenários político, econômico e social, promovendo a interação entre os players e o desenvolvimento da qualidade da gestão. Hoje comandada pelo executivo Fábio Queiróz, eleito presidente em 2015, a ASSERJ representa os interesses de 300 grupos supermercadistas do Estado do Rio de Janeiro e oferece a seus associados diversos benefícios, como cursos de aperfeiçoamento, palestras, consultoria e assessoria na área jurídica. https://asserj.com.br
Categorias
Destaque Economia

7 dicas para quem deseja se recolocar no mercado de trabalho ainda em 2020

Embora este seja um final de ano atípico, a flexibilização da quarentena traz a esperança para mais de 13 milhões de desempregados retornarem ao mercado de trabalho. Datas importantes do ponto de vista comercial como a Black Friday, Natal e festas de final de ano também devem colaborar para um novo cenário. Só na plataforma da Connekt, existem mais de 1.500 vagas abertas entre os setores estão o de administração, tecnologia, marketing, vendas, entre outros.

Diversos grupos e perfis foram impactados este ano com a perda de seus empregos. As datas importantes que se aproximam podem ser uma primeira esperança para melhorar os números de desemprego no país, mesmo que essa primeira evolução seja um tanto quanto lenta. Uma das principais dicas que tenho neste momento é para que as pessoas não desistam de buscar uma oportunidade e, muito menos, de estudar, avalia Celson Hupfer, CEO da Connekt, plataforma inteligente de recrutamento digital e Doutor em Psicologia Social.

Para ajudar as pessoas que buscam uma recolocação ainda este ano, o especialista separou sete dicas. Confira:

1- Lembre-se sempre de atualizar seu currículo, é importante destacar seus principais projetos e objetivos de carreira.

2- Não se desespere. O desespero faz com que a gente não encontre uma saída e transforma qualquer caminho em labirinto. Portanto, tente ser racional e transforme sua ansiedade em ação para permanecer em busca.

3- Crie e reforce sua rede de contatos profissionais. Conte para os amigos mais próximos que estão em busca de empregos, sabe aquele amigo que trabalha em uma empresa legal? Quem sabe ele não pode te dar uma força neste momento.

4- Esteja ativo nas redes sociais e busque emprego por elas também. As melhores e maiores empresas estão inseridas nas redes sociais e divulgam suas vagas em sites e plataformas de emprego, além de claro, Facebook e Linkedin.

5- Tenha clareza do seu propósito de carreira, pesquise sobre as melhores empresas para sua área, remuneração e skills necessários

6- Foque no seu autodesenvolvimento. Vá em busca de cursos, palestras ou ferramentas que o ajude a adquiri-los, na época de pandemia, os cursos EAD, webinar e conteúdos educativos ganharam ainda mais espaço.

7- Não desista em hipótese alguma. Já existem pesquisas que afirmam que o grupo de pessoas que nem trabalham, nem estudam, nem buscam emprego vem aumentando com a pandemia. Manter-se disposto e ativo é fundamental para conquistar uma vaga mais rápido, sem contar que é uma prova de coragem por nós mesmos.          

Por: Paula Oliveira

 

Categorias
Economia

Supermercados do Rio contratam mesmo durante a pandemia

Os supermercados fluminenses abriram mais de 1 mil vagas no período entre os dias 11 de março e 11 de abril. Essa é uma das informações do levantamento inédito realizado pela Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj) em estabelecimentos que responderam à pesquisa para avaliar o impacto da pandemia provocada pela contaminação pelo novo coronavírus (covid-19).

O setor é um dos poucos que está contratando em meio à pandemia. Os funcionários que foram afastados faziam parte do grupo de risco ou apresentaram sintomas de covid-19.

“A gente afastou todo o pessoal que se encaixava nos grupos de risco. São grávidas, doentes crônicos, pessoas com mais de 60 anos. Só aí a gente afastou mais de 7% do nosso quadro. Fora isso, tiveram as pessoas que foram se afastando por que foram contaminadas, umas com sintomas, outras com os casos confirmados. Então, a gente precisa repor”, disse a superintendente da Asserj, Keila Prates.

As contratações foram para manter o nível de atendimento, mesmo com os afastamentos, e as novas vagas são para funções operacionais, que têm mais contato com o público. “As vagas são de caixas, repositores, pessoal de fundo de loja, que são as pessoas que trabalham na área de estoque, pessoal de limpeza. Nosso pessoal administrativo tem menos contato com o público e muitos deles estão trabalhando em home office”, disse. Segundo Keila, mantido o atual cenário, não há previsão de demissões nas redes associadas.

Consumidor deve tomar cuidado

Keila disse que o consumidor também deve ter cuidado e pensar nos empregados que precisam desempenhar o seu trabalho nas lojas. “A gente pede muita atenção e cuidado das pessoas que vão visitar as lojas. Se está com sintomas, fique em casa, porque senão acaba contaminando quem está ali no trabalho de servir à população e, que por sua vez, vai para a casa e pode contaminar a família também”, disse.

A superintendente acrescentou que a maioria das mais de mil vagas criadas foi em lojas do município do Rio e em estabelecimentos da Baixada Fluminense. A superintendente destacou que elas não incluem mais mil vagas referentes a quatro novos supermercados inaugurados no município.

Com informações e foto da Agência Brasil

Categorias
Rio

Entidades pedem fechamento dos canteiros de obras

Por Sandro Barros

Devido à pandemia do Covid-19, entidades da sociedade civil e conselhos profissionais do setor da construção civil emitiram, em 7 de abril, uma nota conjunta em que alertam sobre os riscos da manutenção das atividades de canteiro de obras e orientam a suspensão imediata dos trabalhos. A exceção são as obras que têm como objetivo o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e intervenções emergenciais necessárias para garantir a segurança da população e o convívio em quarentena.

Apenas na cidade do Rio de Janeiro, são mais de mais de 100 mil trabalhadores, diretos e indiretos, que fazem parte da cadeia produtiva da construção civil. As entidades ressaltam ainda que os empregados, a princípio, estão aptos a receber a renda básica emergencial do governo federal e que as empresas do setor imobiliário estão contempladas em pacotes de medidas econômicas, como a facilitação do crédito pela Caixa Econômica Federal e o pacote de ajuda do BNDES.

Assinam a nota o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Rio de Janeiro (CAU/RJ), o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), a Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), o Clube de Engenharia, Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado do Rio de Janeiro (CRT-RJ), a Sociedade dos Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj), o Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas no Estado do Rio de Janeiro (Sarj), o Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge) e a Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge).