Categorias
Entrevistas

Mencatto: estilista brasileiro que faz sua moda brilhar nos EUA

 

Por  Claudia Mastrange

Ele nasceu no interior do Paraná, na cidade de Dois Vizinhos, mas ganhou o mundo Aldo Mencatto sempre foi apaixonado por moda e, desde criança confeccionava peças usando sacos rústicos, folha de bananeira  e todo material que o criativo menino de 6 anos pudesse transformar em moda. Hoje, tornou-se um estilista respeitado pelo mundo e há 12 anos vive em Las Vegas, no estado de Nevada, nos Estados Unidos.

Em 2018 foi homenageado como um dos cinco melhores fashion designers do ano nos EUA.  Já vestiu personalidades como Luiza Brunet, Evandro Mesquita e Paloma Bernardi e, em plena pandemia, trabalha em sua fundação e prepara uma nova coleção, que será lançada no Rio de Janeiro em 2021.  “Para mim a moda se define em cada personalidade. O principal ponto em cada um, é o que se define como parte da moda global”, afirma.. Confira a entrevista exclusiva ao Diário do Rio.

Diário do Rio – Desde menino você já curtia moda? Verdade que sua mãe te inspirava? Fale um pouco sobre isso…

Mencatto – Eu cresci no interior do Paraná, em uma família grande. Minha mãe sempre foi uma mulher guerreira, que criou 15 filhos e sempre costurou para toda a família. Cresci ajudando- a a costurar e, com 6 anos comecei a fazer roupas com sacos de batatas, guarda-chuvas velhos, folhas de bananeiras e outras coisas e  sem nem uma informação sobre o mundo. Tudo no interior do Paraná, onde cresci sem televisão e eletricidade.

Diário do Rio – – Quando viu que a a moda era se u caminho profissional?

Mencatto – Com 15 anos nos mudamos para a cidade e comecei a conhecer outro mundo. Comecei na carreira como modelo, mas minha paixåo não era apenas posar e sim criar moda. Em 2003 que resolvi investir na carreira como estilista de moda. Comecei a pensar em minha mãe, que sempre me inspirou, e resolvi seguir minha paixão. Comecei a fazer feiras de moda e vender pra lojas multimarcas.

Diário do Rio –  Qual foi sua primeira peça de sucesso?

Mencatto – Foi um vestido feito para a atriz Paloma Duarte usar no filme “Deus é Brasileiro”, em cena com o ator Antonio Fagundes. Depois comecei a vestir muitas outras celebridades.

Diário do Rio – Como foi a mudança para os Estados Unidos ?

Mencatto – Há 12 anos deixei o Brasil e vim morar em Las Vegas, nos Estados Unidos. Em 2012 fui um dos fundadores do consulado da moda em Las Vegas, e em 2017 recebi o titulo de pessoa do ano pelo Congresso dos EUAS e também pelo Chamber de Commerce do estado de Nevada. Uma grande conquista.

Diário do Rio – Qual a sensação ao conseguir fazer sua primeira coleção em Las Vegas?

Mencatto – A primeira coleção aqui em Las Vegas foi uma sensação de conquista grande. Ao mesmo tempo, estava muito nervoso por estar em outro país, com uma outra língua, outra perspectiva de vida para mim. Mas pensei no que me movia, que era a paixão pela moda e a ideia de ver novamente as pessoas usando minhas roupas.  Um dia, dirigindo aqui nas montanhas, tive uma visão de um vestido vermelho decidi apostar tudo na moda… Aqui não tem o crepe de seda puro, canelado, que é o tecido que mais gosto… Mas busquei outros tecidos para criar a coleção e mandei para Helena, no Brasil. Quando recebi as peças, a sensação foi incrível. Foi um alívio e uma conquista muito grande.

Diário do Rio – E como foi  o lançamento?

Mencatto –  Em 2012 surgiu o convite para lançar no Hotel MGM,  em um desfile beneficente, com renda para a Fundação Three Square ,  que ajuda crianças no mundo inteiro. Foram mais de 600 ingressos vendidos e todo dinheiro foi doado. A sensação foi de vitoria. A partir daí todos os meus desfiles são beneficentes. É uma promessa que fiz, não faço só para mostrar modelos e moda. Faço desfiles viajando para muitos países e na intenção de ajudar hospitais, instituições que tratam de crianças com câncer… No Brasil, ajudo o Instituto do Câncer Infantil de Aracaju.

Diário do Rio – -Como será sua nova coleção?

Mencatto  – A nova coleção está sendo feita toda no Rio de Janeiro por uma das mais competentes costureiras que ja tive: Maria Helena Fernandes. Basta ver meus desenhos e ela entende cada detalhe a ser feito. Vem totalmente glamurosa, a coleção mais luxuosa que já fiz, com 40 peças exclusivas, com tecidos exclusivos. Além do melhor, que é o chifon puro de seda, uso rendas, tudo vindo da Paris. E faço pessoalmente bordados exclusivos para as peças. Me inspiro muito dirigindo em L.V.  As cores, grafismo, luzes, seus grandes telões…. Com a pandemia, as luzes foram embora, mas estão de volta nessa coleção.

Diário do Rio – Como foi produzir em plena pandemia?

Mencatto – Foi bem complicado porque tudo parou e confecciono tudo no Rio. Mas a coleção diz mais sobre a nova etapa da minha vida. Remodelei tudo, com meu filho, meu la. Entendi que é preciso ter tempo para si próprio. Me redescobri, pintei a casa, troquei móveis… Há uma mudança gigantesca em tudo e a coleção reflete isso.

Diario do Rio – Fale sobre sua fundação, a Chris’s Mencatto Children’s Foundation.

Mencatto – Ela é fruto de uma promessa. Realizei o meu maior sonho que é ser pai. Sou um homem realizado. Christopher é a coisa mais importante da minha vida. Então pedi a Deus que o protegesse, e à mãe dele e prometi que dedicaria minha vida a ajudar crianças e buscar tornar melhor a vida das pessoas. Meu filho tem autismo. Está com 7 anos, está  bem. Trato-o com muita coisa natural e pretendo abrir um centro para dar assistência a crianças com autismo, desde apoio médico a aulas de música e pintura. Em Vegas não tem isso. Quero ajudar outros pais. No inicio fiquei frustrado porque não tinha quem me ajudasse Então tudo que faço por ele quero fazer por outras crianças. É meu grande objetivo para 2021.

Foto: Harman House