Categorias
Janaina Macedo Calvo | Desenvolvimento Pessoal & Finanças Notícias do Jornal

Hora de trocar o planejamento pela realização

 

O ano de 2020 terminou com um grande ensinamento: planejamento. E 2021 inicia com uma grande promessa: realização. Ano de realizar o que ficou retido. Agora com mais foco, mais vontade de vencer, principalmente com os aprendizados adquiridos dos momentos de seca. E com planejamento. Nada de reclamar ou de sentir pena do que passou. Agora é hora de sentar com sua família ou sozinho e redesenhar as prioridades.

Janeiro é um mês maravilhoso, porém cheio de tributos, materiais escolares, pagamentos das folias do natal e ano novo. Como priorizar? Tenha foco. Agora é hora de se preparar para a guerra. Sim, guerra. Apesar de falarmos das promessas de 2021, se não agirmos como guerreiros e comandantes e planejarmos as ações não teremos êxito.

Coloque num papel todos os gastos: água, luz, celular, internet, mercado, etc. Qual a sua receita mensal? Para vencer é preciso se lembrar que a meta é viver com 90% do que ganha.

Experimente acompanhar seus gastos diários por 30 dias. Já mencionei que a dívida é nosso pior inimigo. E eu sei que não é fácil abandoná-la. Às vezes podemos fazer um acordo para quitar o cartão de credito e quando percebemos já estamos novamente usando e a dívida ficando maior. Percebe que é o nosso comportamento que deve mudar?

Devemos declarar guerra aos hábitos causadores das dívidas. E digo isso porquê estamos no início do ano. É hora de fazer uma declaração para si mesmo: Vou mudar!

 A dívida é fruto de gastos de previsão de fluxo caixa futuro em troca de gratificação imediata. Para ter controle das dívidas primeiro temos que descobrir onde está o vazamento. E fazemos isso através de um orçamento (Existem várias planilhas de orçamento gratuitas na internet, caso deseje pode baixar gratuitamente www.palestrafinanceira.com.br). Seu orçamento é a chave para a liberdade financeira. Se você não estiver disposto a seguir um orçamento dificilmente conseguirá mudar financeiramente e certamente passará a vida vítima de sua situação. Orçamentos dirão se você está ganhando ou perdendo a guerra.

Agora que já está acompanhando seus gastos por 30 dias, anotando tudo: cafezinho, um novo par de meias, noitadas, salão de beleza, sempre definindo qual a categoria do gasto: alimentação, moradia, entretenimento, presentes, dívida, etc. já é possível analisar onde os gastos estão indo.

Por exemplo, alimentação: será que era preciso mesmo comprar aquele salgadinho ou era um desejo? Procure separar o que é necessidade do que é desejo. Faça uma anotação, NB para necessidades básicas e D para desejos. Isso será muito revelador a respeito do porquê você está onde está financeiramente.

Muitos perceberão que estão em déficit, ou seja, estão gastando mais do que ganham. E é hora de cortar e viver um estilo de vida que corresponde com o seu rendimento. É hora de colocar o ego de lado. A meta é criar um excedente e acredite: Você estará fazendo algo muito importante com o excedente que irá aprender a criar. Desista agora de viver de sonhos para seguir em frente e ter uma vida frutífera.

É uma decisão difícil, eu sei. Ainda mais que vivemos de aparência e de mostrar nas redes sociais que somos incríveis. Você já é incrível do jeito que é. As pessoas que realmente importam estarão com você, independente do que você tem. Seus pais, seus filhos, seus amigos verdadeiros…

Tudo isso passa. Precisamos aprender que o importante não é chegar lá e sim o caminho para chegar lá. Conte comigo nessa trajetória.

Janaina Macedo Calvo

Doutoranda em Administração e Sustentabilidade, Economista, Professora da FGV,  autora e palestrante.

Categorias
Brasil Economia

Inflação oficial de 4,52 não representa realidade dos brasileiros – veja o que fazer

Os dados referentes à inflação oficial de 2020 no Brasil foram acima da expectativa, fechando o ano em 4,52%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Um grande aumento, sendo a maior alta desde 2016, quando ficou em 6,29%.

O percentual é apontado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Contudo, é fácil constatar em qualquer ida ao supermercado, feira ou varejão que esse aumento não representam a realidade no bolso dos brasileiros, que tem sofrido muito mais com a inflação real, que é outra em relação à inflação oficial.

Sempre afirmo que o principal vilão das finanças da população é a inflação real. Ela causa a perda do poder aquisitivo do dinheiro. Mesmo os poupadores perdem dinheiro com o vilão da inflação verdadeira. Praticamente nenhuma aplicação consegue repor a perda desse valor.” Diz o PHD em Educação Financeira, Reinaldo Domingos.

A inflação real sempre existirá e será diferente da oficial, ela está relacionada aos produtos que realmente adquirimos e nas contas que realmente pagamos, sendo que na definição da inflação oficial são utilizados outros fatores. O que precisamos fazer é ficar atentos com o dinheiro que se ganha e, principalmente, como se gasta.

Digo isso por ter claro que o impacto da alta dos preços para população é muito maior do que os números oficiais apontam. E para que uma família tenha essa certeza disso é muito simples, basta fazer uma comparação de seus gastos cotidianos de três anos para cá.
Quanto era possível comprar antes com uma simples nota de R﹩ 100,00 e quanto é possível comprar agora? A resposta o próprio Governo Federal deu, com o lançamento de uma nova nota de R﹩ 200,00. Em uma análise simples se observa que foram muitos os produtos de consumo básico que subiram muito acima da inflação, exemplos recentes foram arroz e o óleo de cozinha. 
Por isso, antes de tomar qualquer decisão com base no índice oficial de inflação é preciso uma análise aprofundada dos gastos. Isso pode ser realizado por meio de um apontamento de despesas ou uma planilha, no qual se anota todos os gastos diários por itens. Recomendo como ideal fazer isso apenas um mês durante o ano se tiver renda fixa e até três vezes se for variável.

Esse cuidado é importante para que perceba aonde vão todos os valores e também o que está apresentando um efetivo aumento no decorrer dos anos. Por fim, haverá o benefício de eliminar gastos desnecessários que minimizam a capacidade de poupar e realizar sonhos.

Ao perceber o real impacto da inflação em sua vida, o consumidor poderá também observar que o aumento de seu salário não arcará com o aumento do custo de vida, não responderem mesmo as perdas inflacionárias oficiais, sendo necessário repensar o consumo.

Já em relação ao aumento dos alimentos, a única orientação possível é realizar uma melhor pesquisa de preço e que repense seu cardápio diário constantemente, pensando em produtos que possam se adequar a uma refeição saudável e mais barata. Acredite, é possível, mas demanda um pouco de tempo, pesquisa e criatividade.
Sobre Reinaldo Domingos
Reinaldo Domingos está à frente do canal Dinheiro à Vista. É PhD em Educação Financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin – https://www.abefin.org.br) e da DSOP Educação Financeira (https://www.dsop.com.br). Autor de diversos livros sobre o tema, como o best-seller Terapia Financeira .
Categorias
Colunas Destaque Janaina Macedo Calvo | Desenvolvimento Pessoal & Finanças Notícias do Jornal

Cinco ferramentas de gestão de empresas que você precisa conhecer

 

Para se dar bem em um mercado cada vez mais competitivo é necessário que os gestores procurem aperfeiçoar as suas atividades internas constantemente. Essa regra inclui qualquer segmento empresarial, pois, com os avanços da tecnologia e a transformação digital nos empreendimentos, os líderes que não procuram acompanhar essa tendência podem acabar perdendo grandes oportunidades e verem sofrer a estagnação de seu negócio.

A esse respeito, vale ressaltar que adotar ferramentas de gestão é fundamental para melhorar a administração da empresa, otimizar as tarefas realizadas no dia a dia, evitar erros e, assim, aumentar a produtividade. Caso você não tenha noção sobre o assunto, preparamos este artigo com as 5 principais ferramentas de gestão de empresas. Continue a leitura e fique por dentro de tudo!

  1. Ciclo PDCA

A finalidade do Ciclo PDCA é proporcionar uma evolução contínua dos processos de uma empresa. Essa ferramenta trabalha com 4 etapas: planejamento, execução, verificação e ação.

Ao seguir os procedimentos estabelecidos em cada etapa é possível compreender como determinado problema surge e como ele pode ser tratado. Desse modo, os gestores conseguem obter uma maior performance em suas ações devido ao aprimoramento das atividades.

  1. Canvas

Canvas é um tipo de estratégia administrativa e empresarial que trabalha com planejamento, execução e gestão de projetos. Seu principal objetivo é obter uma visão ampla do negócio e utilizar todo o seu potencial, contribuindo para estudar como atingir o seu público-alvo e alcançar um excelente ROI. Tudo é feito por meio de reuniões com o esboço de projetos novos ou aprimorados para evoluir a gestão da empresa.

  1. Orçamento empresarial (Budget)

O Budget e o Forecast fazem parte dos principais métodos para orçamento empresarial. Basicamente, essa ferramenta trabalha com a criação de orçamentos do tipo estático (budget), possibilitando traçar as metas e os objetivos de um negócio referentes a determinado período. Esse processo, ao longo de sua formação, pode ser ajustado por meio do emprego de Forecast.

  1. CRM

A sigla CRM refere-se à expressão Customer Relationship Management, que traduzida para o português significa Gestão do Relacionamento com o Cliente. Em formato de software, esse sistema tem a função de gerir o relacionamento da empresa com o seu público, bem como integrar processos da administração para que possa existir uma gestão eficaz direcionada ao cliente.

Ele opera desde a inicialização de uma venda até o pós-venda. Com isso, é possível gerenciar dados e informações, otimizar o trabalho interno e fidelizar clientes.

  1. Análise SWOT

A análise SWOT é uma ferramenta bastante utilizada para melhorar o planejamento estratégico e desenvolvimento do negócio. Por meio dela é possível aprofundar o estudo sobre as atividades da sua empresa, bem como realizar uma análise minuciosa da realidade a qual está inserida a sua corporação. Com isso, consegue-se encontrar os pontos fracos e fortes do negócio e criar formas de contornar os riscos e ameaças, aumentando as chances de sucesso no mercado.

Essas são as principais ferramanetas de gestão de empresas que você pode utilizar em seu negócio. Percebe-se que, com o auxílio de recursos específicos para cada situação, é possível melhorar por completo a produtividade da empresa e, dessa forma, alcançar o sucesso esperado.

Gostou do artigo? Então siga nossas redes sociais e acompanhe mais informações sobre o mundo dos negócios. Estamos no Instagram e no Linkedin!

Janaína Macedo Calvo

Doutoranda em Administração e Sustentabilidade, Economista, Professora da FGV,  autora e palestrante.

Categorias
Destaque Economia

Pix poderá ser usado para recolhimento do FGTS

O Banco Central (BC) anunciou hoje (22) que o Pix, novo sistema de pagamento instantâneo, poderá ser usado para o recolhimento de contribuições ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Na abertura da 11ª reunião plenária do Fórum Pix, transmitida hoje pela internet, o diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello, informou que foi feito um acordo de cooperação técnica com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho para permitir o recolhimento do FGTS. “Esse acordo com a secretaria tem como objetivo viabilizar o Pix como uma opção para o recolhimento de contribuições ao FGTS e da contribuição social a partir do lançamento do FGTS Digital, previsto para janeiro de 2021”, disse o diretor.

O sistema FGTS Digital será uma plataforma que vai centralizar a arrecadação, apuração, lançamento e cobrança. Segundo o Ministério da Economia, a expectativa é que a nova plataforma permita o acompanhamento virtual das contribuições pelas empresas, por meio do sistema digital de informações trabalhistas e previdenciárias em desenvolvimento pelo governo federal.

Segundo o diretor, essa possibilidade traz competição ao sistema financeiro, ao permitir que qualquer instituição participante do Pix possa efetivar o pagamento do FGTS ou da contribuição social, sem a necessidade de estabelecimento de convênios bilaterais.

De acordo com o chefe da Divisão de Fiscalização do FGTS da Subsecretaria da Inspeção do Trabalho, Audifax Franca Filho, o pagamento pelo Pix vai reduzir os custos para as empresas, que em 2019, emitiram 70 milhões de guias de recolhimento. “É certo, oportuno e um dos alvos do nosso projeto de impacto na redução de custo. Os custos estariam diretamente associados, em princípio, às tarifas de arrecadação”, disse.

Com informações: Agência Brasil