Categorias
Cultura Fica a Dica Rio

Batalha do Bem: Rapers, Mcs, Bboys e grafiteiros se reúnem em grande encontro virtual

 

Organizado pelo rapper e produtor cultural Tonny Boss, “Roda Cultural Consciente” pretende unir admiradores da cultura hip hop

No domingo, 14 de fevereiro, às 14h, a internet ficará agitada. É que será apresentada mais uma edição da Roda Cultural Consciente – RO.C.C, que pretende reunir Mcs, Bboys, grafiteiros e djs, em um grande encontro virtual. A proposta é aproximar apaixonados pela cultura hip hop, que poderão batalhar uns com os outros, num duelo do bem, ou mesmo assistir ao embate. A Transmissão ao vivo acontece no youtube: https://www.youtube.com/channel/UCYDGCQ0-3XYd3S2x_RlHCLQ

Apresentada pelo rapper e produtor cultural Tonny Boss, profissional que  além de trabalhar há mais de 10 anos com atrações da cultura Hip Hop, tem longa bagagem com projetos sociais de aulas de basquete na Zona Oeste carioca, o formato da batalha, reunirá em um local físico, apenas os participantes da batalha, respeitando as normas de segurança do Ministério de Saúde. A plateia, assistirá de forma virtual, podendo votar em seu preferido, através de emojis no Youtube do organizador. A contagem dos votos será feita ao final das disputas, anunciando os vencedores. E, quem deseja batalhar, ainda há tempo, basta se inscrever pelo youtube do organizador Tonny Boss.

Como atrações convidadas, o público contará com renomado rapper Ramonzin, com grandes sucessos como “A Se Ela Soubesse”, e a djs Dinna Groove embalando a pista e as batalhas de bboys. Haverá sorteios de prêmios aos participantes que responderem as perguntas que serão lançadas ao longo do evento. Já o ganhador das batalhas receberá uma premiação em dinheiro e uma tatuagem.

Tonny, idealizador do projeto, conta que sente saudades das grandes rodas culturais, mas, não desanima. Para ele o formato virtual também é valido, pois proporciona ainda mais possibilidades de alcançar novos públicos, que poderiam ter dificuldades, se o evento fosse físico. Com esta edição virtual, ele pretende mostrar a importância da cultura e da internet, como ferramenta de inclusão social se usadas da maneira correta.

A pandemia baqueou muita gente, e mesmo ainda num cenário de incertezas, precisamos de válvulas de escape pra fugirmos um pouco da angústia, depressão e preocupações causadas pela COVID-19. Nossa preocupação é promover entretenimento, com conscientização da importância de nos cuidarmos, além de reunir os amantes da cultura hip hop.

Tonny revela sempre ter aquele típico friozinho na barriga, antes e durante qualquer produção. E, sentirá falta do calor e energia do público. Mas, acredita que os amantes da cultura hip hop curtiram o formato digital e será de grande valia para a inclusão social, já que o rap, é uma cultura oriunda das periferias, criando conexões entre o artista e o público.

Meu desejo é que a versão digital possa alcançar não só o público da Zona Oeste do Rio, como de outros estados. Será maravilhoso interagir com outros apaixonados pela cultura hip hop. As rodas culturais sempre trazem um pouco de conhecimento, cultura e sabedoria, e muitas ainda são alimentadas por rimas ferozes e cheias de malandragem, brinca, onde o próprio adversário alimenta a criatividade do MC. Espero que o público da cultura urbana se reúna com a gente. Estou ansioso para este evento.

Serviço:

Inscrições para participação e local para  assistir a transmissão ao vivo: https://www.youtube.com/channel/UCYDGCQ0-3XYd3S2x_RlHCLQ

Categorias
Notícias do Jornal

DJ Diego Fábio dos Santos de Jesus, o Zulu Tec Nykko – Uma história de superação, amor pela dança e bons projetos

Antes de se tornar um jovem rebelde, segundo sua própria definição, Zulu passou parte da infância preso à cama. Durante três longos anos conviveu com uma bronquite asmática seguida de sopro cardíaco (uma anormalidade do fluxo sanguíneo que passa pelo coração).

Com o passar do tempo, Zulu frequentou outros grupos de dança até descobrir o movimento hip hop. A passagem por ONGs e projetos sociais fez com que criasse uma metodologia própria de ensino a ser aplicada a crianças, o que o qualificou como educador.

Em pouco tempo já estava ministrando aulas no projeto que ajudou a criar, o Cypher da Rua. Na linguagem do hip hop, “cypher” é a roda de amigos que se forma nas batalhas de MC’s ou em outras atividades ligadas ao movimento. Funcionando desde 2015, hoje o projeto atende cerca de 40 crianças de várias classes sociais e acumula inúmeras histórias de superação.

Zulu, também é ganhador de 6  grandes prêmios, incluindo o de melhor gestor de Cultura do Estado Rio de Janeiro em 2017 e 2019, melhor evento da Baixada projeto Cypher Na Rua,  ministrou  vários workshop de Dança    Urbanas em Vários Estados do Brasil, participou de show e programa Tv , hoje é membro Representante da Zulu Nation INSTITUIÇÃO Organizadora do Hiphop Mundo ,(internacional) e membro do Conselho internacional de Dança o CID- UNESCO.

Ele também é…

Dançarino (Danças urbanas-breaking) , Coreógrafo, Art -Educador , Pesquisador de danças Urbanas ,Treinador de Breaking , DJ, Beat Maker (formado pela RedBull Favela Beat) , Presidente do Centro de Desenvolvimento de Atributos Urbanos (URBANOS BF), instituição com  atuação nacional e internacional. Diretor do curso de dança do Teatro Municipal de Duque de Caxias, Conselheiro Municipal de Juventude de Duque de Caxias , Conselheiro Municipal de Cultura de Duque de Caxias ,  criador do kit de mobilização de jovem negro periféricos o (Quilombox) da Anistia Internacional campanha Jovem negro Vivo ,  Produziu e coordenou diversos eventos e projetos artísticos dentro e fora da cidade de Duque de Caxias.

Atualmente participa da Comissão Técnica da (CNDDS – Conselho Nacional de Dança Desportiva e de Salão), organizando diretrizes da Dança Breaking no seu possível enquadramento no território braseiro.

Em 2019, Cypher foi contemplado com o Diploma Heloneida Studart, uma forma de reconhecimento e estímulo às boas práticas culturais promovida pela Comissão de Cultura da Alerj. Também esteve entre os sete vencedores do edital ” Apoio a Ações Locais Enfrentamento ao Racismo com Enfoque na Segurança Pública”. A chamada pública visa fornecer suporte para iniciativas, coletivos e organizações sediadas na Baixada Fluminense.