Categorias
Brasil Mundo Política

Brasil e Índia juntos na defesa dos direitos humanos

Ministra Damares Alves recebeu nesta quinta-feira (28) o embaixador da Índia no Brasil, Suresh K. Reddy
Com populações e culturas muito diversas, o Brasil e a Índia têm desafios parecidos diante do enfrentamento a violações de direitos humanos. A ministra Damares Alves e o embaixador da Índia no país, Suresh K. Reddy, trocaram experiências e articularam ações no combate a essas situações em encontro nesta quinta-feira (28), em Brasília (DF).
No Brasil ainda temos muitas violações de direitos contra a vida. É um desafio fazer o enfrentamento a todas nesse Brasil plural que tem floresta, tem o Marajó, tem Nordeste, ribeirinhos e ciganos. Nós precisamos pensar os direitos humanos para todos, afirma a ministra.

O embaixador Reddy destaca que há muitos desafios em comum entre os dois países. “Também temos muitas áreas remotas. É importante que países como os nossos, que estão em desenvolvimento, atuem de forma conjunta, já que temos realidades semelhantes”, diz.

O representante do governo indiano mostrou disposição para implementar ações de capacitação de jovens sobre linguagem de programação. Além disso, as autoridades se comprometeram em pensar iniciativas para a promoção da autonomia financeira de mulheres em situação de vulnerabilidade social.

A mulher pode sair do ciclo de violência ao assumir controle da vida financeira. Tenho falado muito sobre nano empreendedorismo para mulheres em situação de violência. Esse é um caminho muito importante, enfatiza a ministra ao destacar a importância dos pequenos negócios na promoção da autonomia financeira das mulheres.

A reunião também contou com a presença da secretaria-executiva do MMFDH, Tatiana Alvarenga, e do chefe da Assessoria Especial de Assuntos Internacionais, Milton Toledo.

Categorias
Aconteceu Brasil Mundo

SATÉLITE AMAZONIA 1 EMBARCA NESTA TERÇA-FEIRA (22), PARA A ÍNDIA

Previsão é que lançamento ao espaço ocorra em fevereiro de 2021

O Satélite Amazonia 1, embarca nesta terça-feira (22) para a Índia onde será lançado ao espaço em fevereiro de 2021. O embarque será em um avião B777 da Emirates. Serão várias carretas com os módulos de serviço, módulo de carga útil, mais equipamentos que acompanham o Satélite. O embarque será feito no aeroporto de São José dos Campos (SP).

Está prevista uma coletiva de imprensa a ser realizada nas dependências do aeroporto de SJC, às 7 horas do dia 22/12. Participam da cerimônia, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI), Clezio de Nardin, o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), Carlos Moura e o responsável pela Missão Amazonia 1, Adenilson Roberto da Silva.

O satélite terá a missão de fornecer dados (imagens) de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento, especialmente na região amazônica. Com seis quilômetros de fios e 14 mil conexões elétricas, o Amazonia 1 será o terceiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto em operação junto ao CBERS-4 e ao CBERS-4A.

Sobre o Satélite

O Amazonia 1 é o primeiro satélite de Observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil.

Com lançamento previsto para fevereiro de 2021, o Amazonia 1 é um satélite de órbita Sol síncrona (polar) que irá gerar imagens do planeta a cada 5 dias. Para isso, possui um imageador óptico de visada larga (câmera com 3 bandas de frequências no espectro visível VIS e 1 banda próxima do infravermelho Near Infrared ou NIR) capaz de observar uma faixa de aproximadamente 850 km com 64 metros de resolução.

Sua órbita foi projetada para proporcionar uma alta taxa de revisita (5 dias), tendo, com isso, capacidade de disponibilizar uma significativa quantidade de dados de um mesmo ponto do planeta. Sob demanda, o Amazonia 1 poderá fornecer dados de um ponto específico em dois dias. Esta característica é extremamente valiosa em aplicações como alerta de desmatamento na Amazônia, pois aumenta a probabilidade de captura de imagens úteis diante da cobertura de nuvens na região.

Os satélites da série Amazonia serão formados por dois módulos independentes: um Módulo de Serviço, que é a Plataforma Multimissão (PMM), e um Módulo de Carga Útil, que abriga câmeras imageadoras e equipamentos de gravação e transmissão de dados de imagens.